Mestrado em Educação

Dissertações Defendidas

+ A PERCEPÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO SOBRE A TEMÁTICA DE GÊNERO E SEXUALIDADE NAS PRÁTICAS DE ENSINO EM UMA ESCOLA DA ESTADUAL NA CIDADE DE CAMPO GRANDE/MS
  • Discente:
    • Amanda de Siqueira Marques
  • Orientador(a):
    • Heitor Queiroz de Medeiros
  • Resumo:

    Esta pesquisa de Mestrado desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) se articulou a partir dos conteúdos abordados na Linha III de Pesquisa, intitulada “Diversidade Cultural e Educação Indígena” e teve como objetivo geral investigar a percepção dos profissionais de educação para compreender os desafios e possibilidades no trabalho educativo em relação às temáticas de gênero e sexualidade nas práticas de ensino em uma Escola Estadual na cidade de Campo Grande/MS. Já os objetivos específicos foram de caracterizar as formas de violência de gênero, feminicídio e estupro de vulneráveis; analisar as políticas públicas educacionais sobre violência sexual e de gênero que são trabalhados no país; identificar a partir da percepção dos profissionais de educação em uma Escola Estadual de Campo Grande/MS o aprofundamento do conhecimento dos sujeitos da pesquisa sobre gênero e sexualidade e a forma como essas temáticas são abordadas no contexto educacional. A opção pelo tema da pesquisa se deu em razão do meu interesse pessoal atrelado ao meu Trabalho de Conclusão do Curso (TCC) junto ao curso de Direito da UCDB que teve como título: “O crime de pornografia infantil na internet e análise da lei 11.829”, da mesma forma que a experiência no estágio no Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul, voltado para o atendimento de crianças em estado de vulnerabilidade. Diante destas premissas, o problema deste estudo foi sustentado através do questionamento sobre “Qual é a percepção dos profissionais de educação sobre a integração da temática de gênero e sexualidade nas práticas de ensino de uma escola da Rede Estadual de Ensino na cidade de Campo Grande/MS?". Para o desenvolvimento desta pesquisa utilizou-se o método de entrevista através do uso de um roteiro (tópico guia) com perguntas estruturadas, e esta foi realizada em uma escola da Rede Estadual de Ensino, localizada na cidade de Campo Grande, no estado de Mato Grosso do Sul (MS), sendo os entrevistados, no que concerne à função exercida na escola, (01) merendeira, (01) vigia escolar, (06) professores, (01) secretária escolar, (01) assessora pedagógica, (01) coordenadora pedagógica e (01) diretor escolar. Com base na produção e análise dos dados da entrevista, bem como na revisão de estudos teóricos culturais, foi possível obter como resultado a importância de refletir sobre a influência do discurso colonial nas representações de gênero e sexualidade, marcado pela fixidez e estereotipia, que perpetua desigualdades de poder e dominação, reforçando a ideia de superioridade de algumas formas de ser e viver em detrimento de outras, e também destacam a importância de incluir o gênero, a sexualidade e a Educação Sexual de forma abrangente nos currículos escolares, garantindo que os alunos tenham acesso a informações e conhecimentos que os ajudem a compreender e respeitar suas próprias sexualidades, assim como os outros. Isso pode ser feito por meio da implementação de políticas educacionais que também priorizam o gênero e sexualidade como parte integrante do processo educativo. Considera-se que a pesquisa responde à pergunta problema da Dissertação, na qual, a partir das entrevistas realizadas com os profissionais de educação, identificou-se a percepção e compreensão desses. E, ao explorar suas vozes e experiências foi possível compreender os desafios e necessidades no que diz respeito à temática de gênero e sexualidade.

    Palavras-chaves: Sexualidade; Gênero; Crianças e adolescentes.

  • Data da Defesa: 17/11/2023
  • Download: Clique aqui
+ A PERCEPÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO ESPECIAL SOBRE OS ESTUDANTES COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA EM ESCOLAS DE CAMPO GRANDE / MS: DIÁLOGOS A PARTIR DOS ESTUDOS DA DIFERENÇA
  • Discente:
    • Gladys Graciela Paniago Miranda
  • Orientador(a):
    • Carlos Magno Naglis Vieira
  • Resumo:

    Esta dissertação está vinculada à linha de pesquisa: Diversidade Cultural e Educação Indígena do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Católica Dom Bosco/UCDB e ao Grupo de Pesquisa Educação Intercultural e Povos Tradicionais/CNPq. A temática busca uma reflexão de diversas inquietações a esse campo do saber e procura aprofundar os estudos diante dos desafios do olhar sensível e da formação e percepção de professores da Educação Especial nas representações dos estudantes com Transtorno do Espectro Autista, dentro de um contexto educacional. Nesse sentido, a presente pesquisa tem como objetivo geral analisar a partir dos estudos da diferença a percepção de professores da Educação Especial sobre os estudantes com transtorno do espectro autista (TEA) matriculados em escolas de Campo Grande/MS e quanto aos objetivos específicos: a) Identificar e analisar os documentos legais referentes ao atendimento de estudantes com TEA a partir dos estudos da diferença; b) Compreender a importância da formação de professores para o trabalho com estudantes com TEA; c) Verificar os elementos que contribuem para a percepção de professores da Educação Especial sobre os estudantes com transtorno do espectro autista (TEA). Escolhemos aportar nossa pesquisa no método do Grupo de Discussão que visa analisar as opiniões coletivas e não somente nas individuais. Os posicionamentos resultam de orientações coletivas que demonstram a visão de mundo do grupo ao qual os entrevistados pertencem, decorrentes de experiências vividas numa mesma estrutura. O campo teórico escolhido para análise foi a teoria pós-colonial onde está inserido o grupo Modernidade/Colonialidade (M/C) que nos ajudou a compreender a respeito das diferentes colonialidades presentes nos dias atuais (do poder, ser e do saber). Além desses estudos a dissertação está amparada no campo da Pedagogia da Diferença onde ajudou a refletir sobre os fundamentos da Educação Especial em sua constituição. Sobre a percepção dos professores da Educação Especial em relação aos estudantes com Transtorno do Espectro Autista (TEA), notamos que está baseada principalmente na convivência cotidiana com seus alunos, visto que descreveram seu cotidiano como cada dia sendo um dia diferente. Há dias em que seus alunos participam mais e dias em que participam menos, mas enxergam cada pequeno avanço como uma conquista no desenvolvimento do mesmo. Isso é observado porque fazem o acompanhamento e avaliação do desenvolvimento todos os dias. Os estudos apontaram que a inclusão é uma construção que não ocorre do dia para a noite, sendo necessário modificações no sistema de ensino, salas adequadas para que o aprendizado se realize. A inclusão ocorre de maneira gradativa, planejada, com os professores tentando superar sua inconclusão para oferecer aos estudantes com ou sem deficiência uma educação de qualidade, visando prepará-lo para exercer sua cidadania e seus direitos, visto que convivemos em um espaço (escolar) tensionado pelas diferenças e em um mundo globalizado marcado por preconceitos étnicos, raciais, linguísticos, culturais, sociais, de gênero e de classe.

    Palavras-chave: Professores da Educação Especial. Estudantes com Transtorno do Espectro Autista. Estudos da Diferença. Campo Grande/MS. MIRANDA. GLADYS GRACIELA PANIAGO. THE PERCEPTION OF SPE

  • Data da Defesa: 19/10/2023
  • Download: Clique aqui
+ PRINCÍPIOS E VALORES FRANCISCANOS EM TEMPOS DE SOCIEDADE LÍQUIDA: O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA ESCOLA FRANCISCANA IMACULADA CONCEIÇÃO – DOURADOS-MS
  • Discente:
    • Adriana Renata Santos
  • Orientador(a):
    • Adir Casaro Nascimento
  • Resumo:

    A presente dissertação vincula-se à Linha de Pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena e ao Grupo de Pesquisa Educação e Interculturalidade, do Programa de PósGraduação em Educação da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). A pesquisa intitulada Princípios e valores franciscanos em tempos de sociedade líquida: o planejamento estratégico da Escola Franciscana Imaculada Conceição – Dourados-MS, objetiva identificar como gestores e professores desenvolvem planejamento estratégico em via de garantir os princípios e valores Franciscanos diante da sociedade líquida. Tem como objetivos específicos: i) analisar o planejamento estratégico sob a ótica da filosofia Franciscana e Histórico da Congregação; ii) verificar como os princípios e valores ainda fazem sentido na formação de estudantes e colaboradores; iii) identificar as práticas e os desafios dos gestores da Escola Franciscana Imaculada Conceição em relação ao processo de formação integral; e iv) identificar como os princípios Franciscanos ganham vida na prática cotidiana da comunidade escolar frente ao impacto da sociedade líquida. Para o desenvolvimento da pesquisa, buscou-se inspiração em autores que sustentam a discussão da temática em foco, entre eles Stuart Hall, que estuda as identidades culturais na perspectiva da pós-modernidade; Homi BhaBha, que retrata a experiência de hibridismo; Bauman, que trata da questão da modernidade líquida; e nos escritos Franciscanos e documentos produzidos pela SCALIFRAZN, que fundamentam a proposta educativa de sua rede de escolas. É importante registrar que o trabalho não limita o diálogo somente com esses autores, pois busca-se uma conversa e uma sintonia com outros pesquisadores e estudiosos. Trata-se de investigação de natureza qualitativa, por essa metodologia dar suporte para acessar significados e valores das pessoas. Concilia-se o procedimento de produção de dados com a observação no campo empírico e da técnica do grupo de discussão ou entrevista aberta. Como considerações preliminares, observa-se que o planejamento estratégico garante a aplicação dos princípios e valores Franciscanos, os quais permeiam as vivências pessoais e profissionais dos gestores e professores da referida Escola. Isto significa que eles continuam a produzir vida. Todavia, a pesquisa exigiu cuidado constante para com o uso da metodologia adequada e atenção constante às necessidades do tempo presente. Por se tratar de tempos líquidos, o cuidado para a manutenção dos princípios e valores Franciscanos é muito mais urgente, a vida precisa ser valorizada como criação de Deus. Francisco, na sua relação com a criação, sempre muito reverente, costumava chamar a todos de “criaturas”. Esse é o apelo do tempo presente, o cuidado com a vida, uma vez que ela não pode ser tratada como objeto descartável, pois esse estado social de liquefação busca transformar tudo em mercadoria, porque o que mais se consome, se descarta. Esses são alguns pontos que foram possíveis sentir e que foram apresentados, com maior aprofundamento, nas reflexões dos sujeitos da pesquisa.

    Palavras-chave: Princípios e Valores Franciscanos-SCALIFRA-ZN; planejamento estratégico; sociedade líquida.

  • Data da Defesa: 06/07/2023
  • Download: Clique aqui
+ EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA): ALFABETIZAÇÃO E CIDADANIA
  • Discente:
    • Sintia Fabiana Alves de Mello Câmara
  • Orientador(a):
    • Ruth Pavan
  • Resumo:

    A dissertação, intitulada “Educação de Jovens e Adultos (EJA): alfabetização e cidadania”, está vinculada à Linha de Pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente, do Programa de Pós-graduação – Mestrado e Doutorado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco – UCDB. Tem como objetivo geral analisar o significado do processo de alfabetização dos estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA) e suas implicações para o exercício da cidadania. Os objetivos específicos são: a) caracterizar a história da EJA no Brasil com destaque para o processo de alfabetização; b) identificar diferentes abordagens do processo de alfabetização de jovens adultos e a articulação com a concepção de cidadania; c) descrever e analisar os relatos dos estudantes sobre seu processo de alfabetização na EJA. A pesquisa, para cumprir seus objetivos, discute os aspectos históricos da EJA, destacando a educação na perspectiva bancária e na perspectiva emancipadora. A pesquisa tem uma abordagem qualitativa e se utiliza da entrevista semiestruturada como técnica de coleta de dados, junto a estudantes da EJA. Os sujeitos da pesquisa pertencem a uma escola localizada em uma capital da região Centro-Oeste do país. Os teóricos que compõem o referencial se destacam pela concepção crítica de educação e compreendem a alfabetização de adultos como um direito de todos os cidadãos e cidadãs. Entre eles estão Sergio Haddad e Maria Clara Di Pierro (2000), Paulo Freire (2011), Jane Paiva e Inês Barbosa de Oliveira (2009), Jaqueline Moll (2004), Miguel Arroyo (2019), Licínio C. Lima (2020) e Ruth Pavan (2005). Por fim, trouxemos os diálogos com os estudantes jovens e adultos em processo de alfabetização. Os resultados indicam a contribuição da EJA na vida dessas pessoas, sobretudo no referente ao exercício da cidadania, seja pela possibilidade de ler, informar-se, obter mais autonomia, seja em relação ao mundo do trabalho, com possibilidade de ampliar sua inserção.

    Palavras-chave: educação de jovens e adultos; alfabetização; cidadania.

  • Data da Defesa: 11/05/2023
  • Download: Clique aqui
+ PROFESSORES INICIANTES NA FUNÇÃO DE COORDENADOR PEDAGÓGICO: NARRATIVAS DESSA CONSTITUIÇÃO
  • Discente:
    • Rosana Maria Torres
  • Orientador(a):
    • Flavinês Rebolo
  • Resumo:

    A pesquisa com o título “Professores Iniciantes na Função de Coordenador Pedagógico: Narrativas dessa Constituição” teve como objetivo geral analisar o trabalho e os desafios enfrentados pelos professores iniciantes que exercem a função de coordenadores pedagógicos e como se constitui o professor coordenador a partir da sua formação e autoformação, das suas relações com a comunidade escolar e das diretrizes normativas da função. O trabalho se desenvolveu com abordagem da metodologia qualitativa (LÜDKE; ANDRÉ, 2004) a partir das narrativas autobiográficas (NÓVOA; FINGER, 2010; GALVÃO 2005; RIBEIRO; VASCONCELOS, 2020). Com apoio teórico dos seguintes autores: Orsolon (2010); Almeida e Placco (2018); Vieira e Souza (2018); Groppo e Almeida (2015); Carvalho (2017); García (1999), Cavaco (1995), Tardif (2014) e Hüberman (1992). Os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas. Participaram 07 coordenadores pedagógicos que atuam em escolas da Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso na cidade de Rondonópolis. Os dados foram organizados em categorias de análise e possibilitaram constatar que os desafios enfrentados configuram-se pela inexperiência profissional, mas também pela pouca formação do professor iniciante na função de coordenador pedagógico. Conclui-se que é imprescindível a oferta de uma formação continuada mais consistente, que aconteça anterior à entrada do coordenador pedagógico na função, com aquisições significativas dos saberes da coordenação para uma prática mais segura, propícia ao desempenho do trabalho e que contribua para alcançar os objetivos curriculares e do Projeto Político Pedagógico da escola. O ato de acolher e a boa relação interpessoal foram fatores decisivos que permitiram a construção dos novos saberes, sendo fundamental para uma execução mais assertiva das atividades e para a própria adaptação na escola.

    PALAVRAS-CHAVE: Coordenador Pedagógico; Professor Iniciante; Narrativas autobiográficas.

  • Data da Defesa: 28/02/2023
  • Download: Clique aqui
+ OFERTA EDUCATIVA DE ESCOLAS EM TEMPO INTEGRAL NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CAMPO GRANDE-MS (2015-2020)
  • Discente:
    • Daiane Göedert
  • Orientador(a):
    • Regina Tereza Cestari de Oliveira
  • Resumo:

    Esta pesquisa vincula-se à Linha de Pesquisa Política, Gestão e História da Educação, do Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e ao Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Políticas Públicas e Gestão da Educação (GEPPE). Apresenta como objetivo geral analisar o processo de implantação e materialização das Escolas em Tempo Integral na Rede Municipal de Ensino de Campo Grande-MS, após a aprovação do Plano Municipal de Educação de Campo Grande 2015-2025, no período de 2015 a 2020. E como objetivos específicos: discutir como se deu o processo de implantação de escolas em tempo integral, no contexto brasileiro, tendo como indicação a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, de 1996; verificar como decorreu o processo de implantação de ETIs na Rede Municipal de Ensino (REME) de Campo Grande-MS, no âmbito da política local; examinar o processo de materialização das ETIs, tendo em vista a oferta educativa, com foco no acesso e na permanência dos estudantes, no período selecionado. Justifica-se o recorte temporal, de 2015, por ser o ano de aprovação do PME de Campo Grande - 2015-2025, até 2020, considerando-se o ano de implantação de três unidades escolares na REME. A metodologia fundamenta-se nos seguintes procedimentos: análise bibliográfica; análise documental, mediante consulta em fontes oficiais, impressas e via online, sobretudo no Diário Oficial de Campo Grande - MS, coleta de dados de número de vagas e matrículas na Secretaria Municipal de Educação, assim como entrevista, de caráter semiestruturado, com duas integrantes da equipe técnica da Gerência do Ensino Fundamental e Médio (GEFEM), participantes do projeto inicial e da implantação de Escolas em Tempo Integral na REME. Os resultados obtidos mostraram que: em 2009 ocorreu a implantação de duas primeiras unidades escolares em tempo integral, com base em um projeto específico; há ausência de novas ETIs, na REME até 2019; em 2020 foram agregadas mais três escolas ao quadro de ETIs; há duas regiões da cidade que não dispõem de nenhuma unidade de ETI. Conclui-se que o número de vagas é inferior ao de demandas e, portanto, não há garantia de acesso a todos os estudantes às escolas em Tempo Integral.

    Palavras-chave: Plano Municipal de Educação; Escolas em Tempo Integral; Oferta educativa.

  • Data da Defesa: 24/02/2023
  • Download: Clique aqui
+ A INCLUSÃO POR MEIO DE PRÁTICAS CORPORAIS DE AVENTURA: A CONCEPÇÃO DE PROFESSORES QUE ATUAM NO PROJETO INCLUSÃO RADICAL
  • Discente:
    • Washington Alves Pagane
  • Orientador(a):
    • José Licínio Backes
  • Resumo:

    Esta pesquisa, vinculada à Linha de Pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena, mergulha no desafio de analisar a concepção de inclusão de professores voluntários do Projeto Inclusão Radical. A proposta do Projeto Inclusão Radical surgiu em uma Escola Municipal de Campo Grande (MS), apoiado na cooperação e no compartilhamento de conhecimentos entre professores. O estudo busca uma compreensão decolonial das diferenças. A Pesquisa tem como objetivo geral analisar a concepção de inclusão dos professores voluntários participantes do Projeto Inclusão Radical e a forma como lidam com as diferenças dos alunos nas ações do projeto. Os objetivos específicos são: a) caracterizar o processo de inclusão na perspectiva dos Estudos Culturais; b) identificar a importância que os professores participantes do Projeto Inclusão Radical atribuem às práticas corporais no processo de inclusão; c) caracterizar o que os professores participantes do projeto pensam sobre a deficiência dos alunos; d) descrever como os professores lidam com as diferenças nasações do projeto. Como instrumento de construção de dados, foi utilizada a entrevista semiestruturada, sob a perspectiva de Silveira (2002), que a compreende como um evento discursivo complexo em que o entrevistador e os entrevistados são vistos como sujeitos envolvidos em relações de poder. Isso significa que o contexto da produção da entrevista é parte constitutiva da produção dos dados, o que foi incorporado na análise. Foram entrevistados seis professores que atuaram no Projeto Inclusão Radical, com base em um roteiro semiestruturado em conformidade com os objetivos da pesquisa. Os professores relataram dificuldades com as práticas corporais de aventura na escola, porém, reconhecem o potencial dessas práticas para a inclusão. Os professores indicaram um caminho de decolonialidade ao lidarem com os alunos no Projeto Inclusão Radical e estão disseminando essas práticas em suas aulas, portanto, estão construindo uma concepçãode inclusão que se afasta da normalização e da limitação, priorizando o potencial dos sujeitos.

    PALAVRAS-CHAVE: Cultura. Inclusão. Práticas corporais de aventura

  • Data da Defesa: 23/02/2023
  • Download: Clique aqui
+ PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO (PME 2015-2025) DE LADÁRIO-MS: ESTRATÉGIA 2.5 DA META 2 - AÇÕES INTERSETORIAIS DE MONITORAMENTO E ACOMPANHAMENTO DO ACESSO, DA PERMANÊNCIA E DO APROVEITAMENTO ESCOLAR DOS ESTUDANTES DO ENSINO FUNDAMENTAL (2015-2020)
  • Discente:
    • Raimundo Pinheiro Santos Neto
  • Orientador(a):
    • Celeida Maria Costa de Souza e Silva
  • Resumo:

    A presente pesquisa, financiada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), está vinculada à Linha 1, Política, Gestão e História da Educação, ao Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco (PPGE-UCDB) e, ao Grupo de Estudos e Pesquisas Política de Formação e Trabalho Docente (GEFORT), coordenada pela Profª. Drª. Celeida Maria Costa de Souza e Silva. O estudo tem como objetivo geral analisar as ações intersetoriais dos órgãos públicos do município de Ladário-MS, Conselho Municipal de Educação de Ladário e Conselho Tutelar de Ladário, para monitoramento e acompanhamento do acesso, da permanência e do aproveitamento escolar dos estudantes do ensino fundamental, prescritos na Meta 2, universalização do Ensino Fundamental a toda população de 6 a 14 anos, estratégia 2.5 do Plano Municipal de Educação (PME 2015-2025) de Ladário-MS, aprovado pela Lei nº 943, em 9 de junho de 2015. Elege-se como recorte temporal o período de 2015 a 2020. O recorte corresponde à aprovação e à vigência do Plano Municipal de Educação (PME 2015-2025) de Ladário-MS, e ao período em que foi publicado um Relatório de Acompanhamento do PME/Ladário-MS, dividido em monitoramento e avaliação, elementos essenciais para o desenvolvimento da pesquisa. Como objetivos específicos busca-se: (a) descrever o processo de elaboração do PME/Ladário-MS (2015-2025); (b) examinar as informações educacionais do município e da Rede Municipal de Ensino de Ladário, as informações da estratégia 2.5 da Meta 2 do PME/Ladário-MS e as dos Relatórios de Avaliação e de Monitoramento do Plano, referente à estratégia anunciada; e (c) analisar as ações intersetoriais do Conselho Municipal de Educação de Ladário e do Conselho Tutelar para monitoramento e acompanhamento do acesso, da permanência e do aproveitamento escolar dos estudantes do ensino fundamental da Rede Municipal de Ensino de Ladário-MS, citados na estratégia 2.5 da Meta 2 do PME/Ladário-MS (2015-2025). Trata-se de uma pesquisa bibliográfica e documental, com foco nos Planos de Educação Nacional, Estadual e Municipal de Educação, especialmente, do município de Ladário, e nos relatórios oficiais. Os resultados da pesquisa indicam que o Conselho Municipal de Educação de Ladário e o Conselho Tutelar tem atuado com ações, por meio de orientações, sugestões, pedidos de esclarecimentos, autuações de pais e responsáveis, e visitas junto a Promotoria da Infância e Juventude para o enfrentamento e combate à evasão e abandono escolar na Rede Municipal de Ensino de Ladário, porém no que tange aos registros desses trabalhos, as suas ações não são encontradas nos Relatórios de Monitoramento e Avaliação do PME/Ladário (2015-2025) referente à estratégia 2.5 da Meta 2.

    Palavras-chave: Plano Municipal de Educação (PME 2015-2025) de Ladário-MS. Meta 2, estratégia 2.5. Monitoramento e avaliação do Plano. Taxa de Rendimento Escolar

    Download: clique aqui

  • Data da Defesa: 23/02/2023
+ A CONTRIBUIÇÃO DA ESCOLA ESTADUAL INDÍGENA GUILHERMINA DA SILVA PARA A COMUNIDADE TERENA DA ALDEIA ALDEINHA NO MUNICÍPIO DE ANASTÁCIO, MATO GROSSO DO SUL
  • Discente:
    • Edemilson Dias
  • Orientador(a):
    • Heitor Queiroz de Medeiros
  • Resumo:

    Este trabalho de dissertação ligado ao Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) vinculado a linha de pesquisa “Diversidade Cultural e Educação Indígena” tem como objetivo geral: analisar junto à comunidade Terena da Aldeia Aldeinha em Anastácio, no estado de Mato Grosso do Sul, bem como junto aos gestores, docentes e egressos indígenas da Escola Estadual Indígena Guilhermina da Silva, se a escola tem contribuído com o fortalecimento da comunidade da aldeia. Os objetivos específicos são: 1- Discutir o alcance dos marcos legais que regem a Educação Escolar Indígena no Brasil e no Mato Grosso do Sul; 2- Entender como se deu a participação das lideranças da comunidade indígena Terena da Aldeia Aldeinha para a estruturação da Educação Escolar Indígena em Mato Grosso do Sul; 3- Analisar, junto à comunidade Terena da Aldeia Aldeinha em Anastácio, Mato Grosso do Sul, se a Educação desenvolvida na aldeia pela Escola Estadual Indígena Guilhermina da Silva, tem contribuído com o fortalecimento da comunidade Terena da aldeia; 4- Analisar, junto aos gestores, docentes e egressos da Escola Estadual Indígena Guilhermina da Silva, da Aldeia Aldeinha, se a Escola tem contribuído com o fortalecimento da comunidade Terena da aldeia. A pesquisa é baseada no método autoetnográfico, sabendo que para RAMIRES (2016), a autoetnografia, através de concepções do sujeito, traz uma descrição da cosmovisão de seu povo/comunidade de dentro para fora, onde ele transita praticando e constituindo os saberes conforme os fundamentos cosmológicos. A opção pelo método autoetnográfico se deve ao fato do mestrando ser indígena da etnia Terena, neto de Terena, filho de Terena, morador da Aldeia Aldeinha (Aldeia Terena), onde foi realizada a pesquisa. Foi feito levantamento bibliográfico do tema estudado, dos fundamentos legais da Educação Escolar Indígena, além de uma pesquisa documental na Escola Estadual Indígena Guilhermina da Silva para análise do seu regimento escolar, proposta pedagógica, currículo e práticas docentes. Também se realizou conversas informais com lideranças da comunidade e registradas em caderno de campo, além da gravação de entrevistas a partir de um roteiro semiestruturado. Essas entrevistas também foram realizadas com gestores, docentes e egressos da escola, além de um registro fotográfico com a finalidade de contribuir com o entendimento da pesquisa realizada. Consultou-se documentos oficiais e observou-se o contexto na unidade escolar (alunos, professores, gestores, funcionários em geral, pais, espaço físico, estrutura física). Estivemos em contato com a liderança, anciãos e comunidade em geral, isso proporcionou-me ver de que forma a comunidade da aldeinha se fortalece a partir da inserção da escola na aldeia. Para além, observou-se como os Terenas da aldeinha tem se identificado em seu dia-a-dia junto à sociedade envolvente, pois a escola ali presente, os Terenas se posicionam em toda a sua forma de ser, “Terena mesmo da Aldeia Aldeinha”, e afirmando isso com toda propriedade, em todos os espaços culturais e sociais.

    Palavras-chave: Educação Escolar Indígena, Comunidade Terena, Aldeia AldeinhaAnastácio (MS).

  • Data da Defesa: 22/02/2023
  • Download: Clique aqui
+ AS CRIANÇAS COMO PRODUTORAS DE CULTURAS INFANTIS NO COTIDIANO DA CRECHE
  • Discente:
    • Andreia Paz Leonarski
  • Orientador(a):
    • Marta Regina Brostolin
  • Resumo:

    Esta pesquisa de Mestrado é vinculada à Linha de Pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente, do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Católica Dom Bosco (PPGE-UCDB). Tem como objetivo geral analisar as culturas infantis produzidas pelas crianças bem pequenas no cotidiano da creche e como objetivos específicos: investigar quais e como são produzidas as culturas infantis pelas crianças bem pequenas nesse espaço; analisar a escuta da criança por meio das suas múltiplas linguagens, caracterizando suas culturas infantis; ampliar conceitos relativos a criança e infância a partir das contribuições da Sociologia da Infância e os entrelaçamentos com a Educação Infantil. Como referencial teórico, traz embasamento na Sociologia da Infância, que compreende a criança como ator social e a infância como categoria geracional. Entre os autores que deram suporte à pesquisa destacam-se: Brostolin (2020, 2021); Corsaro (2005, 2009, 2011); Coutinho (2002, 2016, 2019); Fernandes (2016, 2018, 2020); Martins Filho (2011, 2015); Prado (1998, 1999, 2011); Sarmento (2004, 2005, 2007, 2008, 2009, 2011, 2013, 2015, 2022); dentre outros não citados aqui, porém, de grande importância para o desenvolvimento do trabalho. Tem uma abordagem qualitativa, de cunho etnográfico; os instrumentos utilizados para a produção de dados foram a observação participante, caderno de campo, registros fotográficos e gravação de vídeo. Para análise dos dados, recorremos às contribuições de Franco (2008) e Bardin (2011), com base na Análise de Conteúdo. O campo empírico foi realizado em uma Creche na cidade de Campo Grande, MS. Os sujeitos foram crianças de 2 a 3 anos de idade, que frequentavam a turma do Nível IA, filhos de pais que, na sua maioria, trabalham próximos à instituição. As categorias de análise ressaltaram: a participação da criança dentro do grupo social em que a pesquisa foi realizada; a produção de culturas infantis nas relações sociais; na autonomia das crianças nas relações observadas. Concluímos que as crianças são capazes de exercer o seu protagonismo como participantes ativas nas pesquisas, tanto na negação, como aconteceu no início do campo empírico, como no assentimento, movimento sucedido no decorrer do caminho, utilizando-se não apenas da linguagem oral, mas dos gestos, sorrisos e outras linguagens. Esses sujeitos produzem culturas infantis locais por meio das dinâmicas estabelecidas com seus pares e entre as crianças e os adultos; por meio do acolhimento ou não do outro; da organização e reorganização das atividades cotidianas; das relações de conflitos; das trocas de informações recebidas pelas crianças mais velhas e pelos adultos em diferentes contextos sociais; da construção da autonomia na escolha de brincadeiras e outras atividades; do manuseio de brinquedos e materiais brincantes; dos jogos de faz de conta, etc. Foi possível perceber que as crianças estruturavam seus grupos de pares a partir de regras como grau de maturidade para participar das brincadeiras constituindo sua própria organização social. Nesse sentido, a educação infantil abrange o cuidar e o educar, sendo um espaço de trocas de experiências entre as crianças e entre as crianças e os adultos; lugar onde as crianças brincam com seus pares; lugar de descobertas e de produção das culturas infantis.

    PALAVRAS-CHAVE: Pesquisa com crianças. Culturas infantis. Creche.

  • Data da Defesa: 17/02/2023
  • Download: Clique aqui
+ PROFESSORAS DO ENSINO FUNDAMENTAL I EM CONTEXTO DE PANDEMIA: DIÁLOGOS SOBRE PROCESSOS FORMATIVOS, PRÁTICAS E ENSINO REMOTO
  • Discente:
    • Inez Alves de Santana
  • Orientador(a):
    • Maria Cristina Lima Paniago
  • Resumo:

    Em tempos de transformações, devido ao avanço de uma Pandemia, os impactos nas instituições escolares demonstraram a urgência em discutir questões relacionadas ao uso das tecnologias digitais e suas potencialidades. Nesse cenário, em que as escolas nos anos de 2020 e 2021, foram obrigadas a se reorganizarem para atenderem aos alunos e professores que estavam em isolamento, muitas mudanças foram necessárias. As condições momentâneas provocaram discussões sobre como seriam desenvolvidos, neste período, os processos de ensino e de aprendizagem, com a implementação do ensino remoto, sob a perspectiva de um novo olhar e, principalmente, como os processos formativos docentes foram articulados ante a este novo cenário. Nessa perspectiva, esta pesquisa teve como objetivo analisar como ocorreu o processo formativo das professoras do 1º ano do Ensino Fundamental, em um período de Pandemia. Articulamos os diálogos em torno de duas questões: a discussão acerca dos processos formativos desenvolvidos neste período e a problematização dos impactos e desdobramentos nas formações tecnológicas e pedagógicas com a implementação do ensino remoto. Tal realização busca desenvolver um trabalho interativo, além de manter o vínculo das crianças com a escola, por meio das plataformas virtuais, as quais foram adotadas pela Rede Pública de Ensino de Campo Grande. A implementação deste recurso, neste período, possibilitou às professoras o conhecimento de algumas plataformas virtuais e ferramentas, assim como a disponibilidade do material para estudo, por meio do celular, o qual foi incorporado para auxiliar na aprendizagem. Consideramos que o uso crítico das tecnologias digitais torna-se uma das questões mais relevantes nesse contexto, porém, sabemos que é necessário construir espaços que discutam e formalizem articulações entre as formações e o fazer pedagógico, de maneira que não precarize ou intensifique o exercício da docência. Para a realização deste trabalho, utilizamos a pesquisa qualitativa, desenvolvida com um grupo de discussão, composto por professoras das turmas de 1º anos do Ensino Fundamental. O método adotado para produzir os dados foram as narrativas, reconhecendo a importância do contexto, das experiências e das vivências das professoras. Para realizar esta discussão, optamos por encontros semanais, online, pela Plataforma Google Meet. A pesquisa está vinculada à linha de pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente e ao Grupo de Pesquisa e Estudos em Tecnologia Educacional e Educação a Distância (GETED), do Programa de Pós-Graduação Mestrado e Doutorado em Educação, da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Os resultados demonstram que durante o período da pandemia, as professoras precisaram se reinventar para atender seus alunos, além de passarem por diversos processos que não surgiram na escola, mas, que infelizmente, recaíram nela. Dentre os inúmeros desafios, podemos citar: a desigualdade econômica que desfavorece as famílias; a falta de conectividade; a precarização do trabalho docente; a dificuldade em manter o vínculo com as crianças. Alguns avanços surgiram, como a ampliação da capacidade digital e o uso das ferramentas digitais, mas, ainda é necessário buscar a incorporação e operacionalização, por meio de uma Formação com investimentos em uma perspectiva de compartilhamento e coletividade.

    PALAVRAS-CHAVE: formação continuada docente; ensino remoto; pandemia.

  • Data da Defesa: 16/02/2023
  • Download: Clique aqui
+ POLÍTICAS EDUCACIONAIS PARA TECNOLOGIA ASSISTIVA NO PROCESSO DE INCLUSÃO
  • Discente:
    • Maira Cristiane Benites
  • Resumo:

    Esta pesquisa, financiada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior-CAPES, está vinculada à Linha de Políticas Educacionais, Gestão e História da Educação, do Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco, vinculada ao Grupo de Pesquisa em Políticas Educacionais e Órgãos de Gestão dos Sistemas de Ensino, e ao projeto de pesquisa Políticas, Planos, Projetos, Programas e Gestão Educacional, coordenados pela Profa. Dra. Nadia Bigarella. Tem como objeto de estudo as políticas educacionais para oferta da Tecnologia Assistiva no processo de educação inclusiva a estudantes com Transtorno do Espectro Autista da Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul, correspondentes aos anos de 2015 a 2022, período dos dois governos de Reinaldo Azambuja. Tem-se como objetivo geral estudar as políticas educacionais para oferta da Tecnologia Assistiva no processo de educação inclusiva dos estudantes com Transtorno do Espectro Autista da Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul. Os objetivos específicos são os seguintes: a) discutir a legislação e as condições históricas das políticas educacionais voltadas para a inclusão dos estudantes com Transtorno do Espectro Autista no Brasil, desde a promulgação da Constituição Federal de 1988 até o ano de 2004, ano de publicação do Decreto 5.296/2004; b) examinar a legislação, políticas, programas e projetos voltados para a oferta da Tecnologia Assistiva para a inclusão dos educandos com Transtorno do Espectro Autista, desenvolvidos no Estado de Mato Grosso do Sul, de 2005 a 2014, final do governo de André Puccinelli e ano da publicação do Plano Estadual de Educação (2014-2024); c) explicitar sobre o desenvolvimento das políticas educacionais voltadas para a disponibilização da Tecnologia Assistiva para os estudantes com Transtorno do Espectro Autista, nas escolas da Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul, no período 2015 a 2022, e a criação do Centro Estadual de Apoio Multidisciplinar Educacional ao Estudante com Transtorno do Espectro Autista (CEAME/TEA). Trata-se de uma pesquisa documental de caráter descritivo-analítico, que envolveu coleta, sistematização e análise de documentos produzidos em âmbito federal e estadual, bem como atos normativos e documentos produzidos pelo Conselho Estadual de Educação e pela Secretaria de Educação de Mato Grosso do Sul, especialmente os que referem a criação desse Centro que acompanha o estudante com Transtorno do Espectro Autista. Fez-se um levantamento de estudos teóricos sobre a educação especial, educação inclusiva, Tecnologia Assistiva, Transtorno do Espectro Autista e políticas educacionais e identificados textos de autores que defendem o direito à educação, à inclusão escolar, a acessibilidade, a importância da Tecnologia Assistiva. Os resultados sugerem que o acesso à escola vai além da matrícula formal; significa ter direitos constitucionais atendidos - desenvolvimento garantido preparo para o exercício da cidadania, recursos tecnológicos disponíveis e acessíveis, além de materiais adequados ao aprendizado. A oferta desses materiais que fazem parte da tecnologia assistiva é de responsabilidade do Estado, que precisa criar políticas educacionais de atenção ao público da educação especial - escola pública, gratuita e de qualidade.

    Palavras-Chave: Direito à Educação, Transtorno do Espectro Autista, Tecnologia Assistiva, Políticas Educacionais.

  • Data da Defesa: 15/02/2023
  • Download: Clique aqui
+ POLÍTICA EDUCACIONAL PARA O ESTUDANTE MIGRANTE INTERNACIONAL DOS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CAMPO GRANDE/MS (2017/2020)
  • Discente:
    • Edgar da Silva Queiros
  • Orientador(a):
    • Celeida Maria Costa de Souza e Silva
  • Resumo:

    A presente pesquisa está vinculada à linha de pesquisa Políticas, Gestão e História da Educação e ao Grupo de Estudos e Pesquisas Política de Formação e Trabalho Docente (GEFORT), do Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco (PPGE/UCDB). Esta pesquisa é financiada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). O objeto desta pesquisa são as políticas educacionais para os estudantes migrantes internacionais dos anos finais do ensino fundamental na Rede Municipal de Ensino (REME) de Campo Grande/MS, no período de 2017 a 2020. O ano inicial do recorte temporal, 2017, justifica-se pela promulgação da Lei nº. 13.445, de 24 de maio de 2017, a Lei de Migração. Já o ano de 2020 corresponde à institucionalização da Resolução nº1 do CNE/CEB, de 13 de novembro de 2020, que dispõe sobre a matrícula dos estudantes migrantes internacionais e demais grupos migratórios na educação brasileira. Objetiva-se analisar as políticas educacionais para os estudantes migrantes internacionais nos anos finais do ensino fundamental na Rede Municipal de Ensino (REME) de Campo Grande/MS, no período de 2017 a 2020. Tem-se como objetivos específicos: (1) Discutir o fenômeno da migração internacional; (2) Apresentar os marcos legais que asseguram o direito à educação para osestudantes migrantes internacionais; (3) Analisar as políticas educacionais da Rede Municipal de Ensino de Campo Grande/MS para os estudantes migrantes internacionais dos anos finais do ensino fundamental. A relevância da pesquisa está no aumento do fluxo migratório para o Brasil nos últimos anos, assim como para Campo Grande, capital de Mato Grosso do Sul, estado que faz divisa com Paraguai e Bolívia, além de estar num caminho de rota para outros estados brasileiros. Outro motivo é a pouca pesquisa sobre a temática em Programas de Pós-graduação em Educação nesse lócus. É uma pesquisa bibliográfica e documental. Utiliza-se como fontes: documentos oficiais do estado brasileiro, do estado de Mato Grosso do Sul e do município de Campo Grande; relatórios de acompanhamento escolar e ações da Secretaria Municipal de Educação (Semed/CG), dados institucionais da Secretaria de Estado de Educação (SED/MS) e da Semed/CG, livros, publicações jornalísticas e artigos científicos. A epistemetodologia desta pesquisa é o ciclo de políticas, proposto por Stephen Ball, traduzido e interpretado por Mainardes (2006, 2007, 2016, 2017, 2018 e 2021). Constatase que o direito à educação é previsto no rol legislativo brasileiro, assim como em acordos internacionais assinados pelo Brasil; e que mesmo após a promulgação da Lei de Migração e a revogação do Estatuto do Estrangeiro (Lei nº 6.815/1980), na REME/CG até o ano de 2021, estava em vigor a Deliberação CME/MS nº 1.263, de 4 de outubro de 2011, que dispunha sobre a matrícula de “estrangeiros” no ensino fundamental. Esta normativa foi revogada pela Deliberação CME/CG/MS nº 2.527/2021, que traz disposições mais humanitárias, acolhedoras e inclusivas. Entretanto, o acolhimento linguístico apresenta-se como questão a ser superada para a real efetivação do direito à educação aos estudantes migrantes internacionais do ensino fundamental na REME/CG.

    Palavras-Chave: Políticas Educacionais; Direito à Educação; Estudantes Migrantes Internacionais; Rede Municipal de Ensino de Campo Grande/MS.

  • Data da Defesa: 14/02/2023
  • Download: Clique aqui
+ O PROGRAMA REDE DE SABERES DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DOM BOSCO: potencialidades decoloniais
  • Discente:
    • Gustavo dos Santos Souza
  • Orientador(a):
    • Carlos Magno Naglis Vieira
  • Resumo:

    A presente dissertação foi desenvolvida na Linha de Pesquisa III - Diversidade Cultural e Educação Indígena do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Católica Dom Bosco - PPGE/UCDB e está vinculada ao Grupo de Pesquisa Educação Intercultural e Povos Tradicionais - GEIPOT/CNPq. Construída na área da Educação, o estudo apresenta como objetivo geral: investigar o efeito do Programa Rede de Saberes da Universidade Católica Dom Bosco/UCDB na permanência dos egressos indígenas durante seus cursos de graduação e na sua trajetória acadêmica. E como objetivos específicos: a) identificar os acontecimentos e as tensões que ocorreram no processo de criação do Programa Rede de Saberes da Universidade Católica Dom Bosco/UCDB; b) identificar e dialogar teoricamente com as contribuições e possibilidades decoloniais a partir das atividades realizadas pelo Programa Rede de Saberes da Universidade Católica Dom Bosco/UCDB; c) discutir junto aos egressos indígenas que fizeram parte do Programa Rede de Saberes da Universidade Católica Dom Bosco/UCDB sobre as adversidades encontradas por eles durante seus cursos de graduação. Amparada metodologicamente nos estudos pós-críticos em educação (MEYER; PARAÍSO, 2014), a dissertação foi construída sob perspectiva qualitativa, utilizando entrevistas semiestruturadas (SILVEIRA, 2002) para articular as falas dos egressos indígenas da UCDB às discussões de intelectuais dos campos dos Estudos Culturais e Pós-Coloniais, encontrados a partir de um levantamento bibliográfico (ZANELLA, 2013). A pesquisa tem a expectativa de contribuir para o campo da educação superior e o ingresso de acadêmicos indígenas nas universidades, a partir de uma problematização do espaço acadêmico, de forma que possam ser desconstruídas estruturas sociais, culturais, e políticas fundamentadas em concepções subalternizantes. Os resultados apontam que a passagem de indígenas pelo ensino superior se consolida enquanto forma de resistir aos problemas contemporâneos e reivindicar os direitos dos povos originários, além de questionar a configuração epistemológica ocidental moderna que ainda rege a academia.

    Palavras-chave: Programa Rede de Saberes. Acadêmicos Indígenas. Ensino Superior. Colonialismo. Colonialidade.

  • Data da Defesa: 16/11/2022
  • Download: Clique aqui
+ EXPERIÊNCIAS DE VIDA DE ACADÊMICOS LGBT DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA: IDENTIDADES E DIFERENÇAS
  • Discente:
    • Andreia Cavalheiro de Santana Brandão
  • Orientador(a):
    • Carlos Magno Naglis Vieira
  • Resumo:

    Esta dissertação de mestrado está vinculada à Linha de Pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena e ao Grupo de Pesquisa Educação Intercultural e Povos Tradicionais, do Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado e Doutorado – da Universidade Católica Dom Bosco/UCDB. Situada no campo da Educação, a pesquisa realizada com acadêmicos LGBT matriculados no curso de graduação em Educação Física de uma instituição de ensino superior, no município de Campo Grande/MS, tem como objetivo geral: apresentar como os acadêmicos LGBT narram suas experiências de vida e posicionam suas identidades e diferenças. Os objetivos específicos da pesquisa são: a) Partilhar as experiências de vida dos acadêmicos, buscando identificar os principais acontecimentos que os auxiliaram na afirmação da sua identidade; e b) Identificar, a partir das experiências de vida os preconceitos e as discriminações vivenciadas por esses acadêmicos, tendo como aporte teórico os estudos de gênero, identidade e diferença. Para alcançar os objetivos propostos, a pesquisa de caráter qualitativo, tem como procedimentos metodológicos para a produção dos dados a observação participante e a realização de entrevistas, por meio da plataforma Google Meet. Os resultados mostram que os referidos acadêmicos são presenças identitárias marcantes na instituição de ensino superior selecionada e, por isso, narram suas experiências de vida a fim de construir estratégias para a manifestação das identidades/diferenças, ou seja, o seu Eu diante do Outro nas relações de alteridade.

    Palavras-chave: Experiências de vida; identidades/diferenças; acadêmicos LGBT; Curso de Educação Física; ensino superior.

  • Data da Defesa: 29/07/2022
  • Download: Clique aqui
+ HISTÓRIA DE VIDA DE UMA PROFESSORA NO GRUPO DE DANÇA “IRMÃS ALVARENGA” E A CONCEPÇÃO DE ESTUDANTES E DOCENTES SOBRE A PRODUÇÃO DE IDENTIDADES E DIFERENÇAS PRESENTES NO GRUPO
  • Discente:
    • Vicenta de Oliveira Alvarenga
  • Orientador(a):
    • Carlos Magno Naglis Vieira
  • Resumo:

    A presente dissertação vincula-se à Linha de Pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena e ao Grupo de Pesquisa Educação Intercultural e Povos Tradicionais/CNPq, do Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). A pesquisa tem como objetivo geral descrever a história de vida da professora no Grupo de Dança “Irmãs Alvarenga” e a concepção dos estudantes e professores sobre os elementos culturais que contribuíram para a produção das identidades e diferenças durante a participação no grupo de dança. Para alcançar o objetivo geral, foram propostos os seguintes objetivos específicos: a) apresentar a história do Grupo de Dança “Irmãs Alvarenga” na cidade de Aquidauana-MS e b) verificar as contribuições culturais do Grupo de Dança “Irmãs Alvarenga”. Como eixo teórico, a pesquisa busca inspiração em autores que articulam os conceitos de cultura, identidade e diferença, tais como Hall (1997, 2003, 2004), Silva (2012), Bauman (2005), Woodward (2000) e outros. Para compreender melhor os elementos da dança, o trabalho realizou um diálogo com os seguintes autores: Porpino (2018), Faro (1986), Guedes (2016), Sigrst (2000), entre outros. A pesquisa de caráter qualitativo busca conciliar procedimento de produção de dados que podem assim ser descritos: a) entrevista semiestruturada, via plataforma Google Meet; b) Grupo de discussão via plataforma Google Meet, com ex-integrante do grupo de dança “Irmãs Alvarenga” (estudantes e professores); c) análise documental do grupo de dança “Irmãs Alvarenga” (cartas convite, carta de agradecimento, fotos e outros); d) levantamento bibliográfico sobre o assunto. Os resultados da pesquisa mostram que a participação dos estudantes no Grupo de Dança “Irmãs Alvarenga” contribui para fortalecer o protagonismo do grupo e dos seus participantes no contexto escolar, além de proporcionar um espaço de trocas culturais e um fortalecimento para a identidade do Mato Grosso do Sul.

    Palavras-chave: Grupo de Dança “Irmãs Alvarenga”; cultura; identidade e diferença; Aquidauana-MS

  • Data da Defesa: 25/02/2022
  • Download: Clique aqui
+ CURRÍCULO ESCOLAR: PERSPECTIVAS DE ESTUDANTES DO CURSO DE PEDAGOGIA
  • Discente:
    • Franciele Caroline Pavão Garcia
  • Orientador(a):
    • Ruth Pavan
  • Resumo:

    A dissertação, intitulada ³&XUUtFXOR escolar: perspectivas de estudantes do Curso de 3HGDJRJLD´ está vinculada à linha de pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente, do Programa de Pós-Graduação ± Mestrado e Doutorado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). O currículo escolar tem sido objeto de estudos e de debates por diversos pesquisadores e profissionais que atuam na educação. Historicamente, diversas abordagens e propósitos foram estabelecidos no currículo escolar. Na história recente, com o estabelecimento de uma Base Nacional Comum Curricular (BNCC), em processo de implementação pelas instituições de ensino, o debate curricular ficou ainda mais intenso. Diante deste contexto, o estudo tem como objetivo geral analisar as concepções de currículo escolar de estudantes do Curso de Pedagogia e as possíveis implicações para a atuação docente. Os objetivos específicos são: identificar aspectos conceituais e legais do currículo escolar, com destaque para o pós-Constituição de 1988; caracterizar as ênfases que os/as estudantes apresentam em relação à compreensão do currículo escolar; identificar a articulação que os/as estudantes fazem entre as concepções de currículo e as suas atuações na escola; e compreender a expectativa dos/das estudantes em relação à concepção de currículo presente na BNCC. A perspectiva teórica baseia-se no campo curricular multi/intercultural crítico. O currículo é visto como produção social, histórica e cultural e, portanto, um campo de permanentes tensões. Com isso, deu-se um afastamento para com toda e qualquer abordagem que naturalize o currículo escolar. Dos autores e autoras utilizados, destacam-se Candau (2002, 2003, 2007), Macedo (2019), Pavan (2008), Moreira (2009), entre outros. Quanto à abordagem, trata-se de uma pesquisa qualitativa, com a coleta de dados realizada por meio de entrevistas semiestruturadas. Os participantes são estudantes do curso de Pedagogia que atenderam aos seguintes critérios: estudantes do início do curso, com e sem experiência na docência; estudantes dos últimos semestres do curso, com e sem experiência de docência na Educação Infantil e nos diferentes anos iniciais do Ensino Fundamental. A análise das entrevistas demonstra que a concepção de currículo entre as estudantes é plural, mas há um consenso entre os entrevistados de que o currículo deve respeitar as realidades locais, ou seja, não deve haver, segundo as estudantes, uma padronização do currículo escolar. Com base nas entrevistas, pode-se afirmar que a diferença e a multiplicidade existentes no processo curricular são reconhecidas e valorizadas pelos estudantes. Observou-se também que as estudantes têm dúvidas em relação à existência e implementação da BNCC e que as informações fornecidas por elas mostram uma discussão ainda incipiente. Essas questões fazem parte do processo e cabe destacar que, mesmo entre pesquisadores da área do currículo e da formação dos professores, há estudos, aprofundamentos e críticas à BNCC, o que mostra que se está distante de um consenso em relação à sua pertinência para a educação.

    Palavras-chave: Currículo; Formação de professores; Base Nacional Comum Curricular

  • Data da Defesa: 25/02/2022
  • Download: Clique aqui
+ EDUCAÇÃO AMBIENTAL E JUSTIÇA CLIMÁTICA NO MUNICÍPIO DE TERENOS - MATO GROSSO DO SUL
  • Discente:
    • Rodrigo da Silva Bezerra
  • Orientador(a):
    • Heitor Queiroz de Medeiros
  • Resumo:

    A presente dissertação de mestrado vincula-se à Linha de Pesquisa “Diversidade Cultural e Educação Indígena” do Programa de Pós-Graduação Mestrado e Doutorado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). O objetivo geral foi analisar de que maneira vem sendo trabalhada a Educação Ambiental e Justiça Climática nas Escolas Públicas Municipais Urbanas e no Coletivo Jovem de Meio Ambiente no Município de Terenos, Mato Grosso do Sul. Estando articulado com os seguintes objetivos específicos; 1) contextualizar o histórico das Políticas Públicas de Educação Ambiental de 2004 até os dias presentes; 2) Entender o processo de formação e as ações do Coletivo Jovem de Meio Ambiente (CJ) e suas contribuições a Educação Ambiental e Justiça Climática no Município de Terenos/MS; e 3) Analisar as ações de Educação Ambiental e Justiça Climática desenvolvidas nas Escolas Públicas Municipais Urbanas do Município de Terenos/MS. A pesquisa é de natureza qualitativa e também documental. A Produção de dados foi realizada por meio da entrevista semiestruturada e da leitura do Projeto Político Pedagógico (PPP). Os sujeitos da pesquisa foram 11 professores (as), 03 gestoras e 07 integrantes do Coletivo Jovem de Meio Ambiente. O campo empírico foi 03 instituições; Escola Municipal Álvaro Lopes, Escola Municipal Rosa Idalina Braga e o Coletivo Jovem de Meio Ambiente (CJ), todos localizados no município de Terenos/MS. Os principais resultados demonstraram que atualmente o CJ resiste em seu contexto e em seu território, buscando novas possibilidades e habilidades para continuar atuando no município uma vez que seus processos formativos deixaram de permear apenas o campo escolar, atingiram a maturidade e hoje estão espalhados em diversos campos e âmbitos profissionais chegando também à universidade, com o propósito de alcançarem outros espaços públicos para que possam agregar ao movimento juvenil novos conhecimentos como forma de resistência para impedir o desmonte das políticas públicas ambientais e percorrer novos caminhos auxiliando a comunidade local e/ou a sociedade de maneira geral. Igualmente, informamos que de acordo com a produção dos dados alcançados por meio da pesquisa de campo é possível evidenciar que a Educação Ambiental e a Justiça Climática são temas que ainda são abordados de maneira superficial nas escolas pesquisadas.

    Palavras-Chave: Educação Ambiental. Justiça Climática. Juventude. Sociedade.

  • Data da Defesa: 25/02/2022
  • Download: Clique aqui
+ A LUTA E RESISTÊNCIA DE MULHERES PARTICIPANTES DO GRUPO TEZ PARA A DESCONSTRUÇÃO DA SOCIEDADE RACISTA E SEXISTA
  • Discente:
    • Jaqueline dos Santos
  • Orientador(a):
    • José Licínio Backes
  • Resumo:

    A pesquisa de mestrado está vinculada à Linha de Pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena e ao Grupo de Pesquisa Educação e Diferença Cultural. O objetivo da pesquisa é analisar as formas de luta e resistência que mulheres negras militantes do Grupo Trabalho e Estudos Zumbi - Tez travam para transgredir o lugar reservado a elas na sociedade racista e sexista, marcada pelo ideal de branqueamento e pelo mito da democracia racial. A pesquisa tem relevância porque as análises das relações contemporâneas sobre as condições das mulheres negras foram feitas de forma interseccional, considerando raça, gênero e classe, mostrando a colonialidade das relações que o processo de dominação impôs às mulheres negras. O processo de modernização da América foi marcado pelo racismo, sexismo e classismo. Entretanto, as mulheres negras desenvolveram múltiplas estratégias de resistência para lutarem contra a subalternização de seus corpos, construindo assim novas imagens de si, novas narrativas e reconstruindo suas histórias. Mesmo marcadas por muita violência e contradições, as mulheres negras, por meio da ancestralidade africana, vêm resistindo e (re)existindo ao sistema hegemônico de dominação que visa silenciar e invisibilizar suas subjetividades. Essa resistência torna-se mais potente quando organizam-se em forma de movimento. Nesse sentido, o movimento negro na figura do Grupo TEZ é uma instituição de suma importância tanto para o estado, quanto para o Brasil. É nesse espaço que acontece a construção e afirmação da identidade negra por meio do autoconhecimento e autodefinição. A discussão teórica afasta-se do feminismo burguês e privilegia o feminismo negro, mostrando a interseccionalidade entre raça, gênero e classe. Assim, a discussão teórica baseia-se nas intelectuais negras brasileiras e internacionais, que trazem a experiência de vida como ponto de partida para suas análises e mostram a interseccionalidade entre raça, gênero e classe. A pesquisa de campo foi realizada por meio de entrevistas semiestruturadas com cinco mulheres militantes do Grupo TEZ. As entrevistas foram organizadas em cinco categorias: a) Grupo Tez: um espaço importante de afirmação da mulher negra; b) A intelectualidade negra: conquistas e dificuldades enfrentadas pelas mulheres negras do Grupo TEZ; c) As mulheres negras do Grupo TEZ e a luta contra o ideal de branqueamento; d) A desconstrução do mito da democracia racial: uma luta ainda muito necessária; e) Os espaços da mulher negra: entre a “inexistência”, a resistência e a conquista de novos espaços. Os resultados indicaram que o Grupo TEZ é um importante espaço de luta e afirmação da mulher negra e que apesar das dificuldades impostas pela colonialidade, as mulheres negras têm se aproximado da luta feminista negra e, dessa forma, contribuem para a desconstrução do racismo, do sexismo e do classismo que marcam a sociedade brasileira e têm oprimido, sistematicamente, de forma mais incisiva, as mulheres negras.

    Palavras-chave: Feminismo negro, Mulheres Negras, Grupo TEZ

  • Data da Defesa: 24/02/2022
  • Download: Clique aqui
+ JUDICIALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO ESPECIAL: IMPLICAÇÕES PARA A GARANTIA DO DIREITO À EDUCAÇÃO NA REDE ESTADUAL DE ENSINO DE MATO GROSSO DO SUL (2015-2020)
  • Discente:
    • Ana Claudia Pitanga da Silva Barbosa
  • Orientador(a):
    • Regina Tereza Cestari de Oliveira
  • Resumo:

    Esta pesquisa vincula-se à Linha de Pesquisa Política, Gestão e História da Educação e ao Grupo de Pesquisa Políticas Públicas e Gestão da Educação (GEPPE). Está inserida no Projeto de Pesquisa “Movimentos e Características de Gestão da Educação Básica e o Direito à Educação” (CNPq, 2020). Tem como objetivo geral analisar as decisões do Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso do Sul (MS), sobre as demandas relacionadas aos estudantes caracterizados como público da educação especial - com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação - da Rede Estadual de Ensino de MS, tendo em vista a inclusão escolar, como direito. Como objetivos específicos delinearam-se: discutir os principais fundamentos e disposições legais do direito à educação, como direito social; verificar como o Poder Judiciário pode intervir para atender as demandas recebidas dos estudantes da educação especial; examinar as decisões do Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul sobre as demandas, individuais e coletivas, assim como as respostas às decisões judiciais apresentadas pelo governo do estado de MS. A Rede Estadual de Ensino de MS foi escolhida por ter escolas de Educação Básica, sob a responsabilidade do estado, em todos os municípios, assim como pelo fato de que nem todos os municípios têm Sistema Municipal de Ensino. Justifica-se o recorte temporal de 2015 a 2020, tomando-se como referência a publicação da Lei n° 4.621 em 22/12/2014, que aprovou o Plano Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul (PEE-MS) até 2020, considerando-se os dados mais atualizados no momento da pesquisa. A metodologia compreendeu pesquisa bibliográfica, documental e das demandas disponibilizadas nos bancos digitais do Tribunal de Justiça do Estado de MS. Além desses procedimentos, realizou-se entrevista de caráter semiestruturado com a representante da Coordenadoria de Políticas para Educação Especial da Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso do Sul (SED/MS). Os resultados identificaram, durante o período de 2015 a 2020, 14 demandas iniciadas nos municípios de Campo Grande, Mundo Novo, Sete Quedas, Amambai, Dois Irmãos do Buriti, Dourados, Itaquiraí e Ponta Porã. As demandas individuais foram iniciadas pela genitora com assistência da Defensoria Pública, pelo Ministério Público e a pedido do Conselho Tutelar; e as demandas coletivas foram iniciadas pela Defensoria Pública. Identificaram-se 11 demandas individuais que solicitaram professor de apoio especializado para acompanhamento dos estudantes nas classes comuns de ensino regular, uma demanda individual solicitou transporte escolar e duas demandas foram coletivas com pedido para elaboração de plano pedagógico e professor de apoio especializado. Conclui-se que apesar de argumentos desfavoráveis às solicitações por parte do representante do Governo estatual, todas as demandas foram favoráveis e houve a condenação do estado de MS para garantir a inclusão escolar dos estudantes da educação especial, como direito educacional.

    PALAVRAS-CHAVE: Judicialização da Educação Especial; Inclusão Escolar; Rede Estadual de Ensino de MS.

  • Data da Defesa: 23/02/2022
  • Download: Clique aqui
+ APLICAÇÃO DE POLÍTICAS NORTEADORAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA EM MATO GROSSO DO SUL: CEAME/TEA (2016-2020)
  • Discente:
    • Cidnei Amaral de Mello
  • Orientador(a):
    • NADIA BIGARELLA
  • Resumo:

    Esta dissertação de Mestrado em Educação, financiada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, está vinculada à Linha de Políticas Educacionais, Gestão e História da Educação, do Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco, vinculada ao Grupo de Pesquisa em Políticas Educacionais e Órgãos de Gestão dos Sistemas de Ensino, inserida também no projeto de pesquisa “Políticas, Planos, Projetos, Programas e Gestão Educacional”, coordenado pela Profª. Drª. Nadia Bigarella. Tem como objeto a aplicação das políticas de educação escolar inclusiva do Centro Estadual de Apoio Multidisciplinar Educacional ao Estudante com Transtorno do Espectro Autista, criado via Decreto Estadual nº 14.480/2016, vinculado à Secretaria de Estado de Educação do Estado de Mato Grosso do Sul, com sede no Município de Campo Grande. Busca-se responder os seguintes questionamentos: como as ações desse Centro estão contribuindo para a inclusão de alunos com autismo? Qual é a pertinência do desenvolvimento dessas ações? E, se essas políticas podem contribuir para a universalização da educação, garantindo que todos tenham oportunidade de frequentar a escola pública, gratuita e de qualidade? O Objetivo geral é analisar as políticas norteadoras aplicadas por esse Centro, para a educação escolar inclusiva na Rede Estadual de Ensino do Estado de Mato Grosso do Sul. Como objetivos específicos têm-se: 1) Compreender conceitos e fundamentos teóricos da educação inclusiva; 2)Examinar, com base em um contexto histórico, os documentos oficiais que amparam a educação inclusiva do estudante com autismo, nas escolas regulares de Educação Básica no Brasil e no Estado de Mato Grosso do Sul; 3) Analisar a aplicação das políticas de inclusão escolar e de acompanhamento educacional de alunos com autismo na Rede Regular de Ensino do Estado de Mato Grosso do Sul. A investigação abarca coleta, sistematização e análise de documentos produzidos em âmbito federal e em âmbito estadual, como legislação e programas educacionais, além de documentos produzidos pela Secretaria de Educação de Mato Grosso do Sul: atos normativos, indicações, pareceres, deliberações do Conselho Estadual de Educação e documentos produzidos no âmbito deste Centro. Conforme os dados dos atendimentos realizados pelo Censo Escolar de 2019, a Secretaria de Educação do Estado de Mato Grosso do Sul, apresentou 330 escolas listadas, com 508 alunos com estes Transtornos matriculados e 310 professores de apoio especialistas em Educação Especial.

    Palavras-chave: Políticas de Educação Escolar Inclusiva. Apoio Multidisciplinar. Acompanhamento Educacional. Transtorno do Espectro Autista

  • Data da Defesa: 21/02/2022
  • Download: Clique aqui
+ AS COMPREENSÕES E COMPLEXIDADES DO ENSINO HÍBRIDO EM CENÁRIO DE TRANSFORMAÇÕES: ESTUDO DE CASO EM UMA UNIVERIDADE PRIVADO NO ESTADO DE MS
  • Discente:
    • Katiuscia Akemi Nasu Nogueira
  • Orientador(a):
    • Maria Cristina Lima Paniago
  • Resumo:

    As definições e nomenclaturas sobre o Ensino Híbrido variam amplamente na literatura. A pandemia de Covid-19 complexifica essas compreensões, envolvendo a temática em ambiguidades ao ampliar de forma súbita o uso das TDIC nas práticas educativas e favorecer a indiferenciação ao nomear indistintamente modelos de ensino remoto emergencial por meio do termo ensino híbrido. No Ensino Superior esse contexto experimenta ainda a expansão exponencial da Educação a Distância, que por meio da Portaria nº 2.117 de 6 de dezembro de 2019, flexibiliza a oferta de carga horária em até 40% na modalidade a distância em cursos de graduação presencial, o que possibilita novas configurações da Educação Superior no cenário brasileiro. Nesse contexto, esta dissertação de mestrado, realizada no período de 2020 a 2022, se dedica ao estudo do Ensino Híbrido como temática de investigação que tem como objetivo geral analisar as compreensões e práticas docentes relacionadas ao Ensino Híbrido no curso de graduação presencial Ciências Biológicas - Licenciatura de uma universidade privada no Estado de Mato Grosso do Sul. Os objetivos específicos são: a) Analisar as compreensões docentes em relação ao ensino híbrido; b) Discutir a formação continuada para o trabalho docente no ensino híbrido; c) Explorar como as TDIC são utilizadas nas práticas híbridas. A pesquisa é do tipo estudo de caso, possui abordagem qualitativa e exploratória, está vinculada à linha de pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente e ao Grupo de Pesquisa e Estudos em Tecnologia Educacional e Educação a Distância (GETED) do Programa de Pós- Graduação Mestrado e Doutorado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco – UCDB. Os dados foram coletados a partir dos documentos institucionais, Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), Projeto Pedagógico Institucional (PPI), Projeto Pedagógico de Curso (PPC) e entrevistas semiestruturadas com professores do curso. O referencial teórico utiliza Bacich; Tanzi Neto; Trevisani (2015); Horn; Staker, (2015); Imbernón (2010a; 2010b); Kanuka; Rourke (2013); Kenski (2008; 2012a; 2012b); Lopes (2005; 2009); Moran (2005; 2012; 2013; 2015; 2017; 2021); Morin (2011a; 2011b; 2013; 2015a; 2015b; 2018); Nóvoa (2019); Paniago (2016); Tori (2009; 2017); Valente (2014; 2015). Os resultados encontrados, por meio da análise de conteúdo, apontam para múltiplas compreensões quanto ao conceito de Ensino Híbrido, relativa incompreensão de como apoiar a aprendizagem ativa em vários espaços, presencias e on-line, de forma integrada. Observa-se que há necessidades formativas tanto no campo teórico para compreensão de conceitos, quanto no campo das práticas pedagógicas em programas de cursos híbridos. A formação continuada foi apontada como um desafio frente às transformações e a intensificação do trabalho docente. As TDIC são utilizadas para fornecer algum elemento de controle do estudante sobre tempo, espaço e ritmo de estudo. A pandemia intensificou o uso de aplicativos de mensagem, plataformas de hospedagem de vídeos, ferramentas de quiz, dentre outros, e foi contextualizada como agente promotor para expansão de cursos semipresenciais.

    PALAVRAS-CHAVE: Ensino Híbrido. Formação docente. Educação a Distância.

  • Data da Defesa: 18/02/2022
  • Download: Clique aqui
+ AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DO PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA COM CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL NAS EMEIS DE CAMPO GRANDE–MS EM TEMPOS DE PANDEMIA COVID-19
  • Discente:
    • Gerson Falcão Acosta
  • Orientador(a):
    • Marta Regina Brostolin
  • Resumo:

    Esta pesquisa de Mestrado intitulada “As Práticas Pedagógicas do Professor de Educação Física com Crianças com Deficiência na Educação Infantil nas Escolas Municipais de Educação Infantil de Campo Grande-MS em tempos de pandemia Covid-19” está inserida na Linha de Pesquisa “Práticas Pedagógicas e Suas Relações com a Formação Docente”, do Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado, da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), e ao Grupo de Estudos e Pesquisas da Docência na Infância (GEPDI/UCDB). Teve como objetivo geral analisar as práticas pedagógicas desenvolvidas por professores de Educação Física que atuam na Educação Infantil nas Escolas Municipais de Educação Infantil, da cidade de Campo Grande-MS, na inclusão de crianças com deficiência. Buscou-se, como objetivos específicos: a) compreender as concepções de criança e infância a partir da Sociologia da Infância e suas contribuições para Educação Física Infantil dos professores; b) identificar a concepção de inclusão dos professores de Educação Física; c) investigar quais e como acontecem as práticas pedagógicas do professor de Educação Física na Educação Infantil com crianças com deficiência; d) levantar os desafios e possibilidades que os professores de Educação Física enfrentam para desenvolver seu trabalho. A metodologia ampara-se na análise de conteúdo proposta por Bardin (2009), quais sejam: 1) pré-análise; 2) exploração do material; e 3) tratamento dos resultados, interferência e interpretação. A pesquisa, de abordagem qualitativa, teve como instrumento de coleta de dados a entrevista semiestruturada. Os sujeitos da pesquisa foram seis professores de Educação Física que trabalham na Educação Infantil nas EMEIS do município de Campo Grande-MS e tiveram crianças com deficiência em suas turmas no ano de realização da pesquisa. A abordagem teórica possuiu como principais referências autores que discutem a Criança e Infância, Educação Física Infantil, Educação Especial, de forma mais contextualizada em suas diferentes dimensões, entre os quais destacam-se: Sarmento (2005, 2007, 2008); Corsaro (2011); Fernandes (2009); Kramer (1996, 2007); Tani (2001); Zabala (1998); Tardif (2002, 2011); Libâneo (1994); Venditti Jr. (2005); dentre outros. Os resultados foram analisados e categorizados em eixos temáticos que contribuíram para melhor organização, tratamento e interpretação dos dados coletados. Pela análise evidenciouse que, embora haja tentativas de práticas pedagógicas dos professores de Educação Física da Educação Infantil com crianças com deficiência, existem dificuldades e desafios a serem vencidos no processo de inclusão nas Escolas Municipais de Educação Infantil de Campo Grande-MS. Deste modo, a inclusão de crianças com deficiência nas aulas de Educação Física na Educação Infantil só será bem sucedida quando se pensar na necessidade que afeta os professores e que eles precisam de auxílio para suprir todas as necessidades que surgem dentro de suas salas de aula, quadras, espaços, enfim, em todo ano letivo.

    Palavras-Chave: Educação Física; Educação Infantil; Educação Especial.

  • Data da Defesa: 17/02/2022
  • Download: Clique aqui
+ SAÚDE MENTAL DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO INFANTIL FRENTE À PANDEMIA COVID-19: UM ESTUDO EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE/MS
  • Discente:
    • Camila Penha Duré Vieira
  • Orientador(a):
    • Flavinês Rebolo
  • Resumo:

    Fruto da realização de um projeto de pesquisa acadêmico, elaborado para atender ao requisito do Curso de Mestrado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco – UCDB, este estudo tem como objetivo identificar e conhecer a respeito da saúde mental de professores de educação infantil frente à Pandemia Covid-19, em uma escola municipal de Campo Grande/MS. Para isso, estabelece-se os seguintes objetivos específicos: 1. identificar e estudar as patologias que mais acometem os professores na contemporaneidade, por meio de revisão bibliográfica; 2. identificar e descrever os efeitos da pandemia na saúde mental dos professores, por meio de revisão bibliográfica; 3. verificar quais foram as dificuldades encontradas e as estratégias que utilizaram para tentar evitar o adoecimento, e 4. identificar as patologias desenvolvidas pelos professores durante a pandemia. Para atender aos objetivos do estudo, os procedimentos metodológicos se complementaram: uma pesquisa do tipo estado do conhecimento e uma pesquisa empírica, ambas de abordagem qualitativa. As conclusões deste estudo apontam para professores de educação infantil ilhados por um profundo sentimento de desgaste ocupacional e emocional, permeado por um momento social de difícil resolubilidade com imposições excedentes quanto a prazos, produtividade, entre outros, o que os tem levado a intensificação de sinais de transtornos mentais. É imprescindível que os atuais dirigentes educacionais passem a ocupar-se com mais ações promissoras no sentido de rever o sistema educacional e da formação acadêmica dos professores de educação infantil.

    Palavras-Chave: Educação; Educação infantil; Pandemia Covid-19; Saúde Mental do Professor

  • Data da Defesa: 09/12/2021
  • Download: Clique aqui
+ UM DIÁLOGO ENTRE PAULO FREIRE E DOM BOSCO: AS CONTRIBUIÇÕES PARA O PROCESSO FORMATIVO DE PROFESSORES
  • Discente:
    • Marcelo Augusto da Costa
  • Orientador(a):
    • Ruth Pavan
  • Resumo:

    Esta dissertação, intitulada “Um diálogo entre Paulo Freire e Dom Bosco: as contribuições para o processo formativo de professores”, está vinculada à Linha de Pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente, do Programa de Pós-Graduação – Mestrado e Doutorado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Tem como objetivo geral analisar a contribuição das pedagogias salesiana e freireana no processo de formação do pedagogo. Os objetivos específicos são: a) caracterizar as pedagogias freireana e salesiana, identificando possíveis articulações; b) conceituar o diálogo e suas implicações no processo formativo com base na literatura salesiana e freireana; c) identificar se os estudantes de Pedagogia percebem a presença das pedagogiassalesiana e freireana no seu processo formativo. A perspectiva teórica baseia-se nas pedagogias salesiana e freireana, bem como em autores que refletem sobre essas propostas pedagógicas, entre os quais destacamos: Freire (1980, 2001, 2003, 2004), Bosco (2004, 2012), Ferreira (2008), Braido (2004, 2008, 1958), Castro (1998, 2017) e Villanueva (2009). Com base nos autores estudados é possível afirmar que as pedagogias salesiana e freireana possuem pontos de convergência, principalmente em relação à importância atribuída por ambos ao diálogo, ao acolhimento dos educandos, ao processo educativo como contribuição para o fortalecimento da dignidade humana. A abordagem da pesquisa é qualitativa, importando, portanto, a análise aprofundada dos dados. Para a coleta dos dados, usou-se a entrevista semiestruturada com estudantes do 3º ao 8º período do curso de Pedagogia de uma instituição salesiana de ensino. Com base na análise dos dados, pôde-se perceber a presença da pedagogia salesiana na instituição pesquisada. A presença não se configura como um conteúdo curricular constante do curso de Pedagogia, mas se encontra expressa nas relações estabelecidas com os docentes e em todas as pessoas que trabalham nos diferentes setores da instituição, que acolhem dialógica e afetuosamente as/os estudantes, contribuindo para que, em seu processo formativo, também aprendam a importância de construir uma educação humanizadora, alegre, dignificadora. Com relação à pedagogia freireana, as/os estudantes destacam que, durante o curso, Paulo Freire foi um autor estudado e percebem, na sua proposta pedagógica, uma contribuição importante para o processo educativo. Eles entendem que este pensador será importante na futura atuação como docentes no Ensino Fundamental. Os/as estudantes ressaltam a forma como Paulo Freire valoriza o educando e seu conhecimento, a educação dialógica, crítica e transformadora. Além disso, destacam que para Freire todos estão em formação constante, ou seja, do ponto de vista formativo, todos são seres permanentemente inacabados. Por fim, o presente estudo aponta que as/os estudantes dizem sentir falta de estudar mais Freire ao longo do curso. Mesmo assim, observa-se que eles/as estão construindo a relação dos estudos de Freire já efetuados com sua futura atuação docente, bem como com a perspectiva de acolhimento e amorosidade salesiana.

    PALAVRAS-CHAVE: Pedagogia freireana. Pedagogia salesiana. Formação de professores

  • Data da Defesa: 17/11/2021
  • Download: Clique aqui
+ SISTEMA APOSTILADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE SÃO GABRIEL DO OESTE - MATO GROSSO DO SUL
  • Discente:
    • Andréa Maria Capalbo Pereira
  • Orientador(a):
    • Nadia Bigarella
  • Resumo:

    A pesquisa tem como objeto de estudo “O Sistema Apostilado na Educação Infantil da Rede Municipal de Ensino de São Gabriel do Oeste, em Mato Grosso do Sul” no entretempo de 2017 a 2020, período em que houve a necessidade da adequação do material didático para atender à Resolução CNE/CP nº2/2017, que institui Base Nacional Comum Curricular (BNCC), normatiza e define o conjunto orgânico e progressivo de aprendizagens essenciais ofertadas no âmbito da Educação Básica escolar pelas instituições ou redes escolares. Está vinculada ao Grupo de Pesquisa em Políticas Educacionais e Órgãos de Gestão dos Sistemas de Ensino, coordenado pela Profa. Dra. Nádia Bigarella e a Linha de Pesquisa de Política, Gestão e História da Educação do Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco. Tem como objetivo geral investigar a adoção do Sistema Apostilado na Educação Infantil da Rede Pública Municipal já que a mesma é assistida pelo Plano Nacional do Livro Didático (PNLD). Como objetivos específicos estão: a) discutir conceitos e marcos legais da Educação Infantil no Brasil; b) descrever as políticas educacionais para a Rede Municipal de São Gabriel do Oeste e c) analisar o material do Sistema Apostilado na Educação Infantil da Rede Municipal de São Gabriel do Oeste no estado de Mato Grosso do Sul. O Sistema de Ensino apostilado para a Educação Infantil é como um conjunto de material didático com conteúdo concreto e abstrato, organizado por empresas privadas, sem passar por avaliação oficial e vendidos para as redes públicas de ensino, em substituição aos livros adquiridos pelo Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), do Governo Federal. A pesquisa compreendeu coleta de dados, sistematização de documentos produzidos em âmbito federal, estadual e municipal, como leis, decretos, resoluções, pareceres produzidos pelo Conselho e Secretaria Municipal de Educação e também pesquisa bibliográfica em livros, periódicos, sites de internet, informações verbais citadas em uma palestra, entre outras fontes. Os resultados permitiram afirmar que a Rede Municipal de São Gabriel fez a opção pelo SAE a fim de 1) garantir maior segurança aos professores e alunos por meio da padronização do material didático, 2) garantir a quantidade de material para todos os alunos desde o início do ano letivo, 3) garantir a qualidade da publicação para todos, ou seja, para que todos os alunos tivessem acesso ao mesmo tipo de material: colorido, com o mesmo número de páginas, com a mesma qualidade dos desenhos e exercícios. Pode-se afirmar que as empresas privadas estão decidindo os rumos da educação pública.

    Palavras-chave: Educação Infantil – Políticas Educacionais – Sistema Apostilado de Ensino

  • Data da Defesa: 31/08/2021
  • Download: Clique aqui
+ PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO DO SUL (2014- 2024): ESTRATÉGIA 5.9 DA META 5 – ALFABETIZAÇÃO E TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS
  • Discente:
    • Lussandra Silva e Amorim
  • Orientador(a):
    • Nadia Bigarella
  • Resumo:

    Esta pesquisa está vinculada à Linha de Política, Gestão e História da Educação, ao Grupo de Pesquisa em Políticas Educacionais e Órgãos de Gestão dos Sistemas de Ensino (GEPESE), do Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), e ao projeto Plano Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul (2014- 2024): elaboração, monitoramento e avaliação, coordenados pela Profª. Drª. Nadia Bigarella. Tem como campo de estudo investigar as ações executadas pelo Estado de Mato Grosso do Sul, com relação ao cumprimento da Meta 5 - “alfabetizar, com aprendizagem adequada, todas as crianças, no máximo, até o final do terceiro ano do ensino fundamental”, com foco na estratégia 5.9 - “garantir, na vigência do PEE-MS, a utilização das tecnologias educacionais inovadoras nas práticas pedagógicas que assegurem a alfabetização e o letramento e favoreçam a melhoria do fluxo escolar e a aprendizagem das crianças, segundo as diversas abordagens metodológicas”, do Plano Estadual de Educação do Mato Grosso do Sul PEE/MS-2014-2024 (PEE/MS-2014-2024), aprovado pela Lei nº 4.621, de 22 de dezembro de 2014, alinhado ao Plano Nacional de Educação (PNE-2014/2024), aprovado pela Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Elegeu-se como campo de estudo analisar as políticas para a implementação das tecnologias educacionais no processo de alfabetização no estado de Mato Grosso do Sul, destinadas ao cumprimento da estratégia 5.9 da Meta 5 do PEE/MS (2014-2024). Com os objetivos específicos buscou-se a) analisar as políticas de alfabetização no Brasil após a CF/1988; b) analisar se as políticas asseguram a alfabetização em MS (1980-2013); c) investigar o contexto histórico e político para a implementação das tecnologias educacionais em MS (1990-2020). A pesquisa documental contemplou a análise de documentos como a Constituição Federal (1988), Lei de Diretrizes e Bases Nacionais 9.394/1996, Plano Nacional de Educação (2001-2010), Plano Nacional de Educação (2014 - 2024), Plano Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul (2001-2010), Plano Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul (2014-2024) e Mensagens à Assembleia Legislativa (2016-2021). Conclui-se que no Estado de Mato Grosso do Sul, até o momento (2015-2021), pode-se inferir que as ações voltadas para os programas de alfabetização, não atendem a Meta 5, bem como a estratégia 5.9 do Plano Estadual de Educação (PEE/MS 2014-2024). As ações dos programas de alfabetização, em sua maioria têm como base a formação de professores, todavia, ainda falta acesso as ferramentas tecnológicas para todas as escolas e professores.

    PALAVRAS-CHAVE: Plano Estadual de Educação. Alfabetização. Tecnologias educacionais.

  • Data da Defesa: 27/08/2021
  • Download: Clique aqui
+ METODOLOGIAS ATIVAS NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR: UMA DISCUSSÃO A PARTIR DAS PESQUISAS REALIZADAS NO BRASIL
  • Discente:
    • Juliana Campos Francelino
  • Orientador(a):
    • Flavinês Rebolo
  • Resumo:

    São inúmeros os desafios atuais colocados à educação em todos os seus níveis, suas modalidades e suas conjunturas; desafio ainda maior é formar professores com os saberes necessários para o desenvolvimento de suas práticas pedagógicas diante das mudanças presentes no mundo contemporâneo. As palavras mais recorrentes no meio educacional atual são mudanças, transformação, inovação, Metodologias Ativas, competência, habilidade, novas tecnologias, tudo que envolva o fazer diferente do que se fez no passado. Nesse contexto, a presente dissertação teve como tema o uso de Metodologias Ativas na formação do professor. Tendo como objetivo geral mapear e analisar os estudos publicados nos últimos 5 (cinco) anos sobre Metodologias Ativas empregadas nos cursos de Licenciaturas, buscou-se: conceituar Metodologias Ativas; identificar e compreender as diferenças entre metodologias tradicionais e ativas, analisar as Metodologias Ativas empregadas nos cursos de licenciatura e identificar e dar visibilidade às contribuições das Metodologias Ativas na formação do futuro professor a partir dos estudos analisados. A pesquisa está delineada como uma pesquisa do tipo Estado do Conhecimento, realizada por meio de levantamento dos estudos já realizados no Brasil sobre o uso das Metodologias Ativas nos cursos de Licenciaturas. O levantamento dos estudos foi realizado nas seguintes bases de dados: Catálogo de Teses e Dissertações (CTD) da CAPES, Portal de Periódicos CAPES/MEC, Scientific Electronic Library Online (SciELO), com as palavras-chave Metodologias Ativas, em setembro de 2019. Foram analisados 103 trabalhos (12 teses, 60 dissertações e 31 artigos). As análises se pautaram em vários estudiosos como Dewey, Morán, Freire, dentre outros. A partir das análises dessas produções, a dissertação foi estruturada em três capítulos. No capítulo 1 discute-se acerca das características das pesquisas do tipo estado do conhecimento, qual a relevância de pesquisas nessa modalidade, como essas pesquisas são construídas, e no que elas contribuem para o desenvolvimento das pesquisas no Brasil. No capítulo 2 são apresentados os resultados quantitativos da pesquisa. Destacamos o crescimento de pesquisas relacionadas a nossa temática nos anos 3 anos, demonstramos ainda que 70% dos trabalhos analisados estavam disponíveis na Plataforma de Teses e Dissertações da CAPES, 46,60% dos trabalhos tinham como área do conhecimento a formação de professores, a Região Sudeste foi a responsável por 60,19% das pesquisas desenvolvidas, e 62% das pesquisas foram realizadas por mulheres. No Capítulo 3, intitulado Conceituando e analisando o uso das Metodologias Ativas na formação de Professores: apresenta-se a análise qualitativa dos objetivos das pesquisas selecionadas, suas conceituações acerca das Metodologias Ativas, quais foram os referenciais teóricos utilizados pelos autores dos 103 trabalhos analisados, tendo com destaque Freire, seguido de Dewey e Morán. Alguns resultados apresentados nessa dissertação observaram como as práticas pedagógicas superaram os modelos de aprendizagem, até então focados apenas na fala do professor, na leitura e pesquisa em livros e na passividade e falta de autonomia do aluno, que se manifesta e responde às indagações que lhe foram solicitadas.

    PALAVRAS-CHAVE: Metodologias Ativas. Formação de Professores. Licenciaturas.

  • Data da Defesa: 26/02/2021
  • Download: Clique aqui
+ ESCOLA PANTANEIRA SANTANA, NO MUNICÍPIO DE AQUIDAUANA, EM MATO GROSSO DO SUL: UMA EDUCAÇÃO NA PERSPECTIVA AMBIENTAL?
  • Discente:
    • Aparecida de Sousa dos Santos
  • Orientador(a):
    • Heitor Queiroz de Medeiros
  • Resumo:

    Esta pesquisa se insere no âmbito do mestrado do Programa de Pós-Graduação em Educação, da Universidade Católica Dom Bosco, na Linha de Pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena, a partir do Grupo de Pesquisas Diversidade Cultural, Educação Ambiental e Arte. O objetivo geral visa entender a especificidade da Escola Pantaneira Santana, no município de Aquidauana, em Mato Grosso do Sul, a partir de sua proposta pedagógica voltada para uma educação com foco no ambiente do Pantanal sul mato-grossense. Os objetivos específicos são identificar a concepção e origem das escolas pantaneiras; caracterizar a Escola Pantaneira Santana em sua especificidade de estar inserida numa fazenda no Pantanal Sul-mato-grossense e examinar, a partir da visão dos seus fundadores, gestores, professores e pais de alunos, se essa escola possibilitou a formação diferenciada em seu processo pedagógico voltado para o ambiente natural do Pantanal. A metodologia utilizada foi a pesquisa de natureza qualitativa com suporte em entrevistas semiestruturadas. Utilizou-se a revisão da literatura por meio da pesquisa documental nos acervos da Escola Pantaneira Santana e da Secretaria Municipal de Educação de Aquidauana. O local das entrevistas foi na Escola Pantaneira Santana, localizada a 95 km da cidade de Aquidauana, em Mato Grosso do Sul. Elaborou-se um roteiro de perguntas como orientador das entrevistas em cada categoria de entrevistado. As pessoas participantes do processo de investigação foram no total de dezenove (19) pessoas, sendo divididas em categorias compostas por quatro fundadoras, uma gestora, quatro professores e nove mães de alunos e duas participantes, uma gestora e uma mãe de aluno, que concederam entrevistas espontâneas. Os resultados demonstraram que a parceria desenvolvida entre o poder público, os gestores, professores, fazendeiros e seus funcionários, os pais de alunos, além das Organizações Não Governamentais e entidades público-privadas, no primeiro momento de implementação do Projeto das Escolas Pantaneiras, atenderam aos objetivos iniciais traçados pela proposta pedagógica em se promover uma educação de qualidade para os alunos da região pantaneira, atendendo aos preceitos da Lei de Diretrizes e Base da Educação e da Base Nacional Comum Curricular, inclusive, com alguma inserção da Educação Ambiental no currículo escolar. Analisando as informações disponibilizadas pelos entrevistados; foi possível perceber que, a partir da saída da ONG WWF-Brasil do Projeto das Escolas Pantaneiras, como financiadora de diversas atividades, inclusive, na formação de docentes, o projeto perdeu suas características iniciais, em função de discordâncias dos gestores e da interferência política na continuidade das atividades da escola.

    Palavras-chave: Projeto Escola Pantaneira. Educação Ambiental. Transversalidade. Currículo Multicultural.

    Download: Clique Aqui 

  • Data da Defesa: 26/02/2021
+ CURRÍCULO ESCOLAR: POSSIBILIDADES INTERCULTURAIS
  • Discente:
    • Henrique Rezende Untem
  • Orientador(a):
    • Ruth Pavan
  • Resumo:

    Esta dissertação, intitulada “Currículo escolar: possibilidades interculturais”, está vinculada à Linha de Pesquisa Práticas Pedagógicas e Suas Relações com a Formação Docente, do Programa de Pós-Graduação – Mestrado e Doutorado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco – UCDB. Tem como objetivo geral analisar a compreensão dos professores sobre o processo curricular na escola e suas possibilidades interculturais. Os objetivos específicos são: a) caracterizar o currículo escolar ao longo da história, com destaque para a monoculturalidade; b) identificar no campo do currículo estudos de processos interculturais; c) analisar de que forma os professores entendem o currículo escolar; d) identificar a compreensão dos professores acerca da avaliação em larga escala e suas implicações para o currículo escolar; e) analisar as possibilidades de um currículo intercultural na escola pesquisada. O referencial teórico articula pensadores da teoria crítica do currículo e da interculturalidade, dentre os quais destacamos: Candau (2008, 2011, 2012), Walsh (2009, 2012), Freire (2014, 2018), Silva (2003, 2015), entre outros. A abordagem da pesquisa é a qualitativa. Para a coleta dos dados utilizamos a entrevista semiestruturada com professores que atuam do 6º ao 9º ano de uma escola com baixo IDEB. A análise aponta que a compreensão de currículo escolar dos professores oscila entre seguir os documentos curriculares oficiais e a possibilidade de transgredi-los, para articular o currículo escolar com a vida dos estudantes. Além disso, os professores demonstram o reconhecimento das diversidades na sala de aula e as compreendem como possibilidades de ruptura com o processo de homogeneização predominante no currículo oficial, mostrando atuações que se aproximam de um currículo intercultural crítico, ou seja, as diferenças culturais são compreendidas como forma de enriquecer o processo curricular, e não como motivos para hierarquizações e discriminações. Com relação à avaliação em larga escala, os professores salientam o caráter classificatório e arbitrário dessas avaliações no processo educativo, demonstrando que elas não contribuem para a melhoria da qualidade da educação escolar, conforme os órgãos oficiais querem fazer acreditar. Nossas (in) conclusões apontam que os professores e professoras lutam incansavelmente na perspectiva de construir um currículo significativo para e com os seus estudantes.

    PALAVRAS-CHAVE: Currículo escolar. Interculturalidade. Avaliação em larga escala. Baixo IDEB.

  • Data da Defesa: 25/02/2021
  • Download: Clique aqui
+ O COTIDIANO DAS CRIANÇAS EM TEMPOS DE PANDEMIA: (DES) CONSTRUÇÕES
  • Discente:
    • Tuany Inoue Pontalti Ramos
  • Orientador(a):
    • Marta Regina Brostolin
  • Resumo:

    A presente dissertação, inserida na Linha de Pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente, do Programa de Mestrado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco, teve por objetivo geral analisar as culturas infantis produzidas pelas crianças nos tempos de pandemia. Como objetivos específicos buscou-se: a) compreender as concepções de criança e infância na perspectiva da Sociologia da Infância e as suas contribuições para a visibilidade social da criança; b) Investigar quais e como são produzidas as culturas infantis no contexto da quarentena diante das implicações do Covid19; c) Analisar a escuta da criança, por meio da entrevista e expressão gráficadesenho. Foram sujeitos da pesquisa cinco crianças de 4 a 6 anos, matriculadas na Rede privada de ensino, sendo: três crianças no 1º ano do Ensino Fundamental e duas crianças na Educação Infantil. Com uma abordagem qualitativa do tipo estudo de caso, utilizamos como instrumentos metodológicos, entrevistas semiestruturadas, registros fotográficos, desenhos e anotações no diário de campo. A Sociologia da Infância subsidiou o aporte teórico e os resultados apontaram que as crianças estão se adaptando às novas condições de vida que a pandemia trouxe. Em seus cotidianos, as crianças continuam brincando com seus familiares, amigos, com seus animais de estimação, com as babás ou mesmo sozinhas. As atividades escolares estão sendo realizadas, seja com a pesquisadora no momento do acompanhamento escolar ou de forma remota, on-line. Destacamos que escutar as crianças nos permitiu entender a forma como elas compreendem esse período de isolamento social que estão vivendo, reconfigurando uma nova infância em seus cotidianos e olhando para as possibilidades diante desse momento.

    Palavras-chave: Crianças. Culturas Infantis. Pandemia

  • Data da Defesa: 25/02/2021
  • Download: Clique aqui
+ CIBERSTALKING!? E SUAS IMPLICAÇÕES NO ESPAÇO ESCOLAR
  • Discente:
    • Valdênia Rodrigues Fernandes Eleotério
  • Orientador(a):
    • Maria Cristina Lima Paniago
  • Resumo:

    Esta dissertação está vinculada à linha de pesquisa II, intitulada “Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente”, do Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco (PPGE/UCDB) e ao Grupo de Pesquisa e Estudos em Tecnologia Educacional e Educação a Distância (GETED). Traz como objetivo geral: Analisar o ciberstalking e suas implicações no espaço escolar. E como objetivos específicos: 1) Analisar se no Projeto Político Pedagógico (PPP) e nos livros didáticos consta a temática ciberstalking e/ou estratégias e ações que norteiam os professores para a sensibilização, a prevenção e o combate do fenômeno nos anos finais do ensino fundamental; 2) Investigar a compreensão do (a) coordenador (a) pedagógico (a) e professores dos anos finais do ensino fundamental sobre o conceito do ciberstalking; e 3) Compreender como os professores dos anos finais do ensino fundamental abordam o tema ciberstalking em suas práticas pedagógicas. O cyberstalking é um fenômeno virtual, a prática de perseguir uma pessoa de forma insistente por meio da internet. A pesquisa é de natureza qualitativa, também é documental, utilizamos como instrumentos para a coleta e produção de dados o questionário sócio/profissional, a entrevista semiestruturada e o diário de bordo. O campo empírico foi uma escola da rede estadual de ensino, de um município da região centro-oeste, que atende aproximadamente 402 alunos, nos turnos matutino e vespertino, onde a prática do ciberstalking tem crescido significativamente nos últimos anos. Os sujeitos da pesquisa foram quatro professores(as); um da área de ciências humanas, um de exatas, dois de linguagens e o(a) coordenador(a) pedagógico(a) dos anos finais do ensino fundamental. Os resultados da pesquisa demonstraram que a prática do ciberstalking acarretam implicações negativas nas interações, no clima e na aprendizagem dos alunos no espaço escolar. Que no Projeto Político Pedagógico (PPP) e nos livros didáticos constam estratégias e ações implícitas e explicitas que norteiam os professores para a sensibilização, a prevenção e o combate do ciberstalking nos anos finais do ensino fundamental. Que a maioria dos docentes compreendem o ciberstalking como um fenômeno social, um tipo de violência psicológica resultante da destreza dos jovens em utilizar as TIC para a cultura da superexposição da vida privada nas redes sociais, do seu espírito aventureiro, da falta de educação digital. Que os professores, sujeitos da pesquisa, ainda não abordaram a temática intensamente, mas, carregam consigo experiências da vida pessoal e profissional que lhes dão noções basilares para a (re)significação do fazer docente contribuindo para a tomada de decisão consciente em desenvolver futuramente práticas pedagógicas para trabalhar o fenômeno no espaço escolar.

     PALAVRAS-CHAVE: Educação. Ciberstalking. Tecnologia.

  • Data da Defesa: 22/02/2021
  • Download: Clique aqui
+ A CONQUISTA DE UM NOVO TERRITÓRIO: INDÍGENAS ADVOGADOS E ADVOGADAS - UM OLHAR DECOLONIAL PARA OS CURSOS DE DIREITO
  • Discente:
    • Maurício Serpa França
  • Orientador(a):
    • Carlos Magno Naglis Vieira (Professor permanente até dezembro de 2021)
  • Resumo:

    A dissertação é uma pesquisa que está vinculada à Linha Diversidade Cultural e Educação Indígena no Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco/UCDB e ao grupo de pesquisa Educação Intercultural e Povos Tradicionais/CNPq. A chegada dos povos indígenas no ensino superior tornou esse espaço um território de disputas. Diante disso, o estar indígena em uma universidade carrega signos/significados divergentes do imaginário hegemônico, amplamente colonialista. Nesse sentido, essa pesquisa propõe como objetivo geral a) identificar, através de relatos de advogados indígenas, como foi ser/estar indígena na universidade através de um olhar decolonial. A pesquisa, de caráter qualitativo, está fora da tradicionalidade epistêmica que centraliza suas análises sob o crivo da imparcialidade e neutralidade, por isso, o estar indígena na universidade nos permite produzir uma narrativa de resistência epistêmica e, o fortalecimento da identidade indígena, frente aos discursos coloniais, que têm como objetivo a manutenção de um projeto de nação. Com a finalidade de entrelaçar as análises, os objetivos específicos são: a) identificar as identidades, dificuldades e as tensões vividas pelos acadêmicos indígenas de Direito antes e durante a universidade; b) verificar a estrutura do curso de Direito para formação das demandas coletivas dos povos indígenas; Para alcançar as ideias propostas, foi realizado entrevistas, via plataforma google meet, com indígenas/advogados(a), uma Pataxó e um Makuxi integrantes da primeira rede de advogados indígenas do Brasil da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) em parceria com instituto Pró-Bono. O processo de revisão bibliográfica dos estudos decoloniais permitiu ao autor entender a potência dos afetos na forma do existir indígena, por esse motivo, o texto estará marcado de angústias e realizações do despertar de um Terena.

    Palavras-chave: indígenas Advogados, decolonialidade, diversidade epistêmica, Cursos de direito, Universidade

  • Data da Defesa: 22/02/2021
  • Download: Clique aqui
+ CRIANÇAS INDÍGENAS EM ESCOLAS NÃO INDÍGENAS: UM ESTUDO A PARTIR DA PERCEPÇÃO DE DOCENTES E PAIS DE ALUNOS INDÍGENAS EM NOVO PROGRESSO PARÁ
  • Discente:
    • Ronaldo Carvalho
  • Orientador(a):
    • Adir Casaro Nascimento
  • Resumo:

    Esta dissertação é uma pesquisa vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Católica Dom Bosco-UCDB, à linha de pesquisa “Diversidade Cultural e Educação Indígena”. Foi desenvolvida no município de Novo Progresso – Pará, em 2019 e 2020. O objetivo geral foi identificar as dificuldades e as tensões pedagógicas que os professores das escolas urbanas do município de Novo Progresso/PA enfrentam com a presença dos estudantes indígenas matriculados no Ensino Fundamental/anos iniciais. Os objetivos específicos foram conduzidos no sentido de verificar se a interculturalidade está presente no Projeto Político Pedagógico das escolas, nas ações cotidianas do ambiente escolar e na prática docente, bem como, identificar as estratégias produzidas/criadas pelas escolas para o trabalho com a diferença a partir da percepção dos pais das crianças indígenas e docentes. A metodologia utilizada, foi de cunho qualitativo, onde produziu-se dados através de entrevistas, com um roteiro semiestruturado, com pais de alunos indígenas e docentes da educação infantil, séries iniciais, de quatro escolas públicas neste município e através de análise documental do Projeto Político Pedagógico (PPP) destas escolas, observando a presença, estruturação e/ou aplicação de pedagogias interculturais. A pesquisa fora construída em três capítulos nos quais o embasamento teórico para a fundamentação da pesquisa apoiou-se em autoras(res) que abordam temas referentes à cultura, educação e interculturalidade. Entre os resultados da pesquisa, foi constatado segundo as entrevistas com os pais, que os filhos e filhas não relatam ações discriminatórias nas escolas, que as(os) filhas(os) têm dificuldades com o domínio da Língua Portuguesa, e que a educação é importante para a defesa da cultura e seu território. Quanto aos docentes, se reconhecem com dificuldades para trabalhar com a diferença e elencam a questão da língua diferente como o maior desafio, sentem a necessidade de formação continuada específica para melhor trabalhar com alunos indígenas. É demonstrado na pesquisa ainda, que os docentes apresentam interesse em propiciar uma educação de qualidade para estes alunos, mas tendem a produzir pedagogias embasadas em um currículo homogêneo que os pressiona a produzir resultados uniformes, que as escolas não abarcam em seu PPP propostas e metas reais para uma pedagogia intercultural, limitando-se a uma percepção de diversidade e multiculturalismo. Foram apresentadas pelos pais e docentes, algumas sugestões para a melhoria da educação neste contexto, as quais apontaram para o desenvolvimento de formação continuada específicas para docentes, com apoio de dirigentes indígenas, a produção de material didático bilíngue e projetos (internos e externos) a escola, que abarquem a interculturalidade.

    PALAVRAS-CHAVE: Cultura. Educação intercultural. Pedagogia intercultural.

  • Data da Defesa: 11/02/2021
  • Download: Clique aqui
+ PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO DO SUL (2014/2024): ANÁLISE DA META 4 - NO QUE DIZ RESPEITO AO ACESSO E PERMANÊNCIA
  • Discente:
    • Paola Gianotto Braga
  • Orientador(a):
    • NADIA BIGARELLA
  • Resumo:

    A presente pesquisa foi financiada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Está vinculada à Linha de Pesquisa de Política, Gestão e História da Educação do Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco, e ao Grupo de Pesquisa em Políticas Educacionais e Órgãos de Gestão dos Sistemas de Ensino, coordenado pela Profª. Drª. Nádia Bigarella. Tem como objetivo analisar o Plano Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul (2014/2024), especificamente a Meta 4, no que diz respeito ao acesso e permanência na escola comum, da Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul, no entretempo de 2015 a 2019; em deferência aos primeiros cinco anos de desenvolvimento do PEE/MS (2014-2024), aprovado pela Lei nº 4.621, de 22 de dezembro de 2014, em alinhamento ao Plano Nacional de Educação – PNE (PNE 2014/2024), aprovado pela Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014, que envolve cinco anos do governo de Reinaldo Azambuja, no que se refere a quatro anos do primeiro mandato e um ano do segundo mandato. Elegeu-se como objetivos específicos: compreender a organização normativa da educação especial após a CF/1988; discutir o acesso e a permanência dos estudantes da educação especial na escola comum; e investigar as iniciativas do governo estadual de universalizar o acesso e permanência do público da educação especial na escola comum, em classe comum, para a efetivação da Meta 4 do PEE/MS (2014/2024). A pesquisa documental foi realizada a partir de textos oficiais, tais como: Plano Nacional de Educação (2014-2024), Plano Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul (2014-2024), Constituição Federal (1988), Lei de Diretrizes e Bases (1996); dentre outros, os documentos constantes no site da Secretaria de Educação do Estado de Mato Grosso do Sul (SED/MS). A pesquisa bibliográfica contou com aportes teóricos como Dermeval Saviani (1999; 2008; 2013), Norberto Bobbio (1992), Carlos Roberto Jamil Cury (2002; 2014), Janete Maria Lins Azevedo (2004) e Marcos José da Silveira Mazzotta (1989; 2011). As categorias de análise foram: políticas públicas educacionais, educação especial, educação básica, inclusão, acesso e permanência. Os resultados permitiram constatar a presença de ações governamentais como eventos (seminários, palestras e comemorações), formações continuadas, atendimentos aos alunos e equipes pedagógicas em destaque, além da criação de centros educacionais, convênios firmados e publicações de materiais didáticos foram realizados contribuindo com o processo de acesso e permanência do público da educação especial no ensino comum. Todavia, conclui-se que as políticas educacionais para o cumprimento da Meta 4, até a presente data, não tem alcançado os parâmetros esperados, considerando que as ações desenvolvidas pelo Estado de Mato Grosso do Sul não têm sido suficientes para universalizar para a população de quatro a dezessete anos, a educação especial. Muito embora, o número de estudantes no âmbito da educação especial com acesso as escolas comuns tenham aumentado, a exclusão não diminuiu de maneira estrutural.

    PALAVRAS-CHAVE: Políticas Públicas Educacionais. Plano Estadual de Educação. Educação Especial. Acesso. Permanência.

  • Data da Defesa: 11/11/2020
  • Download: Clique aqui
+ ESCOLA PLENA: EDUCAÇÃO EM TEMPO INTEGRAL NO ESTADO DE MATO GROSSO (2015-2018)
  • Discente:
    • Francisco Carlos de Oliveira
  • Orientador(a):
    • NADIA BIGARELLA
  • Resumo:

    Esta investigação tem como objeto de pesquisa analisar o Projeto Escola Plena: Educação em Tempo Integral para a Rede Estadual de Mato Grosso (2015 - 2018).instituído pela Lei nº 10.622, de 24 de outubro de 2017, que consiste no funcionamento de Escolas Estaduais de Ensino Médio , vinculado ao Programa Pró-Escolas, apresentado pela Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso em fevereiro de 2017, pelo governo do Partido Democrático Trabalhista (2015-2018), para, no teor documentos, atender o Direito à Educação, Meta 6, do Plano Nacional de Educação (2014-2024) e a meta 16 do Plano Estadual de Educação de Mato Grosso (2014-2024). A pesquisa está vinculada à Linha de Política, Gestão e História da Educação, Grupo de Pesquisa em Políticas Educacionais e Órgãos de Gestão dos Sistemas de Ensino, do Programa de PósGraduação em Educação - Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco, bem como ao projeto Políticas, Planos, Projetos, Programas e Gestão Educacional, coordenados pela Profª. Drª. Nádia Bigarella. Elegeu-se como objetivo geral, analisar o projeto Escola Plena: Educação em Tempo Integral elaborado para o Estado de Mato Grosso (2017 - 2018). Como objetivos específicos, discutir a educação de tempo integral no cenário nacional pós CF/1988, examinar o movimento histórico das políticas para a educação de tempo integral nos governos brasileiros (1990-2017); investigar Projeto Escola Plena desenvolvido para a Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso. A pesquisa documental, dentre outras considerações, demonstrou que a política de educação de tempo integral era uma prioridade do governo, todavia, não obstante os esforços para a implantação das primeiras 40 escolas de Ensino Médio de Tempo Integral, trata-se de um resultado incipiente, haja visto que equivale a apenas 6,2% do total de escolas deste segmento, que corresponde a 7,1% dos alunos.

    Palavras-chave: Educação em tempo integral. Ensino Médio. Jornada escolar.  Educação em Mato Grosso. Projeto Escola Plena

  • Data da Defesa: 28/08/2020
  • Download: Clique aqui
+ CLASSE HOSPITALAR: O QUE DIZEM AS CRIANÇAS SOBRE SUAS EXPERIÊNCIAS EDUCACIONAIS NO PERÍODO DE INTERNAÇÃO
  • Discente:
    • Hildacy Soares de França Montanha
  • Orientador(a):
    • Marta Regina Brostolin
  • Resumo:

    A presente pesquisa de Mestrado está vinculada à linha de pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente, do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Católica Dom Bosco (PPGE-UCDB) e ao Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Docência na Infância (GEPDI). A Sociologia da Infância tem nos ajudado a olhar a infância como um fenômeno plural e nos revela que as formas de viver a infância são diversas, além disso, nos auxilia a perceber as crianças como sujeitos para além das instituições educativas. As experiências vivenciadas pelas crianças hospitalizadas que frequentam a classe hospitalar são relevantes por nos possibilitar a compreensão de quais sentidos têm para elas realizarem atividades pedagógicas fora do ambiente escolar e inseridas nesse contexto de tratamento de doença. De abordagem qualitativa, a presente pesquisa tem por objetivo geral analisar como as crianças da classe hospitalar vivenciam as suas experiências educacionais no período de internação, e como objetivos específicos: compreender como a Sociologia da Infância aborda os conceitos sobre criança e infância; descrever as caraterísticas legais sobre o funcionamento de uma classe hospitalar; conhecer a rotina e procedimentos pedagógicos no atendimento educacional às crianças da classe hospitalar; identificar por meio da escuta às crianças os sentidos produzidos por elas sobre suas experiências educacionais na classe hospitalar no período de internação. A pesquisa se fundamenta no campo da Sociologia da Infância e contamos com a contribuição de Corsaro (2011), Sarmento (2007, 2013, 2015, 2018), Soares (2005) e Tomás (2007, 2012, 2014), bem como Ceccim (1997), Fonseca (1999, 2018), Paula (2007, 2018) para nos direcionar com a temática sobre a classe hospitalar. A pesquisa foi realizada na classe hospitalar da Santa Casa de Misericórdia em Campo Grande - MS. Os sujeitos são cinco crianças, com idade entre cinco e doze anos. Como instrumentos de coleta de dados utilizou-se a observação direta, entrevista semiestruturada, desenho comentado e gravação em áudio. Os resultados evidenciam que as relações estabelecidas com os pares, adultos e crianças, permitiram construir um cenário a parte, dentro desse grande universo de tensão que é o hospital. Foi constatado que as experiências vividas pelas crianças no período de internação, envolvem a dor física e emocional. Fatores que não as impediu de resignificarem o ambiente hospitalar, para torná-lo o mais agradável possível durante o tratamento de saúde. Portanto, a classe hospitalar atua na perspectiva de manter as crianças conectadas com o universo escolar que deixaram ao serem internadas. Na concepção das crianças, há uma ligação direta entre a classe hospitalar e a brinquedoteca, o contato com esse contexto atua na rotina das crianças como parte do tratamento. Entretanto, o que mais agrava a rotina das crianças é a saudade de casa, da família, da escola e seus objetos pessoais, o que as deixa tristes muitas vezes.


    PALAVRAS CHAVE: Criança; Classe Hospitalar; Sociologia da Infância.

  • Data da Defesa: 27/03/2020
  • Download: Clique aqui
+ A INCLUSÃO DA CRIANÇA COM DEFICIÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL NOS CEIS DE BONITO - MS
  • Discente:
    • Marcia Pires dos Santos
  • Orientador(a):
    • Marta Regina Brostolin
  • Resumo:

    O presente trabalho está vinculado à linha de pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente, do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Católica Dom Bosco (PPGE-UCDB). O problema de pesquisa originou-se de questões que contribuíram para uma compreensão melhor de como acontece o processo de inclusão de crianças com deficiência na Educação Infantil dos CEIs de Bonito e quais as dificuldades e possibilidades encontradas para superar os desafios vivenciados no processo de inclusão? A pesquisa tem por objetivo analisar o processo de inclusão das crianças com deficiência na Educação Infantil nos CEIs de Bonito - MS e por objetivos específicos: identificar as crianças com deficiência matriculadas na Educação Infantil nos Centros de Educação Infantil de Bonito - MS; investigar a formação dos professores, dificuldades e desafios enfrentados no trabalho com as crianças com deficiências; compreender o conceito de inclusão a partir das políticas e legislações oficiais e levantar os recursos disponíveis e as orientações oferecidas pela Secretaria Municipal de Educação para o trabalho pedagógico com crianças com deficiências. A pesquisa ancora-se teoricamente em autores como Kramer, (1993, 1995); Kuhlmann, (2001,2015); Oliveira, (2002) e Brostolin; Rosa (2014) sobre o histórico do atendimento da criança no Brasil; Jannuzzi (2012. Drago (2014) referentes à inclusão e exclusão no Brasil sobre o atendimento das pessoas com deficiência dentro do sistema regular de ensino e Carvalho (2005); Mantoan; Prieto (2006) para falar sobre os desafios da inclusão na educação infantil. A pesquisa foi realizada em três Centros de Educação Infantil - CEIs, com quatro professoras regentes e uma professora da Disciplina de Artes e Movimento, tendo como critério de escolha professores que tinham criança com deficiência na sala de aula. Os instrumentos utilizados para a coleta de dados foram a entrevista semiestruturada e a pesquisa documental. A análise dos dados organizou-se a partir dos objetivos da pesquisa e por meio de quatro eixos temáticos: Eixo 1- Perfil dos professores. Eixo 2- As experiências docentes na Educação Infantil. Eixo 3- Formação e orientações oferecidas pela SEMEC. Eixo 4 – Políticas de Inclusão. A pesquisa evidencia ser fundamental que o professor conheça a deficiência de seu educando, suas capacidades e necessidades individuais, assim como ter recursos adequados para promover a aprendizagem dessa criança. Constatou-se também a necessidade de trabalho colaborativo entre os profissionais dos CEIs, por meio da comunicação que permita a troca de informações sobre as dificuldades das crianças e a organização do trabalho pedagógico em equipe.


    Palavras-chave: Educação Infantil. Criança com deficiência. Inclusão. CEIS.

  • Data da Defesa: 05/03/2020
  • Download: Clique aqui
+ PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CORUMBÁ - MS (2015-2025): AÇÕES E PROCESSOS PARA O CUMPRIMENTO DA META 1 – EDUCAÇÃO INFANTIL
  • Discente:
    • Adel Ferreira Campos Junior
  • Orientador(a):
    • NADIA BIGARELLA
  • Resumo:

    Esta investigação está vinculada ao projeto pesquisa intitulada ―Plano Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul (2014-2024): elaboração, monitoramento e avaliação‖, ao Grupo de Pesquisa em Políticas Educacionais e Órgãos de Gestão dos Sistemas de Ensino (GEPESE), coordenado pela Prof.ª Drª. Nádia Bigarella, ligados à Linha de Pesquisa Políticas, História e Gestão da Educação, do Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Tem como objeto de estudo a Meta 1 – Educação Infantil, do Plano Municipal de Educação de Corumbá (PME/Corumbá), aprovado pela Lei Municipal nº 2.484, de 26 de junho de 2015, em alinhamento ao Plano Nacional de Educação (PNE), aprovado pela Lei 13.005, de 25 de junho de 2014 e ao Plano Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul (PEE/MS), aprovado pela Lei nº 4.621, de 22 de dezembro de 2014. Esse Plano alinhado Plano Nacional de Educação, aprovado pela Lei 13.005, de 25 de junho de 2014, que tem como eixo principal a universalização da educação básica em todas as suas etapas e modalidades, até o ano de 20204. A meta da educação infantil tem por finalidade ampliar a oferta de forma a atender no mínimo cinquenta por cento das crianças de até três anos até o final da vigência do Plano. A concepção de universalização da educação infantil, neste trabalho, é compreendida como acesso e permanência de todas as crianças de zero a cinco anos à educação infantil. Elegeu-se como objetivo geral, analisar as ações e os processos desenvolvidos pelo município de Corumbá – MS para o cumprimento da Meta 1- Educação Infantil, apresentada no Plano Municipal de Educação (PME/2015-2025). Como objetivos específicos, mapear conceitos e marcos legais da educação infantil no Brasil, investigar o processo elaboração do PME/Corumbá (2015-2025), examinar as ações do deste município para atender a Meta 1 – Educação Infantil. Tendo como o principal procedimento metodológico a pesquisa documental, averiguaram-se decretos, resoluções e portarias federais, estaduais e municipais. Observou-se que de acordo com o relatório anual de monitoramento do Plano Municipal de Educação (Lei Municipal nº 2.484, de 26 de junho de 2015). Observou-se que no período 2016-2017, a meta objetivava, até o ano de 2016, o atendimento de 100%, das crianças com idade de 4 a 5 anos na pré-escola. Todavia, os dados publicados até o ano de 2018, mostram que o Município de Corumbá, matriculou apenas 75% destas crianças, deixando um défice de 25% no número de alunos matriculados nesta etapa da educação básica. Muito embora, o plano terminará em 2025, até agora, a meta 1 não foi cumprida em sua totalidade, apesar, dos planejamentos do referido município expressarem ações que ainda serão desenvolvidas para o cumprimento da meta.

    Palavras-Chave: Plano Municipal de Educação; Educação Infantil; Políticas Educacionais; Ações governamentais.

  • Data da Defesa: 03/03/2020
  • Download: Clique aqui
+ OS IDOSOS NA UNIVERSIDADE DA MELHOR IDADE-UMI/UCDB: o que dizem sobre suas histórias e identidades
  • Discente:
    • Aianne Carelli Nasser de Mello
  • Orientador(a):
    • Carlos Magno Naglis Vieira (Professor permanente até dezembro de 2021)
  • Resumo:

    A pesquisa de mestrado está vinculada à Linha de Pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena e ao Grupo de Pesquisa Educação Intercultural e Povos Tradicionais no Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado e Doutorado da UCDB. Situada no campo da Educação, a pesquisa busca verificar como os sujeitos idosos participantes do programa Universidade da Melhor Idade – Universidade Católica Dom Bosco (UMI/UCDB) posicionam suas identidades e histórias. Ainda nesta direção, o trabalho tem como objetivos específicos: a) descrever a interação do projeto com o programa da UMI/UCDB; b) identificar as posições dos idosos da UMI/UCDB, sobre suas identidades frente ao processo de envelhecimento, através de suas histórias de vida. Com base nos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística/IBGE, mais precisamente no último censo de 2010, verifica-se que o crescimento da população idosa vem ocorrendo de forma significativa, o que proporciona realizar uma escuta atenta e sensível a esse segmento da população. Tendo como eixo norteador autores que dialogam com os estudos de cultura e identidade, a pesquisa de caráter qualitativo tem a intenção de produzir seus dados a partir de procedimentos metodológicos, como: a realização de entrevista, análise documental (currículo, projeto político pedagógico e dados de matrícula que trazem elementos de sua identidade), observação e agendas produzidas pelos idosos que participaram das aulas de Atualidades em Saúde, acerca dos elementos norteadores do projeto. A pesquisa mostrou que o Programa UMI/UCDB foi sendo construído, ao longo de 22 anos, no espaço acadêmico, juntamente com o corpo docente, conforme o perfil sociocultural, necessidades e anseios dos participantes, considerando também as tendências das Universidades Abertas à Terceira Idade (UnATIs) em promover o envelhecimento bem-sucedido. A partir das narrativas das histórias de vida dos idosos, foi possível observar que o contexto social em que viveram e a forma como posicionaram suas identidades ao longo de suas vidas se refletem da mesma forma no processo de envelhecimento.


    Palavras-chave: UMI/UCDB; idoso; identidade; história de vida; envelhecimento.

  • Data da Defesa: 02/03/2020
  • Download: Clique aqui
+ A RELAÇÃO DOS SENTIDOS DOS ARTE EDUCADORES NO MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA DE MATO GROSSO DO SUL (MARCO): EM BUSCA DE UMA EDUCAÇÃO DECOLONIAL
  • Discente:
    • Caciano Silva Lima
  • Orientador(a):
    • Heitor Queiroz de Medeiros
  • Resumo:

    Este trabalho apresenta resultados da pesquisa desenvolvida no mestrado do PPGE/ UCDB na linha de pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena, buscando entender a relação dos sentidos dos arte educadores no Museu de Arte Contemporânea de Mato Grosso do Sul (MARCO), em busca de uma educação decolonial. Tem como objetivo geral analisar o processo educativo que ocorre no contexto do MARCO, buscando entender como se dá a relação dos sentidos mediada pelos gestores culturais e as escolas, juntamente com os professores de Arte, visitantes do espaço museológico. Especificamente, pretende-se analisar a estrutura e o sistema de funcionamento do MARCO, contextualizando a política do estado implementada pelo Sistema Estadual de Museus (SIEM) para os museus de Mato Grosso do Sul; refletir como se dá a relação entre arte, cultura e educação, utilizando a metodologia Socipoética, no MARCO e mediada pelos arte educadores no museu; e entender como se dá a prática pedagógica dos arte educadores, estabelecendo relações com a decolonialidade. A metodologia utilizada foi a Sociopoética, criada por Jacques Gauthier e Iraci dos Santos, cuja finalidade é a construção coletiva do conhecimento. Na primeira fase da pesquisa, além da revisão bibliográfica sobre o tema, foi realizado um curso de formação ministrado pelo criador da metodologia, com o tema Sociopoética e Arte – contribuição a práticas científicas decoloniais, buscando aprofundar o conhecimento dos arte educadores participantes (grupo pesquisador) sobre como pesquisar a partir da sociopoética. Na continuidade da produção dos dados foi realizado um segundo momento de formação, em que foi criado um grupo- pesquisador. A terceira deu-se por meio de um ciclo de duas oficinas, também ministrado pelo criador da sociopoética, intitulado “PESCURSO" – Pesquisa/Curso de Formação em Sociopoética, focado na construção de cartas de tarô e na confecção de bonecos, seguido da análise dos problemas e da elaboração dos confetos identificados pelo grupo. As atividades desenvolvidas pelos arte educadores dentro do MARCO, buscando entender a relação dessas atividades com a decolonialidade, estão em processo de análise. As análises e contra-análises realizadas possibilitam afirmar que as atividades desenvolvidas nos mostram como descolonizar o pensamento de arte/corpo/história da arte.


    Palavras-chave: Arte Educadores. Museu de Arte Contemporânea de Mato Grosso do Sul. Sociopoética. Decolonialidade.

  • Data da Defesa: 28/02/2020
  • Download: Clique aqui
+ EXPERIÊNCIA COM A AÇÃO SABERES INDÍGENAS NA ESCOLA MUNICIPAL INDÍGENA CACIQUE ARMANDO GABRIEL, ALDEIA CÓRREGO DO MEIO, MUNICÍPIO DE SIDROLÂNDIA, MATO GROSSO DO SUL
  • Discente:
    • Jabez Gabriel
  • Orientador(a):
    • Heitor Queiroz de Medeiros
  • Resumo:

    Este trabalho, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE), da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) na linha de pesquisa: Diversidade Cultural e Educação Indígena tem como objetivo de pesquisa estudar a Ação Saberes Indígenas na Escola, a partir das ações desenvolvida, iniciada em 2016 na Escola Indígena Cacique Armando Gabriel, na Aldeia Córrego do Meio, Município de Sidrolândia, Mato Grosso do Sul. No Mato Grosso do Sul, o Ministério da Educação (MEC) implantou o Programa Ação Saberes Indígenas na Escola e isso tem auxiliado a formação de professores indígenas para atuarem nas escolas em suas aldeias. Para produção dos dados a pesquisa utilizou o método  auto  etnográfico, pois como membro da comunidade onde nasci, sempre vivi, e como professor na escola pesquisada, estou tratando de uma experiência na qual faço me inserir a partir do segundo semestre do ano de 2017 e agora faz parte no meu dia a dia. Sobre a presença dos Saberes na Escola, além da observação e participação efetiva no dia a dia das atividades desenvolvidas pelo programa, também foram realizadas entrevistas, mas principalmente conversas informais com professores, diretor, coordenador pedagógico da escola, e também análise do Projeto Político Pedagógico (PPP) da escola bem como os cadernos dos alunos, além de conversas informais com os anciãos Terena, Cacique e grupos de danças culturais.

    PALAVRAS-CHAVE: Saber étnico; Saberes Terena; Formação de Professores Indígenas

  • Data da Defesa: 27/02/2020
  • Download: Clique aqui
+ UM OLHAR DESSANO PARA A CULTURA/PEDAGOGIA DESSANA: UM RELATO AUTOETNOGRÁFICO
  • Discente:
    • Gaudêncio Gomes Campos
  • Orientador(a):
    • Adir Casaro Nascimento
  • Resumo:

    A dissertação faz parte do Programa de Pós-graduação em Educação (PPGE), da Universidade Católica Dom Bosco, da linha de pesquisa III: Diversidade cultural e Educação Indígena. O estudo tem por objetivo descrever o processo de formação da identidade Dessana com ênfase no cotidiano, no dia a dia. A partir disso apresento, de modo breve, a constituição e história da Cultura Dessana, com foco no mito e benzimentos; situo, ainda, o lugar da cultura Dessana em relação a outras etnias; e por fim, os passos necessários na formação da identidade e pedagogia Dessana. Para alcançar esses objetivos a metodologia que eu utilizei foi a autoetnografia e o autorretrato, bem como outras metodologias complementes, entrevistas, com gravações em áudio e estudo bibliográfico, principalmente para aprofundar temáticas referentes a alguns conceitos que apresento nesta dissertação. Nos estudos bibliográficos, além de autores consagrados na academia, consultei livros de autores Dessanos, especialmente os relatos dos mitos da minha etnia. Os conceitos abordados no presente trabalho foram: cultura, interculturalidade, intraculturalidade, diáspora, hibridismo e educação. De modo especifico, envolveu um olhar para a minha cultura, indígena e Dessana e a descrição de processos que me envolveram profundamente, interna e externamente no que se refere ao funcionamento dentro da minha cultura, de tudo o que pude aprender com os meus pais e demais pessoas que ajudaram a construir a minha identidade; agora escrevo não somente como indígena morador de aldeia, mas alguém que tem experiência fora, numa diáspora (Hall, 2015). Sendo assim, a partir do texto, o leitor poderá ver caminhos e afetamentos de muitas realidades por mim vividas e analisadas.

    PALAVRAS-CHAVE: Cultura. Dessano. Educação. Interculturalidade. Diáspora. Hibridismo.

  • Data da Defesa: 19/02/2020
  • Download: Clique aqui
+ SÍNDROME DE BURNOUT: um estudo com docentes de uma escola estadual de Campo Grande-MS
  • Discente:
    • Beatriz Alexandra Barbosa de Barros
  • Orientador(a):
    • Flavinês Rebolo
  • Resumo:

    Esta dissertação vincula-se à Linha de Pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente, do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Católica Dom Bosco e ao Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Formação, Trabalho e Bem-estar Docente (GEBEM/CNPq). A pesquisa teve por objetivo geral analisar como ocorre a Síndrome de Burnout (SB), identificando a incidência dessa síndrome em professores de uma escola da rede estadual de ensino de Campo Grande – MS e as causas e consequências do Burnout na vida profissional e pessoal dos docentes. A Síndrome de Burnout (SB) é um fenômeno psicossocial relacionado ao contexto laboral e que acomete trabalhadores que desenvolvem suas atividades de forma direta e emocional com pessoas. Justifica-se a importância de se investigar a Síndrome de Burnout em professores, visto que foi possível notar, por meio do levantamento de pesquisas já realizadas sobre a temática, que esta ainda é pouco pesquisada em nosso país, e o quanto é necessário que haja a criação de programas de intervenção para a melhoria da saúde e da qualidade de vida dos docentes. A pesquisa, de abordagem qualitativa, teve o percurso metodológico dividido em duas etapas: a primeira foi a aplicação do Maslach Burnout Inventory (MBI) com intuito de identificar a incidência da síndrome nos docentes; subsequente, na etapa dois, foram realizadas entrevistas semiestruturadas, com o intuito de identificar os determinantes e as consequências da SB para o trabalho e a vida dos professores. O MBI foi aplicado em quatorze professores de uma escola da rede estadual de ensino de Campo Grande, MS, que estavam atuando em sala de aula na época da aplicação dos instrumentos de coleta de dados. Inicialmente foram analisadas as subescalas que compõem o MBI: exaustão emocional, despersonalização e realização pessoal separadamente e, posteriormente, em conjunto para obtenção do resultado total de cada participante. Por meio do resultado e das análises verificou-se que alguns dos professores apresentaram características encontradas na fase inicial do Burnout mas a maioria deles permeiam a fase de acomodação da síndrome. As entrevistas semiestruturadas foram realizadas com três professores, sendo duas do sexo feminino e um do sexo masculino. As análises das entrevistas revelam que a Síndrome de Burnout pode sim causar consequências não apenas na vida profissional do docente, mas em sua vida pessoal. Não há como distinguir uma da outra, no que diz respeito a saúde mental, e esse processo de adoecimento o coloca em um lugar de dúvida, interferindo em sua satisfação com o trabalho, afetando sua motivação e colocando em prova seu deleite pelo exercício de sua profissão. O trabalho deixa de ser uma fonte de prazer e se torna desgastante, gerando frustrações. No que tange ao processo de adoecimento, este nem sempre é visto pelo trabalhador como lugar de direito, seja devido a questões financeiras e/ou ao preconceito gerado no que diz respeito a saúde psíquica.

    Palavras-chave: Educação; Síndrome de Burnout; Trabalho docente; Práticas Pedagógicas.

  • Data da Defesa: 19/02/2020
  • Download: Clique aqui
+ PLANEJAMENTO COLABORATIVO NA EJA – UMA EXPERIÊNCIA BASEADA NO DIÁLOGO ENTRE COORDENAÇÃO, PROFESSORES E TECNOLOGIAS
  • Discente:
    • Giovana Barreto Nogueira Scavassa
  • Orientador(a):
    • Maria Cristina Lima Paniago
  • Resumo:

    A dissertação faz parte da conclusão do Mestrado em Educação, realizado pelo Programa de Pós-graduação, Mestrado e Doutorado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco - UCDB, e pertence à linha de pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente. O estudo objetivou analisar o processo desenvolvido na prática do planejamento colaborativo na Educação de Jovens e Adultos (EJA) de uma escola do município de Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Baseou-se na percepção dos docentes sobre sua prática pedagógica e no diálogo permanente com a coordenação, identificando o uso das tecnologias a favor do processo de elaboração e aplicação do planejamento nessa instituição e analisando as ferramentas inseridas na proposta do planejamento colaborativo; o processo de construção do planejamento colaborativo com as tecnologias; e as implicações do planejamento colaborativo na prática. Para tanto, é uma pesquisa qualitativa com a utilização da entrevista narrativa como instrumento de coleta de dados, além da construção do estado do conhecimento e do referencial teórico sobre a prática do planejamento colaborativo no contexto da EJA. A partir da análise dos dados foi possível perceber a importância do planejamento colaborativo como prática pedagógica e observar que a participação de todos na organização dos estudos foi fundamental para potencializar o trabalho em equipe. Os professores obtiveram ganhos significativos em suas ações e puderam estabelecer relações de trocas e parcerias, além da obtenção de ganhos em relação à frequência e permanência dos alunos nas aulas. Também foi possível constatar que o uso das tecnologias foi fundamental para facilitar os “encontros” e trocas de ideias entre os pares. Constataram-se também alguns fatores que prejudicam o andamento do trabalho, como a falta de estrutura física e material. As formações externas são pouco voltadas para as reais necessidades da EJA, e os poucos encontros previstos em calendário, além da falta de autonomia para organização de estudos da própria equipe, dificultam um pouco. Portanto, como principais considerações, apresenta-se a relevância da proposta do planejamento colaborativo aos professores da EJA, desde os aspectos teóricos à importância do trabalho em equipe, para que a ideia sirva de inspiração a outras instituições. Acreditamos ter atingido os objetivos deste estudo e contribuirmos com sugestões e referências que possam ser aproveitadas por outros profissionais.

    Palavras-chave: Prática Pedagógica. Planejamento Colaborativo. Tecnologias.

  • Data da Defesa: 18/02/2020
  • Download: Clique aqui
+ A PEDAGOGIA GUARANI NAS PERCEPÇÕES DOS PROFESSORES GUARANI E KAIOWÁ: um estudo a partir dos relatórios da Ação Saberes Indígenas na Escola
  • Discente:
    • Aurieler Jaime de Abreu
  • Orientador(a):
    • Carlos Magno Naglis Vieira (Professor permanente até dezembro de 2021)
  • Resumo:

    A dissertação é uma pesquisa que está vinculada à Linha Diversidade Cultural e Educação Indígena no Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco/UCDB e ao grupo de pesquisa Educação Intercultural e Povos Tradicionais/CNPq. Situada no campo da Educação, a pesquisa tem como objetivo geral apresentar a percepção dos professores/as Guarani e Kaiowá sobre a pedagogia Guarani a partir dos relatórios da Ação Saberes Indígenas na Escola/MEC/SECADI (ASIE), de três Terras indígenas de Mato Grosso do Sul: Guaimbé (Laguna Caarapã/MS), Rancho Jacaré (Laguna Caarapã/MS), e Taquapery (Coronel Sapucaia/MS). São objetivos específicos: a) descrever a história do povo Guarani e Kaiowá a partir de produções acadêmicas dos/as intelectuais indígenas e não indígenas; b) apresentar, por meio dos relatórios da Ação Saberes Indígenas na Escola/MEC/SECADI (ASIE), a pedagogia Guarani e o lugar que ela ocupa na escola ou na sala de aula; c) apontar, por meio dos relatórios da Ação Saberes Indígenas na Escola/MEC/SECADI (ASIE), se a presença da pedagogia Guarani em sala de aula após o programa se tornou mais presente. Tendo como eixo teórico autores indígenas e não indígenas que dialogam com os estudos da cultura e da pedagogia Guarani, a pesquisa de caráter qualitativo tem como procedimento metodológico: a) o levantamento bibliográfico sobre a história, a cultura e a pedagogia do povo Guarani e Kaiowá do Mato Grosso do Sul; b) a análise dos relatórios dos professores indígenas Guarani e Kaiowá das Terras Indígenas supracitadas do programa Ação Saberes Indígenas na Escola/MEC/SECADI (ASIE) sobre a pedagogia Guarani. A dissertação espera contribuir para o campo da Educação Escolar Indígena Guarani e Kaiowá, ressignificando e desconstruindo olhares “outros” da pedagogia tradicional indígena que circula nas comunidades indígenas. Os resultados indicam que a pedagogia Guarani é transmitida de maneira oral, possui elementos e modos próprios que são repassados por diversos sujeitos; como os mais velhos, difundidos entre os membros e também aprendidos com as próprias crianças, abrangem conhecimentos tradicionais, autonomia, estratégia e experiência.

    Palavras-chave: Pedagogia Guarani. Professores Guarani e Kaiowá. Ação Saberes Indígenas na Escola. Conhecimentos Tradicionais.

  • Data da Defesa: 14/02/2020
  • Download: Clique aqui
+ A PRESENÇA DE ALUNOS BOLIVIANOS NUMA ESCOLA LOCALIZADA NA FRONTEIRA BRASIL-BOLÍVIA: A PERSPECTIVA DOS PROFESSORES
  • Discente:
    • Luis Manoel Bezerra
  • Orientador(a):
    • José Licínio Backes
  • Resumo:

    A pesquisa de mestrado está vinculada à Linha de Pesquisa Diversi-dade Cultural e Educação Indígena e ao Grupo de Pesquisa Educação e Diferença Cultural. Ela tem por objetivo analisar as concepções dos professores sobre a educação intercultural e como eles percebem as diferenças entre os alunos no espaço escolar. O referencial teórico pauta-se na perspectiva intercultural. As transformações culturais, sociais e étnico-raciais que ocorrem na sociedade atual têm levado a estudos sobre a interculturalidade dentro do contexto escolar, inclu-indo o convívio com alunos estrangeiros, como é o caso desta pes-quisa acerca de uma escola localizada na fronteira entre o Brasil e a Bolívia. A pesquisa de campo foi realizada por meio de entrevistas semiestruturadas com doze professores. A análise mostrou que os professores não tiveram formação para lidar com os alunos estran-geiros, que os alunos bolivianos têm dificuldade com a língua portu-guesa e que há discriminação e preconceito contra os alunos bolivi-anos, os quais, em função destes fatores, tendem a não assumir sua cultura. Conclui-se que, para a escola poder trabalhar na perspectiva da interculturalidade, é fundamental que haja um processo de forma-ção continuada destinado aos professores, para que estes aprendam a lidar com as diferenças em seus alunos, saibam desenvolver um processo educativo baseado nas diferenças e não na homogeneiza-ção, e consigam evitar o preconceito e a discriminação, comparti-lhando saberes e experiências, reconhecendo que, mesmo a cultura nos diferenciando, essa diferenciação não precisa estar associada a déficit e a inferioridade.


    Palavras-chave: Cultura. Fronteira. Interculturalidade. Educação.

  • Data da Defesa: 04/02/2020
  • Download: Clique aqui
+ A CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO NO PROGRAMA ESCOLA SEM PARTIDO
  • Discente:
    • MARIA EDUARDA DE SOUZA NUNES
  • Orientador(a):
    • NADIA BIGARELLA
  • Resumo:

    Esta dissertação de Mestrado em Educação tem como objeto de pesquisa a concepção de educação do Programa Escola sem Partido (PESP), que tramita na Casa dos Deputados por meio do Projeto de Lei (PL) nº 867/2015(bem como seus apensos) apresentado pelo Deputado Federal Izalci Lucas Ferreira(PSDB). Está vinculada à Linha de Política, Gestão e História da Educação, ao Grupo de Pesquisa em Políticas Educacionais e Órgãos de Gestão dos Sistemas de Ensino (GEPESE) do Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), ao projeto Políticas, Planos, Projetos, Programas e Gestão Educacional, coordenados pela Profa. Dra. Nádia Bigarella. O objetivo geral é analisar a concepção de educação expressa na proposta do Programa Escola sem Partido (PESP),que tem como mote inserir nas políticas públicas educacionais ações estratégicas que atendam e não se oponham as finalidades do sistema econômico, desconsiderando a educação como direito social e opondo-se à educação democrática. Como objetivos específicos elegeu-se: compreender a tramitação dos projetos de lei vinculados ao programa Escola sem Partido; identificar os atores desse programa; examinar a concepção de educação defendida pelo programa Escola sem Partido. Com base em uma pesquisa documental, teórica e bibliográfica, pode-se perceber que os defensores desse programa se articularam para inserir na legislação educacional brasileira diretrizes, princípios norteadores de ações que vão de encontro dos preceitos democráticos da Constituição Federal de 1988, reduzindo as possibilidades de concretização do direito à educação pata todos, conforme determinam os artigos. 1º a 5º do texto. Em síntese, a pesquisa revelou que esse programa traz graves consequências à politicas democracias, pois quer substituir o direito ao exercício da cidadania, a qual implica liberdade, participação e igualdade por ações que remetem ao totalitarismo, na tentativa de limitar a liberdade de expressão, tento com base ideia de que a escola não deve ser um espaço de debate de várias ideologias políticas, de defesa dos direitos do trabalhadores, de diversos conhecimentos e culturas, mas sim, um espaço que precisa conservar a transmissão de conhecimento sem juízo de valor, ou seja, reproduzir os valores da sociedade burguesa.


    PALAVRAS-CHAVE: Programa Escola sem Partido. Políticas Educacionais. Limitação da liberdade de expressão. Oposição a educação democrática

  • Data da Defesa: 12/08/2019
  • Download: Clique aqui
+ AS PROFESSORAS TERENA NO PROCESSO DE RETOMADA DO TERRITÓRIO TRADICIONAL DA ALDEIA BURITI/DOIS IRMÃOS DO BURITI – MS
  • Discente:
    • CLEDEIR PINTO ALVES
  • Orientador(a):
    • Carlos Magno Naglis Vieira (Professor permanente até dezembro de 2021)
  • Resumo:

    A dissertação apresentada está vinculada à Linha de Pesquisa Diversidade Cultural Educação Indígena e ao grupo de pesquisa/CNPq – Educação Intercultural e Povos Tradicionais, no Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco/UCDB. Ela tem o objetivo geral de evidenciar o protagonismo das professoras Terena no processo de retomada do território tradicional para a comunidade da Aldeia Buriti, município de Dois Irmãos do Buriti/MS, tendo como objetivos específicos: a) Descrever os fazeres das professoras da comunidade Buriti no processo de retomada do território. b) Destacar as estratégias utilizadas pelas professoras na resolução dos conflitos e tensões na área de retomada. c) Registrar as marcas e as mudanças na comunidade pós-confronto armado. O interesse pela temática surgiu no momento que na luta pelo território “nasce uma nova indígena mulher Terena” que, no espaço de tensão, além de mulher, mãe, esposa, professora, transforma-se em liderança, atravessada, desconstruída e (re) construída na retomada, dando voz àquelas que historicamente conviveram com o silêncio e ocultação. A história contada sobre os povos indígenas desqualificou a imagem da mulher e a tornou invisível; é o sentido contrário deste trabalho, que visibiliza a mulher Terena em espaços nteriormente masculinizados. A pesquisa qualitativa do tipo auto-etnográfico utilizou-se de entrevistas, diário de campo, análise documental e bibliográfica de indígenas e não indígenas. Nesse sentido, sua relevância para a comunidade da aldeia Buriti se torna ainda maior, pois é uma possibilidade de registrar nossa luta pelo território, trazendo a presença, a participação e a contribuição das professoras na retomada do território. A pesquisa evidencia a relação subjugada entre o homem indígena e a indígena mulher como produzida no viés da colonialidade, onde o “homem manda e a mulher obedece”. Nas reuniões para tomada de decisão na comunidade, a participação e as falas da mulheres eram negadas, mas em casa já determinavam o seu posicionamento e opiniões, que também eram da família, aos seus maridos. O empoderamento da professora Terena da aldeia Buriti inicia anos atrás e, no presente, as faz protagonistas e lideranças dentro da sua comunidade, fazendo sua voz ecoar cada vez mais, ganhando força e fortalecendo outras mulheres.

    Palavras-chave: Terena; indígena mulher; retomada do território; professora. 

  • Data da Defesa: 24/04/2019
  • Download: Clique aqui
+ POLÍTICAS/PROGRAMAS DE FORMAÇÃO CONTINUADA PARA PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA NA REDE ESTADUAL DE ENSINO DE MATO GROSSO DO SUL NO MUNICÍPIO DE CAMPO GRANDE-MS (2014-2018)
  • Discente:
    • LUCIMARA COLADO
  • Orientador(a):
    • Celeida Maria Costa de Souza e Silva
  • Resumo:

    A Formação Continuada visa proporcionar ao professor continuidade nos estudos, uma atualização ao longo da carreira docente para ampliar sua rotina de sala de aula. O objetivo geral é analisar as políticas/programas de formação continuada para os professores de Educação Física do Ensino Médio na Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul, no município de Campo Grande-MS (2014-2018). Os objetivos específicos são: A) Contextualizar em âmbito nacional as políticas/programas de formação continuada para professores do Ensino Médio. B) Examinar as políticas/programas estaduais para formação continuada de professores doEnsino Médio em Mato Grosso do Sul. C) Analisar a Meta 16 do Plano Estadual de Educação (PEE-MS 2014-2024) e as políticas/programas de formação continuada para os professores de Educação Física do Ensino Médio na Rede Estadual de Ensino, no município de Campo Grande no período de 2014-2018. D) Analisar os depoimentos dos gestores entrevistados e relacionar com o que vem sendo executado pela SED-MS aos professores da Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul, principalmente com os professores de Educação Física do Ensino Médio e com o que está previsto na meta 16 do PEE-MS (2014-2024).Vincula-se à Linha de pesquisa Política, Gestão e História da Educação do Programa de Pós-Graduação – Mestrado e Doutorado - em Educação da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), ao projeto de pesquisa: Políticas Públicas de Formação e Trabalho Docente na Educação Básica em Mato Grosso do Sul, coordenado pela professora Doutora Celeida Maria Costa de Souza e Silva e se desenvolve no âmbito do Grupo de Estudos e Pesquisas Políticas de Formação e Trabalho Docente na Educação Básica (GEFORT). Tem como questão norteadora: quais políticas/programas para formação continuada foram implantadas e desenvolvidas na Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul no Ensino Médio, para os professores de Educação Física no município de Campo Grande-MS no período de 2014-2018? O recorte temporal 2014 a 2018 corresponde ao primeiro quadriênio do PEE-MS, período em que há o 1º Relatório de Monitoramento e Avaliação do Plano Estadual de Educação: sistematização das metas e estratégias, e porque esse período corresponde ao primeiro mandato do governador Reinaldo Azambuja (PSDB). Campo Grande-MS é o campo empírico, por ser a capital do estado de Mato Grosso do Sul, possuir 818 professores efetivos no quadro permanente, atuando no Ensino Médio em todos os componentes curriculares, dos quais 106 ministram aulas no campo curricular Educação Física e por possuir noventa escolas estaduais urbanas e uma rural. Como procedimentos metodológicos a pesquisa bibliográfica, documental e entrevista. Foram realizadas entrevistas com os representantes dos setores responsáveis pela elaboração de políticas de Formação Continuada para o Ensino Médio na Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul: a Coordenadora de Formação Continuada (CFOR), o Superintendente de Políticas para a Educação (SUPED), o Coordenador de Políticas para o Ensino Médio e Educação Profissional (COPEP) e o Gestor do Núcleo de Esportes (NESP) da Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso do Sul (SED-MS). Os resultados da pesquisa mostram que têm sido oferecidos cursos de Formação Continuada aos professores da Rede Estadual de Ensino de MS como prescreve a meta 16, porém não há curso específico para a Educação Física e tem atendido pequena demanda de professores.


    Palavras-Chave: Políticas de Formação Continuada, Professores de Educação Física, Ensino
    Médio, Rede Estadual de Ensino, Mato Grosso do Sul.

  • Data da Defesa: 11/04/2019
  • Download: Clique aqui
+ A LICENCIATURA LETRAS LIBRAS – MODALIDADE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA – NA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS (UFGD) (2013-2017)
  • Discente:
    • FRANCIMAR BATISTA SILVA
  • Orientador(a):
    • Celeida Maria Costa de Souza e Silva
  • Resumo:

    O objeto dessa pesquisa é a Licenciatura em Letras/Língua Brasileira de Sinais (Libras) na modalidade Educação a Distância, da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) (2013-2017). Esta pesquisa vincula-se à Linha de Pesquisa Política, Gestão e História da Educação e ao Grupo de Estudo e Pesquisa de Políticas de Formação e Trabalho Docente na Educação Básica do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). O objetivo geral é analisar a organização do curso de formação de professores em Letras – Língua Portuguesa/Língua Brasileira de Sinais (Letras Libras), ofertado pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), na modalidade Educação a Distância, no período de 2013 a 2017. Os objetivos específicos são: contextualizar as políticas de formação de professores de Libras em âmbito Nacional; identificar as políticas de formação inicial e continuada dos professores de surdos em Mato Grosso do Sul, e, apresentar o curso de formação de professores em Letras – Língua Portuguesa/Língua Brasileira de Sinais (Letras Libras) ofertado pela Universidade Federal da Grande Dourados, na modalidade de Educação a Distância. A UFGD aderiu à proposta do Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência – Viver sem Limite – decorrente do Decreto Federal n. 7.612/2011, passando a ofertar o curso de Licenciatura Letras – Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) na modalidade Educação a Distância, no governo Dilma Rousseff (2011-2014), do Partido dos Trabalhadores (PT). Uma das principais ações do Curso Letras Libras é formar professores para atuar no ensino da língua de sinais (LS) como primeira língua e a língua portuguesa como segunda língua, conforme disposto no Decreto Federal n. 5.626/2005. A relevância dessa pesquisa está em entender como ocorreu o processo de formação de professores da Licenciatura Letras Libras – modalidade Educação a Distância – da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), no período de 2013 a 2017. O recorte se justifica pelo fato do ano de 2013 ser o início da primeira turma do Curso Letras Libras e 2017, o ano de conclusão dessa mesma turma. É uma pesquisa documental e bibliográfica; utilizou-se de documentos oficiais como as Leis que sancionaram os planos nacionais e estaduais de educação, a LDB 9394/1996, as Leis estadual n. 1.693/1996 e a Nacional n. 10.436/2002, conhecida como a Lei da Libras, a Constituição Federal de 1988, o Projeto Pedagógico do curso Letras Libras (PPC-Letras Libras), a Resolução CEPEC n. 227 de 12 de dezembro 2014, assim como, documentos emanados pela UNESCO, Declaração de Salamanca, Política de Educação Especial na Perspectiva Inclusiva, voltados para orientação da educação Especial no Brasil. Esses documentos serviram de subsídio para análise das políticas de educação especial no contexto da educação inclusiva. A pesquisa mostrou que mesmo com dificuldades em sua implantação, o curso Letras Libras da UFGD, conseguiu ser realizado no sul de Mato Grosso do Sul, e considerando o índice de 50% (cinquenta por cento) de reprovação e com pouca estrutura física, ainda assim conseguiu atender à política do plano ‘Viver sem Limites’.

    PALAVRAS-CHAVE: Políticas de Formação de Professores de Libras. Licenciatura Letras Libras UFGD. Educação a Distância (EaD).

  • Data da Defesa: 27/03/2019
  • Download: Clique aqui
+ DE “MANEQUIM FUNERÁRIO” A MESTRE EM EDUCAÇÃO: um estudo sobre as questões da sexualidade e do corpo nas relações vividas na escola
  • Discente:
    • LEONARDO BRANDÃO DELVALLE RÉGIS
  • Orientador(a):
    • Flavinês Rebolo
  • Resumo:

    Este trabalho integra a linha de pesquisa “Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente”, do Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco. Buscou compreender como as questões da sexualidade e do corpo são vividas nas relações no ambiente escolar, a partir de uma narrativa autobiográfica do autor sobre os processos escolares frente ao medo pela diferença sentida “na pele” por ser homossexual numa sociedade heteronormativa. Utilizou-se como procedimento metodológico a narrativa autobiográfica e da experiência. A discussão da sexualidade na escola possibilita não só a aceitação das diferenças mas, também, a consideração do corpo e da sexualidade como campos políticos e dispositivos históricos e culturais, quebrando com a ideia de sexualidade como essência e questionando, assim, os parâmetros de “normalidade” baseadas em construções binárias em nossa sociedade. Foi no difícil, inquietante e mobilizador caminho experiencial que as questões da pesquisa foram surgindo, trazendo mais significações às experiências vividas e formativas da identidade homossexual. Constatou-se a necessidade de discutir a educação por meio de uma pedagogia escolar que permita o incômodo, o desconforto como propulsores de processos educativos que permitam a expressão das diferenças, o sentir e a abertura para as incertezas, pertencentes à vida. As discussões e análises foram desenvolvidas a partir de conceitos pertencentes ao pós estruturalismo e à teoria queer.

  • Data da Defesa: 26/03/2019
  • Download: Clique aqui
+ FORMAÇÃO DE PROFESSORES GUARANI E KAIOWÁ PRÁTICAS PEDAGÓGICAS INTERCULTURAIS DO CURSO NORMAL MÉDIO INTERCULTURAL INDÍGENA ARÁ VERÁ NA PERSPECTIVA DA V TURMA 2015
  • Discente:
    • VALDENIR DE SOUZA
  • Orientador(a):
    • Adir Casaro Nascimento
  • Resumo:

    Esta dissertação está vinculada a Linha de pesquisa Diversidade Cultural e Educação Escolar Indígena, PPGE/UCDB.Tem como objetivo principal, pesquisar as práticas pedagógicas desenvolvidas no processo de formação dos professores indígenas Guarani e Kaiowá, as tensões entre os diferentes atores do processo, os (des)caminhos percorridos pelo curso Normal Médio Intercultural Ará Verá, na reflexão sobre a 7 (des)colonização e o (re) encontro com a identidade cultural indígena hibridizada pelos diversos conhecimentos produzidos nos entre-lugares.Tem como objetivos específicas:a) Descrever o processo histórico, social e cultural na luta pela implantação e implementação do curso Ára Verá, a partir da década de 1990, na ótica indígena Guarani e Kaiowá; b) Perceber como os Nhanderu e Nhandesy (conhecedores/as, sábios/as, mestres/as tradicionais) participaram como norteadores das práticas pedagógicas nas formações do curso Ára Verá; c) Identificar, analisar e compreender as práticas pedagógicas diferenciadas e específicas aplicadas à V Turma do curso Ára Verá, e suas contribuições para educação escolar indígena na relação de diálogos entre conhecimentos indígenas e não indígenas. Os Estudos Culturais, Pós - Coloniais e Pós - Críticos forneceram suporte teórico para historicizar e compreender o processo de luta dos Guarani e Kaiowá no ato de (des)construir e construir o conceito de educação diferenciada e específica, na busca por uma educação de qualidade rompendo com diversas concepções e paradigmas de uma só verdade. O presente estudo está dialogando com intelectuais e pesquisadores indígenas como BENITES (2014), AQUINO (2012) e JOÃO (2011), entre outros estudiosos indígenas que estudam os processos próprios de ensino e aprendizagens Guarani e Kaiowá, a uma nova perspectiva no processo de desconstrução e construção da educação escolar indígena além de estar articulado com (BHABHA, 2013) – e os conceitos de Cultura, Identidade e Diferença, (HALL2003) - e (MEYER, PARAISO2012) - Metodologias de pesquisas pós em educação. Enfatiza os saberes indígenas e não indígenas que perpassam pela formação de professores, agregando valores, costumes, a espiritualidade, a interculturalidade (CANDAU, WALSH E NASCIMENTO2009). As práticas pedagógicas desenvolvidas na formação de professores indígenas da atual Turma do curso Normal Médio Intercultural Indígena Ára Verá (V turma), que se caracteriza de maneira distinta das outras formações, por meio do protagonismo de professores indígenas como formadores em meios a desafios e tensões que de certa forma participaram de todo um atravessamento de luta, resistência, persistência e articulação mediante a educação homogeneizadora colonial e indígena. Todavia concluímos que o ñeē, teko e tekoha, elementos que servem de base para a formação de professores indígenas Guarani e Kaiowá, tem trilhado num terreno complexo e diferente, na tentativa de (re)construir uma nova página para a educação escolar indígena através de práticas pedagógicas do jeito guarani e kaiowá em meio a conflitos, tensões e desafios. As práticas específicas interculturais foram desenvolvidas 1 - A participação dos (as) Sábios e Sábias Tradicionais Indígenas e os professores formadores indígenas Guarani e Kaiowá, 2- Uso da tecnologia e a formação de professores indígenas, 3 - Roças tradicionais indígenas e o cultivo de alimentos, 4 – O professor indígena Guarani e Kaiowá não pode tropeçar.

    PALAVRAS-CHAVE: Formação de professores Guarani e Kaiowá, Interculturalidade e Práticas Pedagógicas- Curso Ara Verá.

  • Data da Defesa: 14/03/2019
  • Download: Clique aqui
+ AS TECNOLOGIAS DIGITAIS NA FORMAÇÃO INICIAL: IMPLICAÇÕES NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS PROFESSORES
  • Discente:
    • SIMONE JAQUELINE FERREIRA DE ALMEIDA
  • Orientador(a):
    • Maria Cristina Lima Paniago
  • Resumo:

    Este estudo integra a linha de pesquisa “Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente”, do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco. Tem como objetivo analisar as implicações das tecnologias digitais nas práticas pedagógicas de professores que tiveram ou não na sua formação inicial a vivência com as tecnologias digitais. Articulando-se ao objetivo geral são apresentados os seguintes objetivos específicos: examinar o perfil dos participantes da pesquisa; compreender as concepções dos professores participantes da pesquisa sobre as tecnologias digitais no contexto educacional; analisar as relações entre a formação inicial e as práticas pedagógicas dos professores participantes da pesquisa e as tecnologias digitais. A abordagem da pesquisa é de cunho qualitativo e foi desenvolvida em dois momentos. No primeiro, foi utilizado como instrumento metodológico um questionário que foi respondido por 42 professores de uma escola particular da cidade de Campo Grande/MS, abrangendo o Ensino Fundamental I, Fundamental II e no Ensino Médio. No segundo momento, o instrumento metodológico aplicado foi a entrevista semiestruturada, para a qual foram selecionados 6 desses professores, sendo 2 de cada uma das etapas da educação básica. Os resultados mostram o reconhecimento dos professores acerca da cultura digital, dos nativos digitais e do quanto isso reverbera no contexto educacional. Entre os entrevistados, apesar de todos alegarem a ausência de uma disciplina específica sobre as tecnologias digitais na formação inicial e, de 5 dos 6 entrevistados, não terem vivenciado as tecnologias integradas as práticas pedagógicas de seus professores na formação inicial, isso não foi impeditivo para que eles as utilizassem em suas práticas.


    Palavras-chave: formação inicial de professores, tecnologias digitais, práticas pedagógicas.

  • Data da Defesa: 28/02/2019
  • Download: Clique aqui
+ OS ACADÊMICOS NEGROS DO CURSO DE PEDAGOGIA E SUAS IDENTIDADES E DIFERENÇAS: um estudo em uma faculdade de Rio Verde/GO
  • Discente:
    • ALEXSANDRO SILVA MATEUS
  • Orientador(a):
    • Carlos Magno Naglis Vieira (Professor permanente até dezembro de 2021)
  • Resumo:

    A dissertação de mestrado está vinculada à Linha de Pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena e ao Grupo de pesquisa Educação Intercultural e Povos Tradicionais no Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco- UCDB. Situada no campo da Educação, a pesquisa busca identificar problemas e conflitos com que se deparam os acadêmicos negros do curso de Pedagogia de uma faculdade de Rio Verde/GO, e como são posicionadas suas identidades e diferenças. Ainda, nessa direção, o trabalho tem como objetivos específicos: a) Descrever as relações entre os acadêmicos negros e os demais colegas do curso de Pedagogia no espaço da faculdade; b) levantar junto aos acadêmicos negros possíveis ações que o curso de Pedagogia proporciona ou não para contribuir com a produção da identidade negra no espaço da faculdade. A pesquisa, de caráter qualitativo, tem como procedimento metodológico a realização de entrevistas com 12 acadêmicos negros do curso de Pedagogia, no ambiente de uma faculdade de Rio Verde/GO, e tem como inspiração teórica autores como Stuart Hall, Nilma Lino Gomes, Homi K. Bhabha, Tomaz Tadeu da Silva e outros, que auxiliaram para a conclusão desta dissertação. Durante o processo de construção teórica e empírica da pesquisa, pude revisitar minhas memórias com uma nova visão de mundo, tendo a oportunidade de escrever/resumir em poucas palavras minha história de vida, possibilitando ao leitor a conhecer minha trajetória, por meio das minhas memórias e lembranças, inquietações e pensamentos sobre minha identidade e a minha existência, que vem sendo marcada em meu percurso por uma sensação de sobrevivência. Por meio da pesquisa de campo e da análise dos dados, junto aos acadêmicos do curso de Pedagogia, pude identificar que o curso de graduação não possui, em seu currículo, uma disciplina que contemple a discussão e a formação da identidade negra; ainda existe a presença de atitudes que evidenciam preconceitos, discriminação, inferiorização, subalternização, tensões e conflitos no espaço da faculdade frente aos acadêmicos negros, além de um silenciamento sobre suas histórias de vida.


    Palavras-Chave: Identidade. Diferença. Curso de Pedagogia. Acadêmicos negros

  • Data da Defesa: 28/02/2019
  • Download: Clique aqui
+ NÚCLEO DE ATIVIDADES DE ALTAS HABILIDADES/SUPERDOTAÇÃO (NAAH/S): POLÍTICA EDUCACIONAL PARA O ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL
  • Discente:
    • GRAZIELA CRISTINA JARA PEGOLO DOS SANTOS
  • Orientador(a):
    • NADIA BIGARELLA
  • Resumo:

    Essa dissertação tem como objeto de investigação o Núcleo de Atividades de Altas Habilidades/Superdotação do estado de Mato Grosso do Sul (NAAH/S - MS), no período de 2006-2018, criado, em âmbito local, pelo Decreto nº 12.169/2006. Esta investigação está vinculada ao Programa de Pós-Graduação, Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco, inserida no Grupo de Pesquisa em Políticas Educacionais e Órgãos de Gestão dos Sistemas de Ensino (GEPESE), e a Linha de Política, Gestão e História da Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco. Foi financiada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Tem como objetivo geral analisar o NAAH/S como órgão impulsionador de políticas públicas para alunos com altas habilidades/superdotação no Estado de Mato Grosso do Sul, no período de 2006 a 2018. Como objetivos específicos, tem-se: discutir os marcos legais que deram base as políticas para alunos com Altas Habilidades/Superdotação (AH/SD), no âmbito da educação especial no Brasil; examinar as políticas educacionais que culminaram na criação do Núcleo de Atividade de Altas Habilidades/Superdotação – NAAH/S no Brasil; analisar o Núcleo de Atividade de Altas Habilidades/Superdotação (NAAH/S) de Mato Grosso do Sul, como uma política de educação para a rede pública do estado, voltadas para os alunos com altas habilidade/superdotação (AH/SD). A pesquisa envolveu coleta, sistematização e análise de documentos produzidos em âmbito federal e estadual, tais como mensagens à Assembleia Legislativa, programas educacionais, documentos produzidos pela Secretaria de Estado de Educação e pelo Ministério da Educação. Os resultados permitiram evidenciar que a política de criação do NAAH/S, no estado de Mato Grosso do Sul, vem, ao logo do tempo, mantendo ações com pouco recursos, pequenas conquistas em relação ao atendimento educacional, o que deixa um significativo contingente de alunos sem seus direitos garantidos conforme prescreve a legislação.


    Palavras-Chave: Políticas Públicas Educacionais. NAAH/S de Mato Grosso do Sul. Educação Especial.

  • Data da Defesa: 26/02/2019
  • Download: Clique aqui
+ GÊNERO, SEXUALIDADE E INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS NA ADOLESCÊNCIA: A PERCEPÇÃO DOS PROFESSORES
  • Discente:
    • MARCO AURÉLIO DE ALMEIDA SOARES
  • Orientador(a):
    • José Licínio Backes
  • Resumo:

    Nos últimos anos o número de casos de Infecções Sexualmente Transmissíveis entre adolescentes tem aumentado. Esse aumento não se deve por razões individuais, mas está ligado à educação e às questões de gênero e sexualidade. Mais especificamente, nessa dissertação, vinculada à Linha de Pesquisa, Diversidade Cultural e Educação Indígena e ao Grupo de Pesquisa Educação e Diferença Cultural, investiga-se esse fenômeno, discorrendo sobre percepção dos professores. A pesquisa baseia-se em autores dos estudos de gênero que veem a identidade de gênero e a sexualidade como construções culturais e históricas, portanto, não biologicamente determinadas. O objetivo geral da pesquisa é: analisar como os professores lidam com as diferentes identidades de gênero e sexualidade de seus alunos que estão em vulnerabilidade social, identificando preocupações relacionadas a prevenção das infecções sexualmente transmissíveis. Os objetivos específicos são: caracterizar as concepções dos professores sobre as diferentes identidades de gênero e sexualidade dos alunos; identificar se os professores têm preocupações para fazer a discussão sobre as doenças sexualmente transmissíveis; identificar possíveis visões estereotipadas e discriminatórias dos professores em relação à identidade de gênero e sexualidade dos alunos; relacionar as concepções de gênero e sexualidade e os processos de discriminação com as infecções sexualmente transmissíveis. A pesquisa foi realizada numa Escola Estadual do município de Campo Grande/MS localizada na região periférica, com oito professoras e com a Coordenadora Pedagógica. Para a produção dos dados foram realizadas entrevistas semiestruturadas, com questões relacionadas aos objetivos da pesquisa. Todas as entrevistas foram realizadas na escola, no horário de planejamento de cada professora, em uma sala escolhida pela Direção, respeitando a privacidade necessária para a realização das mesmas. Também foram realizadas rodas de conversas com os alunos no pátio da escola, com a participação de algumas professoras. As entrevistas foram transcritas na íntegra e os dados mais relevantes foram utilizados e analisados em conforme com as discussões de gênero e sexualidade no campo da educação. Ao analisar os resultados, podemos concluir que a discussão realizada pelos docentes em relação às identidades de gênero ainda é muito incipiente na escola e não raras vezes, visões discriminatórias e estereotipadas circulam na escola. Há ainda muito desconhecimento tanto em relação às questões das identidades de gênero e sexualidade, quanto à legislação, perceptível, sobretudo, quanto ao direito em relação ao uso no nome social e do Decreto Estadual que dá suporte legal para as pessoas trans frequentarem a escola. Esses desconhecimentos e os processos discriminatórios acabam contribuindo para o aumento do número de adolescentes com doenças sexualmente transmissíveis, causando constrangimento e sofrimento para muitos adolescentes, principalmente, quando vivem em situação de vulnerabilidade social.


    PALAVRAS-CHAVE: Identidades de gênero, educação, infecções sexualmente transmissíveis.

  • Data da Defesa: 04/02/2019
  • Download: Clique aqui
+ INÍCIO DA DOCÊNCIA: APRENDENDO A SER PROFESSORA NA EDUCAÇÃO INFANTIL
  • Discente:
    • ANA CARLA DE AMORIM
  • Orientador(a):
    • Marta Regina Brostolin
  • Resumo:

    O presente trabalho está vinculado à linha de pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente, do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Católica Dom Bosco (PPGE-UCDB). A pesquisa tem por objetivo analisar o processo de iniciação na docência da professora de educação infantil. O estudo apresenta como objetivos específicos revisar literatura a respeito do processo de iniciação e inserção na docência da professora de educação infantil; investigar e caracterizar os programas de inserção na docência existentes em nível nacional e internacional e identificar as dificuldades, os desafios e as superações diante das suas experiências enquanto professora iniciante. A pesquisa ancora-se teoricamente em autores como Veenman (1984) e Huberman (2007) sobre a iniciação na docência; Sarmento (2002 e 2015) no constructo da Sociologia da Infância e Garcia (1999) sobre os programas de inserção profissional dentre outros. A pesquisa de cunho qualitativo utiliza como instrumento para a coleta de dados a entrevista semiestruturada com cinco professoras iniciantes de um Centro de Educação Infantil particular da cidade de Campo Grande/MS. Os resultados da pesquisa indicam a necessidade de apoio a professora iniciante desde programas de inserção à docência ao apoio que recebe da gestão, da família e dos seus pares no início da profissão. Destacam a importância do experienciar à docência ainda na formação inicial mesmo diante das dificuldades e dos desafios que possa enfrentar, com vistas as superações que a profissão pode proporcionar.

    Palavras-chave: Professora iniciante; Educação infantil; Programas de inserção profissional; Dificuldades, desafios e superações.

  • Data da Defesa: 11/12/2018
  • Download: Clique aqui
+ O PROCESSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA DAS PROFESSORAS ALFABETIZADORAS E SUAS IMPLICAÇÕES NAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS
  • Discente:
    • TALITA DA ROSA MUELLAS
  • Orientador(a):
    • Ruth Pavan
  • Resumo:

     

    Esta dissertação está vinculada à linha de pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente, do Curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Seu objetivo principal é analisar o processo de formação continuada das professoras de alfabetização de uma escola pública do município de Campo Grande com alto IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica); seus objetivos específicos são: a) identificar as escolas públicas do município de Campo Grande com mais alto IDEB no ano de 2015, nas séries iniciais do Ensino Fundamental; b) identificar o processo histórico de formação de professoras alfabetizadoras, bem como os diferentes métodos de alfabetização predominantes, difundidos no Brasil ao longo da história; c) caracterizar os processos de formação continuada oferecidos às professoras de alfabetização, bem como as formações buscadas por elas de forma individualizada; d) compreender de que forma o processo de formação continuada implica em suas práticas alfabetizadoras. Os autores e autoras citados nesta dissertação discutem sobre a formação continuada e o processo de alfabetização, com destaque para: Mortatti (2006), Freire (1996), Soares (2003) Romanowski (2007), Kramer (2010), Imbernón (2004), Novoa (1992), Candau (1999), entre outros. A abordagem da pesquisa é qualitativa e os dados foram coletados por meio de questionários realizados com professoras alfabetizadoras. Os resultados indicam fragilidades na formação continuada desse grupo de profissionais. Percebemos que as formações continuadas, segundo essas docentes, precisam contribuir de forma mais específica para o processo de alfabetização, principalmente, quando se ocupa das solicitações delas próprias. 

    PALAVRAS-CHAVE: 1. Formação continuada 2. Alfabetização 3. Práticas pedagógicas.

  • Data da Defesa: 29/11/2018
  • Download: Clique aqui
+ O PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO DO SUL (PEE/MS – 2014-2024): META 4: EDUCAÇÃO ESPECIAL
  • Discente:
    • JANINE AZEVEDO BARTHIMANN CARVALHO
  • Orientador(a):
    • NADIA BIGARELLA
  • Resumo:

    A presente pesquisa investiga a Meta 4 - Educação Especial, do Plano Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul (2014-2024), aprovada como política pública do Estado de Mato Grosso do Sul, pela Lei Nº 4.621, de 22 de dezembro de 2014. A pesquisa vincula-se à Linha de Pesquisa Políticas, Gestão e História da Educação e ao Grupo de Pesquisa em Políticas Educacionais e Órgãos de Gestão dos Sistemas de Ensino (GEPESE), do Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco. Com base em uma investigação sistematizada por meio de documentos no âmbito federal e estadual, tais como a Constituição Federal de 1988, Planos Nacional e Estadual de Educação, leis, decretos, portarias, resoluções, atas e relatórios de avaliações/monitoramento do Fórum Estadual de Educação e mensagens à Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, elencou-se como objetivo geral, analisar ações do estado de Mato Grosso do Sul quecontribuíram para a materialização da Meta 4 – educação especial e suas estratégias. E, como objetivos específicos: a) averiguar marcos legais das políticas para a educação especial, após a Constituição de 1988; b) discutir a trajetória do Plano Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul (PEE/MS - 2014-2024) e, c) analisar as ações políticas do estado afim de atender as estratégias da Meta 4 do PEE/MS – (2014-2024). Os resultados permitiram constatar que a Meta 4 no estado de Mato Grosso do Sul no período de 2015 a 2017 teve o desenvolvimento das políticas para a educação especial nas instituições especializadas, conforme o documento da Mensagem à Assembleia Legislativa de 2018, mas o documento não afirma que a criação dessas políticas sejam o cumprimento do PEE/MS (2014-2024). Dessa forma, é evidente a necessidade do compromisso não apenas com a educação, mas com especificidades da educação especial para o alcance da universalização do público-alvo da educação especial, sendo necessários investimentos para ampliação e desenvolvimento das ações para o êxito da meta 4.

    Palavras-Chave: Educação Especial; Plano Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul;
    Políticas Públicas em Educação.

  • Data da Defesa: 28/06/2018
  • Download: Clique aqui
+ AS REPRESENTAÇÕES DE ESTUDANTES INDIGENAS DOS 6° E 7° ANOS DE UMA ESCOLA DO MUNICÍPIO DE IRANDUBA NO ESTADO DO AMAZONAS SOBRE AS POPULAÇÕES INDÍGENAS
  • Discente:
    • JUCILENE MIRANDA DA SILVA
  • Orientador(a):
    • Carlos Magno Naglis Vieira (Professor permanente até dezembro de 2021)
  • Resumo:

    A presente pesquisa foi desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco/UCDB, e vinculada à Linha de Pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena e ao Grupo de Pesquisa Educação e Interculturalidade/CNPq. A pesquisa tem como objetivo geral descrever as representações de estudantes indígenas dos 6º. e 7º. Ano, de uma escola do município de Iranduba, estado do Amazonas, sobre as populações indígenas e como objetivos específicos: a) Compreender como as representações foram produzidas nos discursos dos estudantes indígenas; b) Identificar os elementos que contribuem na produção da identidade dos estudantes indígenas da escola pesquisada. Localizada no estado com o maior contingente indígena no Brasil, a escola pesquisada situa-se a 27 km da capital Manaus sendo separada por uma ponte. A opção pelos estudantes indígenas se deu pela sua presença significativa no ambiente pesquisado bem como para registrar como se percebem nessas representações enquanto sujeitos. Esta pesquisa traz reflexões sobre o Pós-colonialismo e os termos de Identidade, Diferença, Povos indígenas, Estereótipos, Etnocentrismo. Para embasar essas reflexões respaldo-me nas teorias de Bhabha (2013), Hall (2006), Bauman (2005), Nascimento (2003, 2014) e Backes (2005), autores que me auxiliam na compreensão das identidades e diferenças como algo em produção e ressignificação. O diálogo com a cultura indígena, contexto da pesquisa, em uma perspectiva intercultural, teve as contribuições de Conceição (2009) e Amazonense (2013). As considerações teóricas desses e outros autores, juntamente com o processo de produção dos estudantes indígenas, alicerçaram esta pesquisa, indicando, dessa forma, novas possibilidades e negociações com o uso de ferramentas necessárias e diferenciadas dentro do contexto escolar pautadas no respeito e na inclusão, propiciados, por sua vez, pelo diálogo intercultural.

    PALAVRAS-CHAVE: Representação. Povos indígenas. Identidade. Diferença. Estereótipos

  • Data da Defesa: 28/06/2018
  • Download: Clique aqui
+ SATISFAÇÕES E INSATISFAÇÕES DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA QUE UTILIZAM AS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO
  • Discente:
    • MARIA HELENA AMORIM
  • Orientador(a):
    • Flavinês Rebolo
  • Resumo:

    Este trabalho integra a linha de pesquisa “Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente”, do Programa de Pós-graduação em Educação – Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco. Teve, como objetivo geral, analisar os fatores de satisfação/insatisfação de professores de matemática referente ao uso das tecnologias de informação e comunicação em suas práticas pedagógicas, seguido dos seguintes objetivos específicos: identificar aspectos facilitadores e/ou dificultadores, no uso das TIC, na concepção dos professores; identificar e descrever as práticas dos professores que utilizam as TIC no ensino de matemática; identificar, na formação inicial e continuada, o uso das TIC nas práticas pedagógicas. O aporte teórico constou dos estudos de Imbernón, Nóvoa, Jesus, Picado, Esteve, Rebolo, Tardif e Lessard, Lévy, Coan et al., Ferreira, Garcia, Kalinke, Moran, Mercado entre outros. A abordagem utilizada foi a qualitativa e o instrumento para coleta de dados foi a entrevista semiestruturada. As análises foram realizadas seguindo o modelo da entrevista narrativa de Schütze (1983), mediante interpretação das falas, nas entrevistas, dos professores participantes e das respectivas respostas ao questionário socioprofissional aplicado a esses sujeitos. Vale ressaltar que dez professores da disciplina de Matemática de uma escola estadual de Várzea Grande, estado de Mato Grosso, responderam ao questionário, e seis concederam entrevistas. Os resultados mostram que os professores de Matemática participantes utilizam as TIC em suas aulas, desenvolvem atividades nas quais exploram esses recursos, sentem-se satisfeitos com essa utilização, ainda que tenham apontado algumas limitações em relação a esse uso, como carência de material, infraestrutura e condições favoráveis ao funcionamento de laboratórios e equipamentos das escolas em que atuam.

    Palavras-Chave: Professores de Matemática; Tecnologia da Informação e Comunicação;
    Bem-Estar docente; Mal-Estar docente.

  • Data da Defesa: 25/05/2018
  • Download: Clique aqui
+ A CRIANÇA GUARANI ÑANDEVA NA TEKOHA PORTO LINDO/JAPORÃ-MS
  • Discente:
    • ELIEZER MARTINS RODRIGUES
  • Orientador(a):
    • Carlos Magno Naglis Vieira
  • Resumo:

    Esta dissertação de mestrado está vinculada à Linha de Pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena e ao Grupo de Pesquisa Educação e Interculturalidade, do Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco/UCDB. A pesquisa tem como objetivo geral: Identificar o processo de aprendizagem das crianças Guarani do tekoha Porto Lindo, município de Japorã/MS, antes da escolarização, e como objetivos específicos: a). Verificar quais os ensinamentos que as crianças Guarani do tekoha Porto Lindo aprendem antes da escolarização e trazem consigo para a escola, b). Observar e apresentar as brincadeiras das crianças Guarani do tekoha Porto Lindo, município de Japorã/MS antes da escolarização. O estudo busca uma perspectiva acadêmica voltada para a ‘criança indígena’ do Povo Guarani. Para realizar a pesquisa de mestrado, em andamento, partimos do pressuposto de que para se pensar na educação escolar indígena diferenciada é preciso conhecer como os povos indígenas concebem a infância e desenvolvem os processos próprios de ensino e aprendizagem na família. Para realização deste trabalho é necessário fazermos um estudo de etnográfico (observação, conversas e experiências enquanto professor) de nos mesmos, refletindo a forma que educamos e cuidamos das nossas crianças no contexto familiar e da comunidade. A realização deste estudo será importante para organização do projeto político pedagógico (PPP) de educação infantil para escola indígena da Tekoha Porto Lindo. Com isso poderemos evitar equívocos na educação escolar das nossas crianças. 

    Palavras - chave: Criança indígena; Povo GuaraniNhandeva; Tekoha Porto Lindo.

  • Data da Defesa: 23/03/2018
  • Download: Clique aqui
+ CRIANÇAS INDÍGENAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL: PERCEPÇÕES E OLHARES OUTROS DE UMA EDUCADORA
  • Discente:
    • LUCIA GUEDES DE MELO SALMAZIO
  • Orientador(a):
    • Carlos Magno Naglis Vieira
  • Resumo:

    O presente trabalho de Mestrado está vinculado à Linha de Pesquisa III – Diversidade Cultural e Educação Indígena, do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Católica Dom Bosco (PPGE-UCDB). Tem por objetivo geral perceber enquanto profissional da Educação Infantil o movimento e as interações que as crianças indígenas realizam no espaço do Centro de Educação Infantil Nilda de Almeida Coelho. Os objetivos específicos consistem em: a) Observar as crianças indígenas e as relações estabelecidas com os demais atores do Centro de Educação Infantil; e b) Descrever como se configuram os processos de participação nas relações estabelecidas entre as crianças indígenas e não indígenas. O intuito da pesquisa é suscitar reflexões, discussões, procurar respostas ou, melhor ainda, elaborar mais perguntas, questionamentos e novas reflexões, ou seja, não haverá início e nem fim das dúvidas, incertezas, evidenciando que novos olhares serão sempre necessários. Para tanto, construiu-se uma reflexão teórica inscrita na interculturalidade e na formação para a diversidade cultural. A abordagem adotada é a qualitativa e, no que se refere aos procedimentos, foram utilizados a revisão bibliográfica, a análise documental, fotografias, filmagens, diário de campo e a observação participante. As reflexões teóricas estão embasadas em autores como Hall (2015) e Silva (1988, 2002). Para entender a criança indígena em seus diferentes espaços, há diálogo com os estudos de Woodward (2000), Vieira (2015) e Nascimento, Urquiza e Vieira (2011), Ariès (2006), Sarmento (2007), Meyer e Paraíso (2014), Corsaro (2009, 2017) e Bergamaschi (2008, 2010, 2016), entre outros considerados relevantes para a pesquisa. O local da pesquisa é o Centro de Educação Infantil Nilda de Almeida Coelho, da Rede Municipal de Ensino de Campo Grande/MS, e os protagonistas da pesquisa são duas crianças indígenas da turma do Creche IA (2016), que estão no Creche IIB em 2017, e duas crianças indígenas que estavam no Creche IIA em 2016, e que estão no Pré I C em 2017. Os resultados indicam que as crianças indígenas possuem uma maneira de olhar o mundo a partir dos locais que circulam. Desta forma, vão se constituindo nas ações interativas, nas relações estabelecidas e, consequentemente, no compartilhamento de situações significativas vividas no espaço institucional. Fica evidenciado por meio da pesquisa que as crianças indígenas conseguem produzir e ressignificar seus conhecimentos, que atuam como protagonistas na produção de uma cultura hibridizada e que as manifestações individuais e coletivas contribuem para a construção da identidade infantil.

    PALAVRAS-CHAVE: Criança indígena; Campo Grande; Centro de Educação Infantil; Identidade e diferença.

  • Data da Defesa: 07/03/2018
  • Download: Clique aqui
+ A MATEMÁTICA DA CULTURA GUARANI/KAIOWA E O PROCESSO DE ENSINO/APRENDIZAGEM: DIÁLOGOS DE SABERES
  • Discente:
    • KATIANA BARBOSA DE CARVALHO
  • Orientador(a):
    • Adir Casaro Nascimento
  • Resumo:

    Este trabalho de dissertação vincula-se à Linha de Pesquisa III - Diversidade Cultural e Educação Indígena – PPGE/UCDB, Grupo de Pesquisa Educação e Intercultural idade, faz parte do Projeto de Pesquisa-Núcleo Local (Submetido ao Edital 049/2015/CAPES/INEP – Observatório de Educação Escolar Indígena) FORMAÇÃO DE PROFESSORES INDÍGENAS GUARANI E KAIOWÁ EM MATO GROSSO DO SUL: relações entre territorialidade, processos próprios de aprendizagem e educação escolar indígena. A pesquisa tem como objetivo registrar os saberes da Matemática da cultura Guarani/Kaiowá e as concepções dos professores formados em Matemática da aldeia Te’yikue. Os objetivos específicos da pesquisa são: a) identificar, a partir da cosmologia Guarani/Kaiowá, os usos e recursos da Matemática indígena e seus processos próprios de aprendizagem; b) evidenciar os processos próprios de aprendizagem da matemática no espaço escolar. A pesquisa é de caráter qualitativo, que passaram por um direcionamento sem sair do foco, foram essenciais para registrar a pesquisa, através de conversa e relatos, observações, convivência com a própria comunidade e entrevista. Além de ter contribuído significativamente na produção e escrita da dissertação. Os resultados deste trabalho apontam que os processos de ensino e aprendizagem circulam nos espaços escolares, utilizando os recursos da matemática indígena. E que não há uma dicotomia nos saberes indígenas.

    Palavras-chave: Saberes Guarani/Kaiowá; Matemática; Ensino e aprendizagem

  • Data da Defesa: 28/02/2018
  • Download: Clique aqui
+ A EDUCAÇÃO FÍSICA E A INTERDISCIPLINARIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
  • Discente:
    • CLAUDIA DINIZ DE MORAES
  • Orientador(a):
    • Marta Regina Brostolin
  • Resumo:

    Esta pesquisa de Mestrado está inserida na Linha de Pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente, do Programa de Mestrado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco. Tem como principal objetivo identificar se ocorre a prática pedagógica interdisciplinar entre os professores de Educação Física e pedagogos que atuam nos Centros de Educação Infantil (CEINFs), administrados pela Secretaria Municipal de Educação (SEMED) da cidade de Campo Grande/MS. Buscou-se, como objetivos específicos: a) compreender e identificar a concepção de criança-infância na perspectiva dos estudiosos da educação e no contexto atual com base na Sociologia da Infância; b) caracterizar quem são os professores que atuam nos Centros de Educação Infantil; c) identificar quais são as orientações relacionadas às práticas interdisciplinares e acompanhamentos realizados pela Secretaria de Educação aos professores de Educação Física. Esta pesquisa foi desenvolvida em dois momentos. No primeiro, utilizou-se como instrumento metodológico um questionário-convite, que foi entregue a 111 professores que atuam nos 100 CEINFs, com devolutiva de 106 deles, e que tinha como objetivo caracterizar quem são os profissionais de Educação Física que atuam nos CEINFS. Na segunda etapa, o instrumento metodológico aplicado foi a técnica do grupo focal, no qual participaram 10 professores que representaram 17 CEINFs, tendo em vista que alguns atuam em mais de uma instituição. Nessa etapa também foi aplicada uma entrevista semiestruturada com duas técnicas da Secretaria de Educação. A partir da análise dos dados da pesquisa, foram elencadas duas categorias gerais: a) elaboração do planejamento; e b) práticas pedagógicas interdisciplinares. Essas categorias apontaram que, embora haja tentativas de práticas interdisciplinares, existem dificuldades e desafios a serem superados pela SEMED e professores, como a revisão de horários de planejamento. A pesquisa também desencadeou reflexões a respeito da importância do diálogo entre professores, direção e Secretaria de Educação.

    Palavras-chaves: Educação Física. Educação Infantil. Interdisciplinaridade.

  • Data da Defesa: 28/02/2018
  • Download: Clique aqui
+ AS IMPLICAÇÕES POSSÍVEIS DO USO DO WHATSAPP ÀS PRÁTICAS EDUCATIVAS DE FILOSOFIA
  • Discente:
    • WILLIAN VERON GARCIA
  • Orientador(a):
    • Maria Cristina Lima Paniago
  • Resumo:

    O contexto da cibercultura desafia os educadores a pensar a partir de uma nova configuração de tempo e de espaço, de comunicação, de técnicas e de atitudes, em práticas educativas capazes de dialogar com tal contexto, rompendo com a concepção moderna e cartesiana de ensino e aprendizagem, em que os processos eram centralizados na figura do emissor, tinham local e horário definidos e ocorriam de maneira ordenada. No intuito de dialogar e ir ao encontro do contexto da cibercultura, esta dissertação de mestrado, que faz parte da linha II do Programa de Pós-Graduação em Educação-UCDB: Práticas pedagógicas e suas relações com a formação docente, apresenta como objetivo geral: analisar as implicações do aplicativo de comunicação instantânea WhatsApp nas práticas educativas de Filosofia e como objetivos específicos: analisar os documentos (Projeto Político Pedagógico, referencial curricular e os planos de aula) no intuito de compreender como se dão as relações entre as tecnologias e as práticas educativas; delimitar o contexto sociocultural dos participantes da pesquisa e estabelecer as relações entre os diálogos e interações no WhatsApp com algumas características da cibercultura. Utiliza-se, como metodologia, a pesquisa qualitativa netnográfica, tendo como instrumentos de coleta de dados: questionários on-line, dados produzidos no grupo de WhatsApp e documentos, como o Projeto Político Pedagógico (PPP), os referenciais curriculares e os planos de aulas. Esta pesquisa foi desenvolvida entre os meses de setembro e dezembro de 2016, com jovens que tinham entre 16 e 24 anos, cursavam o terceiro ano do ensino médio de uma escola pública de Campo Grande e que estavam inseridos no contexto da cibercultura. Eram ávidos usuários da internet por meio de seus Smartphones, de diversas redes sociais e aplicativos de comunicação instantânea. Ao final desta pesquisa, compreendeu-se o quanto o uso do WhatsApp implicou nas práticas educativas, modificando conteúdos, roteiros e planos de aula, na tentativa de maior diálogo com esse contexto e suas caraterísticas. Embora na análise dos documentos, muitas questões tenham ido ao encontro das práticas educativas e da cibercultura, também se evidencia algumas contradições como a preocupação excessiva do PPP por uma profissionalização dos indivíduos. Finalmente, considera-se que pensar a partir da perspectiva das práticas educativas é sobretudo considerar o contexto do qual estamos inseridos, implicando portanto em dialogar com suas características e artefatos, como a colaboração, a interatividade, a ubiquidade e os dispositivos móveis na construção de novos saberes, práticas capazes de romper com a lógica moderna e cartesiana de educação verticalizada para pensar a partir do outro, a fim de formar cidadãos críticos e reflexivos, capazes de promover as mudanças necessárias e a efetivação de sua cidadania.

    Palavras-chave: Práticas educativas; WhatsApp; Filosofia.

  • Data da Defesa: 26/02/2018
  • Download: Clique aqui
+ O CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA INTEGRADO AO ENSINO MÉDIO EM UMA ESCOLA DA REDE ESTADUAL DE ENSINO DE MATO GROSSO DO SUL, NO MUNICÍPIO DE IGUATEMI – MS (2009-2015)
  • Discente:
    • ELIZABETE PANIAGUA BENITES
  • Orientador(a):
    • Celeida Maria Costa de Souza e Silva
  • Resumo:

    Esta pesquisa descreve a análise referente à educação profissional técnica, mais precisamente ao Curso Técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio. Vincula-se à Linha de Pesquisa Política, Gestão e História da Educação, do Programa de Pós-Graduação-Mestrado e Doutorado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e se desenvolve no âmbito do Grupo de Estudos e pesquisas Políticas de Formação e Trabalho Docente na Educação Básica (GEFORT). A questão direcionadora da investigação é a seguinte: como ocorreu o processo de desenvolvimento do curso Técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio em uma escola da Rede Estadual de Ensino (REE), localizada em Iguatemi-MS, no período de 2009 a 2015? Tem-se como objetivo geral analisar o desenvolvimento do curso Técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio; como objetivos específicos determinou-se: a) Examinar a Educação Profissional Técnica e o Ensino Médio Integrado no contexto da educação brasileira; b) Examinar a Educação Profissional Técnica e o Ensino Médio Integrado na REE de Mato Grosso do Sul; c) Analisar o processo de efetivação do curso Técnico de Informática Integrado ao Ensino Médio em uma escola da REE no município de Iguatemi-MS. O recorte temporal justifica-se pelo fato de o ano de 2009 marcar o início do curso, aprovado pela Resolução/SED nº 2.210, de 16 de dezembro de 2008, que credencia a unidade escolar, aprova o projeto e autoriza o funcionamento do curso que era de quatro anos de operacionalização; o ano de 2015 marca o encerramento do segundo projeto do curso autorizado entre a SED e a escola ofertante. Elegeu-se, como procedimentos metodológicos, a pesquisa bibliográfica, documental e a realização de entrevista semiestruturada. Para a pesquisa bibliográfica selecionaram-se autores como Frigotto, Ciavatta, Ramos, Kuenzer e Grabowski. Para a pesquisa documental serviram os Decretos Federais nº 2.208/1997 e nº 5.154/2004, além dos documentos norteadores do Ensino Médio Integrado. As entrevistas semiestruturadas foram realizadas com o responsável pelo Ensino Médio Integrado da SED, o gestor e o coordenador do curso, a fim de se analisar, junto à Secretaria de Estado de Educação, os mecanismos de execução do curso. Os resultados indicam que o Ensino Médio Integrado não supera a dualidade do ensino, ainda que seja essa a pretensão; contudo, evidencia-se que não existem ações suficientes e necessárias para que isso aconteça.

    Palavras-chave: Educação Profissional; Ensino Médio Integrado; Políticas Educacionais; Rede Estadual de Ensino; Mato Grosso do Sul.

  • Data da Defesa: 21/02/2018
  • Download: Clique aqui
+ PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO DO SUL (2014-2024): DIREITO À EDUCAÇÃO EXPRESSO NA META 2 E NA ESTRATÉGIA 2.4
  • Discente:
    • ALESSANDRO GOMES LEWANDOWSKI
  • Orientador(a):
    • NADIA BIGARELLA
  • Resumo:

    O objeto de investigação desta dissertação é o Direito à Educação na Meta 2 e na estratégia 2.4, do Plano Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul (2014-2024), aprovado pela Lei n.4.621, de 22 de dezembro de 2014, em atendimento à Lei n. 13.005, de 25 de junho de 2014,que aprovou o Plano Nacional de Educação (2014-2024). A pesquisa está vinculada à Linhade Política, Gestão e História da Educação, Grupo de Pesquisa em Políticas Educacionais e Órgãos de Gestão dos Sistemas de Ensino, do Programa de Pós-Graduação em Educação -Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco, também no projeto Plano Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul (2014-2024): elaboração, monitoramento e avaliação, coordenados pela Profª. Drª. Nádia Bigarella. Elegeu-se como objetivo geral analisar o Direito à Educação na Meta 2 e na estratégia 2.4, do Plano Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul (2014-2024). E como objetivos específicos: a) contextualizar o direito à educação, inserido no Estado Republicano; b) verificar o direito à educação nos Planos Nacionais de Educação, após a década de 1990; e c) examinar a Meta 2 e a estratégia 2.4 do PEE/MS (2014-2024). A pesquisa documental foi realizada a partir de textos oficiais enviados à Assembleia Legislativa, Planos Nacionais e Estaduais de Educação (MS), Diário Oficial, Decretos, Resoluções, Leis, Constituições do Brasil, projetos, programas, monitoramento de fórum, relatórios de governos: Pedro Pedrossian (1991-1994), Wilson Barbosa Martins (1995-1998) e José Orcírio Miranda dos Santos (1999-2006), André Puccinelli (2007-2014) e Reinaldo Azambuja Silva (2015-2018). Os eixos de análises selecionados foram: o direito à educação, o qual nos indica que em sendo um direito social, garantido constitucionalmente, consiste em um direito de todos e um dever estatal com as políticas para a sua universalização, a não-ação e/ou o descumprimento leva ao não-direito; a democracia, assim, está voltada para a participação popular nos processos decisórios das políticas públicas, visando à valorização da soberania popular, é uma pilastra da cidadania; e a universalidade, relaciona-se com o Estado Democrático de Direito, com a ideia de "Cidadania Ampliada"(CURY, 2008) com uma democracia educacional, econômica, social, educacional, política e cultural. Conclui-se que as ações do estado de Mato Grosso do Sul foram no sentido de reconhecer o direito à educação ao garantir o acesso do estudante ao ensino fundamental, cumprindo a primeira parte da Meta 2, mas ao deixar de elaborar políticas em conjunto com a sociedade civil compromete a realização da segunda parte da Meta 2, ou seja, garantir que pelo menos 95% (noventa e cinco por cento) dos alunos concluam essa etapa na idade recomendada até 2024.

    PALAVRAS-CHAVE: Universalização do acesso à Educação, Políticas Públicas em Educação, Plano Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul.

  • Data da Defesa: 20/02/2018
  • Download: Clique aqui
+ A IMPLEMENTAÇÃO DA LEI Nº 11.645/08 NO ENSINO FUNDAMENTAL
  • Discente:
    • DANIELE GONÇALVES COLMAN
  • Orientador(a):
    • Ruth Pavan
  • Resumo:

    Esta dissertação vincula-se à Linha de Pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente do Curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Tem como objetivo geral analisar a compreensão dos professores e professoras sobre a implementação da lei n° 11.645/08 no currículo escolar e como objetivos específicos: a) caracterizar o processo histórico de elaboração da lei n° 11.645/08; b) analisar como os/as professores/as percebem as relações étnico-raciais presentes na sociedade e os desafios para a formação docente; c)articular a compreensão dos/as professores/as sobre a lei n° 11.645/08 com as implicações para o currículo escolar e a aprendizagem. A abordagem teórica baseia-se em autoras e autores que refletem sobre a citada legislação bem como sobre aqueles e aquelas que discutem o currículo escolar com base numa perspectiva inter/multicultural, tais como: Candau (2010), Walsh (2009), Canen (2002), Gomes (2004), Moreira (2001), entre outros. A abordagem da pesquisa é qualitativa e os dados foram coletados por meio de entrevista semiestruturada com os/as professores/as. Os resultados apontam fragilidades no processo formativo docente, tanto na formação inicial como na formação continuada para a implementação da lei nº 11.645/2008. A pesquisa mostra a necessidade de pensar um currículo inter/multicultural que rompa com a lógica do currículo monocultural que inviabiliza os/as professores/as a pensar as diferenças étnico-raciais e culturais como uma vantagem pedagógica. O currículo monocultural inviabiliza ainda enxergar o quanto a exclusão e o não reconhecimento das diferenças interferem no processo ensino/aprendizagem dos/as alunos  alunas. A análise explicita que o caminho da implementação da lei n° 11.645/08 ainda está em fase inicial. Enfatiza que a educação para as relações étnico-raciais e culturais é imprescindível para romper com o acismo ainda vigente na sociedade brasileira e, sobretudo, para a construção de uma sociedade com relações radicalmente democráticas.

    PALAVRAS-CHAVE: Lei nº 11.645/2008; Diferença étnico-racial; Formação de professores/as; Currículo.

  • Data da Defesa: 02/02/2018
  • Download: Clique aqui
+ OS POVOS INDÍGENAS NA SALA DE AULA: UM ESTUDO A PARTIR DE REPRESENTAÇÕES DE ESTUDANTES DO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE UMA ESCOLA DE CAMPO GRANDE /MS
  • Discente:
    • ERIKA KARLA BARROS DA COSTA DA SILVA
  • Orientador(a):
    • Carlos Magno Naglis Vieira (Professor permanente até dezembro de 2021)
  • Resumo:

    Esta dissertação de mestrado está vinculada à Linha de Pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena e ao Grupo de Pesquisa Educação e Interculturalidade/CNPq, do Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco/UCDB. A pesquisa tem como objetivo geral descrever as representações produzidas por estudantes do 1º ano do Ensino Fundamental de uma escola de Campo Grande/MS sobre os povos indígenas. Objetivos específicos:a) Identificar os instrumentospedagógicos utilizados pelos docentes do 1°Ano do Ensino Fundamental para a construção da imagem dos povos indígenas;b) Verificar como os estudantes do 1°Ano do Ensino Fundamental manifestam suas representações a partir dos instrumentos pedagógicos utilizados pelos docentes. Por tratar-se de uma esquisa de caráter qualitativo, o trabalho de investigação tem como procedimento metodológico a revisão de literatura sobre o assunto, a realização de diálogos em rodas de conversas com os estudantes e a elaboração de desenhos e frases sobre o tema em questão. Situo a pesquisa na perspectiva dos Estudos Culturais e pós-coloniais, adquirindo relevância a discussão de conceitos como identidade e diferença, preconceito, estereótipo e colonialidade que foram embasados teoricamente a partir de Vieira (2008, 2015), Rosa (2012), Bonin (2007, 2010, 2015), Bergamaschi (2012), Hall (2014), Bhabha (1998), Walsh (2010), Castro-Gomez (2005), Quijano (2013), entre outros considerados relevantes para a pesquisa. As observações realizadas me ermitiram constatar que a visão dos estudantes sobre os povos indígenas ainda é estereotipada e repleta de preconceitos; fato reforçado pelo livro didático que apresenta o indígena somente nas datas próximas as comemorações do Dia do Índio e como algo distante da realidade e pautada na
    visão do colonizador.

    Palavras-chave: Povos indígenas, representações escolares, estereótipo e preconceito, identidade e diferença.

  • Data da Defesa: 04/09/2017
  • Download: Clique aqui
+ O EXAME NACIONAL PARA CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS DE JOVENS E ADULTOS: IMPLEMENTAÇÃO NO MUNICÍPIO DE CAMPO GRANDE/MS (2010–2015)
  • Discente:
    • MARCILENE FERREIRA RODRIGUES
  • Orientador(a):
    • Valdivina Alves Ferreira (permanente até dezembro de 2016 e colaboradora até junho de 2017)
  • Resumo:

    A pesquisa vincula-se a Linha de Política, Gestão e História da Educação, ao Grupo de Pesquisas Políticas de Formação e Trabalho Docente na Educação Básica (GEFORT) e ao Projeto de Pesquisa, Políticas Públicas de educação Profissional e Tecnológica de Nível médio em Mato Grosso do Sul, na Rede Federal de Educação Profissional em Campo Grande (2008-2014). O objeto de estudo é o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja). O Encceja foi instituído pela portaria 2.270/2002, visando à certificação para pessoas acima de 15 anos, em nível de ensino fundamental, após essa edição piloto o exame foi suspenso, ficando dois anos sem ser aplicado, passando por uma revisão dos processos de avaliação desenvolvidos pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – INEP, instituindo a portaria ministerial nº 3.415 de 21 de outubro de 2004, a qual estabelece critérios para a realização em âmbito nacional e no exterior, e o exame volta a ser aplicado. A pesquisa tem como objetivo geral: Analisar o processo de implementação do Exame Nacional de Certificação de Competências de Jovens e Adultos em Campo Grande (MS), no período de 2010 a 2015. Este período justifica-se, ao considerar 2010, ano em que a aplicação do exame, passa a ser por editais próprios, de acordo com aplicação da avaliação seja Nacional, Estadual, Prisional; em 2010 sua adesão fica disponível somente às Secretarias Estaduais de Educação, e é instituída nesse ano as Diretrizes Operacionais para EJA, (Res. CNE/CEB nº 3/2010), que direciona para a certificação dos exames da EJA. A data final 2015, por ter sido o último ano com resultados da aplicação do exame no Estado. Os objetivos específicos são: Contextualizar a Educação de Jovens e Adultos a partir da Constituição Federal 1988; Examinar como o Encceja, tem se configurado enquanto avaliação certificatória de competências e Analisar o processo de implementação do Encceja, em Campo Grande (MS), de 2010-2015. Na metodologia adotamos a pesquisa documental, realizando análise de documentos oficiais, pertinentes às políticas educacionais, e da pesquisa bibliográfica em livros, teses, dissertações, artigos científicos relacionados à temática proposta. Por último realizou-se entrevista, utilizando-se de um roteiro de questões previamente estruturado, aplicado a dois gestores da Secretaria de Estado de Educação (MS), que desempenham funções ligadas ao Exame e a EJA. Os resultados indicam que a certificação conferida pelo Encceja, assume a estratégia de responder os acordos firmados internacionalmente quanto a EJA e adere conceitos empresariais de competências voltados à classificação, seleção e resultados. Nesse sentido, os dados reforçam que o Encceja não conseguiu no período pesquisado alcançar os objetivos propostos e que deveria ser repensado enquanto uma alternativa complementar a escolarização com maior publicização de seus índices e indicadores.

    Palavras-chave: Exame Nacional de Certificação de Competência de Jovens e Adultos; Educação de Jovens e Adultos; Competência; Certificação.

  • Data da Defesa: 26/06/2017
  • Download: Clique aqui
+ FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM NÍVEL MÉDIO NA MODALIDADE NORMAL NA REDE ESTADUAL DE ENSINO DE MATO GROSSO DO SUL (2003-2008)
  • Discente:
    • NOELIA MARIA MATOS DE MORAIS CORREA
  • Orientador(a):
    • Celeida Maria Costa de Souza e Silva
  • Resumo:

    Esta dissertação teve como objeto de investigação a Formação de professores em nível médio na modalidade Normal na Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul (2003–2008). A pesquisa vincula-se à Linha de Políticas, Gestão e História da Educação, do Programa de Pós - Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e ao Grupo de Estudos e Pesquisas Políticas de Formação e Trabalho Docente na Educação Básica (GEFORT). O objetivo geral foi analisar a formação de professores em nível médio na modalidade Normal, sua gênese e o seu desenvolvimento na Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul. Os objetivos específicos foram: contextualizar as Escolas Normais no âmbito brasileiro e o Curso Normal Médio após a LDB nº 9.394/1996; examinar a implantação da política do Curso Normal Médio na Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul; e analisar a implantação do Curso em uma escola estadual no município de Campo Grande/ MS. Justifica-se a escolha do recorte temporal da pesquisa considerando que o ano de 2003 corresponde ao ano da implantação do Curso Normal Médio para o Sistema Estadual de Ensino/MS; já o ano de 2008 corresponde ao início do oferecimento do Curso em escolas estaduais de MS, sendo as três primeiras localizadas na capital do estado - município de Campo Grande. Como procedimentos metodológicos, optou-se pela pesquisa bibliográfica e documental. Na pesquisa documental foram utilizadas como fontes principais: a Constituição Federal de 1988; LDB nº 9.394/1996; o Parecer/CNE nº 01/1999; a Resolução CEB/CNE nº 02/1999; a Deliberação CEE/MS nº 7110/2003; o Parecer CEE/MS nº 444/ 1999 e a Indicação CPLN/CEE/MS nº 40/2003, além de programas e projetos sobre o Curso Normal Médio. O quadro teórico baseou-se em estudos de Saviani (2009), Cury (2009), Brzenzinsk (2008), Shiroma; Campos e Garcia (2005), Rodriguez et al. (2008), Nunes (2002) e Pimenta (2012), dentre outros. Com auxílio desses autores e com os procedimentos metodológicos adotados, a pesquisa propiciou um conhecimento mais aprofundado a respeito da implantação e do desenvolvimento da política do Curso Normal Médio no Brasil e no Estado de Mato Grosso do Sul. Constataram-se contradições, instabilidades, odificações curriculares e indefinições das políticas de formação docente, em nível médio, na modalidade Normal. Os dados também mostraram o crescimento de matrículas na Educação Profissional técnica de nível médio na Região Centro-Oeste, incluindo o Mato Grosso do Sul, tanto no setor público como no privado. Considerando que os Estados são responsáveis pela oferta do Ensino Médio, as escolas da Rede Estadual de MS, no período analisado, ofereceram o Curso Normal Médio Concomitante e Subsequente em prol das políticas de governo (que priorizam o setor econômico) e não de Estado (que priorizam o entrelaçamento ente o setor econômico e social), evidenciando-se a valorização de uma política voltada para mercado de trabalho.

    Palavras-chave: Curso Normal Médio. Formação Docente. Mato Grosso do Sul

  • Data da Defesa: 26/05/2017
  • Download: Clique aqui
+ FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM EDUCAÇÃO DO CAMPO: A LICENCIATURA EM CIÊNCIAS SOCIAIS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS (UFGD) (2008-2012)
  • Discente:
    • ONIVAN DE LIMA CORREA
  • Orientador(a):
    • Celeida Maria Costa de Souza e Silva
  • Resumo:

    O objeto de estudo deste trabalho é a formação de professores em Educação do Campo: a Licenciatura em Ciências Sociais na Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) (2008-2012). Buscamos apresentar as principais políticas públicas educacionais para a formação de professores em Educação do Campo presentes em documentos do governo federal, relacionando com as reivindicações dos Movimentos Sociais. O presente trabalho está inserido no Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), na Linha de Pesquisa Política, Gestão e História da Educação e no Grupo de Estudo e Pesquisa Política de Formação e Trabalho Docente na Educação Básica (GEFORT). O estudo tem como objetivo geral Analisar o processo de implantação e desenvolvimento do curso de formação de professores em Educação do Campo na Licenciatura em Ciências Sociais da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) no período de 2008 a 2012. Além disso, apresenta os seguintes objetivos específicos: 1- Contextualizar a luta dos Movimentos Sociais para a implantação de políticas públicas de formação de Professores do campo no âmbito brasileiro; 2- Examinar como as políticas públicas de formação de professores do campo foram contempladas na legislação brasileira e em Mato Grosso do Sul (as leis, orientações, diretrizes, resoluções, planos e deliberações que garantem a Educação do Campo); e 3 - Analisar como foi implantado e desenvolvido o curso de formação de professores na Licenciatura em Ciências Sociais, modalidade Educação do Campo, da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), no período de 2008 a 2012. Adotamos como procedimentos metodológicos, a pesquisa bibliográfica e a documental, além de entrevistas baseadas em questões semiestruturadas. Foram entrevistados a coordenadora da licenciatura, um professor do curso e dois integrantes de Movimentos Sociais, que participaram do processo de elaboração e implementação do curso. Apresentam-se como aporte teórico: Azevedo (2004), Arroyo (1999), Caldart (2008), Carnoy (1998), Lombardi e Sanfelice (2007), Lombardi e Saviani (2005), Mészáros (2006), Molina (2005), Gohn. (1997), Leite (1999) e Shiroma (2007), dentre outros, que debatem sobre Políticas Educacionais, Educação do Campo e Movimentos Sociais. Os estudos e a pesquisa realizada permitem-nos afirmar que, durante todo o processo do curso de Ciências Sociais da UFGD, os Movimentos
    Sociais do campo estiveram presentes, mas a demanda por formação de professores do campo ainda é grande.

    Palavras-chave: Formação de Professores. Educação do Campo. Movimentos Sociais.

  • Data da Defesa: 05/05/2017
  • Download: Clique aqui
+ BEM-ESTAR ∕MAL-ESTAR NO TRABALHO DO PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA EM UM CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DE CAMPO GRANDE – MS
  • Discente:
    • GISELE APARECIDA FERREIRA MARTINS
  • Orientador(a):
    • Flavinês Rebolo
  • Resumo:

    Este trabalho está vinculado à Linha de pesquisa ―Práticas pedagógicas e suas relações com a formação docente‖, do programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado, da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Teve por objetivo analisar os fatores que podem ocasionar o bem-estar ou o mal-estar no trabalho dos professores de Educação Física que atuam na Educação Infantil. Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa, cuja metodologia previu, além da essencial revisão da literatura, o levantamento de dados sobre os Centros de Educação Infantil (CEINFs) junto à Secretaria Municipal de Educação/SEMED, a aplicação de um questionário para traçar o perfil sócio profissional dos professores e a realização de entrevista semiestruturada com o objetivo de identificar os fatores que contribuem para o bem-estar/mal-estar no trabalho desses professores. Alguns autores se destacam, cujas teorias dão sustentação ao tema desta pesquisa, dentre os quais, Zilma de Oliveira, Adriana Cavalaro e Verônica Muller, Geise Ricardi, Marta Brostolin, Flavinês Rebolo, José Esteve, Saul Neves de Jesus, Maurice Tardif e Claude Lessard. Participaram da pesquisa três professoras de Educação Física do CEINF da Vila Nasser, instituição que atende o maior número de crianças na cidade de Campo Grande, MS. As participantes são licenciadas em Educação Física, trabalham na educação básica há mais de três anos, sendo duas funcionárias efetivas e uma contratada. Todas se declararam felizes com o trabalho que realizam no CEINF, porém relataram que na graduação não tiveram disciplinas específicas que dessem subsídio ao trabalho na Educação Infantil, mesmo concluindo a graduação após a promulgação da lei que torna obrigatória a educação física na educação básica. Os fatores de maior satisfação, para essas professoras, são, principalmente, o reconhecimento da disciplina por parte da comunidade escolar, a autonomia de que essas profissionais gozam no desenvolvimento do trabalho que realizam. O único fator de insatisfação apontado pelas professoras participantes foi a falta de materiais específicos para trabalhar a educação física com as crianças.

    Palavras-Chave: Professor de Educação Física. Educação Infantil. Bem-estar docente. Malestar
    docente.

  • Data da Defesa: 30/03/2017
  • Download: Clique aqui
+ A EDUCAÇÃO MULTI/INTERCULTURAL E SUAS IMPLICAÇÕES PARA UM CURRÍCULO COM QUALIDADE SOCIAL
  • Discente:
    • BRUNO AMARO QUEIROZ BLINI
  • Orientador(a):
    • José Licinio Backes
  • Resumo:

    Esta dissertação, vinculada à Linha de Pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena e ao Grupo de Pesquisa Educação e Diferença Cultural, aborda a educação multi/intercultural e suas implicações para uma educação com qualidade social, tendo como apoio as teorias multi/interculturais e dos Estudos Culturais, bem como suas contribuições para as problematizações das avaliações em larga escala e do discurso hegemônico de qualidade na educação. O objetivo geral é analisar a concepção de professores/as da educação básica sobre educação multi/intercultural, currículo e qualidade na educação, estabelecendo possíveis relações entre esses tópicos. Os objetivos específicos são: a) analisar como os/as professores/as concebem as diferenças e os processos de discriminação em um contexto de avaliações em larga escala; b) problematizar a compreensão de qualidade dos/as professores/as num contexto de avaliações em larga escala; c) identificar os reflexos que a avaliação em larga escala produz no currículo, segundo os/as professores/as; d) analisar os elementos que contribuem para um alto Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), segundo as falas dos/as professores/as. Foram realizadas oito entrevistas semiestruturadas com professores/as da educação básica em duas escolas diferentes (uma com alto e outra com baixo IDEB) na cidade de Campo Grande (MS). Com a pesquisa, entendemos que as discussões sobre a educação multi/intercultural não podem ser excluídas do currículo e dos processos avaliativos para que se possa pensar de fato em uma educação heterogênea, que enxerga a hibridização cultural e questiona os processos de discriminação racial e de gênero. A análise das entrevistas mostrou a divergência entre os/as professores/as em torno das questões culturais e dos discursos hegemônicos, ora confirmando questões como a falsa democracia racial, a igualdade e a negação das diferenças, ora colocando em xeque as formas hegemônicas de abordá-las. Porém, para todos/as os/as entrevistados/as, as avaliações em larga escala e o IDEB não colaboram para uma educação com qualidade social em que se discutem as identidades e as diferenças.

    PALAVRAS-CHAVE: Multi/interculturalidade. Avaliação em larga escala. Qualidade Social.

  • Data da Defesa: 30/03/2017
  • Download: Clique aqui
+ O CURRÍCULO ESCOLAR NA PERSPECTIVA DOS(AS) ALUNOS(AS) DO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL
  • Discente:
    • EDENIR PEREIRA DA SILVA
  • Orientador(a):
    • Ruth Pavan
  • Resumo:

    A presente dissertação integra a Linha de Pesquisa "Práticas Pedagógicas e suas relações com a Formação Docente" do Programa de Pós-Graduação Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco UCDB). Tem como objetivo geral analisar a perspectiva de alunos(as) do 9º ano do Ensino Fundamental de uma escola pública do estado de Mato Grosso com baixo Índice Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) sobre o currículo escolar. Os objetivos específicos são: a) compreender as diferentes abordagens do currículo escolar no contexto atual; b) caracterizar a perspectiva dos(as) alunos(as) sobre o currículo escolar e, em especial, sobre a disciplina de Educação Física; c) identificar a compreensão dos(as) alunos(as) em relação à avaliação no currículo escolar. A pesquisa é de caráter qualitativo; como instrumento de coleta de dados, foi utilizada a entrevista semiestruturada. A escolha dos sujeitos obedeceu aos critérios: que pertencessem à escola com o mais baixo IDEB do município;que fossem da mesma turma do 9º ano do Ensino fundamental; que tivessem idades diferenciadas; e que fossem incluídos(as) meninos e meninas. O referencial teórico utilizado nesta pesquisa é formado por autores(as) que defendem uma escola pública de qualidade para todos, sem que isso signifique um processo de homogeneização/uniformização, e autores(as) que problematizam a avaliação em larga escala, mostrando que ela é um instrumento privilegiado para (des)classificar as escolas e alunos(as). Como resultado, pode-se apontar que todos(as) os(as) alunos e alunas veem na escola uma possibilidade de realização dos seus sonhos. Ao mesmo tempo, percebem que, na escola, a cultura hegemônica expressa no cotidiano se afasta radicalmente deles e delas, dificultando suas relações e possibilidades de aprendizagem, bem como o bom desempenho nas avaliações.

    PALAVRAS-CHAVE: Currículo, Escola Pública, Educação Física, IDEB.

  • Data da Defesa: 27/03/2017
  • Download: Clique aqui
+ ENTRE TRAMAS E INTERAÇÕES: O PROTAGONISMO DAS CRIANÇAS PEQUENAS NUMA CRECHE DE CAMPO GRANDE/MS
  • Discente:
    • LAURA SIMONE MARIM PUERTA
  • Orientador(a):
    • Marta Regina Brostolin
  • Resumo:

    A presente investigação de Mestrado está vinculada à linha de pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente, do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Católica Dom Bosco (PPGE-UCDB). Tem por objetivo geral analisar as vozes das crianças pequenas frente às interações estabelecidas e ao ambiente educativo da creche. Os objetivos específicos consistem em a) identificar o modo de expressividade e manifestação dos processos sociocomunicativos das crianças no ambiente da creche; b) compreender os processos interativos entre criançacriança e crianças-adultos profissionais; c) analisar as experiências vivenciadas pelas crianças no ambiente educativo da creche. A pesquisa orienta-se pela concepção de criança e infância advinda da Sociologia da Infância, considerando-se a criança pequena como protagonista social e copesquisadora desta pesquisa. O aporte teórico é fornecido por autores de estudos que emergem do tema, relacionados à criança e à infância, dentre eles: Sarmento (2004, 2005, 2009, 2015); Kuhlmann Jr. (2000, 2007, 2010); Corsaro (2011); Ferreira (2003, 2004, 2010); Belloni (2009). A abordagem adotada é a qualitativa, do ponto de vista metodológico; trata-se de uma investigação de cunho etnográfico, em que se utiliza a observação participante como instrumento para geração de dados, tendo, como recursos, as imagens produzidas a partir de fotografias e filmagens, além do diário de campo. O lócus da pesquisa é o Centro de Educação Infantil – CEINF Francesco Tonucci, da Rede Municipal de Ensino de Campo Grande – MS. Os protagonistas são as crianças da turma do Berçário I (2015) e Creche IB (2016). Os resultados indicam que as crianças pequenas produzem suas culturas de pares por meio de ações interativas, das interações estabelecidas e do compartilhar de significações. Fica evidente o quanto as crianças são seres do presente e não em devir, que possuem vozes e direitos expressos; que as crianças pequenas são ativas, produzem suas próprias sínteses, expressões e constroem suas próprias identidades pessoais e sociais por meio de manifestações expressivas e as crianças são atores de seus próprios processos de socialização e criadores de rotinas culturais.Em suma, evidencia-se, pela pesquisa, que as crianças pequenas estabelecem múltiplas comunicações por meio de interações entre os pares no ambiente educativo da creche.

    PALAVRAS-CHAVE: Protagonismo da criança pequena; Sociologia da Infância; Interações entre pares e Manifestações expressivas.

  • Data da Defesa: 24/03/2017
  • Download: Clique aqui
+ O PROTAGONISMO DOS PROFESSORES TERENA DA ALDEIA TERERÉ - TERRA BURITI - SIDROLÂNDIA-MS: NA CONSTRUÇÃO DO BEM VIVER COMUNITÁRIO
  • Discente:
    • MAIOQUE RODRIGUES FIGUEIREDO
  • Orientador(a):
    • Heitor Queiroz de Medeiros
  • Resumo:

    Esta dissertação de mestrado está vinculada à Linha de Pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena e ao Grupo de Pesquisa Educação e Interculturalidade, do Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco/UCDB. A pesquisa tem como objetivo geral investigar e entender o protagonismo dos professores Terena da educação escolar indígena “Cacique João Batista Figueiredo”, na construção do bem viver da Aldeia. Como se deu a escolarização na comunidade indígena da aldeia Tereré Terra Buriti município de Sidrolândia-MS, a construção e criação da escola Indígena municipal Cacique João Batista Figueiredo, Sidrolândia MS. Dialogando e valorizando as obras dos intelectuais indígenas e militantes da educação escolar indígena, como também referenciais teóricos do PPGE relacionado aos estudos da cultura. Com a metodologia de pesquisa de caráter qualitativo, e foi realizado por meio da técnica de diário de campo, com procedimento para a produção de dados a história oral, entrevistas, análise
    documental e bibliográfica. Esta modalidade de “educação escolar indígena” é contemporânea em meio aos povos indígenas, direito adquirido na constituição de 1988. Espectador ou protagonista? Vamos ver como os professores indígenas têm construído essa educação, diante dos 500 anos de história de submissão e exclusão. Buscando diálogo com as lideranças tradicionais e políticas na construção do bem viver comunitário.

    PALAVRA-CHAVE: Educação. Professor indígena. Protagonismo. Bem viver

  • Data da Defesa: 22/03/2017
  • Download: Clique aqui
+ AS MANIFESTAÇÕES DE CRIANÇAS DE 05 E 06 ANOS SOBRE IDENTIDADE E DIFERENÇA: UM ESTUDO A PARTIR DE UMA ESCOLA DE RONDONÓPOLIS/MT.
  • Discente:
    • MAGALE TERESINHA DA R. DE CAMPOS
  • Orientador(a):
    • Carlos Magno Naglis Vieira (Professor permanente até dezembro de 2021)
  • Resumo:

    Esta dissertação de mestrado está vinculada à Linha de Pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena e ao Grupo de Pesquisa Educação e Interculturalidade, do Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco – UCDB. A pesquisa tem como objetivo geral descrever as manifestações de identidade e diferença produzidas por crianças da Educação Infantil, especificamente aquela de 05 e 06 anos de idade, da Escola Municipal de Ensino Fundamental 1° de Maio, localizada no município de Rondonópolis, Mato Grosso. Como objetivos específicos, destacam-se: a) descrever como as crianças manifestam suas identidades e diferenças a partir das influências da mídia/consumo e da família; b) Identificar e analisar as manifestações de identidade e diferença das crianças frente às questões de gênero e de cor. A pesquisa, de caráter qualitativo, tem como procedimento metodológico a realização de observação, rodas de conversas e desenhos. O aporte teórico para embasar a pesquisa e torná-la possível foi pensado a partir de Hall (2014), Silva (2013; 2014), Woodward (2014), Skliar; Duschatzky (2011), Vieira (2015), Bauman (2001; 2008), Corsaro (2011), Sarmento (2007), Guizzo; Felipe; Beck (2013), Ferreira (2013), Sostisso (2013), Bello (2013), Meyer (2014), Paraíso (2014), Andrade (2014), Sales (2014), entre outros. As leituras realizadas permitiram compreender que as infâncias contemporâneas que vão para a escola trazem, para este espaço, as suas vivências, suas culturas, seus modos de olhar o mundo e através dos locais que circulam, elas produzem diferentes infâncias e diferentes identidades. A identidade do sujeito infantil que vai para a escola no século XXI é atravessada pelo viés moderno que está refletido nas falas e atitudes das crianças que, entrelaçada pelos desejos de consumir, seguir o que a mídia impõe, as infâncias contemporâneas apresentam meninas que querem ser mãe, ao mesmo tempo em que desperta o desejo de circularem em outros espaços que não seja somente o privado.

    Palavras-chave: Identidade e diferença. Criança e espaço escolar.

  • Data da Defesa: 20/03/2017
  • Download: Clique aqui
+ O PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO (PRONATEC) EM UMA ESCOLA DA REDE ESTADUAL DE ENSINO DE MATO GROSSO DO SUL (2011-2015)
  • Discente:
    • ARÃO DAVI OLIVEIRA
  • Orientador(a):
    • Valdivina Alves Ferreira (permanente até dezembro de 2016 e colaboradora até junho de 2017)
  • Resumo:

    O objeto dessa pesquisa é o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) na Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul. O Pronatec é um programa de financiamento da educação profissional lançado em 2011, no governo Dilma Rousseff (2011-2014), sob a Lei n°12.513/2011 instituído com o objetivo de expandir, interiorizar e democratizar a oferta de cursos de educação profissional e tecnológica no país. Esta pesquisa vincula-se a Linha de Pesquisa Política, Gestão e História da Educação do Programa de Pós-graduação em Educação Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB); ao Grupo de Pesquisa Políticas de Formação e Trabalho Docente na Educação Básica (GEFORT); e ao Projeto de pesquisa Políticas Públicas de Educação Profissional e Tecnológica de nível médio, em Mato Grosso do Sul, na rede Federal de Educação Profissional em Campo Grande (2008-2014) coordenado pela Professora Valdivina Alves Ferreira. O objetivo geral é analisar a implementação do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) na Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul (REE/MS), mais especificamente no Centro de Educação Profissional Ezequiel Ferreira Lima (CEPEF), no período de 2011 a 2015. Os objetivos específicos são: 1) discutir as principais políticas federais de educação profissional formuladas a partir da sanção da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional de 1996; 2) verificar a relação das políticas públicas de implementação do Pronatec com o Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), Plano Nacional de Educação (PNE 2014-2024), e com Plano Estadual de Educação do Estado de Mato Grosso do Sul (PEE/MS 2014-2024); por fim, 3) examinar o processo de implementação do Pronatec no Centro de Educação Profissional Ezequiel Ferreira Lima, no período de 2011 a 2015. Esse recorte justifica-se porque 2011 é o ano de lançamento do Pronatec e, 2015 por ser o ano de encerramento do segundo termo de adesão ao Pronatec firmado pela Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso do Sul, SED/MS como parceiro ofertante. Essa pesquisa torna-se relevante porque oferece informações para entender o Pronatec como uma política pública de indução à expansão da educação profissional por meio dos arranjos institucionais entre a União e os entes federados. É uma pesquisa documental, bibliográfica e empírica, que utiliza os conceitos: “Estado” de Gramsci (1991); “acumulação flexível do capital” de Harvey (1992). Na realização da pesquisa empírica foram realizadas entrevistas semiestruturadas com quatro gestores que participaram do processo de implementação do Pronatec no CEPEF, no período de 2011 a 2015. Os resultados permitem afirmar por meio do processo de implementação do Pronatec na SED/MS e no CEPEF, que o Pronatec é uma política de Estado capitalista de indução à formação de força de trabalho polivalente e adaptável às mudanças tecnológicas do modelo de produção flexível capitalista. Promoveu aumento do número de matriculados na educação profissional em cursos concomitantes e subsequentes ao ensino médio, entretanto verifica-se que o programa contribui para que aconteçam altos índices de evasão e baixos índices de aprovação devido, principalmente, a não integração do currículo geral ao técnico em cursos concomitantes.

    Palavras-chave: Políticas Públicas Educacionais; Educação Profissional; Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

  • Data da Defesa: 16/03/2017
  • Download: Clique aqui
+ CONTRIBUIÇÕES DA ESCOLA NO PROCESSO DE REVITALIZAÇÃO DA LÍNGUA TERENA NA ALDEIA ALDEINHA, EM ANASTÁCIO, MATO GROSSO DO SUL
  • Discente:
    • EVELIN TATIANE DA SILVA PEREIRA
  • Orientador(a):
    • Heitor Queiroz de Medeiros
  • Resumo:

    A presente pesquisa tem como objetivo apresentar as contribuições da Escola Estadual Indígena Guilhermina da Silva na revitalização da língua Terena na Aldeia Aldeinha buscando entender as causas do desuso da língua Terena nessa aldeia localizada no município de Anastácio, Mato Grosso do Sul (MS). Os procedimentos metodológicos utilizados para produção dos dados da pesquisa se baseiam na pesquisa qualitativa, a partir da autoetnografica, História Oral, Diário de Campo, análise documental e revisão bibliográfica, recorrendo à vivência da autora como membro da comunidade pesquisada, inclusive como professora, além de entrevistas com os mestres tradicionais da aldeia e outros moradores da comunidade, além de alunas e alunos da escola. Os resultados da pesquisa mostram que os desafios são muitos, pois mesmo a comunidade reconhecendo na escola um local que pode contribuir com a revitalização da língua Terena, os próprios professores da Língua Indígena Terena na escola da aldeia têm relatado que passam por grandes dificuldades, como material pedagógico, pelo fato da escola atender alunos indígenas e não indígenas, além da pressão pelo fato de que o componente curricular Língua Terena pode resultar na retenção dos alunos.

    PALAVRAS-CHAVE: Revitalização, Língua Terena, Aldeia Aldeinha.

  • Data da Defesa: 15/03/2017
  • Download: Clique aqui
+ A EDUCAÇÃO INFANTIL E SEU COTIDIANO: OUVINDO O QUE DIZEM AS CRIANÇAS DA PRÉ-ESCOLA SOBRE A INSTITUIÇÃO EDUCATIVA
  • Discente:
    • ANA PAULA ZAIKIEVICZ AZEVEDO
  • Orientador(a):
    • Marta Regina Brostolin
  • Resumo:

    Esta pesquisa de Mestrado, inserida na Linha de Pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente, do Programa de Mestrado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco, teve como principal objetivo analisar o que as crianças da pré-escola dizem sobre a instituição de educação infantil que frequentam; como objetivos específicos, buscou-se: a) compreender as diferentes concepções acerca de criança e infância ao longo da história; b) entender a concepção de criança e infância apresentada pela Sociologia da Infância; c) identificar o modo como as crianças definem e dão significados à instituição educativa e seus respectivos espaços; d) identificar, a partir das falas e manifestações das crianças, os aspectos positivos e negativos do CEINF pesquisado. Esta pesquisa foi desenvolvida com 17 crianças, com idades compreendidas entre 4 e 5 anos, integrantes de uma turma de pré-escola. De caráter qualitativo, a pesquisa utilizou, como instrumentos metodológicos, a análise documental, a observação participante, entrevistas semiestruturadas e coletivas, registros fotográficos, registros por desenhos e anotações por meio do diário de campo. A variedade de instrumentos justifica-se por ser esta, uma pesquisa que foi desenvolvida com as crianças, as quais apresentam, dentre as suas singularidades, diversas formas de se expressarem. O estudo teve o aporte teórico da Sociologia da Infância, que considera que as crianças são sujeitos de direitos, não apenas reprodutores, mas também criadores de cultura e de saberes. Os principais autores que embasaram esta pesquisa foram: Willian Corsaro (2002, 2009, 2011) Manuel Jacinto Sarmento (2002, 2005, 2011, 2013, 2016) Patricia Corsino (2005, 2012), Anete Abramowicz (2003), Maria Luiza Belloni (2009), Julia Oliveira Formosinho (2008, 2016), Daniela Finco (2007, 2011), Sonia Kramer (1995), Moysés Kuhlmann Junior (2010, 2015), entre outros. Os resultados apontaram que as crianças atribuem à instituição que frequentam, o local da pesquisa, diversos significados, positivos e negativos; é um lugar no qual as crianças gostam de estar, especialmente pelas práticas do brincar que ali desenvolvem entre seus pares. A pesquisa também desencadeou reflexões acerca da infância, das singularidades infantis e sobre a importância de ouvir as crianças, uma vez que elas têm muito a dizer e a contribuir para a construção de um ambiente educativo mais dinâmico, que atenda às suas necessidades.

    Palavras-chave: Criança. Infância. Pesquisa com crianças. Sociologia da Infância.

  • Data da Defesa: 14/03/2017
  • Download: Clique aqui
+ A FORMAÇÃO CONTINUADA EM SERVIÇO DOS PROFESSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL NA ESCOLA DE TEMPO INTEGRAL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CAMPO GRANDE/MS
  • Discente:
    • ALINE ARANTES BERNARDES
  • Orientador(a):
    • Marta Regina Brostolin
  • Resumo:

    Esta pesquisa está vinculada à linha Práticas Pedagógicas e suas relações com a Formação Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação-Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco-UCDB. Teve o objetivo geral de analisar o processo de formação continuada em serviço dos professores da Educação Infantil de uma Escola de Tempo Integral, em Campo Grande, Mato Grosso do Sul (MS); os objetivos específicos foram: identificar o perfil do professor da Educação Infantil; analisar a proposta de formação continuada da Escola de Tempo Integral; identificar as contribuições e implicações da formação continuada dos professores da Educação Infantil em serviço e identificar as condições nas quais acontece essa formação continuada. A pesquisa é de abordagem qualitativa, cuja coleta de dados foi instrumentalizada pelo método da observação direta, pela entrevista semiestruturada com cinco professoras da educação infantil e pelos documentos: Projeto Político Pedagógico, Regimento Escolar e Projeto da Escola de Tempo Integral. O estudo teve a contribuição teórica de autores que discutem a formação inicial e continuada, a escolar de tempo integral e a educação infantil, a exemplo de Kramer (2005); Imbernon (2010) (2004); Kishimoto (2011); Gadotti (2009); Cerisara (2002); Tardif (2012); Arroyo (2004); Aquino (2015); Araújo (2015); Azevedo (2010); Cavaliere (2009); Bomeny (2009); Moll (2012); Tan (1967); Sarmento (2015), entre outros. Os resultados revelaram que as professoras acreditam que o espaço institucional pode ser um espaço de formação continuada para os docentes, propicia a reflexão e o crescimento do grupo por meio da discussão e escuta, levando os profissionais a solucionarem possíveis problemáticas com mais autonomia. As professoras consideram importante a educação continuada, ao mesmo tempo em que ressaltam a necessidade de melhorias em termos de organização; percebem, entretanto, que a escola se preocupa e escuta, de forma democrática, o grupo. 

    Palavras-Chave: Escola de tempo integral. Educação Infantil. Formação continuada.

  • Data da Defesa: 09/03/2017
  • Download: Clique aqui
+ O TRABALHO E O BEM-ESTAR DO PROFESSOR DE MÚSICA NAS ESCOLAS DE EDUCAÇÃO BÁSICA EM CAMPO GRANDE-MS
  • Discente:
    • JAQUELINE CAVALCANTI BORGES DE MELLO
  • Orientador(a):
    • Flavinês Rebolo
  • Resumo:

    Este trabalho está vinculado à linha de pesquisa “Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente”, do Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Pouco se tem tratado dos diversos fatores que envolvem o trabalho do educador musical e, menos ainda, sobre a percepção desse professor em relação ao seu trabalho, um aspecto importante que, marcado por insatisfação, acaba contribuindo, com certa frequência, para a saída desse profissional da escola, em busca de outros espaços em que possa atuar na educação musical e, por vezes, para o abandono da profissão - em casos extremos, para o adoecimento do professor. Esta pesquisa, de abordagem qualitativa, objetivou analisar o trabalho e o bem-estar de professores, egressos do Curso Música – Educação Musical (licenciatura) da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), que atuam nas escolas de educação básica em Campo Grande/MS. Por meio de entrevista com sete professores de música, procurou-se identificar as condições de trabalho desses professores e os fatores que afetam esse trabalho, bem como, a partir das percepções manifestadas por eles, verificar sobre a contribuição do curso de Licenciatura em Música da UFMS no desempenho das práticas pedagógicas e no bem-estar docente. Como parte da entrevista, aplicou-se a Escala de Bem-Estar Docente (EBED) por intermédio da qual identificaram-se os fatores de satisfação e insatisfação e as dinâmicas que constituem o bemestar no trabalho desses professores. Os resultados revelaram que dentre os fatores que mais causam satisfação estão a identificação com as atividades realizadas, a autonomia, o reconhecimento do trabalho, as relações interpessoais, o salário, a jornada de trabalho e a segurança no ambiente de trabalho. Por outro lado, os fatores que geram maior insatisfação são as instalações e condições gerais de infraestrutura, a falta de equipamentos, instrumentos e materiais pedagógicos. Pela análise das dinâmicas que constituem o bem-estar docente dos egressos, concluiu-se que eles aspiram à melhoria na estrutura, como, por exemplo, a oferta e instrumentos musicais que possibilite desenvolverem especificamente o ensino de música, evitando-se, desse modo, que sejam compelidos a trabalhar obrigatoriamente as demais linguagens artísticas. Apesar de muitos desafios e espaços ainda a conquistar, esses professores se declararam felizes no trabalho.

    PALAVRAS CHAVE: Trabalho e bem-estar docente. Música na educação básica. Formação de professores.

  • Data da Defesa: 17/02/2017
  • Download: Clique aqui
+ A DIFERENÇA CULTURAL NO CONTEXTO DE UMA ESCOLA PÚBLICA COM ALTO IDEB
  • Discente:
    • LORETA DA SILVA DE SOUSA PEREIRA
  • Orientador(a):
    • Ruth Pavan
  • Resumo:

    Esta dissertação vincula-se à Linha de Pesquisa Práticas Pedagógicas e Suas Relações com a Formação Docente, do Curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Educação- UCDB, e ao Observatório de Educação “Relações étnico-raciais, gênero e desigualdade social no ensino fundamental do 6º. ao 9º. ano nas escolas públicas estaduais de Campo Grande-MS”, financiado pela CAPES. Tem como objetivo geral analisar as concepções de diferença cultural dos professores do 9° ano do Ensino Fundamental de uma escola com alto desempenho no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) em 2011. Os objetivos específicos são: a) Analisar a compreensão dos professores do 9ºano sobre a diferença cultural presente na Escola; b) Articular a compreensão das diferenças culturais dos professores com o currículo escolar; c) Identificar a classificação nos âmbitos municipal, estadual e nacional da escola pesquisada no Banco de Dados do INEP. Para a abordagem teórica utilizamos autores que discutem a educação e a interculturalidade com destaque para: Candau (2012, 2014, 2011 e 2009; Esteban (2014; 2006); Fleuri (2003), McLaren (2000); Moreira (2001); Silva (1999) entre outros. Adotamos também a abordagem da pesquisa qualitativa, utilizando os dados disponíveis no Banco de Dados do INEP e entrevistas estruturadas com os professores. Os resultados apontaram que os professores (as) geralmente não percebem as diferenças existentes no âmbito da escola de modo mais geral e nem dentro da sala de aula. A maioria dos professores, conforme a pesquisa realizada, prefere tratar seus alunos (as) como “normais”, usando o termo para caracterizar o tratamento igual, já que todos (as) recebem o mesmo ensino em sala de aula. Em alguns relatos a palavra “diferença” é utilizada com receio pelos professores (as), como se percebê-la fosse uma prática inadequada. Essa forma de compreender a diferença deve-se, entre outros fatores, ao processo histórico-cultural, à falta de uma formação voltada para as diferenças e às avaliações em larga escala que privilegiam a homogeneização e padronização curricular.

    PALAVRAS-CHAVE: Currículo, Diferença, Avaliação em Larga Escala.

  • Data da Defesa: 30/06/2016
  • Download: Clique aqui
+ O PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO NA REDE ESTADUAL DE ENSINO DE MATO GROSSO DO SUL (2008-2014)
  • Discente:
    • FÁBIO DOS SANTOS
  • Orientador(a):
    • Celeida Maria Costa de Souza e Silva
  • Resumo:

    Esta dissertação tem como objeto de estudo o Programa Mais Educação (PME), uma das ações do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), instituído no segundo mandato do Governo Luiz Inácio Lula da Silva (2007-2010), que tem por objetivo estimular a educação integral, destinada às crianças, aos adolescentes e aos jovens. Vincula-se à linha de pesquisa “Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente”, do Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado e Doutorado, da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), ao Grupo de Pesquisa Políticas Públicas e Gestão da Educação (GEPPE), e ao Grupo de Pesquisa Políticas de Formação e Trabalho Docente na Educação Básica (GEFORT). Tem como objetivo geral analisar o processo de implantação e implementação do Programa Mais Educação em duas escolas da Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul, localizadas em Campo Grande – MS, no período de 2008 a 2014, período que abrange os dois mandatos do governador André Puccinelli (2007-2014). Os objetivos específicos são: a) Apresentar as políticas públicas que incentivam a ampliação da jornada escolar; b) Examinar a concepção de educação integral presente no Programa Mais Educação; c) Analisar o processo de implantação e implementação do Programa Mais Educação nas duas escolas da Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul, as primeiras a aderirem ao programa. Como procedimento metodológico optou-se pela pesquisa bibliográfica, documental, e pela realização de entrevista semiestruturada, com uma diretora de cada unidade escolar, uma coordenadora do Programa, um professor de cada unidade escolar. O critério de seleção dos entrevistados considera o tempo de participação nas atividades do Programa Mais Educação nas unidades escolares selecionadas para pesquisa. A pesquisa tem relevância, pois analisa o processo de elaboração e implementação das políticas públicas educacionais, em especial as políticas voltadas para educação básica, mais especificamente a política de educação de integral presente no Programa Mais Educação. Constatamos, ao longo do processo da pesquisa que repensar a escola, na perspectiva da educação integral mediante a ampliação da jornada, pressupõe superar inúmeras limitações a exemplo de espaços físicos inadequados, formação de professores que nem sempre é na lógica da Educação Integral, aliado à desvalorização profissional refletida na falta de condições de trabalho e nos salários percebidos.


    Palavras-Chave: Políticas Educacionais; Educação Integral; Programa Mais educação.

  • Data da Defesa: 30/06/2016
  • Download: Clique aqui
+ O PROGRAMA ENSINO MÉDIO INOVADOR (ProEMI) NA REDE ESTADUAL DE ENSINO DE MATO GROSSO DO SUL (2007-2011)
  • Discente:
    • WANEIDE FERREIRA SANTOS ASSIS
  • Orientador(a):
    • Celeida Maria Costa de Souza e Silva
  • Resumo:

    Este trabalho tem como objeto de estudo o Programa Ensino Médio Inovador (ProEMI) na Rede Estadual de Ensino do Estado de Mato Grosso do Sul, no recorte temporal de 2007 a 2011. O ProEMI foi instituído pelo Ministério da Educação (MEC) por meio da Portaria nº 971, de 9 de outubro de 2009, e implantado no Estado de Mato Grosso do Sul a partir do Decreto nº 2.335, de 29 de março de 2010. A pesquisa está vinculada à linha de Pesquisa Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente e ao Grupo de Estudos e Pesquisas Políticas Públicas e Gestão da Educação (GEPPE) da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Está vinculada também ao Projeto de Pesquisa “Parcerias público privadas em municípios sul-mato-grossenses: uma análise a partir do Plano de Ação Articuladas – PAR coordenado pela Profª. Elisangela Alves da Silva Scaff. De acordo com o MEC, o Programa Ensino Médio Inovador (ProEMI) foi concebido com o objetivo de proporcionar mudanças significativas nas escolas públicas de ensino médio no País por meio da consolidação de um currículo inovador. O objetivo geral neste estudo é analisar como ocorreu o processo de implantação e implementação do Programa Ensino Médio inovador (ProEMI) em duas escolas da Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul, localizadas em Campo Grande – MS, no período de 2007 a 2011. Como objetivos específicos se propõe a discutir a legislação educacional brasileira para o ensino médio a partir da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), Lei nº 9.394/1996; Examinar o Programa Ensino Médio Inovador (ProEMI) no âmbito do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) e sua relação com o Plano de Ações Articuladas (PAR) 2007-2010 da Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul; Analisar como o Programa Ensino Médio Inovador (ProEMI) foi implantado pela Secretaria Estadual de Educação (SED) e implementado nas duas primeiras escolas da Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul, localizadas em Campo Grande – MS, a receberem o Programa. Esse período justifica-se porque 2007 foi o ano de lançamento do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) e do Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação e, 2011, por ser o ano da parceria firrmada entre o governo do Estado de Mato Grosso do Sul e o Instituto Unibanco para a implementação do Projeto Jovem de Futuro (PJF) nas escolas que aderiram ao Programa Ensino Médio Inovador (ProEMI), dando origem ao ProEMI/JF, a partir de 2012. Para efetivar a pesquisa, adotamos como procedimentos metodológicos, a pesquisa bibliográfica e a documental, além de entrevistas baseadas em questões semiestruturadas. Foram entrevistados o Gestor do Núcleo do Ensino Médio da SED e os Diretores das duas primeiras escolas a receberem o Programa Ensino Médio Inovador (ProEMI). Os resultados permitem afirmar que no Estado de Mato Grosso do Sul, as escolas selecionadas encontraram dificuldades na implementação do ProEMI em razão da estrutura física inadequada, da falta de professores e de profissionais de apoio escolar capacitados, do atraso dos recursos  financeiros do programa, entre outros.

     PALAVRAS-CHAVE: Políticas Públicas Educacionais; Ensino médio; Plano de Ações Articuladas (PAR); Programa Ensino Médio Inovador (ProEMI).

     

  • Data da Defesa: 20/04/2016
  • Download: Clique aqui
+ RELAÇÕES DE GÊNERO NO CURRÍCULO DE UMA ESCOLA ESTADUAL COM ALTO ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA
  • Discente:
    • CLEIR SILVÉRIO FERREIRA ROSA
  • Orientador(a):
    • Ruth Pavan
  • Resumo:

    Esta dissertação vincula-se à linha de Pesquisa Práticas Pedagógicas e Suas Relações com a Formação Docente do Curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Educação da UCDB e ao Observatório de Educação “Relações étnico-raciais, gênero e desigualdade social no ensino fundamental do 6º ao 9º ano nas escolas públicas estaduais de Campo Grande – MS”, financiado pela CAPES. Tem como objetivo geral analisar as relações de gênero presentes no currículo dos anos finais do Ensino Fundamental de uma escola com alto Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) em 2011, em Campo Grande, MS. Os objetivos específicos são: a) Compreender em que momento histórico as relações de gênero começam a ser problematizadas no currículo escolar e se elas interferem no processo educativo; b) Identificar como as questões de gênero são percebidas e se são discutidas pelos professores e professoras; c) Caracterizar a escola por meio dos dados do INEP. Para a abordagem teórica utilizamos autores que discutem educação e gênero: Louro (1999), Meyer (2003), Montserrat (1999), Auad (2006), Souza (2006), Azerêdo (2007), Colling (2014), Stearns (2007), Silva (1998), entre outros. A abordagem da pesquisa é qualitativa e utiliza como instrumento de coleta de dados entrevistas semiestruturadas com os professores e professoras, além dos dados disponíveis no Banco de Dados do INEP. Entre os professores e professoras da escola pesquisada o discurso é de negação das diferenças de gênero. Eles não percebem essas diferenças, ainda que estejam latentes, pulsando pelos corredores, nas filas, no convívio cotidiano da escola. Por fim, podemos perceber que a ênfase do currículo da escola pesquisada, conforme as entrevistas fornecidas pelos professores e professoras, são os conteúdos cobrados na avaliação em larga escala.


    Palavras-chave: Relações de gênero, Currículo, Ensino Fundamental II.

  • Data da Defesa: 31/03/2016
  • Download: Clique aqui
+ O PROTAGONISMO DA ESCOLA POLO INDÍGENA TERENA ALEXINA ROSA FIGUEREDO, DA ALDEIA BURITI, EM MATO GROSSO DO SUL, NO PROCESSO DE RETOMADA DO TERRITÓRIO DA TERRA INDÍGENA BURITI
  • Discente:
    • GERSON PINTO ALVES
  • Orientador(a):
    • Heitor Queiroz de Medeiros
  • Resumo:

    Essa dissertação de mestrado está vinculada à Linha de Pesquisa “Diversidade Cultural e Educação Indígena”, do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Católica Dom Bosco, mestrado e doutorado através do Grupo de Pesquisa Educação e Interculturalidade, faz parte do Projeto de Pesquisa - Núcleo Local, submetido ao Edital 049/2012/CAPES/INEP - Observatório de Educação Escolar Indígena. Neste trabalho analisamos o protagonismo da Escola Indígena Terena Alexina Rosa Figueredo, da Aldeia Buriti, em Mato Grosso do Sul, no processo de retomada do território da Terra Indígena Buriti, no município de Dois Irmãos do Buriti. O objetivo da pesquisa foi analisar o envolvimento de toda a comunidade escolar, em articulação com as lideranças da aldeia, no processo de retomada da terra originária dos Terena nessa região, buscando entender como foi a participação de cada seguimento da escola nesse processo e compreender o quanto a escola faz diferença quando se tem o comando sobre a mesma , pois não basta ter a escola é necessário ter domínio sobre a mesma. A metodologia desta pesquisa é de cunho qualitativo e busca articulação de diversos processos, como análise documental, entrevista com anciões, lideranças, estudantes e professores, bem como do planejamento da escola em seu Projeto Político Pedagógico (PPP), onde os professores incorporaram a participação no processo de retomada das terras originárias dos Terena da região do Buriti como processo pedagógico da escola, portanto, uma metodologia militante tendo a cultura Terena como referência para pesquisa onde cada membro esteve contribuindo com opinião, com seu trabalho braçal estando sempre pronto para fazer acontecer a retomada .  A pesquisa mostra a importância da articipação da direção, professores, alunos, pais e anciões da comunidade nas ações de retomada dos territórios ancestrais dos Terena na região do Buriti, fazendo desse processo o instrumento principal que norteia o PPP da escola, tornando a escola protagonista de uma educação diferenciada que fortalece a identidade dos alunos e vitaliza a cultura Terena dentro da aldeia Buriti. O corpo docente da escola vem construindo, mesmo com dificuldade, uma educação com valores sustentados nos saberes tradicionais mantidos pelos anciões. A pesquisa contribui para a compreensão de como o protagonismo da equipe escolar por meio do envolvimento efetivo dos professores e alunos nas ações de retomada dos territórios possibilita que se efetive nessa escola uma educação escolar indígena realmente diferenciada e que atenda aos interesses da comunidade Terena.

     Palavras-Chaves: Projeto Político Pedagógico. Retomada do território escolarização. Legislação, Anciões.

  • Data da Defesa: 31/03/2016
  • Download: Clique aqui
+ PROCESSO PRÓPRIO DE ENSINO-APRENDIZAGEM KAIOWÁ E GUARANI NA ESCOLA MUNICIPAL INDÍGENA ÑANDEJARA PÓLO DA RESERVA INDÍGENA TE’ÝIKUE: Saberes Kaiowá e Guarani, Territorialidade e Sustentabilidade
  • Discente:
    • LIDIO CAVANHA RAMIRES
  • Orientador(a):
    • Heitor Queiroz de Medeiros
  • Resumo:

    Este trabalho da dissertação vincula-se à Linha de Pesquisa 3, Diversidade Cultural e Educação Indígena – PPGE/UCDB, Grupo de Pesquisa Educação e Interculturalidade, faz parte do Projeto de Pesquisa-Núcleo Local (Submetido ao Edital 049/2012/CAPES/INEP – Observatório de Educação Escolar Indígena) FORMAÇÃO DE PROFESSORES INDÍGENAS GUARANI E KAIOWÁ EM MATO GROSSO DO SUL: relações entre territorialidade, processos próprios de aprendizagem e educação escolar indígena e Subprojeto de Pesquisa-Núcleo Local Sustentabilidade e Territorialidade a partir da Perspectiva dos Professores Guarani e Kaiowá, das Terras Indígenas (TI) Takuaperi, localizada no município de Coronel Sapucaia e Te’ýikue, localizada no município de Caarapó, Mato Grosso do Sul (MS).Tem como objetivo principal descrever os saberes Kaiowá e Guarani, a cosmologia e/ou princípio que fundamenta a educação indígena, tendo em vista os seus usos no âmbito da Escola Municipal Indígena Ñandejara Pólo da Reserva Indígena Te’ýikue e, a partir destes, analisar a constituição dos saberes Kaiowá e Guarani, territorialidade, sustentabilidade. Os objetivos específicos são: a) Investigar o conceito de territorialidade e sustentabilidade na cosmovisão Kaiowá e Guarani e suas abordagens na perspectiva da escola indígena; b) Descrever o processo próprio de ensino-aprendizagem mbo’epy-kuaapyhy presente na cosmologia e/ou no princípio que fundamenta a educação Kaiowá e Guarani; c) Investigar a transição de saberes Kaiowá e Guarani, analisando as negociações e transgressões de saberes Kaiowá e Guarani no campo da educação escolar indígena na escola Ñandejara na Reserva Indígena Te’ýikue; d) Analisar os sistemas de avaliação externa (o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica – IDEB/Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas – INEP), tendo em vista o processo próprio de ensino-aprendizagem Kaiowá e Guarani nas escolas indígenas. É uma pesquisa qualitativa realizada por um professor indígena Kaiowá. Denomino a descrição como um autoetnográfico; a produção de dados foi feita através da participação nas reuniões das lideranças, comunidade, formação de professores, entrevistas com mais velhos e as experiências vivenciadas como membro da comunidade que contribuiu significativamente na produção de dados. Os resultados do trabalho demonstram que a educação indígena Kaiowá e Guarani ocorre através de processos próprios de ensinoaprendizagem, dos saberes tradicionais, das concepções sobre territorialidade e sustentabilidade que se constitui a partir da cosmologia (mito) e potencializa saberes tradicionais como ciência no campo da educação escolar indígena.

    Palavras-Chaves: Processos Próprios de ensino-aprendizagem, Saberes Kaiowá e Guarani, Territorialidade e Sustentabilidade.

  • Data da Defesa: 31/03/2016
  • Download: Clique aqui
+ TAVYTERÃ REKO ROKYTA: OS PILARES DA EDUCAÇÃO GUARANI KAIOWÁ NOS PROCESSOS PRÓPRIOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM
  • Discente:
    • CLAUDEMIRO PEREIRA LESCANO
  • Orientador(a):
    • Heitor Queiroz de Medeiros
  • Resumo:

    Esta pesquisa apresenta os resultados da dissertação de mestrado, vinculada à Linha de Pesquisa “Diversidade Cultural e Educação Indígena”, do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Católica Dom Bosco, através do Grupo de Pesquisa Educação e Interculturalidade, e parte do Projeto de Pesquisa no Observatório de Educação Escolar Indígena – Núcleo Local, submetido ao Edital 049/2012/CAPES/INEP. A investigação é etnográfica e autobiográfica. Foi desenvolvida através de observação, visitas e conversas com os sábios, rezadores e crianças guarani e Kaiowá. Na sua descrição traz os vastos saberes indígenas que formam os pilares da educação Kaiowá, apontando orientações para a educação escolar indígena. A estrutura da dissertação se organiza da seguinte forma: no seu início traz a minha trajetória indígena como acadêmico, em seguida aponta análise e comparações sobre a organização social no território tradicional e atual do povo Kaiowá, os valores da sua educação tradicional, que forma os pilares da educação do povo, tais como: fases do desenvolvimento humano, ética cultural, instrumentos sagrados, conhecimentos sobre os guardiões do universo (Jára) e, por fim, descrevo o caminho da educação das crianças como menino (Kunumi) e menina (Chamiri). No final da pesquisa apresento os dados sobre o espaço e os valores da escola, o caminhar da escola na busca de ser Educação Escolar Indígena na comunidade e no sistema. A perspectiva teórica adotada para fundamentar a pesquisa foram os autores: Bhabha, Batalla, Bauman, Canclini, Fleuri, Grupione, Hall, Lopes da Silva, Melià, Nascimento, Tassinari, Walsh, Brand, entre outros, que participaram como interlocutores nas reflexões para a compreensão e análise dos dados produzidos durante a pesquisa.


    Palavras chaves: Educação Kaiowá, Saberes Tradicionais, Espiritualidade.

  • Data da Defesa: 30/03/2016
  • Download: Clique aqui
+ A LEI Nº 10.639/2003 E A FORMAÇÃO CONTINUADA PARA A DISCUSSÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICO- RACIAIS DO 6º AO 9º ANO EM UMA ESCOLA PÚBLICA ESTADUAL DE CAMPO GRANDE – MS COM ALTO IDEB
  • Discente:
    • SIMONE FERREIRA SOARES DOS SANTOS
  • Orientador(a):
    • José Licínio Backes
  • Resumo:

    Esta pesquisa está vinculada à Linha de Pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena, bem como ao Observatório Relações Étnico-Raciais, Gênero e Desigualdade Social no Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano em Escolas Públicas Estaduais de Campo Grande/MS, sendo financiada pela CAPES/OBEDUC. Inspira-se nos estudos étnico-raciais e no campo da interculturalidade. Tem como objetivo geral analisar a formação continuada dos professores para a discussão das relações étnico-raciais com base na Lei nº 10.639/2003 e suas Diretrizes do 6º ao 9º ano em uma Escola Pública Estadual de Campo Grande/MS com alto IDEB. Seus objetivos específicos são: a) contextualizar o IDEB da escola em relação ao IDEB municipal, regional e nacional; b) verificar se na política de formação continuada de professores está previsto um tempo para que o docente atualize sua formação; c) identificar se a política de formação continuada de professores estabelecida pela SED – Secretaria de Estado de  Educação de Mato Grosso do Sul contempla a formação para as relações étnico-raciais; d) perceber se os professores consideram importante a formação continuada para as relações étnico-raciais; e) descrever os principais meios de formação continuada aos quais os professores recorrem, com destaque para a questão das relações étnico-raciais; f) identificar se para os professores a experiência/prática docente contribui para buscar subsídios para a sua formação continuada para as relações étnico-raciais. A pesquisa foi de caráter qualitativo, e para coleta de dados foram realizadas entrevistas semiestruturadas com 12 professores e análise documental (Estatuto dos Profissionais da Educação Básica, Projeto Político- Pedagógico e Regimento Escolar). Pelos documentos analisados, pode-se afirmar que não há uma política de formação continuada para as relações étnico-raciais, apesar de essa discussão estar presente em alguns momentos na escola. A análise das entrevistas mostrou que o tempo para que o professor atualize sua formação e reflita sobre ela na escola pesquisada é muito pouco. De modo geral, a prática docente não tem produzido subsídios para a discussão das relações étnico-raciais. Ela não tem servido de subsídio porque os professores continuam com uma concepção elitista de cultura, ignoram o que determina a Lei e suas Diretrizes, não fazem a discussão das relações étnico-raciais de forma sistemática, ainda têm dificuldade e receio de identificar e trabalhar o racismo, veem práticas racistas como brincadeiras, estão mais preocupados em aumentar o IDEB e negam a existência do racismo. Concluímos que os professores entrevistados têm tido, na melhor das hipóteses, uma formação precária,  incipiente e insuficiente em relação discussão das questões étnico-raciais. A rigor, se tomarmos o que preconizam a Lei 10.639/2003 e suas Diretrizes, podemos concluir que ela ainda está por ser implementada.

    Palavras-chave: Formação continuada de professores; relações étnico-raciais.

  • Data da Defesa: 29/02/2016
  • Download: Clique aqui
+ OS DESAFIOS E AS POSSIBILIDADES DO TRABALHO DOCENTE NO ENSINO E APRENDIZADO DO ALUNO SURDO NA UNIVERSIDADE
  • Discente:
    • NAYARA DA SILVA CESARIO MARTINS
  • Orientador(a):
    • Flavinês Rebolo
  • Resumo:

    Este é um estudo vinculado à linha de pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente, do Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado, da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Teve por objetivo analisar o trabalho docente no processo de ensino e aprendizagem do aluno surdo na universidade. Os objetivos específicos foram: a) Identificar os desafios enfrentados pelos docentes na inclusão do aluno surdo em sala de aula; b) Identificar as práticas utilizadas pelos professores para trabalhar com o aluno surdo; c) Verificar as especificidades do relacionamento entre docente, intérprete, alunos surdos e ouvintes. Trata-se de uma pesquisa cuja abordagem é qualitativa e utilizou como instrumento para coleta de dados a entrevista semiestruturada. Participaram, como sujeitos da pesquisa, 16 professores do curso de licenciatura que ministraram aulas para alunos surdos, no semestre de 2014/B, na Universidade Católica Dom Bosco, em Campo Grande/MS. Os dados coletados foram trabalhados a partir da análise temática de conteúdo proposta por Schütze. Os resultados apontam que a maioria dos professores entrevistados buscou atender as necessidades educativas do acadêmico surdo. A pesquisa mostrou que vários foram os desafios durante o semestre para planejar e possibilitar o ensino do conteúdo em sala de aula. Foi possível identificar certo mal-estar, da parte desses docentes, por não conhecerem a Língua Brasileira de Sinais e não participarem dos diálogos com os alunos, além de dificuldades de relacionamento com os intérpretes educacionais. O referencial teórico, neste trabalho, percorreu quatro eixos temáticos como pilares do estudo: educação dos surdos, inclusão, trabalho docente e mal-estar/bem-estar docente. O aporte teórico foi garantido por autores como Skliar (2006), Quadros (1997; 2004; 2006), Lacerda (2006; 2013; 2014), Lopes (1998; 2013) - sobre educação de surdos; Tardif e Lessard (2011) – em relação ao trabalho docente e Jesus (1998), França (1997), Rodrigues e Rebolo (2012) - referentemente ao bem-estar docente.

    Palavras-chave: Professor universitário. Trabalho docente. Aluno surdo. Inclusão.

  • Data da Defesa: 26/02/2016
  • Download: Clique aqui
+ O BEM-ESTAR DOCENTE E A PRÁTICA DA ATIVIDADE FÍSICA: UM ESTUDO COM PROFESSORES DE UMA ESCOLA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE – MS
  • Discente:
    • SUZIANE FREITAS DE SOUSA
  • Orientador(a):
    • Flavinês Rebolo
  • Resumo:

    Este estudo está vinculado à linha de pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente, do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Católica Dom Bosco. Trata da prevalência da atividade física para a promoção do bem-estar docente, uma vez que a docência impõe exigências específicas que são verdadeiros desafios e contribuem para que as questões de ordem pessoal e orgânicas sejam colocadas em segundo plano. O objetivo foi analisar a prática de atividade física como um dos fatores que podem influenciar o bem-estar docente. Caracteriza-se como uma pesquisa exploratória e descritiva, de abordagem quantitativa e qualitativa. Os dados foram coletados por meio dos seguintes instrumentos e procedimentos: Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ), versão curta, para identificar o nível de atividade física dos docentes; a Escala de Bem-estar Docente (EBED), versão resumida, para identificar o bem-estar docente; a entrevista semiestruturada para aprofundar as informações a respeito da atividade física e o bem-estar docente. A escola lócus da pesquisa possui 130 professores e, desse total, 51 professores responderam à EBED e 49 preencheram o IPAQ. Os resultados obtidos e as análises procedentes revelam que os professores se encontram satisfeitos com o trabalho que desenvolvem, com o apoio que recebem para desenvolver suas atividades; o nível de atividade física dos professores é ativo e muito ativo. Por meio da entrevista semiestruturada foi possível verificar que a felicidade dos professores participantes é promovida pela interação com os alunos, com colegas de trabalho, pelo êxito nas atividades que desenvolvem e pelo reconhecimento social, que tem sido alcançado com formação, busca de conhecimento e troca de experiências. O bem-estar docente e a atividade física se fazem presentes, no grupo de professores pesquisados, e foram apontados de forma independente, sem apresentar relação de causa e efeito entre ambos, uma vez que este não foi o propósito deste estudo.

     Palavras-chave: Atividade Física. Professores. Bem-estar Docente. 

  • Data da Defesa: 24/02/2016
  • Download: Clique aqui
+ CLIMA ESCOLAR SEGUNDO OS PROFESSORES DE UMA ESCOLA PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE CAMPO GRANDE-MS: IMPLICAÇÕES PARA O TRABALHO DOCENTE
  • Discente:
    • PETER PAUL PEREIRA
  • Orientador(a):
    • Flavinês Rebolo
  • Resumo:

    Este estudo está vinculado à linha de pesquisa Práticas Pedagógicas e suas relações com a formação e trabalho Docente, do Programa de Pós-Graduação em Educação- Mestrado e Doutorado, da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Tendo como problema as implicações do clima escolar sobre o trabalho Docente, nosso objetivo foi analisar o clima escolar segundo a percepção dos professores de uma escola pública do Município de Campo Grande, MS e as implicações para o trabalho docente. Para tanto, foi desenvolvida uma pesquisa com abordagem qualitativa descritiva. Tendo como procedimentos metodológicos, a leitura de documentos referentes à organização da escola, questionário de clima escolar para identificar o clima segundo os professores, e entrevistas semiestruturadas com seis professores para identificar as implicações do clima escolar para o trabalho do professor. A pesquisa mostra que o clima dessa escola tem características que sugerem um clima aberto. Identificamos que existe uma relação entre clima escolar e o trabalho docente. Pudemos entender que as dimensões que compõem e o clima escolar têm implicações sobre o trabalho do professor. Com este estudo esperamos que possamos avançar sobre este tema, por entender que a discussão sobre o ambiente de trabalho pode ser uma das condições para melhoramos a educação no aspecto do ensino e da aprendizagem, bem como a valorização e bem estar do professor no interior dos ambientes educativos.

    Palavras-chave: Clima escolar; trabalho docente; Gestão escolar; Escola.

  • Data da Defesa: 22/02/2016
  • Download: Clique aqui
+ A PRÁTICA DOCENTE E A ORGANIZAÇÃO TEMPO/ESPAÇO NA PRÉ-ESCOLA
  • Discente:
    • GABRIELA WOLFF
  • Orientador(a):
    • Marta Regina Brostolin
  • Resumo:

    Este trabalho apresenta resultados da pesquisa, vinculada à Linha Práticas Pedagógicas e suas relações com a Formação Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco. Tem por objetivo geral analisar a organização tempo/espaço na pré-escola a partir da prática docente, pois entendemos ser necessário pensar em formas de organização do tempo e do espaço que evitem as rotinas do Ensino Fundamental e que qualquer avanço no cenário da Educação infantil, precisa ser feito a partir da reflexão sobre as práticas existentes. Os objetivos específicos visam descrever o processo histórico de construção da Educação Infantil na legislação brasileira, pesquisar o trabalho realizado pelos professores da pré-escola (organização tempo/espaço), identificar o perfil e levantar a concepção de criança destes profissionais utilizando como aporte teórico a Sociologia da Infância e autores como Corsaro (2011), Kramer( 1993; 1995; 1999; 2003; 2005), Barbosa (2006), Zabalza (1998) e Horn (2004) entre outros. A metodologia aplicada à pesquisa foi à qualitativa e os instrumentos de coleta de dados utilizados foram a observação, a entrevista semiestruturada e o registro por meio de anotações no diário de campo e fotos. Os sujeitos da pesquisa foram duas docentes que atuam em turmas pré-escolares em escola da rede municipal de ensino de Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Os resultados demonstram que a organização do tempo/espaço na pré-escola é fruto da concepção de criança, docência e educação dos adultos envolvidos. Não é possível afirmar que as crianças foram protagonistas na construção do tempo/espaço da pré-escola, pois não atuaram no planejamento e na organização deste, embora tenham interagido com ele, e estabelecido significativas relações com os sujeitos ali presentes. Conclui-se que na realidade pesquisada esta organização se dá por meio de uma prática com fortes componentes de uma pedagogia tradicional e com traços marcantes de uma postura adultocêntrica. Tal espaço demonstra privilegiar o controle dos corpos e a alfabetização, deixando o brincar como atividade secundária.

    PALAVRAS-CHAVE: Prática docente.  Pré-escola.  Organização tempo/espaço.

  • Data da Defesa: 14/12/2015
  • Download: Clique aqui
+ A EDUCAÇÃO DA CRIANÇA DE 0 A 3 ANOS – UM OLHAR PARA A PRÁTICA DOCENTE
  • Discente:
    • IRAILDES SALES DOS SANTOS DELMONDES
  • Orientador(a):
    • Marta Regina Brostolin
  • Resumo:

    A pesquisa de Mestrado, intitulada “A educação da criança de 0 a 3 anos – um olhar para a prática docente”, inserida na linha de pesquisa Práticas Pedagógicas e Suas Relações com a Formação Docente do curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Educação – UCDB tem por objetivo geral analisar  a prática  docente realizada na creche caracterizando  os saberes do professor de educação infantil. Os objetivos específicos visaram investigar as práticas pedagógicas  desenvolvidas pelo professor na creche, caracterizar o perfil do professor e, por último, identificar os saberes que constituem sua profissionalidade. A metodologia aplicada à pesquisa foi a qualitativa e os instrumentos de coleta de dados utilizados foram a observação, a entrevista semiestruturada, o registro por meio de anotações no diário de campo, fotos e a leitura documental. Os sujeitos da pesquisa foram as professoras que atuam no Berçário e na  Creche I  no CEINF SOL, em Campo Grande, Estado de Mato Grosso do Sul.  A abordagem teórica teve como principais referências autores que discutem a infância de forma contextualizada em suas diferentes dimensões, entre os quais destacamos: Kuhlmann (1998), Kramer (2011), Kishimoto (1999, 2002, 2005), Sarmento (2002, 2004, 2007), Oliveira-Formosinho (2002), Oliveira (2002), Corsaro (2002) entre outros. Os resultados apontam que a concepção de criança das professoras apresenta um tipo de criança idealizada, feliz, sonhadora, brincante. A concepção de Educação Infantil aponta a preocupação dos docentes em tornar o ceinf um espaço  que  proporciona  o  desenvolvimento  integral  das  crianças  porque  valoriza  o brincar como atividade central da infância e possibilita a construção de autonomia. Ao  tratar do profissional que atua com a criança pequena constatamos que  as mesmas possuem formação especifica para a função que exercem e, em relação aos saberes docentes, os professores têm concepções diferentes. Finalmente, é possível afirmar que quanto às práticas pedagógicas e sociais, as crianças realizam as atividades que lhes são propostas, algumas atividades são dirigidas, e durante a execução da rotina existem poucas atividades livres.

     Palavras-chave: Educação infantil: creche. Prática pedagógica. Saberes docentes.

  • Data da Defesa: 10/12/2015
  • Download: Clique aqui
+ A LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA NO ÂMBITO DO PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA (PARFOR) NA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL (UEMS) – (2009-2013)
  • Discente:
    • ANDRÉ MIRANDA DOS SANTOS JUNIOR
  • Orientador(a):
    • Celeida Maria Costa de Souza e Silva
  • Resumo:

    Esta pesquisa está inserida na Linha de Pesquisa 1 - Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), financiada pelo Observatório de Educação (OBEDUC) em parceria com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), vinculada ao projeto “Políticas de Expansão da Educação Superior no Brasil” desenvolvido pela rede Universitas/Br. Tem como objeto de pesquisa a implantação da licenciatura em Educação Física executada no âmbito do Plano Nacional de Formação de Professores de Educação Básica (PARFOR), na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul e desenvolvida na Unidade Universitária de Jardim-MS. O recorte temporal compreende os anos entre 2009 e 2013. Utilizamos esse período por ser o ano de 2009 de implantação do PARFOR em nível nacional, que executou a partir de 2010 a licenciatura pesquisada; e o ano de 2013, o de conclusão dessa turma no âmbito do Plano. O objetivo geral é analisar o processo de implantação da primeira turma de licenciatura em Educação Física no âmbito do PARFOR, na UEMS. Tem os seguintes objetivos específicos: investigar o processo de implantação do PARFOR no âmbito da política pública educacional brasileira; verificar o PARFOR, no que se refere à demanda de formação de professores da educação básica nacional; e, examinar a implementação da licenciatura em Educação Física no âmbito do PARFOR, na UEMS/Jardim. A questão norteadora é: Como ocorreu o processo de implantação dessa licenciatura, no âmbito da política pública educacional denominada Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (PARFOR), executada na UEMS? Utilizamos como procedimentos metodológicos a pesquisa de natureza qualitativa, bibliográfica, descritiva e documental. Elegemos como fontes, dados estatísticos e os documentos oficiais, a saber, a Constituição Federal de 1988; a Lei Federal nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996; a Lei Estadual nº 1461, de 20 de dezembro de 1993; a Lei Complementar nº 103, de 15 de março de 2004; o Decreto nº 6.755, de 29 de janeiro de 2009; a Medida Provisória nº 132, de 20 de outubro de 2003; as Deliberações, a Portaria Normativa nº 9; as Resoluções, as Atas, os Diários Oficiais e o Parecer do Conselho Estadual de Educação, que viabilizaram a implantação do PARFOR em nível nacional, no estado de Mato Grosso do Sul e na UEMS-Unidade de Jardim, em especial na licenciatura em Educação Física. Concluímos que o PARFOR não atingiu seus objetivos em relação à formação de licenciados em Educação Física na UEMS e que poderia ter ampliado seu raio de ação quando se propôs a atender a demanda interiorana do estado de Mato Grosso do Sul.

    Palavras-chave: Políticas Públicas Educacionais; PARFOR; Formação de Professores; Licenciatura em Educação Física.

  • Data da Defesa: 30/07/2015
  • Download: Clique aqui
+ POLÍTICAS DE FORMAÇÃO CONTINUADA: PROJETO PEDAGÓGICO EXPERIMENTAL DO CURSO DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS(2010-2013) - LUCIANA ABDONOR PEDROSO DA SILVA
  • Discente:
    • LUCIANA ABDONOR PEDROSO DA SILVA
  • Orientador(a):
    • Jefferson Carriello do Carmo ( permanente até 2013 / colaborador 2014 até 2015)
  • Resumo:

    A presente Dissertação investigou as políticas de formação continuada para professores da educação de jovens e adultos na Rede Municipal de Ensino no município de Campo Grande/MS. Vincula-se à Linha de Pesquisa Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente, doProgramadePós-Graduação-Mestrado e Doutorado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB)e se desenvolve no âmbitodo Grupo de Estudos e Pesquisas em Políticas Educacionais, Formação e Trabalho Docente (GEPPEFTD). O problema que norteou o desen- volvimento deste estudo é este: Como as políticas municipais de formação docente para Edu- cação de Jovens e Adultos (EJA) foram constituídas na Rede Municipal de Ensino (REME)no período de 2010 a 2013? O objetivo geral consiste em identificar as relações legais e constituí- las nas políticas nacionais e municipais de formação docente para Educação de Jovens e Adul- tos no âmbito da Rede Municipal de Ensino de Campo Grande-M. Se seus processos de imple- mentação no município. Os objetivos específicos ficaram assim definidos: 1) Identificar as po- líticas educacionais da Educação de Jovens e Adultos na década de 1990 e suas implicações para a modalidade EJA; 2) Descrever a implementação das políticas e programas para a Edu- cação de Jovens e Adultos na REME, no período de 2010 a 2013  e 3) Identificar as políticas de formação docente para a Educaçã o de Jovens e Adultos na Rede Municipal de Ensino de Campo Grande/MS no período de 2010 a2013.  A metodologi autilizada para alcançar os objetivos propostos nesta dissertação foi de cunho documental descritivo e bibliográfico em que foram estudados Leis, Resoluções, Pareceres, projetos e o documento norteador da EJA, os quais nos permitiram alcançar o objetivo da pesquisa, bem como responder ao problema que anorteou. Os resultados no spermitem apontar que o períodode 2010 a 2013 foi marcado pela elaboração do PPECEJA que deixou de enfatizar a formação continuada como principal instrumento para a melhoria da educação. Seu foco foi a prática pedagógica. As formações continuadas depor- dessores mostraram-se aligeiradas, fragilizadas e com caráter descontínuo. Constatou-se quase trata de uma política de formação docente para EJA que busca diminuir os efeitos da margina- idade, por meio de ações que atendem a modalidade EJA superficialmente e que não consoli- dam as necessidades da modalidade que busca a educação de qualidade e professores habilita- dos para atuarem com jovens e adultos. A formação dos professores para atuar na modalidade EJA com qualidade avançou, tendo em vista que em anos anteriores ao desta pesquisa tais cur- sos não aconteceram. Algumas fragilidades incidiram no âmbito da elaboração do PPECEJA no que se refere à formação continuada dos professores e à frequência dos cursos oferecidos. Entretanto, o investimento municipal acerca da capacitação para docentes da EJA em prol de uma educação melhor atendeu superficialmente às necessidades da modalidade e da formação docente, haja vista que os cursos oferecidos por meio de oficinas pedagógicas, projetos e pro- gramas no escopo da EJA não tiveram a desejada frequência na oferta.

    Palavras-chave: Políticas Educacionais, Educação de Jovens e Adultos. Rede Municipal de Ensino. Formação docente. 

  • Data da Defesa: 26/03/2015
  • Download: Clique aqui
+ REPRESENTAÇÕES DOS FUNCIONÁRIOS DE UMA ONG SOBRE ALUNOS EM SITUAÇÃO DE VULNERABILIDADE SOCIAL: IMPLICAÇÕES PARA A CONSTRUÇÃO DAS IDENTIDADES DESSES ALUNOS
  • Discente:
    • FLÁVIA MARA CUNHA FREIRE FIGUEIREDO
  • Orientador(a):
    • José Licinio Backes
  • Resumo:

    Esta dissertação de mestrado está vinculada à Linha de Pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena, do Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado e Doutorado, da Universidade Católica Dom Bosco – UCDB. A pesquisa teve como objetivo analisar as representações que professores e demais funcionários de uma ONG fazem dos alunos que estão em situação de vulnerabilidade social, relacionando-as com o processo de construção das identidades desses alunos. Os objetivos específicos foram: 1) Identificar como os professores e demais funcionários de uma ONG caracterizam os alunos que estão em situação de vulnerabilidade social; 2) Conhecer os fatores que os professores e demais funcionários de uma ONG apontam como produtores da vulnerabilidade social de alunos; 3) Verificar as expectativas que os professores e demais funcionários de uma ONG têm em relação aos alunos que estão em situação de vulnerabilidade social; 4) Identificar se as representações dos professores e demais funcionários lembram concepções essencialistas ou ainda concepções híbridas de identidades. O tema se justifica, pois a educação é um espaço de produção de identidades/diferenças e os professores e demais funcionários da ONG investigada, a partir de suas representações, têm um papel central nesse processo, considerando que tanto podem contribuir para a construção de identidades que questionem os processos de subalternização e a vulnerabilidade social como para reforçá-los. A pesquisa foi desenvolvida tendo como base a interculturalidade crítica, argumentando que a subalternização e a vulnerabilidade social são um produto das relações sociais de poder e das injustiças da sociedade neoliberal. Com base nesse referencial, os documentos e relatórios produzidos pela ONG em 2010 foram analisados.  A pesquisa mostrou que os professores e demais funcionários da ONG tendem a recorrer à lógica neoliberal, responsabilizando os sujeitos vulneráveis pela sua situação, a recorrer a punições e premiações para tentar controlar e enquadrar os sujeitos e a culpabilizar os familiares dos sujeitos vulneráveis, não considerando a dimensão social e intercultural do processo de construção das identidades/diferenças. Pela análise realizada, concluímos que as práticas e representações dos professores e demais funcionários da ONG contribuem para reforçar os processos de subalternização e de vulnerabilidade dos alunos atendidos. 

    Palavras-chave: identidade/diferença, representação, vulnerabilidade social.

  • Data da Defesa: 25/03/2015
  • Download: Clique aqui
+ A CRIANÇA INDÍGENA TERENA DA ALDEIA BURITI, EM MATO GROSSO DO SUL: O PRIMEIRO CONTATO ESCOLAR
  • Discente:
    • EDINEIDE BERNARDO FARIAS
  • Orientador(a):
    • Heitor Queiroz de Medeiros
  • Resumo:

    A presente pesquisa foi desenvolvida na Escola Municipal Indígena Alexina Rosa Figueredo, na aldeia indígena Buriti, da etnia Terena, localizada no município de Dois Irmãos do Buriti, em Mato Grosso do Sul. O objetivo, portanto, desta pesquisa é descrever os primeiros impactos sofridos pela criança indígena Terena no primeiro contato escolar ao ser inserida na pré-escola, analisando o diálogo estabelecido entre os saberes tradicionais familiares e os novos saberes da educação escolar indígena, o processo de socialização da criança indígena terena da Aldeia Buriti no contexto familiar, bem como a importância dos processos próprios de aprendizagem dessa criança indígena antes de chegar ao espaço escolar. A metodologia está fundamentada na abordagem qualitativa, buscando construir uma etnografia focada na experiência da própria pesquisadora que, ao mesmo tempo em que pesquisa, lança seu olhar sobre sua própria experiência como professora indígena na escola, a partir de onde desenvolve suas observações; também entrevista professores, anciãos da comunidade, mães de alunos da pré-escola, além das próprias crianças da pré-escola, buscando, com isso, adentrar no mundo da criança Terena. Os resultados da pesquisa demonstram que a criança indígena Terena, no seu cotidiano, aprende brincando, principalmente os saberes da cultura tradicional do povo, mostrando também que a escola tem sido um lugar de significativa aprendizagem dos conhecimentos do mundo ocidental para essas crianças. Os professores da Escola Municipal Indígena Alexina Rosa Figueredo, todos indígenas, estão buscando desenvolver trabalhos voltados à educação escolar indígena, pensando na ressignificação da cultura das crianças Terena, tendo como foco despertá-las para a revitalização da língua materna Terena, como afirmação de sua identidade. Buscam, também, fazer do espaço escolar, da educação escolar indígena, um ambiente onde a criança possa fortalecer seus valores, amparados na cultura tradicional Terena, para estabelecer, na prática, o direitogarantido às sociedades indígenas no Brasilpela Constituição Federal de 1988: uma educação escolar diferenciada, específica, intercultural e bilíngue, e tendo, para isso, o apoio das lideranças da aldeia, como os anciões. Da mesma forma, a pesquisa desenvolvida permite afirmar que o sistema de avaliação das escolas indígenas, por parte do governo, através da provinha Brasil, não está de acordo com a realidade dos povos indígenas e, em especial,dos Terena da Aldeia Buriti. Com essa avaliação, a escola passou a ser vista com olhares negativos, pelo município,passando a ser inferiorizada dentro da rede municipal de ensino, pelo fato de não conseguir atingir a meta planejada pelo MEC. 

    Palavras-Chave: Educação Escolar Indígena; Crianças Indígenas Terenas; Aldeia

  • Data da Defesa: 20/03/2015
  • Download: Clique aqui
+ PRÁTICA DOCENTE NA SALA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL: POSSIBILIDADES E IMPLICAÇÕES EM UMA ESCOLA ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL - MS
  • Discente:
    • APARECIDO DE SOUZA
  • Orientador(a):
    • Maria Cristina Lima Paniago
  • Resumo:

    Esta pesquisa de Mestrado,intitulada “Prática Docentena Sala de Tecnologia Educacional: Possibilidades e Implicações em uma escola estadual de Mato Grosso do Sul - MS” está inserida na linha de pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente do curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Educação – UCDB.Estabelecemos como objetivo geral analisar as possibilidades e as implicações do uso docente das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) na Sala de Tecnologia Educacional (STE) de uma escola pública estadual no município de Ribas do Rio Pardo – MS e, como objetivos específicos: analisar o Projeto Político Pedagógico (PPP)e os Planos de Aula no que concernemàs TIC; elencar e descrever as formações iniciais e continuadas relacionadas às TIC; analisar a prática docente mediada pelas TIC na STE. A pesquisa tem como base a abordagem qualitativa com delineamento descritivo-explicativo.Utilizamos como instrumentos de coleta de dadosos documentos PPP e os Planos de Aula, questionários e entrevistas semiestruturadas com 4 professoras que atuam na escola lócus da pesquisa.As análises mostraram que os professoresveema STE como um espaço relevante para melhoria da qualidade da aprendizagem ese esforçam para inserir o uso das TIC em suas práticas. Verificamos que em meio às práticas inovadoras, os desafios tecnológicos e pedagógicos tendem à manutenção de práticas tradicionais. Detectamosatravés dos relatos, que a grande quantidade de alunos matriculados por turma, a não familiaridade com o sistema operacional Linux, a ausência de diálogo com o Professor Gerenciador de Tecnologias e Recursos Midiáticos (PROGETEC), a má qualidade da internet, o número reduzido de computadores em funcionamento, a falta de manutenção e conservação dos equipamentos e softwares, causam-lhes estresse, desconforto e insegurança, comprometendo assim,a mediação e o aproveitamento das TIC em atividades educacionais.Em suma, consideramos fundamental o investimento para aperfeiçoamento da estrutura física e material da STE, bem como, a oferta de formações continuadas em conformidade com a demanda dos professores, para que a prática pedagógica contribua na construção de conhecimentos pelos alunos.

    Palavras – Chave: Prática Pedagógica. Tecnologia de Informação e Comunicação. Sala de Tecnologia Educacional.

  • Data da Defesa: 12/03/2015
  • Download: Clique aqui
+ POLÍTICA EDUCACIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO ENSINO TÉCNICO PROFISSIONAL NO ÂMBITO DA UNIDADE INTEGRADA SESI SENAI NO MUNICÍPIO DE RIO VERDE – GOIÁS (2006 – 2013)
  • Discente:
    • CLÉSIO FELICIANO DE SOUZA
  • Orientador(a):
    • Jefferson Carriello do Carmo
  • Resumo:

    Esta dissertação investiga as Políticas Educacionais de Formação de Professores do Ensino Técnico Profissional, no âmbito da Unidade Integrada SESI/SENAI, no município de Rio Verde – Goiás (UISSRV), no período de 2006 a 2013. Destaca o papel de como a política educacional de formação de professores do Ensino Técnico Profissional está submetida e consentida às novas formas de trabalho e produção na UISSRV. A pesquisa está vinculada à Linha de Pesquisa Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação, Mestrado e Doutorado, da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e articula-se ao Grupo de Estudos e Pesquisas em Políticas de Trabalho e Formação Docente. O objetivo geral consiste em investigar as políticas educacionais para a formação dos professores dos cursos técnicos profissionalizantes, e quais suas repercussões na Unidade Integrada SESI/SENAI no município de Rio Verde – GO. Quanto aos objetivos específicos, propusemos: a) apresentar as implicações do mundo do trabalho para as políticas de formação de professores para os cursos técnicos profissionalizantes; b) investigar as repercussões das políticas educacionais para a formação dos professores dos cursos técnicos profissionalizantes no contexto do SENAI, no Brasil e no estado de Goiás; c) verificar a possível submissão consentida das políticas de formação de professores para os cursos técnicos profissionalizantes, no âmbito da Unidade Integrada SESI/SENAI às novas exigências postas pelas formas de produção e trabalho. Como procedimento metodológico, optamos pela pesquisa bibliográfica e análise documental, pois oferecem os suportes necessários para analisar o material coletado na unidade SESI/SENAI, e outros documentos produzidos pelo governo federal. Os resultados permitem afirmar que, no âmbito das Políticas de Formação de Professores para Educação Profissional Técnica, existem poucas regulamentações. As diretrizes encontradas abordam, com poucos argumentos pedagógicos e políticos, essa formação, o que, de certa forma, nos leva a inferir se não seria uma forma encontrada pelo Estado de se desobrigar dessa formação, levando em consideração uma possível “submissão consentida” entre Estado e Instituições de Educação Profissional no sentido de que essa formação não seja de forma efetiva. Quanto a UISSRV, como foi possível verificar, por meio da pesquisa, há uma preocupação com a formação tanto inicial quanto continuada de seus docentes, já existindo uma política institucional de contratação de docentes com formação pedagógica e também amparo legal para complementação pedagógica em cursos de formação continuada.

  • Data da Defesa: 27/02/2015
  • Download: Clique aqui
+ O BEM-ESTAR NO TRABALHO DOS PROFESSORES DAS SALAS DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS - SURDEZ
  • Discente:
    • ANA PAULA TEIXEIRA MINARI DA ROSA
  • Orientador(a):
    • Flavinês Rebolo
  • Resumo:

    Esta dissertação vincula-se à linha de pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente do Programa de Pós-graduação em Educação - Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco. Como objetivo geral de pesquisa buscou-se analisar os fatores do trabalho que contribuem para o bem-estar dos professores das salas de recursos multifuncionais para atendimento educacional especializado para alunos com surdez. Buscouse traçar o perfil sociodemográfico desses professores; identificar o grau de satisfação desses professores com as condições do trabalho; identificar a satisfação/insatisfação dos professores com as formações específicas que realizaram na área da educação especial. Caracterizando-se como uma pesquisa de abordagem qualitativa, foram utilizados, como instrumentos de coleta de dados, questionário e entrevistas semiestruturadas. Participaram como sujeitos da pesquisa as cinco professoras que trabalham nas salas de recursos multifuncionais para atendimento educacional especializado para alunos com surdez, na Rede Municipal de Ensino de Campo Grande/MS. As referencias utilizadas para sustentar as reflexões sobre trabalho docente e formação de professores foram: Tardif, Lessard, Gauthier, Saviani, Nóvoa e Imbérnon, para o bem-estar docente: Csikszentmihalyi, Diener, Jesus, Seligman e Rebolo e para a educação especial: documentos/ legislações e autores como Jannuzzi, Mazzotta, Mendes e Miranda. Os dados coletados foram analisados a partir da proposta de Schütze, a fim de entender melhor como tais professores enfrentam as adversidades de seu trabalho e os aspectos que permitem a esse profissional sentir bem-estar no desempenho de suas atividades. Os resultados apontam que os professores investigados encontram-se satisfeitos com os fatores do trabalho docente, destacando altos índices de satisfação relacionado ao componente da atividade laboral, principalmente nos aspectos de uso da criatividade e identificação com as atividades realizadas, para o componente relacional o destaque apresenta-se no reconhecimento do trabalho realizado, a satisfação também esta presente no componente socioeconômico, evidenciando que possuem formação continuada efetiva para que possam desenvolver seu trabalho de forma satisfatória, entretanto indicam como necessárias formações/ grupos de trabalhos entre os profissionais que atuam nessa área, a fim de estabelecerem troca de ideias/ informações/ experiências e discussões de casos. No que se refere ao componente infraestrutural verifica-se que a avaliação apresenta índices de insatisfação principalmente quanto a instalações e condições gerais de infraestrutura.

    Palavras-chave: trabalho docente; bem-estar docente; sala de recurso – surdez; formação de professores

  • Data da Defesa: 27/02/2015
  • Download: Clique aqui
+ O BEM-ESTAR DOCENTE NO CONTEXTO DE ESCOLAS INCLUSIVAS: UM ESTUDO COM PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE JI-PARANÁ – RO
  • Discente:
    • SIMONE ALVES SCARAMUZZA
  • Orientador(a):
    • Flavinês Rebolo
  • Resumo:

    Este trabalho vincula-se à linha de pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente do PPGE em Educação da Universidade Católica Dom Bosco. Nesta pesquisa buscou-se investigar os fatores que possibilitam ou dificultam o bem-estar dos professores que atuam nos anos iniciais do ensino fundamental, em escolas da Rede Municipal de Educação de Ji-Paraná, Rondônia, e que possuem alunos deficientes inclusos. Os objetivos específicos foram: identificar o grau de satisfação/insatisfação desses professores com o trabalho docente e com sua formação inicial e continuada e identificar as estratégias de enfrentamento utilizadas pelos professores frente às situações adversas do cotidiano escolar. O referencial teórico apoia-se na Psicologia Positiva com os autores: Csikszentmihalyi; Jesus; Rebolo; Seligman, entre outros; e em autores das Ciências da Educação: Tardif e Lessard; Nóvoa; Imbernón, entre outros que abordam o trabalho e a formação docente.Utilizando a abordagem qualitativa, os dados foram coletados por meio de questionário e entrevistas semiestruturadas. O questionário foi aplicado em outubro e novembro de 2013 em vinte professores, sendo dois homens e seis mulheres. As entrevistas foram realizadas com seis professoras, no período de janeiro a abril de 2014. Os resultados mostram que a maioria dos docentes está satisfeita com o trabalho. As docentes entrevistadas afirmaram que, no início da carreira, as emoções vividas foram de medo e insegurança, mas que também houve encantamento; sobre a formação, algumas afirmaram que a graduação não contribuiu de forma efetiva para a docência; apontam a precariedade das condições de trabalho e consideram a inclusão como necessária e desafiante, mas que não houve a preparação necessária dos professores para atuar de forma eficiente com os alunos com deficiências. O enfrentamento das dificuldades para a realização do trabalho foi feito por meio dos planejamentos de aula, divisão da classe por nível de desenvolvimento, com reforço, com o distanciamento do problema e com buscas de informações e conteúdos na internet.  Esses enfrentamentos contribuíram para a construção do bem-estar dessas professoras.

    Palavras-Chave: Bem-estar docente. Educação Inclusiva. Trabalho Docente. Professores.

  • Data da Defesa: 26/02/2015
  • Download: Clique aqui
+ O PIBID E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DOS PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA - THAÍS CARDOZO DE SOUZA DOS SANTOS
  • Discente:
    • THAÍS CARDOZO DE SOUZA DOS SANTOS
  • Orientador(a):
    • Marta Regina Brostolin
  • Resumo:

    Esta dissertação vincula-se à Linha de Pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente. Tem como objetivo geral analisar se as ações do Pibid desenvolvidas na escola possibilitam o desenvolvimento profissional aos professores da educação básica envolvidos no processo formativo dos acadêmicos bolsistas. A pesquisa possui uma abordagem de cunho qualitativo para retratar a perspectiva dos cinco participantes. Como procedimento técnico-metodológico realizou-se os seguintes passos: um levantamento teórico por meio da pesquisa bibliográfica sobre o tema formação e desenvolvimento profissional docente; leitura dos documentos que embasam o Pibid em âmbito nacional e institucional; entrevista semiestruturada com o professor-supervisor e os docentes da educação básica ligados diretamente às ações do Pibid na escola.  Os resultados apontam que os sujeitos da pesquisa percebem a escola como principal espaço da aprendizagem à docência, tanto para aqueles que estão a mais tempo na profissão, bem como para os acadêmicos bolsitas inseridos no ambiente escolar. O subprojeto Pibid/Pedagogia/UFMS tem além da preocupação com a formação inicial dos acadêmicos bolsistas uma responsabilidade com a melhoria da educação na escola em que atua, visa a troca de experiências e interferência positiva no cotidiano da escola e do professor da educação básica. As atividades desenvolvidas pelo programa na escola possibilitam a interação, momentos de reflexão sobre a prática e estudos teóricos e assim permitem o desenvolvimento profissional dos acadêmicos-bolsistas e dos demais professores da escola. Porém, entende-se que há necessidade de um estímulo maior para que os professores da escola se envolvam mais  com o Pibid.

  • Data da Defesa: 11/12/2014
  • Download: Clique aqui
+ A AÇÃO DO COORDENADOR PEDAGÓGICO NO CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DE CAMPO GRANDE/MS
  • Discente:
    • ANA CRISTINA CANTERO DORSA LIMA
  • Orientador(a):
    • Marta Regina Brostolin
  • Resumo:

    Este trabalho, vinculado à linha de pesquisa Práticas Pedagógicas e suas relações com a Forma­ção Docente, tem como objetivo investigar a ação do coordenador pedagógico que atua no Centro de Educação Infantil de Campo Grande/MS. O escopo teórico desta pesquisa conta com estudos voltados à infância, especialmente da sociologia da infância, reflexões a respeito da formação de professores desencadeadas por um processo de formação centrado na escola. A pesquisa teve uma abordagem qualitativa e buscou compreender as possibilidades de atuação do coordenador pedagógico em um Centro de Educação Infantil do Município de Campo Grande. A pesquisa contou com onze participantes dentre eles professores, equipe pedagógica e profissionais denominados recreadores. Utilizamos como instrumento para coleta de dados a entrevista semiestruturada. Muitas são as atribuições do coordenador pedagógico em relação ao apoio e direcionamento das ações dos docentes e os estudos demonstram a necessidade de realização de práticas que promovam a ampliação do diálogo e da escuta como uma das ferramentas que favorecem uma aproximação do professor às expressões culturais e sociais das crianças, possibilitando um trabalho pedagógico mais próximo da realidade e assim, das culturas infantis. Os relatos demonstram que a inserção do coordenador representou possibilidades de boas práticas serem desenvolvidas nas instituições de educação infantil. Conclui-se que nestes espaços institucionais, é preciso promover entre os pares momentos de escuta, diálogo e interações promotoras e responsáveis por uma pedagogia participativa na defesa de uma proposta de trabalho, na qual se mantêm professor e coordenador como aliados. Estes, organizam situações, realizam estudos, e conjuntamente definem abordagens e planejam as soluções possíveis para um melhor trabalho pedagógico.

  • Data da Defesa: 09/12/2014
  • Download: Clique aqui
+ A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE DOS ESTUDANTES EM UMA ESCOLA DA FRONTEIRA ENTRE O BRASIL E O PARAGUAI
  • Discente:
    • Lilia Odete Nantes de Oliveira
  • Orientador(a):
    • Neimar Machado de Sousa (permanente até 2012 / colaborador de 2013 até 2015)
  • Resumo:

    Essa pesquisa foi desenvolvida na Universidade Católica Dom Bosco- UCDB, vinculada à Linha de pesquisa “Diversidade Cultural e Educação Indígena”, sob o título “A Construção da Identidade dos Estudantes em uma Escola da Fronteira entre o Brasil e o Paraguai – MS – Brasil”. Foi pensada de modo a buscar respostas acerca do modo com que o multiculturalismo e a multi/interculturalidade influencia no processo de construção da identidade dos estudantes de pertencentes às cidades fronteiriças de Ponta Porã (Brasil) e Pedro Juan Caballero (Paraguai). O objetivo principal da pesquisa foi  identificar a construção das identidades híbridas, múltiplas, das crianças em uma escola da fronteira. Ao lado disso, buscou-se identificar como objetivos específicos os seguintes elementos: origem cultural das crianças que frequentam as escolas de fronteiras; propostas e ações das escolas em relação a estes estudantes estrangeiros e os motivos pelos quais os pais levam as crianças paraguaias a buscarem as escolas brasileiras, se é utilizada uma educação específica para esses estudantes, material didático específico e se existem projetos que visem uma educação isonômica e democrática para todos, se existe uma relação dessas ações que atenda à multi/interculturalidade. Observando o objeto de estudo com as informações obtidas foi possível observar que: a instituição escolar de fronteira carrega, além de seus objetivos educacionais recorrentes, a tarefa árdua de amenizar o impacto da problemática referente à identidade dos estudantes, porém, não se observa in loco, a preocupação em criar condições de valorização e de uma identidade múltipla, intercultural de respeito entre uma comunidade híbrida e diaspórica entre nativos e migrantes. Pois, é notório que impera a cultura brasileira, embora se reconheça o caráter heterogêneo em que se definem estes grupos e os vários elementos que os levam à constituição de experiências socioculturais e à condição de viverem suas infâncias num contexto diverso entre duas culturas. A pesquisa foi desenvolvida com base em estudo bibliográfico, documental, qualitativo, de caráter exploratório, histórico e explicativo, através de observações no diário de campo, questionários, análise de documentos e entrevistas. Os resultados demonstraram que as identidades dos alunos que estudam na fronteira são situacionais, relacionais, instáveis e passíveis de constantes reconstruções, as quais coexistem em um ambiente marcado por tensões e conflitos.

  • Data da Defesa: 13/11/2014
  • Download: Clique aqui
+ AS AÇÕES DO PIBID E A FORMAÇÃO DOCENTE NA PERSPECTIVA DOS ACADÊMICOS BOLSISTAS DA PEDAGOGIA/ UCDB
  • Discente:
    • EVELYN ALINE DA COSTA DE OLIVEIRA
  • Orientador(a):
    • Marta Regina Brostolin
  • Resumo:

    Esta dissertação está vinculada à linha de pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente do Programa de Pós-graduação em Educação - Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco e foi realizada com financiamento do Observatório de Educação – OBEDUC/ CAPES. O objetivo geral da pesquisa foi investigar e analisar as ações do PIBID para a formação docente dos acadêmicos bolsistas da Pedagogia – UCDB. Os objetivos específicos procuraram investigar como a identidade e os saberes profissionais são construídos pelos bolsistas em seus processos formativos na escola, identificar a relação entre saberes universitários e a prática docente desenvolvida na escola e pesquisar a concepção dos alunos bolsistas sobre o PIBID. Seguindo uma abordagem qualitativa com delineamento exploratório e descritivo, a coleta de dados foi realizada por meio de entrevistas com roteiro semiestruturado e registros da observação, com o intuito de conhecer as concepções e o trabalho desenvolvido por oito acadêmicos bolsistas participantes do PIBID, em uma escola pública, na cidade de Campo Grande/MS. O texto traz um breve histórico sobre a formação de professores no Brasil e os principais entraves para a docência na infância, partindo do pressuposto que a vivência na escola, ainda na formação inicial, é fundamental para a prática profissional. Evidencia também o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), lançado pelo MEC em 2007 e financiado pela CAPES, que visa possibilitar aos acadêmicos vivências dentro do espaço escolar. Os resultados revelam a importância do Programa para a formação inicial e para a inserção dos acadêmicos na prática docente, para promover a construção de identidade profissional e os saberes experienciais. Conclui-se que os bolsistas concebem a participação no PIBID como coformadora na iniciação à docência contribuindo de forma prática na construção de aprendizagens para a profissão, que é possível apenas no espaço e vivência na escola. 

  • Data da Defesa: 06/11/2014
  • Download: Clique aqui
+ EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO FUNDAMENTALNA FRONTEIRA BRASIL/PARAGUAI: REPRESENTAÇÕES E IDENTIDADES DE PROFESSORES PARA ATUAR NADIVERSIDADE CULTURAL
  • Discente:
    • Wanessa Pucciariello Ramos
  • Orientador(a):
    • Neimar Machado de Sousa (permanente até 2012 / colaborador de 2013 até 2015)
  • Resumo:

    Essa dissertação está vinculada ao Programa de Pós-Graduação - Mestrado e Doutorado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco, na Linha III -Diversidade Cultural e Educação Indígena. Tem como objetivocompreender as representações e as identidades de professores de Educação Físicaque atuamna diversidade cultural no contexto escolar, das escolas próximas ou não da linha de fronteira, de Ponta Porã/Brasil e Pedro Juan Caballero/Paraguai.Tendo como objetivos específicos: 1- discutir a construção das identidades e as representações de professores de Educação Física na sua formação inicial; 2- identificar como os professores atuantes na região de fronteira percebem as identidades culturais de alunos no Ensino Fundamental das escolas públicas desse município de Ponta Porã; 3- descrever as representações que os professores fazem de seus alunos percebendo a diversidade cultural nas aulas de Educação Física; 4- Perceber como os professores de Educação Físicaestão trabalhando as identidades e diferenças, em suas aulas. Entendendo que a construção das identidades e diferenças culturais desses professores de Educação Física se faz antes, durante e depois de sua formação acadêmica inicial, por meio de suas escolhas e de suas vivências culturais e sociais nosdiversos contextos das múltiplas relações.Além disso,também pode ser compreendido nas suas ambivalências, o que influi nas suas representações para perceber as identidades e diferenças culturais de seus alunos. Como procedimento metodológico recorreu-se à pesquisa bibliográfica dos conceitos de identidade, diferença, representação, fronteiras e Educação Física, e a diversidade cultural. E a pesquisa de campo, por meiode entrevistas semiestruturadas com professores que atuam nas escolas de linha de fronteira ou não, na identificação das percepções e representações desses professores quanto à diversidade cultural de seus alunos nas aulas e ainda relatos de história oral de suas construções de identidades e representações.Como resultado, é possível destacar que as vivências e as histórias desses profissionais da Educação Física marcaram suas identidades e representações que têm repercutidonas suas representações, percepções e construção de identidades em suas ações nos espaços escolares no Ensino Fundamental, quanto à diversidade cultural presente nas escolas, lócus da pesquisa, em Ponta Porã.

  • Data da Defesa: 19/10/2014
  • Download: Clique aqui
+ A FORMAÇÃO EM ARTES CÊNICAS (TEATRO E DANÇA): CONTRIBUIÇÕES PARA O TRABALHO E O BEM-ESTAR DOS PROFESSORES DE ARTE DE CAMPO GRANDE/MS.
  • Discente:
    • CHRISTIANE GUIMARAES DE ARAUJO
  • Orientador(a):
    • Flavinês Rebolo
  • Resumo:

    Este trabalho está vinculado à linha de pesquisa “Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente”, do Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado, da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Teve por objetivo analisar como o curso de Artes Cênicas e Dança da Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul (UEMS) contribuiu com os professores de Arte da educação básica em Campo Grande, Mato Grosso do Sul na melhoria do seu trabalho e na construção de seu bem-estar docente. Para tanto, foi desenvolvida uma pesquisa de abordagem qualitativa, com os seguintes procedimentos metodológicos: pesquisa bibliográfica e documental (para contextualizar o curso em questão), além de questionários (para traçar o perfil dos alunos do curso) e entrevistas semiestruturadas com três desses alunos que já atuavam como docentes nas escolas (com vistas a identificar como a formação oferecida pela UEMS está influenciando ou não a sua prática docente)e também a utilização da escola de Satisfação no Trabalho (para investigar o nível de satisfação as dinâmicas que constituem o bem-estar no trabalho). Os teóricos utilizados para discutir a questão do bem-estar docente foram: Mihaly Csikszentmihalyi, Martin Seligman, Saul Jesus e Flavinês Rebolo; para refletir sobre a formação e o trabalho docente foram Maurice Tardif , Antônio Nóvoa, Francisco Imbérnon, entre outros; e para a linguagem das Artes: Marcia Strazzacappa, Duarte Júnior e Ana Mae Barbosa. A pesquisa mostra que, na visão dos alunos, o Curso contribuiu para a melhoria da sua prática e que se sentem mais satisfeitos e confiantes como professores por terem ampliado seus conhecimentos para o trabalho na escola. Com este estudo tem-se a expectativa de colaborar para com a ampliação do campo científico das pesquisas sobre a formação de professores, de bem-estar no trabalho docente e da Dança para o contexto escolar. 

  • Data da Defesa: 02/10/2014
  • Download: Clique aqui
+ O PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA ESCOLA - PDE- ESCOLA NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CAMPO GRANDE-MS (2007-2010): A EXPERIÊNCIA EM UMA UNIDADE ESCOLAR
  • Discente:
    • Adão Luiz de Jesus Almiron
  • Orientador(a):
    • Regina Tereza Cestari de Oliveira
  • Resumo:

    O objetivo geral desta dissertação é analisar as implicações do Plano de Desenvolvimento da Escola (PDE - Escola) - uma ação do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE),  instituído no Governo Luiz Inácio Lula da Silva, para o fortalecimento da autonomia de gestão escolar, na perspectiva do governo, em uma escola da Rede Municipal de Ensino de Campo Grande-MS, no período de 2007 a 2010. A pesquisa vincula-se ao Grupo de Estudos e Pesquisas Políticas Públicas e Gestão da Educação (GEPPE), pertencente à Linha de Pesquisa Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente, da UCDB. Os objetivos específicos são: a) investigar o processo de elaboração do PDE - Escola, no âmbito de uma unidade escolar; b) examinar a participação dos segmentos escolares no processo de elaboração e implantação do Plano estratégico na escola selecionada; c) verificar como se deu o apoio técnico à unidade escolar por parte da Secretaria Municipal de Educação de Campo Grande, para elaboração do PDE-Escola. A investigação compreende a pesquisa bibliográfica, o levantamento e análise  de documentos oficiais, provenientes do Ministério da Educação e da Secretaria Municipal de Educação de Campo Grande, MS e da escola selecionada para estudo (plano de ação e projeto pedagógico), além da realização de entrevistas semiestruturadas com representantes dos segmentos escolares, ou seja, o diretor, um representante dos pais e um representante dos professores, que participaram do Grupo de sistematização, para elaboração e implantação do Programa. Os resultados indicaram que o PDE-Escola: promoveu a participação dos segmentos escolares no processo de elaboração e implantação do plano; propiciou melhor sistematização das ações da escola; promoveu a discussão sobre as possibilidades e limites das ações da escola, a partir do diagnóstico; colaborou com a melhoria da relação da escola com a comunidade; e apresentou uma perspectiva favorável à melhoria da média do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) nos anos seguintes a sua implantação. Além disso, mostraram que a Secretaria Municipal de Educação prestou assistência técnica à unidade escolar para elaboração do plano, por meio da elaboração do manual e do acompanhamento por ocasião do monitoramento e avaliação. Conclui-se que os entrevistados apresentam uma visão positiva do Programa, relacionada, principalmente, à possibilidade do recebimento de recursos financeiros. Evidencia-se a ausência de uma visão crítica do processo por parte dos diferentes segmentos escolares e o caráter centralizador do Programa, na medida em que os procedimentos são pré-determinados, fatores que não contribuem para o fortalecimento da autonomia da gestão escolar.

  • Data da Defesa: 20/08/2014
  • Download: Clique aqui
+ AS CONCEPÇÕES DE DESIGUALDADE SOCIAL DOS PROFESSORES DE UMA ESCOLA PÚBLICA COM ALTO IDEB
  • Discente:
    • Jucleides Silveira Pael Alcará
  • Orientador(a):
    • Ruth Pavan
  • Resumo:

    Esta dissertação vincula-se à Linha de Pesquisa Práticas Pedagógicas e Suas Relações com a Formação Docente do Curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Educação – UCDB, em consonância com o Observatório de Educação “Relações étnico-raciais, gênero e desigualdade social no ensino fundamental do 6º ao 9º ano nas escolas públicas estaduais de Campo Grande – MS”, financiado pela CAPES. Tem como objetivo geral analisar as concepções de desigualdade social dos professores dos anos finais do Ensino Fundamental de uma escola com alto desempenho no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica do 6º ao 9º ano (IDEB). Os objetivos específicos são: a) compreender em que momento histórico a desigualdade social começa a ser problematizada na educação e na formação de professores; b) Identificar se na escola com alto desempenho no IDEB a desigualdade social é apontada pelos professores como algo que interfere no processo educativo; c) Caracterizar as razões para a desigualdade social apontadas pelos professores; d) Utilizar os dados do INEP que contribuem para a caracterização da escola. Para a abordagem teórica utilizamos autores que discutem a educação, a desigualdade social, a transformação social, a avaliação externa e o IDEB: Arroyo (2010, 2011, 2013); Contreras (2002); Zeichner (2008a, 2008b); Freire (1982,1996, 2005, 2008) Guimarães-Iosif (2009); Penin (2009); Pavan (2005, 2013); Sacristán (1998); Santomé (2003, 2012) Carvalho (2011); Oliveira (2005); Freitas, D. (2013); Bauman (1999); Véras (2002);  Stoer, Magalhães e Rodrigues (2004); Cortesão (2012); Mattos (2012); McLaren (1997); Gatti (2013); Brasil (2013); Esteban (2005, 2012); Frigotto e Ciavatta (2003); Morgado  (2013); Saviani (1987, 2005, 2008, 2009, 2012), entre outros.  A abordagem da pesquisa é qualitativa e utiliza os dados disponíveis no Banco de Dados do INEP e entrevistas semiestruturadas com os professores.  Os resultados apontam que, no contexto da trajetória histórica da educação e formação de professores, as desigualdades passaram a ser problematizadas no decorrer dos anos 80, após o término da ditadura militar. As concepções dos professores denotam que as desigualdades interferem no processo educativo, pois ocorrem em razão do sistema econômico capitalista, que produz desigualdades de distribuição de renda, baixo poder aquisitivo dos pais, entre outros fatores.

  • Data da Defesa: 18/08/2014
  • Download: Clique aqui
+ REFLEXÕES SOBRE O TRABALHO DO DOCENTE DE LÍNGUA ESPANHOLA EM UM CURSO LIVRE DE IDIOMAS ONLINE
  • Discente:
    • Elidiana Marques Scariot
  • Orientador(a):
    • Maria Cristina Lima Paniago
  • Resumo:

    Esta dissertação vincula-se à Linha de Pesquisa: Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente, ligada ao Grupo de Estudos e Pesquisas em Tecnologia Educacional e Educação a Distância (GETED). Tem como objetivo geral analisar o trabalho do docente de língua espanhola na educação online, de uma instituição privada, com sede em Campo Grande/MS e objetivos específicos: 1. Caracterizar o processo de formação dos professores de língua espanhola de um curso livre de idiomas online;2. Identificar as concepções dos professores e dos alunos quanto ao trabalho e ao papel do profissional que atua em um curso de espanhol online e3. Entender as inter-relações estabelecidas entre os participantes no ambiente virtual de aprendizagem. A pesquisa proposta se baseia em uma abordagem qualitativa, na modalidade descritivo-explicativa e teve como procedimentos e instrumentos de coleta de dados a observação online, o questionário online, entrevistas presenciais e online e registro nos diários de campo.Os sujeitos da pesquisa são sete alunos e dois professores de um curso livre de espanhol online. Os resultados revelam que o professor que atua no curso de espanhol online investigado ingressou no contexto da modalidade a distância sem ter passado, anteriormente, por uma formação específica de como essa modalidade se estrutura. Assim, o “aprender fazendo” exerce papel fundamental sobre a sua atuação docente. Por isso, é imprescindível que o docente virtual invista em sua formação,pois eladará subsídios para que o professor reflita criticamente sobre quais instrumentos tecnológicos utilizar, como, quando, para que e por quê, além de levar em conta estratégias didáticas que proporcionem o diálogo, a colaboração e a reflexão crítica sobre as práticas educacionais. Além disso, o docente é o grande responsável pelo planejamento e execução das atividades síncronas e pelo desempenho de múltiplas funções dentro do ambiente virtual, como conteudista, tutor, mediador e avaliador, além da realização de atividades de ordem administrativa e burocrática. No caso específico do curso investigado, o excesso de atribuições assumido pelo professore a remuneração incompatível com o cumprimento de todas essas funções, aliados à falta de formação específica para se atuar na modalidade a distância, ao controle das ações docentes e à perda da autonomia tencionam o ofício do professor à proletarização.

  • Data da Defesa: 31/07/2014
  • Download: Clique aqui
+ CONCEPÇÕES DE PROFESSORES E ALUNOS SOBRE A WEB 2.0 EM DUAS ESCOLAS PÚBLICAS DE CORUMBÁ/MS
  • Discente:
    • Pedro Rodrigues de Miranda
  • Orientador(a):
    • Neimar Machado de Sousa (permanente até 2012 / colaborador de 2013 até 2015)
  • Resumo:

    Esta dissertação, vinculada à linha de Pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena e ao Grupo de Pesquisa Educação e Interculturalidade do curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Educação – UCDB tem como objeto a relação entre as tecnologias de informação e comunicação e a concepção em duas escolas públicas no município de Corumbá/MS. O objetivo é refletir sobre as concepções da WEB 2.0 de professores e alunos usuários da sala de informática de duas escolas públicas no município de Corumbá, MS. Os objetivos específicos consistem em: a) compreender a utilização dos recursos tecnológicos, especialmente os computadores e a internet, em duas escolas públicas, pelos professores e alunos; b) averiguar junto aos usuários das STEs o uso e os limites de uso das tecnologias da web 2.0; c) Analisar o Regimento Interno, Projeto Político Pedagógico das escolas pesquisadas, no que tange ao uso da WEB no processo Ensino Aprendizagem. Como procedimento técnico-metodológico, tendo em vista o pressuposto apresentado para a construção do presente projeto de pesquisa e a questão a ser investigada, optou-se por adotar técnicas qualitativas, com aporte etnográfico/netnográfico e documental. A perspectiva teórica adotada para fundamentar a pesquisa foram os autores dos estudos culturais e pós-coloniais, como Bhabha, Bauman, Fleuri, Hall e Augé, entre outros, que participaram como interlocutores nas reflexões, e também os autores que abordam a temática das tecnologias, como Castells, Bonilla, Lévy, Martino, Mattar, entre outros, para compreensão e análise dos dados produzidos durante a pesquisa. As avaliações da tecnologia e de suas repercussões no contexto social precisam seguramente tomar rumos mais claros e intensos nas atividades didáticas. Discussões sobre as tecnologias tornaram-se permanentes na maioria das instituições de ensino do mundo, realçando a pertinência e reforçando a necessidade dessa reflexão nas escolas brasileiras a respeito do uso de ferramentas tecnológicas. Educar na sociedade digital não é apenas ensinar como usar os aparatos tecnológicos no ambiente escolar, mas posicionar-se criticamente em relação a esses dispositivos, especialmente num contexto social em que os discursos ressaltam a necessidade de indivíduos adaptáveis, conectados e disponíveis para lidar com a rapidez na fluência de informações, tornando-se parte delas. A pesquisa demonstra que há um grande avanço, com relação ao uso das tecnologias pelos professores e alunos, como um recurso a mais na produção do ensino e conhecimento. Entretanto, há grandes desafios a superar rumo à construção de uma educação que contemple todas as formas de ensinar e aprender valendo-se de todos os recursos disponíveis que a sociedade moderna oferece.

  • Data da Defesa: 23/07/2014
  • Download: Clique aqui
+ PROEJA NO IFMS - CAMPUS CAMPO GRANDE O CURSO TÉCNICO INTEGRADO EM MANUTENÇÃO E SUPORTE EM INFORMÁTICA (2010 A 2013)
  • Discente:
    • Vanir Garcia
  • Orientador(a):
    • Jefferson Carriello do Carmo ( permanente até 2013 / colaborador 2014 até 2015)
  • Resumo:

    Esta dissertação analisa a relação entre os documentos produzidos pelo IFMS para a condução do curso de Manutenção e Suporte em Informática na modalidade Proeja e as políticas públicas educacionais que orientaram a implantação do Proeja em nível nacional. Vincula-se à Linha de Pesquisa Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente, do Programa de Pós-Graduação - Mestrado e Doutorado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e se desenvolve no âmbito do Grupo de Estudos e Pesquisas em Políticas Educacionais, Formação e Trabalho Docente/HISTEDBR. Os objetivos específicos estabelecidos foram: a) Identificar aspectos históricos da educação de jovens e adultos e suas relações com as políticas neoliberais; b) Analisar as políticas públicas de educação e os pressupostos legais que deram suporte para a implantação do Proeja no IFMS - campus Campo Grande e sua relação com o Ensino Médio integrado e a Educação Profissional; c) Investigar a implantação e condução do Curso Técnico Integrado em Manutenção e Suporte em Informática na modalidade Proeja no campus Campo Grande. Como procedimento de pesquisa utilizou-se da abordagem qualitativa, delimitando a análise documental e bibliográfica como procedimento técnico-metodológico. Os resultados nos permitem afirmar que houve uma fragilidade do Proeja no campus Campo Grande e as relações estabelecidas através dos documentos corroboram a hipótese de que a eficiência e a efetividade estão ligadas a várias causas. Percebe-se uma dificuldade em operacionalizar o programa de forma efetiva devido a vários fatores, pois o Proeja ao ser implementado não dispunha de uma estrutura organizacional suficiente para atender esse público e devido à ausência de um estudo aprofundado para se definir a proposta político-pedagógica, que realmente atendesse as necessidades dos envolvidos, mas por outro lado, o Proeja abre-se como uma oportunidade, um desafio, em se constituir, a partir de então, em um programa efetivo. 

  • Data da Defesa: 02/07/2014
  • Download: Clique aqui
+ AS CONTRIBUIÇÕES DA “OLIMPÍADA DE LÍNGUA PORTUGUESA - ESCREVENDO O FUTURO” PARA A FORMAÇÃO CONTÍNUA, O TRABALHO E O BEM-ESTAR DOCENTE: A EXPERIÊNCIA NAS ESCOLAS PÚBLICAS DE BANDEIRANTES/MS
  • Discente:
    • Andréa Cristina Barbosa Trentin
  • Orientador(a):
    • Flavinês Rebolo
  • Resumo:

    Esta dissertação vincula-se à Linha 2: Práticas Pedagógicas e suas relações com a Formação Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado, da Universidade Católica Dom Bosco - e ao Grupo de Pesquisa Formação, Trabalho e Bem-Estar Docente - GEBEM-UCDB. Tem como objetivo geral analisar a “Olimpíada de Língua Portuguesa - Escrevendo o Futuro”, como programa de formação continuada, e sua contribuição para a formação profissional e o bem-estar dos docentes. Os objetivos específicos foram: analisar a “Olimpíada de Língua Portuguesa - Escrevendo o futuro” como programa de formação continuada oferecido aos professores, contextualizando sua implementação nas escolas públicas de Bandeirantes/MS; identificando o grau de satisfação dos professores com a “Olimpíada de Língua Portuguesa - Escrevendo o futuro”, e as contribuições dessa formação para a melhoria do trabalho pedagógico e para o bem-estar docente. A pesquisa, de caráter qualitativo, teve o seguinte percurso metodológico: iniciou-se com a pesquisa documental nas escolas municipais, estaduais e Secretaria Municipal de Educação de Bandeirantes/MS. A segunda etapa de coleta de dados foi realizada com aplicação de um questionário, por meio do qual se identificou o nível de satisfação dos professores com o programa de formação oferecido pela OLP*. Dos 100 questionários enviados, 50 retornaram respondidos. A terceira etapa da coleta de dados foi realizada com a técnica do grupo focal e os dados foram analisados com a proposta de análise temática de conteúdo, de Schutze, analisando a formação da “Olimpíada de Língua Portuguesa - Escrevendo o futuro”, e sua contribuição para a formação profissional e pessoal do docente. Os resultados apontam que a formação de professores oferecida pela “Olimpíada de Língua Portuguesa - Escrevendo o futuro” foi considerado um elemento de bem-estar para os professores participantes da pesquisa. Os elementos de formação, trabalho e bem-estar docente precisam ser considerados quando se propõe uma reconceitualização da formação de professores. A pesquisa evidenciou, no entanto, que ainda há muito a ser realizado para que a formação de professores possa acontecer de forma contínua, fazendo parte do trabalho docente, e sendo um elemento de bem-estar e satisfação. 

  • Data da Defesa: 02/07/2014
  • Download: Clique aqui
+ AS RELAÇÕES PEDAGÓGICAS E SOCIAIS NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO INFANTIL: O PAPEL/LUGAR DA CRIANÇA NA PERSPECTIVA DO PROFESSOR
  • Discente:
    • Carla Graciete Lima dos Santos
  • Orientador(a):
    • Marta Regina Brostolin
  • Resumo:

    Este trabalho apresenta resultados da pesquisa, vinculada à Linha Práticas Pedagógicas e suas relações com a Formação Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco. Tem por objetivo geral analisar a  concepção de criança dos professores no espaço-tempo das relações pedagógicas e sociais no  contexto da Educação Infantil. Os objetivos específicos visaram a investigar a concepção dos  professores referente à criança por meio de suas práticas, a compreender as relações pedagógicas e sociais existentes entre o professor e a criança no cotidiano da instituição educativa e, por último, a analisar o papel/lugar da criança na construção do conhecimento na  Educação Infantil. A metodologia aplicada à pesquisa foi a qualitativa, e os instrumentos de  coleta de dados utilizados foram a observação, a entrevista semiestruturada e o registro por  meio de anotações no diário de campo, fotos e filmagens. Os sujeitos da pesquisa foram as assistentes e a professora que atuam na Creche I C no CEINF ―CC‖, em Campo Grande, Mato  Grosso do Sul. Os resultados demonstram que a concepção das professoras em relação às  crianças é de que estas são livres e naturais. Elas ainda conservam uma visão romântica da criança advinda da formação inicial, porém têm consciência de que as crianças são sujeitos de direitos, embora não os usufruam em sua totalidade. Quanto às relações pedagógicas e sociais,  as crianças realizam as atividades que lhes são propostas, as atividades são sempre dirigidas,  não têm a liberdade de fazer o que desejam, no tempo e no espaço que desejam. Em relação  ao papel/lugar da criança no processo de aprendizagem, as educadoras almejam uma rotina  mais flexível para preencher as lacunas existentes, mas sabem que essa mudança não depende  somente delas e, sim, de uma instância superior.

  • Data da Defesa: 26/06/2014
  • Download: Clique aqui
+ OS SABERES LOCAIS DOS ALUNOS SOBRE O AMBIENTE NATURAL E SUAS IMPLICAÇÕES NO CURRÍCULO ESCOLAR: UM ESTUDO NA ESCOLA DAS ÁGUAS – EXTENSÃO SÃO LOURENÇO, NO PANTANAL DE MATO GROSSO DO SUL
  • Discente:
    • Patrícia Honorato Zerlotti
  • Orientador(a):
    • Maria Aparecida de Souza Perreli (até 2014)
  • Resumo:

    Este trabalho, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado e Doutorado (PPGE), da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), e à linha de pesquisa “Práticas pedagógicas e suas relações com a formação docente”, tem como objeto de pesquisa os saberes dos alunos e a sua inserção no currículo escolar. Trata-se de um estudo exploratório, descritivo e explicativo, com abordagem qualitativa. A pesquisa foi realizada na Escola Municipal Rural Polo Porto Esperança – Extensão São Lourenço, na região do Pantanal de Mato Grosso do Sul. Os dados a respeito dos saberes dos alunos dessa Escola foram obtidos por meio da metodologia “geradora de dados” (descrita por Posey, 1986), tendo como sujeitos 12 estudantes, do 2º ao 5º ano que expressaram seus saberes durante a realização de entrevistas abertas (individuais e grupais), conversas informais, análises imagéticas, produção de desenhos, observações da região, entre outros procedimentos. Para a obtenção de dados sobre a presença dos saberes no currículo escolar, foram realizadas entrevistas semiestruturadas com as duas professoras, a coordenadora pedagógica e a diretora da Escola, além de análise de documentos da escola (Proposta Político Pedagógica), do professor (diário de classe) e dos alunos (cadernos), além do livro didático utilizado. O referencial teórico que auxiliou a reflexão sobre os dados obtidos se pautou nos estudos de autores como Antônio Carlos Diegues e Manuela Carneiro da Cunha, que conceituam e caracterizam o saber local ou tradicional, de Michael Apple, Tomaz Tadeu da Silva e Antônio Flavio Moreira, que discutem o currículo como uma construção social, e de Kenneth Zeichner, Paulo Freire, Peter McLaren e Vera Candau, que discutem a multiculturalidade e o diálogo intercultural no currículo, além de Enrique Leff, com o conceito de “saber ambiental” que sinaliza para a possibilidade de construção de um novo conhecimento produzido na interação dos saberes locais e o saber científico. A análise dos dados indica que os alunos detêm saberes diversos sobre a fauna, flora, o rio e as lendas relacionadas ao ambiente local. De modo geral, esses saberes são desconhecidos e pouco valorizados pela escola. Entre as razões desse fato está a lacuna na formação dos professores para o diálogo com os saberes dos alunos, bem como a precarização das condições de trabalho docente. Por outro lado, os dados também apontam para um potencial a ser explorado na construção de um currículo multicultural crítico, como por exemplo, a abertura e disposição das professoras, coordenadora e direção da escola para o diálogo com a comunidade local e os espaços nas formações continuadas oferecidas pelos órgãos gestores.

  • Data da Defesa: 09/06/2014
  • Download: Clique aqui
+ EDUCAÇÃO INFANTIL E TECNOLOGIA: UM OLHAR PARA AS CONCEPÇÕES E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DOS PROFESSORES
  • Discente:
    • Denise Tomiko Arakaki Takemoto
  • Orientador(a):
    • Marta Regina Brostolin
  • Resumo:

    Esta dissertação apresenta resultados da pesquisa vinculada à Linha 2, Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente, do Programa de Pós-Graduação Mestrado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco. Tem como objetivo geral analisar as concepções relacionadas à inserção das tecnologias nas práticas pedagógicas dos professores da educação infantil em duas escolas da Rede Municipal de Ensino de Campo Grande - MS. Para tanto, buscamos identificar a concepção e o uso das tecnologias no cotidiano do professor; investigar a formação para o uso das TIC e suas relações com as práticas pedagógicas; investigar e analisar as implicações do uso das TIC na prática pedagógica. Os sujeitos da pesquisa são 11 professoras que atuam na educação infantil em duas escolas municipais de Campo Grande - MS. A metodologia tem como base a abordagem qualitativa com delineamento descritivo e exploratório. Os instrumentos para a coleta de dados foram: o questionário, a entrevista semiestruturada e a observação de aulas. Os resultados apontam que o entendimento das professoras quanto ao termo tecnologia refere-se ao conceito de TIC e citam o computador, a televisão, o vídeo e o projetor de slides como as tecnologias utilizadas em suas aulas. Identificamos que, mesmo não tendo sido formadas para integrar as TIC ao currículo da educação infantil, as professoras utilizam-nas em suas práticas pedagógicas. As atividades desenvolvidas pelos sujeitos da pesquisa são centradas na figura do professor que busca o controle ou domínio da aula, sendo a televisão e o vídeo utilizados para ilustração, sensibilização e exposição do conteúdo de ensino, e também como forma de passatempo e descontração. Na sala de informática, as atividades são na maioria de uso de softwares baseados em jogos de estímulo a resposta certa ou errada ou de pintura. Em relação às implicações da utilização das TIC na prática pedagógica, inferimos que contribui para a inclusão digital e social; necessita de investimentos para aquisição de equipamentos e mobiliários e que o uso favorece o processo de interação e colaboração entre os alunos, contribuindo para o alcance do objetivo principal da escola que é a aprendizagem do aluno.

  • Data da Defesa: 05/06/2014
  • Download: Clique aqui
+ OGUATA PYAHU (UMA NOVA CAMINHADA) NO PROCESSO DE DESCONSTRUÇÃO E CONSTRUÇÃO DA EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA DA RESERVA INDÍGENA TE’ÝIKUE
  • Discente:
    • Eliel Benites
  • Orientador(a):
    • Adir Casaro Nascimento
  • Resumo:

    Este trabalho de dissertação está inserido no PPGE/UCDB, Linha 03: Diversidade Cultural e Educação Indígena, e faz parte do Projeto de Pesquisa-Núcleo Local (Submetido ao Edital 001/2009-CAPES/SECAD/DEB/INEP - Observatório de Educação Escolar Indígena) FORMAÇÃO DE PROFESSORES INDÍGENAS GUARANI E KAIOWÁ EM MATO GROSSO DO SUL: relações entre territorialidade, processos próprios de aprendizagem e educação escolar indígena. A pesquisa tem como objetivo principal descrever e analisar a trajetória do processo de desconstrução e reconstrução da Educação Escolar Indígena na Reserva Indígena Te’ýikue, buscando compreender como os processos próprios de ensino e aprendizagem são contemplados, favorecendo, dessa forma, maior aproximação e diálogo com os conhecimentos tradicionais. Os objetivos específicos são: a) Identificar os elementos que compõem o processo próprio de ensino e aprendizagem kaiowá e guarani; b) Identificar a escola como espaço de encontro e reconstituição dos valores kaiowá e guarani; c) Analisar as concepções dos professores e lideranças da comunidade que participaram do processo de implementação da educação escolar indígena diferenciada, na perspectiva do diálogo entre os conhecimentos; Descrever o processo de desconstrução do modelo escolar hegemônico da Reserva Indígena Te’ýikue, através da mudança de paradigmas na subjetividade dos professores indígenas. É uma pesquisa qualitativa feita por um professor indígena kaiowá e a produção de dados foi feita por meio de grupo de discussão e entrevistas com os professores e lideranças que acompanharam o processo de construção da educação escolar indigena. Os resultados deste trabalho apontam que o processo de construção da educação escolar indígena, os espaços alternativos como estratégias de subversão do currículo e a escola como espaço de encontro entre os saberes e espaços de reconstituição dos valores e conhecimentos tradicionais como ciência, constituem novos sujeitos interculturais.

  • Data da Defesa: 05/04/2014
  • Download: Clique aqui
+ OS GESTORES ESCOLARES E A DIVERSIDADE CULTURAL NAS ESCOLAS
  • Discente:
    • Rose Cristiani Franco Seco Liston
  • Orientador(a):
    • José Licínio Backes
  • Resumo:

    Esta dissertação vincula-se à Linha de Pesquisa III – Diversidade Cultural e Educação Indígena, mais diretamente ao Grupo de Pesquisa Educação e Diferença Cultural. Tem como objeto de pesquisa a análise da discussão que existe sobre a diversidade cultural no ambiente escolar, com foco na visão dos gestores e nas ações voltadas à formação docente e às práticas pedagógicas. Para tanto, construiu-se uma reflexão teórica inscrita na interculturalidade e na formação para a diversidade cultural. A pesquisa é de caráter qualitativo e utilizou, como instrumento de coleta dos dados, entrevistas semiestruturadas realizadas com oito gestores da rede pública de ensino da cidade de Costa Rica-MS. As entrevistas foram gravadas, transcritas e organizadas em cinco categorias: formação docente na visão dos gestores para a discussão das identidades/diferenças; o papel dos gestores no ambiente escolar; diferença e indisciplina: o olhar do gestor; escola e diferença: o olhar dos gestores; a função do gestor na desconstrução dos preconceitos. Elas foram analisadas em articulação com as reflexões teóricas, estas embasadas em autores como: Bhabha (1998), Hall (1997a; 1997b; 2000; 2003), Souza e Fleuri (2003), Bauman (2009; 2010; 2011; 2012), Candau (2008), Oliveira e Candau (2011), Vieira (2011), e Backes e Nascimento (2011). Os resultados sugerem, para alguns entrevistados, que a diversidade no ambiente escolar é algo que vem sendo discutido de forma aberta, com a participação da comunidade interna e externa, constando até como parte do currículo da escola. No entanto, para outros entrevistados a diversidade cultural ainda é algo a ser discutido de maneira mais objetiva, que rompa barreiras, pois muitos professores ainda não se sentem preparados para essas discussões dentro do ambiente escolar, principalmente quando os assuntos abordados são gênero, sexualidade e relação étnico-racial. Observou-se que a diversidade cultural ainda é algo que necessita ser repensado dentro da escola, dado que muitos entrevistados apresentaram visões folclorizadas e superficiais a respeito desse assunto, muitos gestores e professores, mesmo com a sua formação, também não se encontram preparados para a abordagem dessa temática dentro da escola. Isso porque, em algumas situações, não conseguiam enxergar o seu papel dentro desse ambiente, uma vez que, ao discutirmos sobre a diversidade cultural, percebe-se que esse assunto na maioria das vezes fora discutido somente quando surgiu algum problema que envolvia a diversidade ou em outros momentos, como em datas comemorativas, mesmo sabendo que esta temática deve fazer parte da proposta pedagógica da escola e ser discutida cotidianamente, para que uma educação intercultural torne-se uma realidade nas escolas.

  • Data da Defesa: 31/03/2014
  • Download: Clique aqui
+ O BEM-ESTAR DO PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE ENSINO DE CAMPO GRANDE, MS
  • Discente:
    • Elisangela Rodrigues Furtado
  • Orientador(a):
    • Flavinês Rebolo
  • Resumo:

    Esta pesquisa teve como objetivo descrever fatores de bem-estar dos professores de Educação Física que ministram aulas na Rede Municipal de Ensino em Campo Grande, Mato Grosso do Sul. O estudo  caracterizou-se como uma pesquisa exploratória, descritiva e de campo com abordagem quantitativa-qualitativa. Foram dois instrumentos utilizados para essa investigação: um questionário composto de três partes (perfil sociodemográfico, grau satisfação e insatisfação com o trabalho docente) e uma entrevista semiestruturada. No que concerne ao questionário, responderam a esse instrumento 84 professores, sendo 46 mulheres e 38 homens com média de idade de 34,9 anos. No que se diz respeito à formação acadêmica a maioria (60,7%) possui especialização. Em a satisfação dos  professores de Educação Física os componentes que apresentaram melhores resultados foram: às relações interpessoais e a atividade laboral. O maior índice de insatisfação foi em relação ao componente socioeconômico. A maioria dos investigados (80,8%) afirmou que se sente feliz com o seu trabalho, pois fazem o que gostam. No que concerne às dificuldades no trabalho, os docentes revelaram que utilizam de diferentes estratégias de enfrentamento para lidar com os problemas do dia a dia escolar.   A pesquisa qualitativa, por meio de entrevista semiestruturada, realizou-se com sete docentes sendo 5 mulheres e 2 homens com média de idade de 35,2 anos. As entrevistas revelaram que os professores, em sua maioria, vivenciaram durante a infância e adolescência a prática de atividades físicas, o que influenciou na escolha do curso. A formação profissional inicial foi marcada por decepção em relação ao conteúdo programático, porém demonstraram satisfação nas relações interpessoais, oportunidade de emprego no mercado de trabalho, desenvolvimento pessoal e profissional. No que diz respeito às condições de trabalho, os docentes demonstraram insatisfação com a infraestrutura e materiais didáticos. Os professores foram unânimes quando se referiram ao sentimento de gostar de ser professor de Educação Física.  Os motivos apontados para tal condição foram, serem reconhecidos profissionalmente, sentirem-se felizes com a profissão eleita, estabilidade no emprego, capacidade de superar os desafios e a boa relação interpessoal com colegas de trabalho, alunos e gestores. O presente estudo identificou entre os profissionais de Educação Física investigados fatores de satisfação e bem-estar com o trabalho docente.

  • Data da Defesa: 27/03/2014
  • Download: Clique aqui
+ A ESCOLHA DOS CONTEÚDOS DE ENSINO PELOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA DO ENSINO MÉDIO DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA): UM ESTUDO NO MUNICÍPIO DE JUÍNA, MATO GROSSO
  • Discente:
    • César Cristiano Belmar
  • Docentes:
    • Celeida Maria Costa de Souza e Silva
  • Resumo:

    Este trabalho está vinculado à linha de pesquisa “Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente”, do Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado, da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Teve por objetivo descrever e analisar os processos de seleção dos conteúdos matemáticos do Ensino Médio na Educação de Jovens e Adultos (EJA) realizados pelo professor. A pesquisa foi norteada pelas seguintes questões: De que forma os conteúdos do Ensino Médio são abordados nos documentos oficiais que orientam o currículo de Matemática para a EJA? Como e quando ocorre a escolha dos conteúdos matemáticos para o Ensino Médio/EJA? Quais os critérios e condicionantes dessa escolha? Em que medida as escolhas dos professores se articulam com as propostas dos documentos oficiais? Para auxiliar a reflexão sobre essas questões, o referencial teórico assumido contempla noções sobre currículo, com base em autores como Michael Apple, Tomaz Tadeu da Silva, Antônio Flávio Barbosa Moreira, Gimeno Sacristán, entre outros, com ênfase nos professores como sujeitos que selecionam os conteúdos escolares, bem como as condições e os elementos que incidem nesse processo. A pesquisa teve uma abordagem qualitativa e foi encaminhada como um estudo descritivo-explicativo. Os sujeitos investigados foram oito professores que lecionam Matemática no Ensino Médio da EJA na Rede Estadual de Ensino no município de Juína, MT. Os dados foram coletados por intermédio dos seguintes procedimentos metodológicos: (a) questionários direcionados aos professores, (b) entrevistas semiestruturadas realizadas individualmente com todos os professores, (c) observação não participante desses sujeitos durante a atividade de seleção dos conteúdos para compor o planejamento anual, e (d) análise de documentos que regulamentam o Ensino Médio na EJA (legislações, diretrizes e orientações curriculares), além de documentos da escola (Projeto Político Pedagógico), do professor (planejamentos, provas e diários de classe), dos alunos (cadernos) e livros didáticos. Os achados da pesquisa mostram que a seleção dos conteúdos ocorreu, num primeiro momento, durante a construção do planejamento anual, e num segundo momento, na transposição didática na sala de aula. Diversos fatores incidiram nesses momentos, compreendendo as seguintes dimensões: organizacional (calendário anual, período de contratação dos professores, situação funcional do professor), condições concretas de trabalho do professor (tempo destinado ao planejamento das aulas, jornada de trabalho) e pedagógico (saberes da docência, representações do professor sobre o aluno, carga horária da disciplina, recursos didáticos, pressão das avaliações externas). Os achados da pesquisa vêm corroborar a ideia de que a escola não é uma instituição neutra que difunde um conhecimento racional e objetivo; ela é sim, um espaço social que reflete as forças que engendram uma sociedade mais ampla. Os professores como agentes situados nesse espaço social têm suas escolhas influenciadas por ele.

    Palavras-Chave: Currículo de Matemática, Seleção de Conteúdos, Educação de Jovens e Adultos.

  • Data da Defesa: 13/03/2014
  • Download: Clique aqui
+ A PRÁTICA PEDAGÓGICA E A FORMAÇÃO DE PROFESSORES NA IMPLEMENTAÇÃO DE UMA ESCOLA EM TEMPO INTEGRAL: EXPECTATIVAS E DILEMAS
  • Discente:
    • Lohanna Carrilho de Melo
  • Orientador(a):
    • Leny Rodrigues Martins Teixeira (até 2013)
  • Resumo:

    Esta dissertação vincula-se à Linha de Pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente, ligada ao Grupo de Pesquisa Formação de Professores e Prática Docente FORPRAD/UCDB. Tem por objetivo descrever e analisar a prática pedagógica de professores de uma escola em tempo integral de Campo Grande, caracterizando suas expectativas e dilemas em relação ao início da implementação do projeto, tendo em vista o seu processo de formação para a mudança. Os objetivos específicos são: a) analisar os documentos oficiais, planos das Secretarias de Educação e das escolas que norteiam a implementação da escola em tempo integral; b) coletar dados dos professores pesquisados a respeito dos problemas e dificuldades para essa nova situação educacional em reuniões pedagógicas e c) identificar nos relatos dos professores a respeito das expectativas em relação ao projeto e o desenvolvimento do trabalho ao longo do tempo (5 anos). A pesquisa proposta se baseia em uma abordagem qualitativa na modalidade “descritivo-explicativa”, com a intenção de compreender o problema e tem por objeto de análise o projeto da Escola em Tempo Integral (ETI) e os relatos dos professores sobre a sua adaptação ao projeto. Será desenvolvida em três etapas: 1ª etapa - análise da proposta para a ETI e registro das reuniões pedagógicas em 2010; 2ª etapa - 1ª entrevista com 4 professores regentes desde 2009 e 3ª etapa – 2ª entrevista com 4 professores regentes, 2 professores do grupo anterior e 2 professores que iniciaram em 2012. Ao assumir a função de coordenadora pedagógica em uma ETI, chamou a atenção as dificuldades de implementação do projeto. Uma das dificuldades se devia à adaptação dos professores, que mesmo experientes mostravam insegurança na realização de suas atividades. Na realidade, frente ao novo projeto, os professores apresentavam características de professores iniciantes. O novo projeto parecia produzir um choque de adaptação ou de realidade, como se refere Veenman (1984). Além disso, interessava estudar como os professores reagiam frente à mudança. Logo, a pesquisa levanta dados que mostram o quão distante está a formação teórica que os docentes possuem da realidade encontrada na prática educacional. Esta distância entre teoria e prática é que irá ditar a necessidade de mudança do professor, conforme sua formação, o que não é um processo que se impõe externamente, mas uma necessidade que se instala a partir de desafios colocados pela realidade e assumidos pelo professor e que o leva a formar-se.

  • Data da Defesa: 12/12/2013
  • Download: Clique aqui
+ POLÍTICAS PÚBLICAS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL: O CURSO TÉCNICO EM AGROPECUÁRIA INTEGRADO AO ENSINO MÉDIO DA ESCOLA ESTADUAL REYNALDO MASSI – IVINHEMA – MS (2008-2010)
  • Discente:
    • Marcio Beretta Cossato
  • Orientador(a):
    • Jefferson Carriello do Carmo ( permanente até 2013 / colaborador 2014 até 2015)
  • Resumo:

     Esta dissertação investiga o processo de implantação do Curso Técnico em Agropecuária Integrado ao Ensino Médio da Escola Estadual Reynaldo Massi, de Ivinhema – MS, no período de 2008 a 2010. Destaca o papel da economia local e das políticas públicas de educação no processo de implantação e consolidação do Curso. Vincula-seà Linha de Pesquisa Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente do Programa de Pós Graduação em Educação, Mestrado e Doutorado, da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e articula-se ao Grupo de Estudos e Pesquisas em Políticas Educacionais, Formação e Trabalho Docente/HISTEDBR. O objetivo geral consiste em investigar como ocorreu o processo de implantação do curso técnico em Agropecuária integrado ao ensino médio, da Escola Estadual Reynaldo Massi, considerando a influência da economia local e as políticas públicas de educação para essa modalidade de ensino. Quanto aos objetivos específicos, propusemos: a) examinar o papel da economia local no processo de criação e implantação do Curso Técnico e demonstrar quais políticas públicas de educação profissional (nacionais e estaduais) possibilitaram a sua abertura; b) identificar, com base na documentação arrolada, o papel da prefeitura de Ivinhema e do Estado de Mato Grosso do Sul no processo de implantação e de manutenção do Curso. Como metodologia optamos pela pesquisa bibliográfica e documental que oferecem os suportes necessários para analisar o material coletado na unidade escolar, na Secretaria de Estado de Educação do Estado de Mato Grosso do Sul (SED/MS) e no Conselho Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul (CEE/MS). Os resultados nos permitem afirmar que o Curso Técnico em Agropecuária da Escola Estadual Reynaldo Massi (2008-2010) surgiu com base na necessidade de se preparar técnicos para suprir a demanda de mão de obra ligada às atividades agropecuárias surgidas em virtude da expansão econômica do município de Ivinhema. Por isso, inferimos que no processo de criação e instalação do curso, exerceu papel fundamental a economia local, que ao expandir-se gerou as condições necessárias para que o município abrigasse a instalação de um curso técnico integrado ao ensino médio. Os dados levantados também apontam que o curso Técnico em Agropecuária foi instalado tendo como base as políticas públicas de educação nacionais e estaduais, aliadas ao esforço das autoridades locais em prover as condições necessárias para o funcionamento do curso.

    Palavras-Chave: Políticas Públicas de Educação; Ensino Médio Integrado; Técnico em Agropecuária. 

  • Data da Defesa: 29/11/2013
  • Download: Clique aqui
+ PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CAMPO GRANDE, MS: O PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DOS CONSELHOS ESCOLARES (2007-2010)
  • Discente:
    • Carmen Ligia Caldas
  • Orientador(a):
    • Regina Tereza Cestari de Oliveira
  • Resumo:

    O objetivo geral desta Dissertação é analisar o processo de implantação dos Conselhos Escolares na Rede Municipal de Ensino de Campo Grande-MS, no contexto do Plano de Ações Articuladas (PAR), período 2007 a 2010, integrante do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), instituído em 2007, no segundo mandato do Governo Luiz Inácio Lula da Silva (2007-2010). A pesquisa vincula-se ao Grupo de Estudos e Pesquisas Políticas Públicas e Gestão da Educação (GEPPE), pertencente à Linha de Pesquisa Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente da UCDB, e contou com bolsa de estudo do IPEA/ANPEd. Os objetivos específicos são: a) verificar o processo de elaboração do PAR e as ações definidas pelo Município de Campo Grande-MS, referentes à dimensão gestão educacional, com base nas recomendações da Carta Constitucional, de outros textos legais e da proposta do Plano; b) examinar as estratégias utilizadas pela Secretaria Municipal de Educação para a implantação dos Conselhos Escolares na Rede Municipal de Ensino de Campo Grande-MS; c) verificar como os Conselhos Escolares se constituíram nas Unidades Escolares da Rede Municipal de Ensino de Campo Grande-MS, e qual a sua implicação para a participação de segmentos internos e externos na gestão escolar. Os procedimentos metodológicos compreenderam: pesquisa bibliográfica, levantamento e análise de documentos oficiais que regulamentam a política educacional em estudo, com destaque para o PDE, o Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação e o PAR do Município de Campo Grande; e entrevistas semiestruturadas com representantes da Secretaria Municipal de Educação (SEMED), responsáveis pelo PAR e com sujeitos de duas unidades escolares da Rede Municipal de Ensino de Campo Grande-MS, localizadas na zona urbana. Os dados mostram a implantação dos Conselhos Escolares por força do Decreto n. 10.900, de 13 de julho de 2009, e da Resolução SEMED n. 130, de 15 de julho de 2009. Conclui-se que os Conselhos Escolares foram implantados nas escolas da Rede Municipal de Ensino de Campo Grande-MS, em atendimento a um dos Indicadores do Plano de Ações Articuladas (PAR), evidenciando a indução do governo central, por meio do MEC, na sua implantação, como um dos instrumentos de gestão democrática.

  • Data da Defesa: 21/10/2013
  • Download: Clique aqui
+ O PAPEL DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE CAMPO GRANDE/MS NO PROCESSO DE ELABORAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DO PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS - PAR (2007 - 2010)
  • Discente:
    • Maria Edinalva do Nascimento
  • Orientador(a):
    • Regina Tereza Cestari de Oliveira
  • Resumo:

    Esta dissertação tem como objeto de pesquisa analisar o papel do Conselho Municipal de Educação (CME) de Campo Grande, Mato Grosso do Sul (MS), no processo de elaboração e de implantação do Plano de Ações Articuladas (PAR), integrante do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), no período de 2007 a 2010, correspondente ao segundo mandato do governo Luiz Inácio Lula da Silva. Está vinculada ao Grupo de Pesquisa “Políticas Públicas e Gestão da Educação” e à Linha de Pesquisa “Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente” do Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Os objetivos específicos foram: a) descrever o processo de elaboração e de implantação do PAR na Rede Municipal de Ensino de Campo Grande, MS; b) investigar a participação do Conselho Municipal de Educação de Campo Grande, MS, na definição de ações articuladas segundo as demandas apontadas pelo diagnóstico do PAR; e c) verificar em que medida o Conselho Municipal de Educação de Campo Grande, MS, articula-se com a Secretaria Municipal de Educação (SEMED) na implantação das ações definidas no PAR do município. Os procedimentos metodológicos compreenderam: análise de documentos oficiais constituídos pelo PDE, Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação e o PAR do Município de Campo Grande, MS, bem como Decretos, Pareceres e Resoluções municipais e atas das reuniões do CME; e realização de entrevistas de caráter semiestruturado com o (a) presidente (a) do CME, o (a) presidente da Câmara da Educação Básica (CEB/CME), o (a) presidente (a) da Câmara de Legislação e Normas (CLN/CME) e o (a) Conselheiro (a) indicado (a) para compor a equipe técnica de elaboração das ações do PAR. Os resultados mostraram que: o CME integrou a equipe técnica para elaboração do PAR do município, por intermédio de um representante; não houve repasse de informações, debates ou interlocução com essa equipe; os Conselheiros desconheciam a metodologia de elaboração do PAR; a interferência da Secretaria Municipal de Educação comprometeu a autonomia do CME. Concluiu-se que o Conselho Municipal de Educação de Campo Grande, MS, desempenhou um papel “técniconormativo”, não articulando as atribuições de acompanhamento e de participação social desse processo.

  • Data da Defesa: 21/10/2013
  • Download: Clique aqui
+ O DISCURSO DA EMPREGABILIDADE E SEUS EFEITOS SOBRE A IDENTIDADE DE JOVENS NO ENSINO MÉDIO DE UMA ESCOLA PÚBLICA EM CAMPO GRANDE - MS
  • Discente:
    • Carlos Alfredo Pettengill
  • Orientador(a):
    • Neimar Machado de Sousa (permanente até 2012 / colaborador de 2013 até 2015)
  • Resumo:

    Esta pesquisa vincula-se à linha de pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena, mais diretamente ao Grupo de Pesquisa sobre Educação e Interculturalidade; tendo como objetivo compreender os efeitos do discurso da empregabilidade sobre a identidade de jovens no ensino médio. Como procedimento técnico-metodológico utilizou-se a técnica da entrevista semi-estruturada com sete jovens do terceiro ano do Ensino Médio, cotejando com observações em sala de aula e no pátio da escola, na sua relação com a cultura imposta no ambiente escolar pelo discurso da empregabilidade. Como resultados obtidos observou-se a ambivalência das situações: a competição e o individualismo entre alguns alunos, cuja preocupação com a nota acontece em virtude de obter recompensas futuras. Esta ação da prática pedagógica de estimular a meritocracia provoca o isolamento e as disputas entre os jovens, pretendendo desmobilizá-los para atitudes cooperativas. A manifestação por parte dos alunos de uma busca pela convivência em grupo, associando-se em vários projetos em equipe na sala de aula, estabelecendo diálogo grupal durante os intervalos; portanto, hibridizando sua identidade entre aquilo que o discurso colonizador provoca à sua subjetividade. Estudos voltados à discussão de questões como as que foram abordadas nessa pesquisa podem contribuir para a construção de uma escola que valoriza a produção cultural local, uma vez que o currículo utilizado, até o momento, vem de uma cultura para o sucesso, como para a valorização da subjetividade na construção da auto-identidade dos estudantes.

  • Data da Defesa: 26/09/2013
  • Download: Clique aqui
+ REPRESENTAÇÕES DE NEGROS PRODUZIDAS POR ALUNOS, MEDIADAS PELA LEITURA DA OBRA “O MULATO”
  • Discente:
    • João Martos Rosa
  • Orientador(a):
    • José Licínio Backes
  • Resumo:

    Esta dissertação tem como objetivo analisar as representações do negro produzidas por alunos mediadas pela leitura da obra “o Mulato”. Ela está inserida na Linha de Pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena do Programa de Pós-Graduação - Mestrado e Doutorado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco – UCDB . Ela tem como objetivo geral, analisar quais representações a obra “O mulato” de Aluísio de Azevedo faz dos negros, e que tipo de identidades negras podem ser construídas por alunos do ensino médio, ao lerem esta obra. Inspira-se no campo dos estudos culturais que concebe que a identidade e a diferença são um processo dinâmico, mutável e fundamental para entendermos as sociedades e suas relações. Foram realizadas 3 entrevistas individuais e um grupo focal com cinco alunos de terceiro ano do ensino médio, de uma escola pública de um dos município do interior de Mato Grosso do Sul, totalizando assim 8 sujeitos. Os resultados mostraram que os alunos não se identificaram com o mulato, pois esse não foi bem sucedido, e não porque era negro. As representações produzidas inserem-se algumas vezes no mito da democracia racial e muitas vezes tendem a culpar o negro pela discriminação que sofre. Mas houve também o entendimento que a sociedade, a cultura e a mídia veiculam imagens negativas, o que contribui para que o negro seja discriminado e como uma tentativa de escapar ao preconceito não se identifica como negro. Concluímos que a disciplina de Literatura nas escolas pode ser um espaço importante de discussão racial e de construção de identidades, mas para isso é fundamental que o professor esteja preparado para mediar tal discussão com a finalidade de problematizar o tema.

  • Data da Defesa: 26/09/2013
  • Download: Clique aqui
+ PROVIMENTO DO CARGO DE DIRETORES ESCOLARES, NO ÂMBITO DO PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS (PAR), NA REDE ESTADUAL DE ENSINO DE MATO GROSSO DO SUL (2007-2010)
  • Discente:
    • Maria Elisa Ennes Bartholomei
  • Orientador(a):
    • Regina Tereza Cestari de Oliveira
  • Resumo:

    Este trabalho tem como objeto de investigação a forma de provimento do cargo de diretor escolar, no âmbito do Plano de Ações Articuladas (PAR) da Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul (MS), no período de 2007 a 2010. Vincula-se ao Grupo de Estudos e Pesquisas Políticas Públicas e Gestão da Educação (GEPPE), pertencente à Linha de Pesquisa “Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente” do Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). O objetivo geral é analisar como as ações referentes à forma de provimento do cargo de diretor escolar, se efetivaram no PAR dessa Rede de Ensino, no período de 2007-2010. Nesse período, o Governo Luiz Inácio Lula da Silva apresentou o Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) e instituiu o Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação, que oficializou o PDE para a Educação Básica, definindo a exigência da elaboração do PAR pelos governos subnacionais. Para isso, os objetivos específicos são: a) examinar, historicamente, a forma de provimento do cargo de diretor escolar na Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul no referido período; b) descrever o processo de elaboração do PAR nessa Rede de Ensino; c) verificar as ações relacionadas à forma de provimento do cargo de diretor escolar, assim como os indicadores, a pontuação, as estratégias e as justificativas definidos para a sua efetivação, segundo as demandas indicadas pelo diagnóstico do PAR; d) verificar se as ações definidas demandam apoio técnico e financeiro do MEC. Os procedimentos metodológicos compreendem: análise bibliográfica e de documentos oficiais, destacando-se o PAR da Rede Estadual de Ensino de MS, além de entrevistas de caráter semiestruturado com os seguintes representantes: da Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso do Sul (SED-MS); do Conselho Estadual de Educação de MS; c) da Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (FETEMS). Os resultados mostraram: a substituição da eleição, por meio de voto secreto e direto, pela seleção, incluindo curso de capacitação em gestão escolar, avaliação de competências básicas de diretores escolares, e, posteriormente, eleição e constituição de um banco único de dados, para provimento do cargo de diretor escolar; a efetivação de ações no PAR para formação de técnicos pedagógicos da SED/MS e professores, tendo em vista a certificação ocupacional; a definição no PAR de recursos financeiros do MEC, para pagamento de empresa especializada (privada), visando à execução da avaliação certificadora. Conclui-se que o PAR atendeu as demandas para efetivação de ações concernentes à forma de provimento do cargo de diretor escolar, uma vez que possibilitou a execução dessas ações, no âmbito da Dimensão 2 – “Formação de professores e dos Profissionais de Serviço e Apoio Escolar”, mediante assistência financeira proveniente do MEC, porém, não propiciou a gestão participativa e mudanças no conteúdo da gestão escolar.

    Palavras-chave: Política Educacional; Provimento do Cargo de Diretor Escolar; Plano de Ações Articuladas (PAR).

  • Data da Defesa: 18/09/2013
  • Download: Clique aqui
+ PROGRAMA UM COMPUTADOR POR ALUNO – PROUCA: FORMAÇÃO E PRÁTICA DOCENTE
  • Discente:
    • Ana Maria Ribas de Jesus
  • Orientador(a):
    • Maria Cristina Lima Paniago
  • Resumo:

    Esta pesquisa de Mestrado, intitulada “Programa um Computador por Aluno-PROUCA: Formação e Prática Docente”, inserida na linha de pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente do curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Educação – UCDB tem como objetivo geral analisar o PROUCA em uma escola pública estadual de Terenos-MS, tendo em vista a formação e a prática docente e se desdobra nos seguintes objetivos específicos: investigar as concepções dos professores sobre a formação continuada oferecida no PROUCA e analisar as implicações da formação oferecida pelo PROUCA na prática docente. A pesquisa tem como base a abordagem qualitativa, e como instrumento de coleta de dados foram utilizados questionários onlines, entrevista semiestruturada e observação. Os sujeitos da pesquisa são oito professoras que concluíram a formação oferecida pelo PROUCA entre os anos de 2010 e 2011. A abordagem teórica teve como principais referências autores que discutem a formação de professores, prática docente e a inserção do computador na educação, entre os quais destacamos: Gómez (1998), Garcia (1999), Nóvoa (1992, 1995), Imbernón (2009, 2011), Bebell e Kay (2010), Almeida e Valente (2011), Almeida e Prado (2011), Mendes e Almeida (2011), Sampaio e Leite (2008), Barreto (2009), Sancho e Hernandez (2006), Kenski (2003, 2010, 2013), Valente (1999), Zucker (2008, 2012), Rosen (2011), Penuel (2006), Karsenti e Collin (2011), Kay (1975), Zucker e Hug (2007) entre outros. Como resultados, podemos apontar que a presença dos computadores portáteis na escola trouxe consigo dúvidas, insegurança e o medo de trabalhar com algo desconhecido. As professoras perceberam mudanças nas suas práticas pedagógicas de cunho organizacional, técnico e pedagógico nas aulas mediadas pelo laptop. Por essa razão, argumentaram que necessitam de mais tempo para o planejamento, sugerem a necessidade da reorganização do currículo no tempo e espaço. Sentem que poderiam aperfeiçoar as suas práticas pedagógicas se a escola disponibilizasse de uma boa conectividade para o desenvolvimento das atividades. Para a maioria das professoras a formação oferecida no PROUCA foi muito teórica, pautadas na concepção da perspectiva acadêmica que engloba o enfoque enciclopédico. Percebemos também uma aproximação com a concepção na perspectiva de reconstrução social, no momento em que as professoras estabelecem diálogo sobre dúvidas técnicas do laptop com os alunos sem a mínima preocupação de manter uma “suposta autoridade” na sala de aula, e sim, em assumir-se como aprendizes dispostos a acolher e valorizar os conhecimentos dos alunos numa ação dialógica. Em suma, o PROUCA ainda possui desafios quanto à infraestrutura e a formação de professores. Nesse sentido, consideramos fundamental para o avanço do PROUCA, investimento para aperfeiçoamento da conectividade e capacidade técnica do laptop, bem como, implementação de formações reflexivas que não visam apenas atualização científica, pedagógica e didática, mas na possibilidade da criação de espaços participativos e reflexivos nas escolas.

  • Data da Defesa: 29/08/2013
  • Download: Clique aqui
+ ACESSO E PERMANÊNCIA DO ESTUDANTE DEFICIENTE NA EDUCAÇÃO SUPERIOR: ANÁLISE DO PROGRAMA INCLUIR NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL (2005 – 2010)
  • Discente:
    • Cleudimara Sanches Sartori Silva
  • Orientador(a):
    • Mariluce Bittar
  • Resumo:

    Esta Dissertação apresenta como objetivo geral analisar o Programa INCLUIR como mecanismo de acesso e permanência dos estudantes com deficiência na educação superior, na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), no período de 2005 a 2010. Vincula-se à Linha de Pesquisa Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente, mais diretamente ao Grupo de Estudos e Pesquisas Políticas de Educação Superior (GEPPES/UCDB). A fim de alcançar tal propósito, foram definidos três objetivos específicos: a) compreender o processo de implantação do Programa INCLUIR no contexto das políticas de inclusão na educação superior; b) verificar as estratégias implantadas no Núcleo de Acessibilidade da UFMS para o atendimento dos estudantes com deficiências; c) investigar como se desenvolvem os projetos aprovados pelos Editais do governo federal, relacionados ao Programa INCLUIR. Como procedimento metodológico, utilizou-se a abordagem qualitativa, com levantamento da produção científica e literatura específica da área, análise documental dos editais do Programa INCLUIR publicados desde sua implantação, de 2005 a 2010 (término do mandato do presidente Lula) e entrevistas semi-estruturadas com profissionais envolvidos na participação dos editais do Programa e na implantação do Laboratório da Educação Especial. Os resultados demonstram que a disponibilização de recursos para as instituições públicas por meio dos editais do Programa INCLUIR, foi aumentando gradativamente, tendo em 2005, 13 instituições contempladas, e 41 em 2010. Os editais apresentavam objetivos que nem sempre estavam relacionados às particularidades das instituições que tinham que se adequar às propostas definidas nos editais. A UFMS foi contemplada em 2006, 2009 e 2010, tendo seu Laboratório de Educação Especial consolidado em 2010, atendendo 7 alunos com deficiência, em 2012. Os recursos disponibilizados pelo Programa INCLUIR mobilizaram as instituições públicas para a efetivação das ações relacionadas ao acesso e a permanência desses alunos na educação superior, com intenção de realizar atendimento diferenciado, pois antes do Programa esses alunos, ao adentrarem na Universidade, não eram acompanhados por um Núcleo. Dessa forma, o Programa INCLUIR foi um instrumento para que as instituições públicas efetivassem o atendimento das pessoas com deficiência, cumprindo as exigências que estavam estabelecidas em outros aparatos legais promulgados anteriormente aos Decretos. Os alunos da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul foram contemplados com o Laboratório, que consiste em um espaço institucional que agrega projetos de ensino, pesquisa e extensão. Verificou-se que o referido Programa é uma das ações desenvolvidas e constituiu um avanço para as instituições públicas de educação superior no sentido de responsabilizá-las pelo atendimento às pessoas com deficiência nesse nível de ensino. Concluí-se que o Programa INCLUIR é um instrumento para que as instituições públicas efetivem o atendimento das pessoas com deficiência, cumprindo as exigências que estavam estabelecidas em outros aparatos legais promulgados anteriormente aos Decretos que institucionalizaram o Programa.


    Palavras-Chave: Políticas Educacionais; Programa INCLUIR; Deficiência; Acesso e Permanência.

  • Data da Defesa: 19/08/2013
  • Download: Clique aqui
+ DE FARMACÊUTICA-BIOQUÍMICA À PROFESSORA: DESAFIOS, INCERTEZAS E APRENDIZAGENS DE UMA INICIANTE NA DOCÊNCIA UNIVERSITÁRIA
  • Discente:
    • Luciana Virgili Pedroso Garcia
  • Orientador(a):
    • Maria Aparecida de Souza Perreli (até 2014)
  • Resumo:

    Das pesquisas brasileiras (teses e dissertações) que abordam a docência universitária, poucas têm como foco os profissionais liberais (engenheiros, médicos, advogados, entre outros) que atuam como professores no ensino superior. Buscando ampliar os conhecimentos acerca dessa temática, este trabalho tem como foco os percursos da minha formação como docente, que se viu desafiada a atuar num curso de Medicina tendo, apenas, o diploma de graduação de farmacêutica-bioquímica. Trata-se de uma pesquisa autobiográfica, inspirada nas teorizações de Marie-Christine Josso, Antônio Nóvoa, Gaston Pineau, entre outros que concebem essa modalidade como possibilidade de provocar reflexões e (trans)formação do professor. Para tanto, a alternativa metodológica adotada foi a produção de narrativas, organizadas a partir de Diários e instigadas à reflexão pelos pares em um grupo colaborativo de pesquisa. Nesta dissertação, apresentamos os pressupostos teóricos que nos orientam, abrangendo as seguintes dimensões do problema: a docência universitária, a formação do professor, a iniciação à docência e a pesquisa autobiográfica, apontando a influência da família, da escolarização, da experiência docente e dos estudos desenvolvidos no mestrado como momentos especialmente (trans)formadores.

    Palavras-chave: professor iniciante, docência universitária, formação de professores, profissionais liberais professores, autobiografia.

  • Data da Defesa: 31/07/2013
  • Download: Clique aqui
+ USO E ESCOLHA DO LIVRO DIDÁTICO POR PROFESSORES DE CIÊNCIAS E BIOLOGIA DA REDE ESTADUAL DE ENSINO, EM TERENOS, MATO GROSSO DO SUL
  • Discente:
    • Adriana Araújo de Lima
  • Orientador(a):
    • Leny Rodrigues Martins Teixeira (até 2013)
  • Resumo:

    Este trabalho está vinculado à linha de pesquisa “Práticas pedagógicas e suas relações com a formação docente”, do Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado e Doutorado, da Universidade Católica Dom Bosco e resulta de uma investigação vinculada ao Programa Observatório da Educação “Inovações Educacionais e Políticas Públicas de Avaliação e Melhoria da Educação no Brasil” (IEPAM). Teve por objetivo analisar o processo de escolha e uso do Livro Didático (LD) por professores de Ciências e Biologia e estabelecer relações entre este processo e os que compõem o Programa Nacional do Livro Didático (PNLD). A pesquisa foi norteada pelas seguintes questões: Como, quando e por que o professor de Ciências e/ou Biologia escolhe e usa o LD? Quais informações o professor detém a respeito do PNLD? Como os processos de escolha e uso do LD se relacionam com o PNLD? Quais os impactos do PNLD nas escolas investigadas? O referencial teórico assumido envolveu estudos sobre os livros didáticos, os programas voltados ao LD, com ênfase no PNLD e importância do LD no ensino de Ciências no contexto brasileiro. A pesquisa teve uma abordagem qualitativa e foi encaminhada como um estudo descritivo-explicativo. Os sujeitos investigados foram: sete professores de Ciências e/ou Biologia, dois diretores e um coordenador pedagógico, todos profissionais que atuam em escolas da Rede Estadual de Ensino, no município de Terenos-MS. Os dados da pesquisa foram coletados em três etapas: (1) realizada com todos os professores, com dados obtidos por meio de conversas informais, observação não participante das aulas e entrevista semiestruturada (grupal e individual); (2) estudo aprofundado com três professores, selecionados entre os sete participantes da etapa inicial, visando compreender melhor o uso do LD, sendo os dados obtidos por meio de mais um período de observação não participante das aulas e também análise de documentos desses sujeitos (LD, diários, provas, planejamentos) e dos seus alunos (cadernos e LD). Outros documentos da escola (Projeto Político Pedagógico) e da Secretaria de Estado de Educação (referencial curricular) também foram consultados; (3) entrevista semiestruturada com a equipe pedagógica da escola (diretores e coordenadores), a fim de identificar o modo de participação destes no processo de escolha do LD. Os resultados da pesquisa indicaram que o processo de escolha do LD pelo professor ocorre de forma solitária, com pouco tempo disponível, sem consulta ao Guia e sem assessoria da escola e/ou da Secretaria de Estado de Educação (SED). O LD é usado com muita frequência pelos professores nos planejamentos, na elaboração de atividades/exercícios e provas, buscando compatibilizar os conteúdos trabalhados com o que é sugerido no referencial curricular da SED. Durante as aulas o LD é usado para a elaboração de resumos, cópias, resolução de exercícios e raramente para leitura ou como sugestão de realização de experimentos. Eventualmente o LD também é usado para manter a disciplina. A pesquisa evidenciou um contexto desfavorável, no que diz respeito às condições de trabalho, para a participação do professor na escolha do LD e o uso crítico desse material. O contexto social, econômico, a concretude da escola não favorecem a reflexão-formação do professor e a construção da autonomia. Isto influi decisivamente nas suas escolhas, no modo como usa e porque usa o LD.
    Palavras chave: Ensino de Ciências, PNLD, Escolha e Uso do Livro Didático.

  • Data da Defesa: 31/07/2013
  • Download: Clique aqui
+ PROFESSORAS INICIANTES DA EDUCAÇÃO INFANTIL: PERCURSOS DE APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA
  • Discente:
    • Alessandra Muzzi de Queiroz Chaves
  • Orientador(a):
    • Maria Aparecida de Souza Perreli (até 2014)
  • Resumo:

    Este trabalho, vinculado à linha de pesquisa Práticas Pedagógicas e suas relações com a Formação Docente, teve por objetivo investigar os percursos de aprendizagens da docência de professoras iniciantes na Educação Infantil. O escopo teórico assumido na pesquisa contou com estudos de Ariés (1981), Sarmento (1997), Veenman (1998), Huberman (2000), Tardif (2002) e Josso (2004) entre outros. Esta pesquisa teve uma abordagem qualitativa e se caracterizou como um estudo descritivo explicativo. Os participantes da pesquisa foram 22 professoras, pedagogas, sendo 18 delas iniciantes na docência na Educação Infantil. Todas elas trabalham em um Instituto de Educação Infantil vinculado à OMEP (Organização Mundial de Educação Pré-Escolar), em Campo Grande- MS. A pesquisa foi desenvolvida no ano de 2012 e os dados foram coletados em encontros mensais, com o grupo de professoras, com pautas organizadas no decorrer do processo, voltadas a vivificar a memória dessas profissionais, em relação aos fatos, casos, situações e demais experiências que promovem/promoveram a aprendizagem da docência na Educação Infantil. A interpretação e análise dos dados que emergiram das narrativas das professoras nos aproximaram de suas experiências, de sua história familiar e escolar, destacando as dificuldades enfrentadas, seus anseios, a opção pela carreira, seus maiores incentivadores, os sentimentos e concepções sobre o ser professora da Educação Infantil, os principais impactos da inserção na carreira e de que forma os enfrentaram, além dos modelos que inspiram a sua prática. Esses elementos, presentes na história de vida das professoras, as constituem as professoras que são. Embora não tenha sido a intenção primordial, a pesquisa realizada, além de trazer dados acerca dos percursos de aprendizagem da docência das professoras da Educação Infantil, se configurou como um momento de reflexão e de formação, tanto para as professoras como também da pesquisadora.
    Palavras-chave: Educação Infantil, professor iniciante, aprendizagem da docência.

  • Data da Defesa: 30/07/2013
  • Download: Clique aqui
+ PROFESSORES DE ARTE: FATORES DE SATISFAÇÃO E BEM-ESTAR NO TRABALHO DOCENTE
  • Discente:
    • Rozana Vanessa Fagundes Valentim de Godoi
  • Orientador(a):
    • Flavinês Rebolo
  • Resumo:

    A pesquisa Professores de arte: fatores de satisfação e bem-estar no trabalho docente faz parte do Programa de Mestrado em Educação, na linha de pesquisa Práticas Pedagógicas e suas relações com a formação docente. Tem-se como objetivo analisar os elementos constitutivos do exercício profissional do professor de arte e a influência desses elementos na obtenção do seu bem-estar docente. Torna-se pertinente identificar qual é, de fato, o status dessa disciplina nas escolas; quem são os professores de arte, o que fazem e como se sentem no seu trabalho; considerando que o ensino de arte vem passando por transformações e o professor de arte, dentro desse contexto, busca afirmar e reafirmar seu papel enquanto elemento pertencente à realidade escolar. Pretendeu-se considerar questões próprias relativas às vivências dos professores de arte, tanto aqueles da Educação Básica (nesta pesquisa, do Ensino Fundamental I ao Ensino Médio) e professores do Ensino Superior, que trabalham nos cursos de Artes Visuais. A partir desses sujeitos da pesquisa, apontar as percepções referentes à maneira de sentirem-se pertencentes a sua profissão, suas representações sobre o contexto escolar e a disciplina que leciona, bem como as relações estabelecidas por estes no dia a dia da sala de aula. Como metodologia, a pesquisa parte de reflexões apoiadas em conceitos sobre formação, trabalho docente, bem-estar subjetivo, envolvendo os níveis de satisfação e a conquista da felicidade no trabalho. De abordagem qualitativa, a pesquisa desenvolveu-se com a utilização de um questionário, composto por 26 questões fechadas, relacionadas aos quatro componentes do trabalho docente (laboral, relacional, socioeconômica e de infraestrutura) e três questões abertas relacionadas ao bem-estar subjetivo; realizou entrevistas semiestruturadas propondo análise das histórias de vida de três professores de arte, que apontou as dinâmicas que atuam na construção do bem-estar docente e na permanência na profissão. Os resultados obtidos com a pesquisa apontam que os fatores de maior satisfação para os professores de arte no seu trabalho estão relacionados aos componentes da atividade laboral e relacional, fatores como a criatividade, a autonomia e a contribuição social foram enfatizados pelos professores em suas respostas. Pode-se afirmar que a maioria dos professores de arte sente-se satisfeitos no trabalho e consideram-se felizes como professores de arte, pois acreditam na contribuição e importância do seu trabalho no contexto da Educação. Espera-se, com os resultados obtidos, contribuir com os debates sobre o trabalho do professor de arte, necessidades, desafios e as conquistas presentes no cotidiano dos docentes. A pesquisa instiga novas investigações sobre os professores de arte e os processos intervenientes a sua felicidade no trabalho.

  • Data da Defesa: 30/07/2013
  • Download: Clique aqui
+ PRODUÇÃO CIENTÍFICA SOBRE POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NO BRASIL PARA A MODALIDADE A DISTÂNCIA– 2003 A 2010
  • Discente:
    • Ricardo Bianconi
  • Orientador(a):
    • Regina Tereza Cestari de Oliveira
  • Resumo:

    Esta Dissertação, vinculada à Linha de Pesquisa Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente e ao Grupo de Estudos e Pesquisas Políticas de Educação Superior (GEPPES/UCDB), tem como objeto de estudo a análise da produção científica sobre as políticas públicas de Educação Superior no Brasil na modalidade a distância, no período de 2003 a 2010, momento que corresponde aos dois mandatos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e à intensificação e expansão da oferta de EaD no país. Para isso, foram definidos os seguintes objetivos específicos: a) contextualizar a política de educação a distância no âmbito das políticas de educação superior no Brasil; b) identificar as principais bases de dados para a pesquisa e quais são as principais temáticas presentes na produção científica em política de EaD no Brasil, no período selecionado e c) investigar a característica dessa produção: autoria, origem institucional, tendências teóricas e metodológicas. O procedimento metodológico adotado foi a análise de conteúdo de Teses e Dissertações defendidas em Programas de Pós- Graduação em Educação disponíveis na Biblioteca Digital de Teses e Dissertações (BDTD) e no portal da Capes, bem como dos trabalhos do GT11 da ANPEd e das produções Qualis A1 e A2 publicadas nos periódicos brasileiros na área de Educação. Com base no material obtido, os resultados indicam três temáticas principais: a primeira voltada para a formação de professores em que se evidencia a busca por qualificação em obediência às determinações do modelo neoliberal, porém esta é inviabilizada pela presença de modelos flexíveis de instituições de educação superior e de cursos de graduação. A segunda aponta para a expansão da modalidade a distância determinada pela lógica do mercado e pelas imposições dos organismos internacionais que favorecem o setor privado em detrimento do público. Por fim, a terceira temática evidencia as discussões acerca da legislação que trata da EaD, fazendo emergir as discussões sobre a democratização da educação superior contrapondo-se à escassez de investimento para o setor público. Conclui-se que a produção científica sobre as políticas de educação superior no Brasil para a EaD, no período selecionado, evidenciam um campo marcado por práticas condizentes a atender um modelo de educação superior que obedece às determinações do ideário neoliberal.

    Palavras-chave: Política de Educação Superior. Educação a Distância. Produção Científica.

  • Data da Defesa: 19/06/2013
  • Download: Clique aqui
+ O ENSINO MÉDIO INTEGRADO À EDUCAÇÃO PROFISSIONAL EM CAMPO GRANDE - MS: UMA INICIATIVA MUNICIPAL (2003-2010)
  • Discente:
    • Tangria Rosiane Heradão
  • Orientador(a):
    • Jefferson Carriello do Carmo
  • Resumo:

    Esta Dissertação analisa o Ensino Médio Integrado à educação profissional na urbe Campo Grande, no estado de Mato Grosso do Sul, no período de 2003-2010, quando foi implantado o Ensino Médio Integrado à Educação Profissional Técnica de Nível Médio, com Habilitação em Agropecuária, na Escola Municipal Agrícola Arnaldo Estevão de Figueiredo. Vincula-se à Linha de Pesquisa Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente, do Programa de Pós-Graduação - Mestrado e Doutorado em Educação da UCDB e, se desenvolve no âmbito do Grupo de Estudos e Pesquisas Políticas de Formação e Trabalho Docente (GPPFTD) /HISTEDBR, cadastrado no diretório de Pesquisa do CNPq. O objetivo geral consiste em analisar o Ensino Médio integrado à educação profissional em Campo Grande – MS, uma iniciativa municipal, quanto à implantação de políticas educacionais de ações voltadas para a formação desse profissional e a sua relação com o mercado de trabalho local. Para tanto, os objetivos específicos ficaram assim definidos: a) Investigar se o ensino profissionalizante da Rede Municipal de Ensino de Campo Grande corresponde às novas exigências de formação e qualificação para o trabalho; b) Analisar a iniciativa municipal diante de possíveis contribuições no desenvolvimento de políticas educacionais tendo em vista os arranjos produtivos situados na região de Três Barras. O procedimento de pesquisa foi a análise das fontes documentais, tendo em vista, compreender e explicar a origem do objeto de estudo e a sua relação com as mudanças de forma direta e indireta aos inúmeros tipos de documentos e acontecimentos no âmbito da política educacional e do contexto econômico produtivo do estado de Mato Grosso do Sul e sua capital Campo Grande, região de Três Barras. Para compreender e analisar nosso objeto de pesquisa, também, recorreu-se a outras áreas do conhecimento, com perspectivas de análises diferentes, porém a intenção, central, foi elucidar o objeto de pesquisa, por entender-se que ao estabelecer correlações entre outras tendências e perspectivas de análise poder-se-ia articular melhor o objeto de pesquisa aos objetivos de análise, sem, contudo, perder de vista os diferentes contextos e formas em que a escola e os documentos coletados foram produzidos, inseridos, submetidos e consentidos às várias intencionalidades, no âmbito legal e socioeconômico. Com base nesse entendimento delimitou-se o procedimento técnico-metodológico por meio das seguintes fases: a) pesquisa bibliográfica de autores sobre a temática de estudos, principalmente de teses, dissertações e artigos relacionados ao objeto de estudo; b) levantamento, organização e análise de fontes documentais, especialmente a legislação federal, estadual e municipal e os planos do governo no período de 2004-2010; c) levantamento dos antecedentes históricos de ordem normativa constitucional e infraconstitucional, procurando situar o município com suas atribuições e competências no contexto legiferante brasileiro; d) análise da ordem jurídica vigente nas três esferas do poder (União, Estado e Município) pertinentes ao processo de emancipação; e) estudo dos mecanismos jurídico-institucionais básicos (plano nacional, estadual e municipal de educação, regimento escolar e outros) que propiciaram a implementação das propostas municipalistas; f) análise das fontes financeiras para o custeio do ensino fundamental regular; g) classificação, categorização e análise dos dados. Os resultados nos permitem afirmar que na Escola Municipal Agrícola Arnaldo Estevão de Figueiredo, tendo em vista, sua constituição e organização estão pautadas pela dominância do pensamento empresarial explicitados nas parcerias com a escola visando atender as novas formas de trabalho e produção da região.

  • Data da Defesa: 07/06/2013
  • Download: Clique aqui
+ A IMPLANTAÇÃO DOS CURSOS DE ENSINO MÉDIO INTEGRADO NO INSTITUTO FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL EM PONTA PORÃ/MS E SUAS RELAÇÕES COM AS NOVAS FORMAS DE PRODUÇÃO E TRABALHO DA REGIÃO (2007 – 2012) - MIRTA RIE DE OLIVEIRA TOMINAGA
  • Discente:
    • Mirta Rie de Oliveira Tominaga
  • Orientador(a):
    • Jefferson Carriello do Carmo
  • Resumo:

    Esta Dissertação investiga a política de educação profissional técnica de nível médio nos Institutos Federais de Educação Profissional e Tecnológica, particularmente, a implantação dos cursos de ensino médio integrado no Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) no Município de Ponta Porã, no período de 2007 a 2012. Vincula-se à Linha de Pesquisa Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente, do Programa de Pós-Graduação - Mestrado e Doutorado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e se desenvolve no âmbito do Grupo de Estudos e Pesquisas em Políticas Educacionais, Formação e Trabalho Docente/HISTEDBR. O objetivo geral consistiu em analisar as relações da implantação dos cursos de ensino médio integrado em Agricultura e Informática, no IFMS e do próprio IFMS com as formas atuais de produção e trabalho da região. Os objetivos específicos ficaram assim definidos: a) examinar o processo de implantação do IFMS e dos cursos de ensino médio integrado no Município de Ponta Porã; e b) investigar as relações dessa implantação com as demandas locais do setor produtivo. A pesquisa utilizou a abordagem qualitativa, delimitando a análise documental como procedimento técnico-metodológico. Os resultados permitem afirmar-se que o período de 2007 a 2012 deu continuidade à expansão da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica e que, por meio dessa Rede, o ensino médio integrado foi expandido no Brasil, embora a níveis ainda insatisfatórios. A implantação do IFMS ocorreu no âmbito dessa expansão, trazendo para o Estado de Mato Grosso do Sul a Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica e a implantação do ensino médio integrado, antes inexistente. Os cursos de ensino médio integrado em Agricultura e Informática, no IFMS de Ponta Porã, obedecem às determinações do setor produtivo local, tendo como princípios norteadores para o currículo desses cursos, as bases emanadas na década de 1990. Assim, o ensino médio integrado no Estado de Mato Grosso do Sul e no Brasil de forma geral, constitui-se em um grande desafio, por se tratar de uma política recente e necessária que tem, em suas bases teóricas legais, os elementos da educação politécnica e unitária, que é o seu horizonte. A formação humana e integral no ensino médio, que considera as dimensões da vida e da práxis social, o trabalho, a ciência e a cultura, tem hoje bases legais para que se torne uma realidade concreta neste país.

  • Data da Defesa: 06/06/2013
  • Download: Clique aqui
+ A CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO E DE ENSINO E APRENDIZAGEM DOS/DAS PROFISSIONAIS LIBERAIS INSERIDOS/AS NA ATIVIDADE DOCENTE DA EDUCAÇÃO SUPERIOR
  • Discente:
    • Daniela Fernanda Viduani Sopran Gil
  • Orientador(a):
    • Ruth Pavan
  • Resumo:

    Esta dissertação vincula-se à Linha de Pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente, mais diretamente ao grupo de pesquisa Currículo, Práticas Pedagógicas e Formação de Professores. Tem como objeto de pesquisa analisar as concepções de educação e processo de ensino e aprendizagem dos/das profissionais liberais que atuam como docentes na Educação Superior. Os objetivos específicos consistem em: a) Identificar o processo histórico da Educação Superior no Brasil; b) caracterizar as concepções de educação e processo de ensino e aprendizagem presentes na história da Educação; c) compreender as concepções de educação e processo de ensino e aprendizagem dos/as profissionais liberais que atuam como docentes na Educação Superior. Como referencial teórico utilizamos os autores que abordam a Educação Superior em uma perspectiva crítica, dos quais destacamos Apple, Au e Gandin (2011), Cunha (1989, 1996, 2005a, 2005b, 2006, 2007), Freire (1995, 1997, 2011a, 2011b, 2011c, 2011d), Gadotti (1995, 2011), Gauthier Gauthier e Tardif (2010), Hypolito (1997), Lucarelli (2007), Santos (1999), Veiga (2006, 2008a, 2008b), entre outros. A abordagem metodológica da pesquisa é qualitativa. Como instrumento de coleta de dados foi utilizada a entrevista semiestruturada. A escolha foi por seis professores/as de uma instituição de Educação Superior de caráter privado, localizada na capital de Mato Grosso do Sul. Por meio da análise histórica, foi possível concluir que houve diferentes concepções de educação e ensino e aprendizagem, com destaque para a tradicional, a tecnocrática e a crítica. Essas abordagens ainda marcam as concepções atuais. Com relação à concepção de educação e de processo ensino e aprendizagem dos/as docentes entrevistados/as, estes/as destacam a importância da educação como conquista necessária para a atuação no mercado de trabalho e salientam que o processo ensino aprendizagem deve estar estreitamente articulado com as questões pertinentes a isso, revelando a forte presença da concepção tecnocrática.

    Palavras-Chave: Práticas Pedagógicas - Educação Superior – Profissionais Liberais.

  • Data da Defesa: 22/04/2013
  • Download: Clique aqui
+ IDENTIDADES INDÍGENAS NA MÍDIA: UM ESTUDO COM PROFESSORES INDÍGENAS SOBRE IDENTIDADE/DIFERENÇA E REPRESENTAÇÃO
  • Discente:
    • Moema Guedes Urquiza
  • Orientador(a):
    • Adir Casaro Nascimento
  • Resumo:

    Esta dissertação tem como objeto de pesquisa a compreensão/percepção que professores indígenas possuem das representações que a mídia faz das identidades indígenas, sendo esses professores sujeitos ativos do processo de construção do conhecimento. Vincula-se à Linha de Pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena (Linha 3) do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Católica Dom Bosco. Integra as discussões do Grupo de Pesquisa Educação e Interculturalidade. Os objetivos específicos consistem em: a) estudar as representações da identidade/diferença dos indígenas presentes no conteúdo midiático; b) identificar as percepções que professores indígenas possuem dessas representações. Como procedimento técnico-metodológico foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com seis professores indígenas e aplicação de questionário objetivo. De natureza qualitativa, o projeto privilegiou a escolha dos professores indígenas porque, na atualidade, entre os indígenas, são eles que estão cotidianamente mais em contato, em situação de fronteira, fazendo traduções culturais nos processos educativos formais e informais. A pesquisa considera que a mídia é produtora de conteúdos e que os processos comunicacionais podem ser também educativos. Como discursos constroem realidades, os discursos midiáticos sobre os indígenas podem evidenciar relações de afirmação-consolidação de identidades, criar representações ou fortalecer estereótipos, e os professores indígenas têm sua própria percepção dessas representações. A expressão “discurso midiático” faz referência à narrativa produzida por jornalistas e veiculada por meios eletrônicos, impressos e digitais hoje disponíveis, exceto as propagandas/publicidades e àquelas próprias da indústria do entretenimento, como as telenovelas, considerando que estes têm outros objetivos, processos de construção e apelos, diferentes do conteúdo jornalístico. Para trabalhar com os conceitos de identidade/diferença e representação, negociação, entrelugares e cultura, a dissertação apoia-se principalmente nas obras de Bhabha (1998), Hall (2000; 2003a, 2003b), Silva (2000; 2011), Laraia (2009), autores que compreendem que as identidades movimentam-se, reinventam-se e transformamse influenciadas, entre outros elementos, pela cultura. Larrosa e Skliar (2011), Duschatzky e Skliar (2011) e Skliar (2003) contribuíram com as discussões sobre o lugar do Outro. Para conversar sobre educação, mídia, e as relações entre ambas, numa perspectiva intercultural, trabalha-se com Fleuri (2003), Fischer (1999, 2002, 2005, 2007, 2008), Costa (2009), Setton (2010), Hermes (2006) e Brand (2003). O diálogo com esses e outros autores no percurso do trabalho é articulado com os depoimentos dos professores indígenas, cujas palavras abrem janelas para outros saberes, outros conhecimentos, outras compreensões que contribuem com o chamado “saber científico/acadêmico” dos autores citados. Os discursos da mídia não passam despercebidos ao olhar do professor indígena. São narrativas que incomodam, desestabilizam e criam situações de conforto/desconforto, dependendo do enfoque e de como sentem-se representados. Apropriam-se, em certa medida, do conteúdo midiático para discussões e trabalhos pedagógicos, e afirmam a importância de ocupar também esse espaço “para falar” – numa demonstração de que sabem que o alcance de suas palavras pode ser ampliado se propagadas por instrumentos midiáticos.

    PALAVRAS-CHAVE: Identidade/Diferença, Educação Indígena, Professores Indígenas, Mídia, Mídia e Diferenças. 

  • Data da Defesa: 08/04/2013
  • Download: Clique aqui
+ AS/OS DOCENTES DE HISTÓRIA DA ESCOLARIZAÇÃO BÁSICA E A (DES/RE)CONSTRUÇÃO DAS IDENTIDADES NEGRAS
  • Discente:
    • JOSÉ BONIFÁCIO ALVES DA SILVA
  • Orientador(a):
    • José Licínio Backes
  • Resumo:

    Esta dissertação, vinculada a Linha de Pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena e ao Grupo de Pesquisa Educação e Interculturalidade, trata das contribuições de docentes deHistória da escolarização básica para a construção das identidades negras. Uma daspreocupações é investigar se os professores/as de História recorrem a representações essencializantes de identidades ou baseiam-se em uma perspectiva não-essencialista. A outra é ver se as/os docentes colaboram com a valorização e afirmação, ou para inferiorização e negação das identidades negras. Ou, ainda, se essa colaboração é hibrida. Foram realizadas 8 entrevistas semi-estruturadas com as/os docentes de História de diferentes etapas da escolarização básica, atuantes em escolas públicas ou privadas da cidade de Campo Grande/MS. As perspectivas teóricas adotadas para fundamentar a pesquisa podem ser localizadas nos estudos culturais e pós-coloniais, entre outras identificações possíveis dos autores/as utilizados/as. Desse modo, concebo as identidades/diferenças como produções culturais múltiplas, inacabadas, contingentes, multirreferenciadas e marcadas pelas relações assimétricas de poder que tem efeitos sobre os discursos, produtores de representações culturais. As discussões a respeito da problemática permitiram observar que foi preciso estar alerta às inúmeras formas de ser e de se ver o negro, à relação entre identidade e comunidade, aos impactos da colonização, à simbologia ocidental das cores, aos conceitos de raça e etnia, às representações culturais, à identidade nacional, aos processos de hibridização, à globalização, à diáspora negra, à disciplina escolar História e ao mito da democracia racial. A leitura das entrevistas mostrou que as representações de docentes acerca dos sujeitos negros oscilam entre o essencialismo e o não essencialismo, a certeza e a incerteza, a igualdade e a desigualdade, carregando marcas dos contextos que as produziram. Entretanto, os discursos estão longe de ser pura inferiorização das negritudes, estando mais ligados à valorização da história negra.

    PALAVRAS-CHAVE:Professores/as de História. Representações Culturais.Identidades/Diferenças Negras

  • Data da Defesa: 05/04/2013
  • Download: Clique aqui
+ CONCEPÇÕES DE CRIANÇA, INFÂNCIA E EDUCAÇÃO DOS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO INFANTIL
  • Discente:
    • Janaina Nogueira Maia Carvalho
  • Orientador(a):
    • Ruth Pavan
  • Resumo:

    Esta pesquisa de Mestrado, intitulada “Concepções de criança, infância e educaçãodos professores de Educação Infantil”, inserida na linha de pesquisa Práticas Pedagógicas e Suas Relações com a Formação Docente do curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Educação – UCDB, tem como objetivo geral analisar as concepções de criança, infância e educaçãodos professores de Educação Infantil da Rede Pública em um município do interior do Mato Grosso do Sul e se desdobra nos seguintes objetivos específicos: a)Compreender o processo histórico da construção da concepção decriança e sua infância; b) Identificar as diferentes abordagens da Educação Infantil ao longo da história; c) Caracterizar as concepções de criança, infância e educação dos professores. A metodologia é qualitativa, e como instrumento de coleta de dados foi utilizada a entrevista semiestruturada. Os sujeitos da pesquisa são professoras que atuam nas diferentes etapas da Educação Infantil. A abordagem teórica teve como principais referências autores que discutem a infância de forma contextualizada em suas diferentes dimensões, entre osquais destacamos: Redin (1998, 2005, 2007); Marita Redin (2002, 2007), Kuhlmann (1998, 2004), Kramer (1986, 1989,1993, 1994, 1996, 1999, 2002, 2003, 2005, 2009, 2011), Kishimoto (2002), Freire (1983, 1996, 2000), Sarmento (2002, 2004, 2007), Streck (2004), Gouvea (2009), Rosemberg (1992, 2002), Moreira (1993), Nóvoa (1992), Zabalza (1998), entre outros. Como resultados, podemos apontar que as concepções de infância estão baseadasnas lembranças das histórias pessoais das professoras. A concepção de criança das professoras apresenta uma crença em um tipo de criança idealizada, feliz, sonhadora, brincante. A concepção de Educação Infantil aponta a preocupação do aprender a ler, escolarizando excessivamente esta etapa da educação básica. Finalmente, é possível afirmar que há uma tensão entre a compreensão das professoras da necessidade do brincar e a exigência da instituição de ensinar os chamados conteúdos escolares.

  • Data da Defesa: 04/04/2013
  • Download: Clique aqui
+ EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA E AS POLÍTICAS PÚBLICAS NO MUNCÍPIO DE DOURADOS/MS (2001-2010)
  • Discente:
    • Teodora de Souza
  • Orientador(a):
    • Adir Casaro Nascimento
  • Resumo:

    Esta dissertação, vinculada à Linha de Pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena, Grupo de Pesquisa Educação e Interculturalidade e ao Observatório da Educação Escolar Indígena/CAPES/INEP/MEC, trata da Educação Escolar Indígena e das políticas públicas elaboradas no Município de Dourados. Tem como objetivo analisar o processo de elaboração das políticas públicas específicas da educação escolar indígena no Município de Dourados/MS, no âmbito dos espaços institucionais da educação como: Secretaria Municipal de Educação, Conselho Municipal de Educação, Câmara Municipal de Dourados, considerando a ampla participação das comunidades envolvidas naquele momento bem como as análises dos diversos documentos elaborados. A metodologia de pesquisa está centrada na pesquisa qualitativa, fundamentada em estudos da pedagogia, estabelecendo interfaces com a antropologia e a história, usando como procedimento a pesquisa documental. A perspectiva teórica adotada para fundamentar a pesquisa foram os autores dos estudos culturais e pós-coloniais, como Bhabha, Batalla, Bauman, Brand, Canclini, Fleuri, Grupione, Hall, Lopes da Silva, Melià, Nascimento, Tassinari, Walsh, entre outros, que participaram como interlocutores nas reflexões para a compreensão e análise dos dados produzidos durante a pesquisa. A pesquisa demonstra que há um grande avanço no campo legal e diferentes iniciativas de experiências de escolas indígenas, considerando diferentes grupos culturais e seu contexto histórico construído a partir da relação assimétrica com o outro Ocidental. Na prática, embora a legislação brasileira abra possibilidades aos povos indígenas de construir uma educação que corresponda às suas realidades e expectativas, ainda há grandes desafios a superar rumo à construção de uma educação escolar indígena que, de fato, promova intermediação e diálogo entre os diferentes saberes, contemplando as diferenças.

    Palavras-chave: Escola Indígena Diferenciada. Políticas Públicas. Participação Comunitária.

  • Data da Defesa: 20/03/2013
  • Download: Clique aqui
+ CEFAM: FORMAÇÃO E PROFISSIONALIZAÇÃO DOCENTE NA ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM MURTINHO NO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL (1989 – 1996)
  • Discente:
    • ELISETE LUIZA MASERA DE SOUZA
  • Orientador(a):
    • Jefferson Carriello do Carmo
  • Resumo:

    Esta pesquisa tem o objetivo de investigar sobre o Projeto CEFAM como expressão de uma política educacional para a formação e a profissionalização dos professores no Estado de Mato Grosso do Sul, município de Campo Grande, na Escola Estadual Joaquim Murtinho, no período de 1989 a 1996, tendo em vista que o projeto CEFAM, no âmbito nacional, tinha por finalidade contribuir para a formação de professor, em tempos de redefinições políticas e socioeconômicas no país. A pesquisa vincula-se à linha de pesquisa Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente do Programa de Pós- Graduação em Educação- Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e foi desenvolvida no Grupo de Estudos e Pesquisa em Políticas Educacionais, Formação e Trabalho Docente (GEPPEFTD/HISTEDBR). Tem como objetivos específicos: identificar, através dos documentos oficiais, as políticas educacionais que contribuíram para o surgimento do CEFAM no Estado de Mato Grosso do Sul; investigar acerca da implantação do Projeto na Escola Estadual Joaquim Murtinho tendo em vista a formação docente e sua profissionalização nas séries iniciais. O procedimento metodológico passou pela revisão da literatura vinculada ao tema, organização e análise de fontes documentais, especialmente a legislação do Projeto CEFAM no período indicado, caracteriza-se com abordagem qualitativa. Pela pesquisa foi possível identificar que a formação docente aparece no Projeto CEFAM como intenção chave em tempos de mudança, juntamente com os desafios postos na formulação e implementação de políticas que assegurassem as condições necessárias para o exercício pleno e satisfatório da formação e da profissão docente.

  • Data da Defesa: 05/11/2012
  • Download: Clique aqui
+ A SOCIEDADE XAVANTE E A EDUCAÇÃO: UM OLHAR SOBRE A ESCOLA A PARTIR DA PEDAGOGIA XAVANTE
  • Discente:
    • AQUILINO TSERE'UBU'O TISIRUI'A
  • Orientador(a):
    • Neimar Machado de Sousa (permanente até 2012 / colaborador de 2013 até 2015)
  • Resumo:

    Esta pesquisa foi realizada no Programa de Pós-Graduação em Educação, linha 3, Diversidade Cultural e Educação Indígena da Universidade Católica Dom Bosco sobre a Escola Xavante na Terra Indígena Marãiwatsédéa partir da pedagogia Xavante com base em três princípios: as histórias antigas, religião e tradição. Os objetivos da pesquisa são: compreender a organização educacional Xavante modificada por influência das ressignificações ao longo do tempo; identificar os significados culturais da sociedade Xavante; observar a organização social da comunidade Xavante praticada na convivência e relações de parentesco; analisar a proposta pedagógica das escolas e o ensino da cultura Xavante. A metodologia se deu a partir de relatos de educadores tradicionais Xavante, obtidos mediante entrevistas informais, diário de campo e pesquisa etnográfica os quais revelam que o ensino ?copiado? da escola tradicional brasileira não é o mais adequado para a escola indígena. Os professores indígenas, quando formados em um contexto não-indígena e, ao exercer a função de professor na sua aldeia tendem a imitar os ensinamentos ocidentais e não-indígenas. É importante destacar que os Xavante, no processo de socialização, mantêm seus costumes ancestrais e tradições que são seguidos mediante práticas pedagógicas próprias. Como resultado, confirma-se na percepção Xavante, que o professor deve agir conforme os velhos demonstraram quando ensinam aos jovens, respeitando cada aluno de acordo com suas classes de idade e seus clãs. Mesmo na sala de aula, o professor indígena deve agir no momento certo para envolver todos os alunos nos seus trabalhos e, com isso, formar pessoas cada vez mais fortalecidas, respeitando as tradições dos antigos e reconhecendo que, mesmo na escola, deve valorizar suas culturas, daí ser a escola indígena diferenciada. As escolas não serão mais lembradas como aquela que confundiu os primeiros momentos do ensino aos indígenas. Só mantendo os três princípios em equilíbrio, a cultura irá se fortalecer por muito tempo ainda. Palavras-chave: Pedagogia Xavante. Escola Marãiwatsede. Interculturalidade.

  • Data da Defesa: 26/09/2012
  • Download: Clique aqui
+ O EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO (ENEM) NAS ESCOLAS DE CAMPO GRANDE/MS: A INFLUÊNCIA NA PRÁTICA PEDAGÓGICA SEGUNDO OS PROFESSORES DE MATEMÁTICA
  • Discente:
    • EDILMA MOTA RODRIGUES SAMPAIO
  • Orientador(a):
    • Leny Rodrigues Martins Teixeira (até 2013)
  • Resumo:

    O presente trabalho está vinculado à linha de pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente, do Programa de Pós-Graduação Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e faz parte do projeto de pesquisa em rede do Programa Observatório da Educação, intitulado “Inovações Educacionais e as Políticas Públicas da Educação no Brasil (IEPAM)”. O trabalho tem como objetivo geral investigar as repercussões do ENEM no ensino de Matemática, descritas pelos professores do Ensino Médio, de escolas públicas e particulares da cidade de Campo Grande, MS. A pesquisa, de abordagem qualitativa, desenvolveu-se em três etapas: na primeira, foi realizada uma análise documental, com a qual foi possível caracterizar o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), aplicado no período de 1998 a 2008, e o “novo ENEM”, implantado em 2009; identificando as mudanças e reformulações ocorridas no processo de avaliação durante esse período, nos âmbitos social e pedagógico, bem como no desempenho dos alunos. Na segunda etapa, foi aplicado um questionário a sessenta professores de Matemática de escolas públicas e particulares com o objetivo de investigar as repercussões do ENEM no ensino de Matemática, descritas pelos professores e na terceira etapa da pesquisa, realizou-se uma entrevista com cinco professores que lecionam Matemática, tanto na rede pública quanto na particular, com a finalidade de aprofundar as informações colhidas com o questionário. Os resultados apontam que as reformulações no ENEM contribuíram para o aumento do número de escolas com resultados acima da média, principalmente no caso das públicas, quando se compara o desempenho do ano de 2009 com o de 2008. A análise dos dados coletados, com o questionário e a entrevista mostram que, segundo os professores, o ENEM influencia a prática em sala de aula, ao propor objetivos de ensino de Matemática e induzir a metodologia de trabalho; privilegiando, principalmente, um ensino contextualizado em sintonia com as orientações propostas nos documentos oficiais. No entanto, as influências detectadas na entrevista com os professores apontam mudanças periféricas na prática de ensino de matemática, bem como denotam o papel regulador do ENEM mais circunscrito ao modelo de avaliação e menos em relação ao currículo e às práticas pedagógicas.

  • Data da Defesa: 19/09/2012
  • Download: Clique aqui
+ OS REFLEXOS DO SAEB/PROVA BRASIL NAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DE LÍNGUA PORTUGUESA NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE COSTA RICA/MS
  • Discente:
    • TANIA REGINA DOS SANTOS GODOY CORREA
  • Orientador(a):
    • Leny Rodrigues Martins Teixeira (até 2013)
  • Resumo:

    Esta dissertação vincula-se à Linha de Pesquisa Práticas Pedagógicas e suas relações com a Formação Docente, e faz parte de um projeto mais amplo do Observatório da Educação que investiga as Inovações Educacionais e Políticas Públicas de Avaliação e Melhoria da Educação no Brasil – IEPAM. O objetivo geral desta pesquisa é analisar os resultados da avaliação do SAEB/Prova Brasil nas escolas municipais de Costa Rica/MS (período entre 2005 a 2009) e suas implicações para o trabalho pedagógico nas escolas, no que se refere ao ensino de Língua Portuguesa. Os objetivos específicos consistem em: a) analisar os dados da avaliação do SAEB/Prova Brasil nas escolas municipais de Costa Rica/MS; b) identificar e analisar a concepção de avaliação educacional externa expressa pelos docentes; c) analisar nas falas dos professores como as avaliações do SAEB/Prova Brasil têm influenciado os trabalhos dentro da escola. Como procedimento metodológico utilizou-se os dados do Inep, referentes a notas e estrutura do Sistema de Avaliação da Educação Básica, além dos depoimentos de coordenadores, diretores das cinco escolas municipais, e de doze professores do Ensino Fundamental, obtidos em entrevistas individuais. Em um segundo momento foi realizada uma entrevista coletiva de aprofundamento com um grupo de professores escolhidos dentre os que realizaram a entrevista individual e que participaram de todas as edições do SAEB. A análise dos dados mostra que os alunos têm apresentado melhores resultados nas provas do SAEB/Prova Brasil no município no período referido e que houve mudanças na prática dos professores no ensino de Língua Portuguesa. Mudanças que estão relacionadas ao ensino com textos e segundo os pesquisados mudaram a prática para suprir a necessidade de garantir um bom desempenho nas avaliações do SAEB/Prova Brasil. Tais aspectos demonstram que os reflexos do SAEB se configuram em mudanças periféricas, pois estão antes, marcadas pela preocupação com o ranking das avaliações divulgados na mídia e menos com práticas que demonstrem mudanças realmente significativas para o ensino de Língua Portuguesa.

    Palavras-chave: Avaliação em larga escala, SAEB/Prova Brasil, Língua Portuguesa; Prática pedagógica.

  • Data da Defesa: 18/09/2012
  • Download: Clique aqui
+ SELEÇÃO E USO DO LIVRO DIDÁTICO DE CIÊNCIAS POR PROFESSORES INICIANTES E EXPERIENTES, DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CAMPO GRANDE, MATO GROSSO DO SUL - India Mara Sgnaulin
  • Discente:
    • INDIA MARA SGNAULIN
  • Orientador(a):
    • Leny Rodrigues Martins Teixeira (até 2013)
  • Resumo:

    O trabalho se insere na Linha de Pesquisa: Práticas Pedagógicas e suas relações com a formação docente, do Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco e resulta de uma pesquisa vinculada ao Programa Observatório da Educação "Inovações educacionais e políticas públicas de avaliação e melhoria da educação no Brasil" - IEPAM. Apresentamos uma análise do processo de escolha e uso do Livro Didático de ciências por professores iniciantes e experientes da Rede Municipal de Ensino de Campo Grande/MS, no âmbito do Programa Nacional do Livro Didático - PNLD. Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa, com características de um estudo descritivo e explicativo. Os instrumentos de coleta de dados foram entrevistas semiestruturadas e questionários dirigidos a técnicos do Núcleo do Livro Didático da Secretaria Municipal de Educação (SEMED) e a 16 professores, sendo oito iniciantes e oito experientes, que ensinam ciências no Ensino Fundamental (6º ao 9º ano). Apoiamos nossa análise em autores que discutem formação docente (Sharon Feiman-Nemser, Carlos Marcelo Garcia e Maurice Tardif, entre outros); saberes docentes (Maurice Tardif, Clermont Gauthier e Lee Shulman); trabalho do professor (Maurice Tardif e Claude Lessard, José Contreras e Álvaro Hypólito); fases da vida profissional do professor (Michael Huberman, Simon Veenman, entre outros). Os dados obtidos informam que os professores elegem como critérios de escolha do livro didático, principalmente, a diversidade de exercícios propostos, a acuidade e atualidade dos conteúdos, a simplicidade da linguagem, a presença e qualidade de imagens ilustrativas, além de sugestões de aulas práticas. A escolha do livro, em geral, é feita em um único encontro, com tempo exíguo, sem consulta ao Guia e de maneira solitária. As condições de trabalho do professor (calendário, número de horas aula, ambiente escolar) não oferecem condições ideais para a sua participação efetiva e qualificada no processo de seleção do livro didático. Os experientes parecem desacreditar no processo de escolha no âmbito do PNLD. Os professores iniciantes tendem a acatar os critérios e a decisão dos experientes. Com relação ao uso, os professores reconhecem a importância do livro didático no planejamento e desenvolvimento das aulas, orientando-o na sequência e profundidade dos conteúdos abordados. Os iniciantes mostram-se mais apegados ao proposto no livro (o que pode estar relacionado à insegurança própria desse momento da carreira profissional), enquanto os experientes introduzem nele diversas modificações. No processo de escolha e uso do livro, os professores mobilizam saberes disciplinares, curriculares, da tradição pedagógica, do conteúdo da matéria ensinada e também os saberes da experiência. Tanto os iniciantes como os experientes declaram que a questão do livro didático não é abordada nos cursos de graduação e raramente é mencionada na formação continuada. A SEMED/Campo Grande está organizada no sentido de atender aos aspectos burocráticos do PNLD; no entanto, as ações parecem não preencher o vácuo informacional existente entre o PNLD e os professores. Esta pesquisa evidenciou um contexto no qual a escola ainda precisa se fortalecer como um espaço de participação, diálogo e acompanhamento que propicie a construção da autonomia do professor e a produção do conhecimento em relação ao livro didático.

    Palavras Chave:Formação de Professores, PNLD, Escolha e Uso do Livro Didático

  • Data da Defesa: 06/09/2012
  • Download: Clique aqui
+ AS REPRESENTAÇÕES DOS INDIGENAS NO LIVRO DIDÁTICO DE HISTÓRIA DO ENSINO FUNDAMENTAL I (1º AO 5º ANO) DO ENSINO PÚBLICO DE CAMPO GRANDE / MS
  • Discente:
    • MAYARA SILVÉRIO BATISTA ROSA
  • Docentes:
    • Adir Casaro Nascimento
  • Resumo:

    Esta dissertação vincula-se à Linha de Pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena e tem como objetivo geral analisar as representações dos indígenas nos livros didáticos de História de 1º a 5º ano do Ensino Fundamental adotados pela Rede de Ensino Público de Campo Grande/ MS. Os objetivos específicos consistem em: a) Destacar o papel atribuído aos índios no livro didático de História do Ensino Fundamental I e estabelecer os interesses implicados; b) Identificar a concepção de cultura que pauta a representação dos indígenas; c) Observar se as narrativas sobre os indígenas no livro didático estão voltadas somente ao período colonial ou se o enfatizam também no contexto atual. O procedimento metodológico adotado é a análise dos livros didáticos de História produzidos no Brasil após a aprovação da Lei 11.645/08, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena", que foram adotados pelo Ensino Fundamental I das Escolas Públicas de Campo Grande/MS; leitura e análise de produções acadêmicas sobre a representação do indígena no livro didático, na sociedade brasileira; análise do conteúdo textual e iconográfico dos livros selecionados privilegiando questões como: corrente teórica, papel atribuído ao indígena, a quem está ligada a representação do indígena (índio ou não índio) e o período que retratam. O livro didático de História continua sendo usado como uma ferramenta que visa criar um sentimento de cultura nacional através da supressão das diferenças de raça, etnia, crença e língua, além disso, geralmente apresentam o indígena como selvagem, atrasado, ingênuo e congelado no tempo em narrativas muito generalizantes e que demonstram visões estereotipadas e pautadas na ótica do colonizador.

    Palavras-Chave: Cultura/identidade/diferença; educação; livro didático.

  • Data da Defesa: 30/08/2012
  • Download: Clique aqui
+ A UTILIZAÇÃO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL EXTERNA DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO ÂMBITO DO PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS (PAR) EM MUNICÍPIOS SUL-MATO-GROSSENSES (2007-2010)
  • Discente:
    • VERA DE FATIMA PAULA ANTUNES
  • Orientador(a):
    • Regina Tereza Cestari de Oliveira
  • Resumo:

    O objetivo desta Dissertação é analisar como os gestores dos municípios de Campo Grande e Coxim, localizados no Estado de Mato Grosso do Sul, utilizam os resultados da avaliação externa, de modo específico, no âmbito do Plano de Ações Articuladas (PAR). Está inserida no projeto denominado ?Gestão das Políticas Educacionais: o impacto do Plano de Ações Articuladas (PAR) em Municípios Sul-Mato-Grossenses?, vinculado ao Grupo de Pesquisa ?Políticas Públicas e Gestão da Educação? e à Linha de Pesquisa ?Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente?, do Programa de Pós-Graduação em Educação ? Mestrado e Doutorado da UCDB. Os objetivos específicos são: a) verificar o processo de elaboração e execução do PAR nos municípios de Campo Grande e Coxim, MS; b) identificar as estratégias definidas pelos municípios, na Dimensão Gestão Educacional, para a efetivação de ações articuladas, segundo as demandas apontadas pelo diagnóstico do PAR; c) investigar as ações definidas pelos municípios de Campo Grande e Coxim no Plano de Ações Articuladas (PAR), para divulgação e análise dos resultados da avaliação externa; d) verificar, em que medida, os gestores desses municípios se apropriam desses resultados para o planejamento pedagógico de suas redes de ensino. A metodologia compreende a análise de documentos oficiais destacando-se o Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) e o PAR elaborado pelos municípios; a realização de entrevistas de caráter semiestruturado, com a Secretária Municipal de Educação e os responsáveis pelo PAR desses municípios. A sistematização e análise dos dados evidenciaram que: o município de Coxim, diferente do município de Campo Grande, inseriu na Dimensão Educacional do PAR o Indicador relacionado à ?Divulgação e Análise dos resultados das avaliações oficias do MEC?; os dois municípios limitaram-se a informar os resultados da avaliação externa à comunidade escolar; ambos propuseram ações voltadas para a avaliação dos resultados de desempenho dos alunos, por meio da introdução de exames simulados e preparação dos professores, segundo a metodologia da Prova Brasil, reproduzindo assim os instrumentos nacionais; e que a forma como esses resultados são divulgados, vem intensificando a perspectiva de responsabilização dos resultados pelas escolas. Conclui-se que os resultados das avaliações externas não têm sido utilizados pelos municípios como aprimoramento para o planejamento de ações sistematizadas e permanentes, que incentivem a melhoria da qualidade de ensino de suas redes, para além dos resultados de desempenho dos alunos.

  • Data da Defesa: 28/08/2012
  • Download: Clique aqui
+ CULTURA DO CORPO E EDUCAÇÃO FÍSICA: DIÁLOGOS INTERCULTURAIS
  • Discente:
    • RAFAEL DO NASCIMENTO VALENTE
  • Orientador(a):
    • José Licínio Backes
  • Resumo:

    O presente estudo está vinculado ao Programa de Pós-Graduação – Mestrado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco, na linha de pesquisa da Diversidade Cultural e Educação Indígena. O objetivo geral é analisar, com base na perspectiva da interculturalidade, como acadêmicos de um curso de Licenciatura em Educação Física negociam os significados de diferença, identidade, cultura, corpo e diversidade cultural. Os objetivos específicos são: a) identificar os significados de cultura de acadêmicos de um curso de Educação Física; b) identificar como os acadêmicos de Educação Física percebem a diversidade cultural e corporal; c) identificar possíveis relações entre as experiências corporais de acadêmicos de Educação Física com os significados da interculturalidade; d) compreender possíveis relações entre a tensão presente no campo da Educação Física quanto à sua identificação com a área de Ciências Humanas ou Ciências da Saúde e os significados de diferença, identidade, diversidade cultural e corporal; e) identificar possíveis relações entre as preferências por determinadas disciplinas e modalidades esportivas de acadêmicos de Educação Física e os significados de diferença, identidade, diversidade cultural e corporal. A dissertação se inspira no campo teórico dos Estudos Culturais, que entende os significados como resultados de disputas de poder no território da cultura, produzindo identidades e diferenças. A pesquisa de campo foi realizada por meio de entrevistas semiestruturadas com dez acadêmicos do Curso de Educação Física da FACSUL. Foi possível perceber diferentes significados que os acadêmicos negociam em relação a cultura, diferença, identidade, diversidade cultural e corporal. A pesquisa efetuada mostra que há significados negociados pelos acadêmicos que permitem dizer que a interculturalidade começa a fazer parte do contexto da Educação Física. Mas alguns deles assumiram, em geral, posturas que lembram uma educação monocultural. Mencionaram valores e compreensões fortemente marcados pelo preconceito, pelo estereótipo, pelos "rótulos", pela homogeneidade, mesmidade, "anormalidade" em relação ao diferente. 

  • Data da Defesa: 28/08/2012
  • Download: Clique aqui
+ A CONSTRUÇÃO DO PROCESSO ESCOLAR DOS TERENA NA ALDEIA BURITI - MS
  • Discente:
    • FERNANDO AUGUSTO AZAMBUJA DE ALMEIDA
  • Orientador(a):
    • Neimar Machado de Sousa (permanente até 2012 / colaborador de 2013 até 2015)
  • Resumo:

    A presente pesquisa, desenvolvida no Programa de Pós-Graduação Mestrado e Doutorado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco, linha Diversidade Cultural e Educação Indígena, trata da construção do processo escolar dos Terena na Aldeia Buriti-MS. Os Terena iniciaram a escolarização em 1888, numa sala com paredes de taquarussú aberto e amassado em forma de tábua e o telhado de folhas de buriti com um professor Guarani Kaiowá denominado de José Ubiratan. Tratava-se de uma instituição incipiente, de iniciativa dos Terena de acordo com entrevistas preliminares, foi a estratégia dos Terena para se inserirem na sociedade não indígena. O objetivo geral da pesquisa é investigar o processo de escolarização verificado na aldeia Buriti, município de Dois Irmãos do Buriti/MS, identificando as metodologias aplicadas entre 1887 e 2010, quando o currículo da Escola Municipal Indígena Alexina Rosa Figueiredo tramita para uma educação escolar indígena diferenciada e bilíngüe e o específicos são: identificar o processo de escolarização aplicado na aldeia Buriti entre 1887 e 2010; descrever a maneira como os professores do SPI ensinavam os conteúdos contidos no currículo nacional e ainda fazer uma relação entre a aprendizagem e a frequência escolar; pesquisar a visão das famílias Terena sobre a educação indígena diferenciada e as perspectiva das mesmas em relação a inclusão dos seus filhos na sociedade nacional; analisar as consequências da escolarização integracionista, implantada na aldeia Buriti, e a ruptura desta escolarização, para uma escola que fortalece a cultura e língua e o modo de ser Terena. O procedimento metodológico iniciou-se com a revisão bibliográfica, seguida da análise documental com os documentos do Serviço de Proteção aos Índios (SPI): avisos de posto, boletins da frequência escolar, relatórios mensais, semestrais e anuais, cartas, etc. A metodologia ainda teve como procedimento de coleta, a observação feita por meio das técnicas orais, entrevistas, com os professores, pais, alunos e anciões da aldeia Buriti-MS, o que foi fundamental para o conhecimento do processo escolar dos Terena na aldeia Buriti-MS. A pesquisa nos permite dizer que com a implantação do PIN (Posto Indígena de Nacionalização) Buriti em 1927, pelo SPI, a professora era geralmente a esposa do funcionário do SPI, que era designado para administrá-lo e o ensino era o mesmo das escolas brasileiras. A política era integrar os Terena superando sua identificação étnica, ou seja, um brasileiro sem identidade específica. As pressões sobre a sociedade Terena também configuram-se em políticas sistemáticas para que os indígenas deixassem de falar a língua materna. O resultado desse ensino é presente ainda hoje entre os Terena, na Aldeia Buriti; a maioria não fala mais o seu idioma materno, os praticantes dessa língua são poucos se restringindo -se aos anciãos. Com isso, transferiram-se para dentro da escola indígena os currículos convencionais das redes oficiais. No entanto, os Terena de Buriti-MS, apontam as primeiras observações, manifestaram um movimento de negociação política com a sociedade não-indígena por meio da instituição escola. A escola se torna para os Terena do Buriti-MS um espaço flexível, poroso e híbrido, onde há os avanços e desafios para a concretização de uma educação escolar indígena que realmente a comunidade do Buriti-MS quer, para que no futuro consigam a sua própria autonomia.

    PALAVRAS-CHAVE:Terena do Buriti-MS, Educação escolar indígena, Desterritorialização

  • Data da Defesa: 27/08/2012
  • Download: Clique aqui
+ AS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE HISTÓRIA: POSSIBILIDADES NO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO
  • Discente:
    • SIDNEIA CAETANO DE ALCÂNTARA FERNANDES
  • Orientador(a):
    • Maria Cristina Lima Paniago
  • Resumo:

    O presente estudo integra-se a linha de pesquisa ?Práticas Pedagógicas e Suas Relações com a Formação Docente? e tem como objetivo geral analisar a inserção das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) no Ensino e Aprendizagem de História: Possibilidades no Ensino Fundamental e Médio nos Laboratórios de Informática de duas escolas, uma rede Municipal e outra da rede Estadual da cidade de Campo Grande MS. Neste contexto, estabelecemos como objetivos específicos analisar o Projeto Político Pedagógico (PPP) no que tange o uso das TIC; analisar as concepções dos professores de História sobre o processo ensino aprendizagem mediadas pelas TIC; analisar a Prática dos Professores de História mediada pelas TIC. Participaram deste estudo 4 professores, 2 dois da Rede Estadual e 2 dois da Rede Municipal da cidade de Campo Grande MS. Como procedimentos metodológicos, realizamos entrevistas semiestruturadas com os professores de cada escola escolhida porque privilegia a obtenção de informações através da fala individual. As análises das entrevistas mostraram que os professores acreditam nas possibilidades de uso das TIC no ensino aprendizagem, embora as empregem em suas práticas ainda como ferramenta de auxílio, e apoio pedagógico, mas sem um embasamento teórico para o uso das TIC. Detectamos que os professores têm acesso restrito aos Laboratórios de Informática das escolas - porque são muitos os professores para usar a sala - e que precisam seguir um cronograma, que geralmente falha, impossibilitando o uso do Laboratório durante o bimestre. Apesar das restrições, os professores têm concepção positiva das TIC e seu uso no ensino aprendizagem, porque incentivam a criatividade e interesse do aluno. Falta ainda maior empenho por parte do quadro docente para um estudo mais aprofundado sobre o uso das TIC associado ao ensino e aprendizagem e necessidade de atualização do Projeto Político Pedagógico da escola. Nas práticas pedagógicas identificamos através das entrevistas que na maior parte das vezes os professores utilizam a internet para desenvolver atividades com os alunos porque acreditam que a internet torna a aula mais interativa. Concluímos assim que o papel das TIC no ensino aprendizagem dos nossos alunos dependerá inicialmente de dois fatores essenciais que são a formação inicial e continuada aperfeiçoamento constante - subsídios para que o professor possa entender, compreender, problematizar e produzir conhecimentos no contexto de uso das TIC.

  • Data da Defesa: 24/08/2012
  • Download: Clique aqui
+ DOCÊNCIA: UM OLHAR PARA A TERCEIRA IDADE
  • Discente:
    • BÁRBARA BORGES E JESUS
  • Orientador(a):
    • Maria Cristina Lima Paniago
  • Resumo:

    O presente trabalho insere-se na linha de pesquisa ?Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente?, do programa de pós-graduação stricto sensu em Educação da Universidade Católica Dom Bosco ? UCDB. O objetivo precípuo deste estudo é analisar os processos de formação profissional dos professores que atuam em Universidades da Terceira Idade e as concepções sobre educação para idosos que possibilitam a construção de suas práticas docentes. Os objetivos específicos consistem em identificar a formação inicial e continuada dos professores que atuam nesta área relacionada à temática da Terceira Idade, investigar as concepções desses professores sobre o processo de ensino e aprendizagem dos idosos e analisar acerca dos saberes contemplados em seu fazer pedagógico. Para proceder a pesquisa de caráter qualitativo utilizamos questionários estruturados aplicados a partir de entrevistas individuais, nas quais se investigou acerca da construção do conhecimento pedagógico associado ao ensino de idosos. Foram entrevistados seis (6) professores da Universidade Aberta da Terceira Idade ? Unati, do Programa de Gerontologia Social da Pontifícia Universidade Católica de Goiânia ? PUC/GO. Analisou-se a inter-relação de experiências tanto profissionais quanto pessoais que constituíram sua formação. Foram abordados conhecimentos a respeito da aprendizagem do idoso e os motivos pelos quais se dá a escolha pela carreira, o início da docência e a opção por lecionar para idosos. Os resultados apontam que os conhecimentos construídos durante a formação inicial e continuada são relevantes, porém, a experiência formativa não preparou os professores para o ensino direcionado ao público idoso. A análise mostra que o saber produzido pela experiência é muito presente no dia a dia desse professor e que a afetividade, paciência e o conhecimento sobre o processo de envelhecimento humano são essenciais para o aprimoramento de práticas pedagógicas adotadas em cursos voltados a idosos. Palavras-chave: 1. Formação de Professores; 2. Saberes Docentes; 3. Educação para Idosos.

  • Data da Defesa: 23/08/2012
  • Download: Clique aqui
+ EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA e os PROCESSOS PRÓPRIOS DE APRENDIZAGENS: espaços de inter-relação de conhecimentos na infância Guarani/Kaiowá, antes da escola, na Comunidade Indígena de Amambai, Amambai - MS.
  • Discente:
    • ELDA VASQUES AQUINO
  • Orientador(a):
    • Adir Casaro Nascimento
  • Resumo:

    Esta dissertação está inserida na Linha 03: Diversidade Cultural e Educação Escolar Indígena, PPGE/UCDB e faz parte do Projeto de Pesquisa-Núcleo Local (Submetido ao Edital 001/2009-CAPES/SECAD/DEB/INEP - Observatório de Educação Escolar Indígena) FORMAÇÃO DE PROFESSORES INDÍGENAS GUARANI E KAIOWÁ EM MATO GROSSO DO SUL: relações entre territorialidade, processos próprios de aprendizagem e educação escolar indígena. Tem como objetivo principal conhecer melhor a criança Guarani/Kaiowá antes de ir à escola, e observar/descrever como se dão as suas aprendizagens, tendo em vista a compreensão dos seus processos próprios de aprendizagens e as suas interações estabelecidas com o cotidiano e seu entorno. Tendo como objetivos específicos: a) Identificar os espaços onde as crianças aprendem e como aprendem; b) Identificar o processo negociação com outra cultura vivida que faze parte dessa aprendizagem. Essa pesquisa foi realizada na Terra Indígena de Amambai/MS. É uma pesquisa qualitativa pesquisada por mim professora indígena Kaiowá e a produção de dados foi feita por meio da observação das crianças com adultos e com as outras crianças, com os depoimentos dos pais, dos mais velhos, dos “ñanderu e ñandesy” (rezadores) e das lideranças. Os resultados da pesquisa apontam que as crianças que ainda não foram à escola têm seus processos próprios de aprendizagem Guarani/Kaiowá, do seu jeito, têm muito mais facilidade de aprender o conhecimento tradicional, apesar do conhecimento da sociedade, do entorno. Essa aprendizagem vai acontecendo no cotidiano não importando os momentos e nem os lugares. Tudo se torna uma escola de aprender, sempre vai ultrapassando as fronteiras e os entre-lugares e afirmando sua identidade, buscando o seu pertencimento nos lugares adequados, aprendendo a conviver com os dois mundos diferentes, respeitando as diferenças culturais existentes.

    Palavras-chaves: Processos próprios de aprendizagem, crianças Guarani/Kaiowá, diferenças culturais.

  • Data da Defesa: 22/08/2012
  • Download: Clique aqui
+ A CRIAÇÃO DA DIFERENÇA NA OBRA A RETIRADA DA LAGUNA DE VISCONDE DE TAUNAY
  • Discente:
    • ELISA MARIA BALZAN
  • Orientador(a):
    • Neimar Machado de Sousa (permanente até 2012 / colaborador de 2013 até 2015)
  • Resumo:

    Esta pesquisa resultou de um estudo do curso de Mestrado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), da Linha III ? Diversidade Cultural e Educação Indígena,sobre a diferença na obra A retirada da Laguna do autor Alfredo d`Escragnolle Taunay; mais conhecido na vida literária como Visconde de Taunay. Foi realizada uma análise bibliográfica da obra citada e um resgate dos relatos grafados por Taunay sobre a Guerra do Paraguai. A análise partiu primariamente do olhar do próprio escritor e retratador Visconde de Taunay com base em suas memórias produzidas sobre a Guerra do Paraguai. O livro, escrito a partir de 1865 e com a primeira edição datada de 1871, em língua francesa, narrou o episódio da retirada da Laguna ocorrido durante a Guerra da Tríplice Aliança ou Guerra do Paraguai (1864-1870). As narrativas apologéticas que se seguiram após o conflito foram muito influenciadas por esta obra. A expedição ?patriótica?, na descrição de Taunay, rumo aos pantanais do Mato Grosso, acreditava estar defendendo o Brasil da invasão pelos paraguaios. A partir dos relatos, possivelmente escritos durante a guerra, Taunay consolidou a obra A retirada da Laguna, na qual teceu olhares sobre os sujeitos presentes na guerra; percebendo/apontando a diferença dos membros da comitiva, soldados, mulheres, crianças, comandantes e a hierarquia do exército, índios, paraguaios e por ele mesmo. Foi realizado um estudo interligando a leitura de A retirada da Laguna, com teóricos como Skliar, Homi Bhabha, Sturt Hall, Baumam, Canclini, Alcalá, o próprio Taunay, dentre outros, que, estudam a identidade e a percepção da diferença, nos relatos de Taunay. A pesquisa teve uma abordagem predominantemente qualitativa que, segundo Minayo (1994), trabalha com o universo de significados, motivos, aspirações, crenças, valores e atitudes, o que corresponde a um espaço mais profundo das relações. A leitura foi feita em três etapas: num primeiro momento uma leitura exploratória, com intenção de reconhecimento, no segundo momento, uma leitura seletiva, mais profunda do material bibliográfico; e a terceira uma leitura analítica que selecionou os textos usados como definitivos, resultando nessa dissertação como finalização da pesquisa. E concluindo que Taunay apresentou-nos um ?olhar?do homem europeu sobre os sujeitos que estiveram na guerra, subalternizando-os. São os sujeitos da diferença que aparecem também na sala de aula, quando se padronizam as diferenças, ignorando-as. PALAVRAS-CHAVE: Guerra do Paraguai; Alfredo de Taunay; A retirada da Laguna; a diferença.

  • Data da Defesa: 20/08/2012
  • Download: Clique aqui
+ OS "BONS PROFESSORES" DAS LICENCIATURAS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL / DOURADOS: Uma reflexão sobre suas práticas pedagógicas
  • Discente:
    • ELIZABETH DIAS RODE
  • Orientador(a):
    • Flavinês Rebolo
  • Resumo:

    Esta pesquisa ligada à Linha de Pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente do Programa de Pós-graduação em Educação – Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco, tem como objetivo identificar as práticas pedagógicas utilizadas pelos professores apontados como "bons professores" pelos alunos de licenciaturas da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul/Dourados, bem como caracterizar essas práticas e as condições de trabalho em que ocorrem. O percurso investigativo constou: (1) da análise dos seguintes documentos: Estatuto da UEMS e Plano de Cargos e Carreira e Resolução conjunta/COUNI/CEPE-UEMS Nº 024/06, a partir dos quais se buscou contextualizar os professores no seu meio histórico/social e as condições de trabalho oferecidas a eles pela Universidade; (2) da aplicação de um questionário, visando identificar quem são os "bons professores" para 114 acadêmicos dos últimos anos dos cursos de licenciaturas da UEMS/Dourados: e (3) de entrevistas semi-estruturadas com os professores apontados como "bons professores". As análises desses documentos apontam alguns aspectos das condições de trabalho dos professores da UEMS/Dourados: o ingresso se dá por concurso público ou contração temporária, há progressão funcional por capacitação, adicional de 50% do salário por dedicação em tempo integral, existe autonomia pedagógica, entre outros. Com a aplicação dos questionários, foram identificados 10 professores que, segundo os acadêmicos, são "bons professores" por possuírem domínio de conteúdo, desenvolvem os conteúdos de forma adequada, usam linguagem clara, promovendo uma relação de respeito e diálogo com os alunos e avaliam os conteúdos de acordo com o trabalhado realizado em sala de aula. Desses 10 professores, foram entrevistados oito. As entrevistas, realizadas individualmente, foram transcritas para análise. As quais apontam que os professores têm em comum algumas práticas, como: utilização de saberes das experiências na prática pedagógica; relação professor/aluno mediada pelo respeito e diálogo; entendimento de que os conteúdos de ensino extrapolam os ministrados nas disciplinas; preocupação com a forma de organização da aula e dos conteúdos a serem ministrados; utilização de aula expositiva mediada pelo debate; rigor na avaliação; clareza com os objetivos e metas da educação; e sentimento de realização profissional. Os professores indicados pelos acadêmicos, em sua maioria, são docentes do quadro permanente da Instituição, desenvolvem atividades no ensino, pesquisa e extensão; cinco deles são doutores, dois são doutorandos e um é mestre. Desenvolvem atividades de docência entre oito e 34 anos, têm entre 38 e 59 anos e, em sua maioria, são do sexo masculino.

    Palavras-chave: Bom professor. Prática docente. Professores universitários.

  • Data da Defesa: 30/07/2012
  • Download: Clique aqui
+ POLÍTICA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR E OSPROGRAMAS DE PERMANÊNCIA PARAUNIVERSIDADES PÚBLICAS - um estudo da UniversidadeFederal de Mato Grosso do Sul - 2003 a 2010
  • Discente:
    • DÉBORA JULIANA NEPOMUCENO DE SOUZA
  • Orientador(a):
    • Jefferson Carriello do Carmo ( permanente até 2013 / colaborador 2014 até 2015)
  • Resumo:

    Esta Dissertação investiga a política de educação superior no Brasil e os programas de permanência implementados pelas universidades públicas, em específico a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), no período de 2003 a 2010, no governo de Luiz Inácio Lula da Silva. Vincula-se à Linha de Pesquisa Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente, do Programa de Pós-Graduação - Mestrado e Doutorado em Educação da UCDB e, se desenvolve no âmbito do Grupo de Estudos e Pesquisas Políticas de Educação Superior (GEPPES). O objetivo geral consiste em investigar os programas de permanência implementados nas universidades públicas, em específico a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), no contexto das políticas de Educação Superior, no período de 2003 a 2010. Para tanto, os objetivos específicos ficaram assim definidos: a) Identificar as características dos programas de permanência oferecidos pelo governo federal na UFMS; b) Verificar os critérios de elegibilidade para concorrer a esses programas; c) Examinar como esses programas possibilitaram a permanência e a conclusão do curso superior. A pesquisa utilizou a abordagem qualitativa, delimitando o procedimento técnico-metodológico por meio das seguintes fases: a) pesquisa bibliográfica; b) organização e análise de fontes documentais, especialmente a legislação e os programas do governo no período de 2003 a 2010; c) levantamento de dados estatísticos do INEP/MEC sobretudo os relacionados às universidades públicas; d) levantamento dos programas de permanência na educação superior do governo federal; e) realização de entrevista por meio de roteiro semi-estruturado com alunos que utilizam a Bolsa Ação Permanência ou Auxílio Alimentação da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul; f) classificação, categorização e análise dos dados. Os resultados nos permitem afirmar que no governo de Luiz Inácio Lula da Silva foram implementados programas de educação superior para possibilitar a permanência dos estudantes nesse nível de ensino, como por exemplo, o Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (REUNI), que amplia o acesso e a permanência na educação superior; o Programa (INCLUIR) que propõe ações que garantam o acesso pleno de pessoas com deficiência às Instituições Federais de Educação Superior, e o Plano Nacional de Assistência Estudantil (PNAES), nosso principal foco de estudo, que, por meio da entrevista realizada com estudantes que utilizaram os recursos oriundos do PNAES, foi possível perceber sua importância como programa de permanência e, as barreiras relatadas por eles, são recorrentemente percebidas como desafios e até mesmo estímulos, sendo o Programa um marco para a educação superior e para a vida desses acadêmicos. Portanto, fica demonstrado que a permanência na IES pública não se restringe à matrícula, mas às condições econômicas para arcar com as despesas mínimas exigidas para cursar a educação superior, não basta garantir o acesso, é necessário propiciar também a permanência.

    Palavras-Chave: Políticas de Educação Superior; Programas de Permanência e Universidades Públicas

  • Data da Defesa: 11/06/2012
  • Download: Clique aqui
+ DIREITOS INDÍGENAS E EDUCAÇÃO ESCOLAR: PARÂMETROS DA ESCOLA PARA A EFETIVIDADE DE DIREITOS DOS KAIOWÁ E GUARANI E A CONCEPÇÃO DOS PROFESSORES INDÍGENAS SOBRE SUSTENTABILIDADE E TERRITORIALIDADE
  • Discente:
    • ROGÉRIO BATALHA ROCHA MORONI
  • Orientador(a):
    • Antonio Jacó Brand (In Memoriam)
  • Resumo:

    O presente trabalho, que está inserido na Linha de Pesquisa nº 3, do Programa de Mestrado em Educação da UCDB, tem por finalidade investigar os parâmetros das escolas situadas nas terras indígenas Kaiowá e Guarani, em Mato Grosso do Sul, para a efetividade dos direitos indígenas e as percepções/concepções dos seus professores sobre sustentabilidade e territorialidade enquanto direitos fundamentais, em seus aspectos teóricos e legais. Na realização da pesquisa buscou-se dialogar e apoiar-se em referenciais teóricos relacionados aos direitos indígenas, práticas educacionais, currículo e formação de professores, que trazem como pressupostos as relações entre territorialidade e sustentabilidade. No que tange aos aspectos da educação e cotidiano escolar, currículo e interculturalidade recorreu-se a Candau, Carlos Skliar, Cary Nelson, Catherine Walsh, Duschatzky, Fredrik Barth, Grossberg, Jorge Larrosa, Liane Schneider, Maria Tereza Esteban, Marli Fantini, Moreira, Munanga, Núria Pérez de Lara Ferre, Stuart Hall, Tedeschi, Treichler e Zygmunt Bauman. Sobre educação indígena, sustentabilidade, territorialidade e processos de territorialização faz-se referência especial aos estudos de Aguilera Urquiza, Brand e Nascimento. A metodologia da pesquisa ficou concentrada em pressupostos qualitativos, incluindo entrevistas com professores indígenas, a participação em etapas de curso de formação de professores e na revisão de textos legais e normativos vigentes pelo Estado Brasileiro. O estudo realizado permitiu concluir que a Lei 9.394/96, a Resolução 3/99 do CNE e o Decreto 6.861/09 constituem-se em importantes instrumentos legais e programáticos para a atuação da escola indígena, na perspectiva dos direitos à territorialidade e sustentabilidade desses povos. De outra parte, os depoimentos dos professores permitiram perceber uma relação muito estreita entre educação escolar, territórios/territorialidade e sustentabilidade, sendo que, segundo os professores, os questionamentos sobre “demarcações de terras” e luta por direitos devem ser “traduzidos” para o âmbito do ensino escolar indígena e que este deve pautar-se em práticas pedagógicas que questionam as relações de poder, o que gera uma evidente ressignificação de práticas sociais e culturais nas comunidades. A escola é afetada pelos problemas inerentes à falta de suas terras tradicionais, exigindo ressignificar seus conceitos acerca de territorialidade e sustentabilidade.

  • Data da Defesa: 18/04/2012
  • Download: Clique aqui
+ O IMPACTO DA AVALIAÇÃO DO EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO (ENEM) NA ATUAÇÃO DOS PROFESSORES DE LÍNGUA PORTUGUESA EM SALA DE AULA NO MUNICÍPIO DE NAVIRAÍ-MS
  • Discente:
    • RENICE RIBEIRO LOPES
  • Orientador(a):
    • Ruth Pavan
  • Resumo:

    Esta dissertação está vinculada à Linha de Pesquisa Práticas Pedagógicas e Suas Relações com a Formação Docente. A pesquisa tem como título ?O Impacto da Avaliação do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) na atuação dos professores de Língua Portuguesa no município de Naviraí-MS?. O objetivo é analisar os principais impactos e mudanças ocorridos pela implantação do ENEM nas aulas de Língua Portuguesa dos terceiros anos do ensino médio. Para atender a esse objetivo, procuramos caracterizar quais mudanças ocorreram/ocorrem nas aulas de Língua Portuguesa com o surgimento e implantação do ENEM segundo os professores. Fez-se necessário também compreender se há preocupação dos professores em preparar seus alunos para o ENEM e se eles percebem essa preocupação nos alunos. Para a verificação dos resultados obtidos, foram utilizadas informações do banco de dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP), e para a coleta de dados foi utilizada a entrevista semiestruturada, efetuada com os professores do terceiro ano do ensino médio do município de Naviraí-MS, perfazendo um total de sete professores entre a rede pública e privada. A análise dos dados obtidos aponta que o impacto do ENEM nas aulas de Língua Portuguesa tem ocorrido na produção e interpretação de textos, além de ocasionar mudanças no modo como os professores estão preparando suas avaliações. Desta forma, é possível concluir que o ENEM tem provocado, de diferentes formas, mudanças nas práticas pedagógicas dos professores de Língua Portuguesa.

    PALAVRAS-CHAVE: Práticas Pedagógicas; ENEM; Língua Portuguesa.

  • Data da Defesa: 22/03/2012
  • Download: Clique aqui
+ CONCEPÇÕES E PERSPECTIVAS DE EDUCAÇÃO: UM ESTUDO DO CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS - CEEJA - DOURADOS/MS
  • Discente:
    • ANA MARIA DA TRINDADE RODRIGUES RAUBER
  • Orientador(a):
    • Ruth Pavan
  • Resumo:

    Esta pesquisa vincula-se à Linha de Pesquisa Práticas Pedagógicas e Suas Relações com a Formação Docente / PPGE/UCDB e se intitula CONCEPÇÕES E PERSPECTIVAS DE EDUCAÇÃO: UM ESTUDO DO CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS/ CEEJA / DOURADOS/MS. A pesquisa teve como objetivo geral: Analisar a perspectiva de educação dos estudantes e a concepção de educação do Projeto Pedagógico e dos professores do Ensino Fundamental e Médio do Centro Estadual de Educação de Jovens e Adultos de Dourados /CEEJA/MS. Os objetivos específicos consistiram em: a) Compreender a perspectiva de educação dos estudantes do CEEJA / Dourados/MS; b) Compreender a concepção de educação dos professores do CEEJA / Dourados/MS; c) Identificar a concepção de educação presente no Projeto Pedagógico do CEEJA ? Dourados/MS. Utilizamos como procedimento metodológico a abordagem qualitativa. A pesquisa foi desenvolvida em dois momentos: no 1º momento foi aplicado um questionário aos estudantes do período noturno da etapa final do ensino fundamental e do ensino médio para compreender a perspectiva de educação dos mesmos; no 2º momento foi aplicado um questionário aos professores do período noturno que lecionam na etapa final do ensino fundamental e do ensino médio. Na referencia teórica que pautou nossa análise, merecem destaque os autores Freire (1983a, 1983b, 2009 e 2010), Arroyo (2001 e 2011), Moll (1996 e 2005), Gadotti (1998, 2000, 2004 e 2010) e Soares (2002 e 2005) entre outros. Os resultados da análise dos dados apontaram que os estudantes que procuram o CEEJA são jovens e adultos com responsabilidades sociais e familiares, a maioria trabalhadores que já participam do mundo do trabalho, alguns com experiências escolares de evasão e repetências no ensino regular. Trazem consigo especificidades sociais e culturais e têm em relação à educação a perspectiva de que ela os ajudará a superar suas precárias condições de vida. Os docentes, de um modo geral, buscam estabelecer interlocução entre os saberes dos estudantes e os saberes escolares. Os professores percebem os estudantes como participativos e esforçados. No entanto, alguns expressam uma concepção tradicional e tecnicista. Os tradicionais veem o professor como aquele que forma, aquele que ilumina e ?dá? o conhecimento de que o educando precisa. Os tecnicistas restringem a educação ao aperfeiçoamento para o mundo do trabalho. Mas os dados demonstram ainda que a maioria dos professores revela uma concepção pedagógica libertadora/emancipatória de educação, que valoriza o sujeito como ser inacabado.

  • Data da Defesa: 09/03/2012
  • Download: Clique aqui
+ OS CAMINHOS DA FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DE PROFESSORES DO COLÉGIO MILITAR DE CAMPO GRANDE, MS
  • Discente:
    • SORAYA MOURA NONATO DA SILVA
  • Orientador(a):
    • Flavinês Rebolo
  • Resumo:

    Esta pesquisa se insere na Linha de Pesquisa: Práticas Pedagógicas e suas relações com a formação docente, do programa de Mestrado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco. O objetivo desta pesquisa é o de identificar e analisar os caminhos da formação e do desenvolvimento profissional de professores civis e militares do Colégio Militar de Campo Grande - CMCG, compreendendo, com autores como Nóvoa e Imbernón, que o processo acarreta a construção de saberes dos quais os professores se apropriam. Seis professores do CMCG, selecionados pelas fases da vida profissional em que se encontram (no início, no meio e no final da carreira) foram entrevistados e falaram de suas experiências de vida, revelando aspectos tanto profissionais quanto pessoais que constituíram sua formação. Foram tomados como aspectos significativos do processo formativo e de desenvolvimento, a escolha da carreira, o início da docência, a entrada no Colégio, as mudanças de práticas acarretadas pelas experiências vivenciadas na instituição de ensino, e as fases da vida profissional em que se encontram. A análise dos resultados das entrevistas indica o reconhecimento por parte dos professores de que os cursos de formação não os prepararam para os desafios impostos à profissão. A prática sustentada pelas experiências ao longo da vida profissional destes professores responde por suas atitudes que se transformam acarretando construção de novos saberes. O CMCG como instituição educacional deixa de corresponder ao seu papel de incentivador no processo de formação e desenvolvimento dos profissionais docentes, mas a sala de aula contribui grandemente como local de aprendizagem.

    Palavras-chave: formação e desenvolvimento da docência, fases de vida profissional, saberes e prática.

  • Data da Defesa: 28/09/2011
  • Download: Clique aqui
+ A CERTIFICAÇÃO OCUPACIONAL DE DIRIGENTES ESCOLARES DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CAMPO GRANDE / MS: IMPLICAÇÕES PARA A GESTÃO ESCOLAR (2001-2004)
  • Discente:
    • HILDETE DA SILVA PEREIRA
  • Orientador(a):
    • Regina Tereza Cestari de Oliveira
  • Resumo:

    O objetivo desta Dissertação é analisar as implicações da introdução e aplicação da Certificação Ocupacional de dirigentes escolares na Rede Municipal de Ensino de Campo Grande, estado de Mato Grosso do Sul, para a gestão escolar. A pesquisa abrange o período da parceria efetivada entre o governo municipal e o Instituto Ayrton Senna, para a concretização do Programa Escola Campeã (PEC), no segundo mandato do prefeito André Pucinelli, do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), de 2001 a 2004. Está inserida no projeto denominado ?Parcerias Público e Privado na Educação: implicações para a oferta e gestão educacional?, no âmbito do Grupo de Pesquisa ?Políticas Públicas e Gestão da Educação?, vinculado à Linha de Pesquisa Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação ? Mestrado e Doutorado da UCDB. Os objetivos específicos são: identificar as principais decorrências da parceria realizada entre a Prefeitura Municipal de Campo Grande, MS e o Instituto Ayrton Senna, para as políticas de gestão escolar da Rede Municipal de Ensino; investigar como ocorreu a inserção do processo seletivo de dirigentes escolares na Rede Municipal de Ensino de Campo Grande/MS; verificar as implicações da introdução e aplicação do mecanismo de certificação ocupacional para a gestão escolar. A metodologia compreende a análise de documentos, destacando-se as seguintes fontes: Termo de Parceria e Termos aditivos; Decretos e Resoluções municipais; além da realização de entrevistas de caráter semiestruturado com um gestor de sistema e quatro diretores selecionados com base na tipologia das escolas definida pelo Decreto municipal 10.859 de 27 de maio de 2009. Os resultados mostram que o governo municipal em consonância com os termos de parceria institui, entre outros, o processo seletivo para dirigentes escolares, em três etapas: a seleção dos candidatos; o curso de capacitação em gestão; e a certificação ocupacional. Mostram, ainda, que a aplicação da certificação ocupacional, precedida pelo curso de capacitação, com base nos Manuais da Fundação Luís Eduardo Magalhães (FLEM), tendo em vista a ?escola eficaz?, modificou a prática do gestor escolar, principalmente quanto à organização da rotina da escola e a incorporação do registro de informações. Conclui-se que embora a Constituição Federal de 1988 tenha definido a gestão democrática como princípio do ensino, a administração municipal, no período de 2001 a 2004, adotou como forma de acesso ao cargo de diretor de escola a seleção técnica seguida de indicação pelo poder executivo.

    Palavras-chave: Política educacional. Gestão escolar. Certificação ocupacional.

  • Data da Defesa: 23/09/2011
  • Download: Clique aqui
+ POLÍTICA DE GESTÃO ESCOLAR DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CAMPO GRANDE, MS: IMPLICAÇÕES DA PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA (2005- 2008)
  • Discente:
    • LUCIANA CRISTINA LOPES DANTAS
  • Orientador(a):
    • Regina Tereza Cestari de Oliveira
  • Resumo:

    Esta dissertação está inserida no projeto denominado "Parcerias Público e Privado na Educação: implicações para a oferta e gestão educacional", no âmbito do Grupo de Pesquisa "Políticas Públicas e Gestão da Educação", vinculado à Linha de Pesquisa Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente, do Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado e Doutorado da UCDB. Apresenta como objeto de pesquisa as mudanças ocorridas na política de gestão educacional, da Rede Municipal de Ensino de Campo Grande, no período de 2005 a 2008, tendo como referência o encerramento da parceria entre o Governo Municipal e o Instituto Ayrton Senna (IAS), efetivada entre 2001 e 2004. Os objetivos específicos são: a) verificar as ações implementadas na gestão educacional da Rede Municipal de Ensino no decorrer da parceria; b) identificar as alterações na política de gestão escolar com ênfase à legislação pertinente, após o encerramento da referida parceria; c) investigar as implicações decorrentes dessas mudanças para a gestão escolar. A metodologia utilizada compreende a análise de documentos, entre eles, Decretos, Resoluções e documentos norteadores oriundos da Secretaria Municipal de Educação (SEMED), como "Política de Gestão Escolar da Rede Municipal de Ensino de Campo Grande" (2007); além de entrevista, de caráter semiestruturado, com um gestor de sistema e com diretores de quatro escolas selecionadas, segundo os critérios: 1) tipologia das escolas (Especial, A, B e C) definida pela Resolução nº 10.859, de 27 de maio de 2009; 2) gestor escolar que atue na escola desde o período correspondente à parceria. Os resultados mostram que as ações implementadas na gestão educacional da Rede Municipal no período da parceria, tiveram continuidade após seu encerramento, de modo específico o processo seletivo que foi ampliado, com a introdução da IV etapa, ou seja, o Acompanhamento Sistemático dos gestores escolares. Conclui-se que esse Acompanhamento imprimiu mais a função de controle, aumentando a responsabilização desses gestores pelos resultados de desempenho da escola.

  • Data da Defesa: 22/09/2011
  • Download: Clique aqui
+ O PROJETO CÓRREGO BANDEIRA E AS CRIANÇAS TERENA
  • Discente:
    • ARI FERNANDO BITTAR
  • Orientador(a):
    • Adir Casaro Nascimento
  • Resumo:

    Esta dissertação de mestrado intitulada ?O Projeto Córrego Bandeira e as crianças Terena: um desafio pedagógico? faz parte do Programa de Pós Graduação ? Mestrado e Doutorado - na Linha de pesquisa -Diversidade Cultural e Educação Indígena?, da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) de Campo Grande, MS. Tem por objetivo identificar as manifestações identitárias das crianças Terena que frequentam o Projeto Córrego Bandeira. Para tanto, buscou-se entender o processo migratório por meio da historiografia, bem como apresentar as relações pedagógicas entre o Instituto Ayrton Senna e o Projeto Córrego Bandeira. E ainda, entender o universo cultural da criança Terena no Projeto Córrego Bandeira, descrever as crianças Terena em atividade e no cotidiano da aldeia urbana Darcy Ribeiro e por fim verificar a percepção dos monitores nas relações estabelecidas durante as atividades no que se refere a cultura da criança Terena. O aporte teórico está embasado na perspectiva qualitativa e tem como referência autores como Homi K. Bhabha, Stuart Hall, Skliar, Bauman, Lévinas, entre outros. A apresentação do estudo foi organizada em três capítulos, o primeiro discorre sobre a história, a tradição, a identidade e a cultura dos Terena, mencionando as Aldeias Urbanas Marçal de Souza e Darcy Ribeiro de Campo Grande; o segundo, apresenta as particularidades do Projeto Córrego Bandeira; e o terceiro evidencia as entrevistas que contribuíram para a análise do universo cultural das crianças Terena do Projeto Córrego Bandeira e a percepção dos monitores sobre a cultura indígena. Os resultados das entrevistas foram divididos em categorias de estudo a partir das concepções sobre alteridade, que nos permitiu dissertar acerca de mesmidade, ambivalência e o discurso do colonizador. Em meio as dificuldades destes monitores que estão sendo formados para atuarem como educadores/professores, foi possível percebe que os mesmos acabam, de certa forma, normalizando e anestesiando os seus receios e incertezas em trabalhar pedagogicamente com estas identidades ? diferenças que colorem e tingem este espaço de relacionamentos. Assim, pode-se considerar que ainda existe muito o que ser feito para que o trabalho pedagógico e social atinja a este público, a diversidade cultural e, mais especificamente a identidade Terena, conquanto, felizmente esse caminho já começou a ser percorrido pelos educadores do Projeto Córrego Bandeira.

    Palavras-chave: Cultura, Alteridade, Projeto Social, criança Terena.

  • Data da Defesa: 19/09/2011
  • Download: Clique aqui
+ POLÍTICA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NO BRASIL:A EXPANSÃO DOS CURSOS DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS(1996 a 2009)
  • Discente:
    • NEUSA OVIEDO RAMIREZ
  • Orientador(a):
    • Jefferson Carriello do Carmo ( permanente até 2013 / colaborador 2014 até 2015)
  • Resumo:

    Esta Dissertação apresenta como objetivo analisar a expansão do curso de graduação presencial em Ciências Contábeis no Brasil, na Região Centro-Oeste e em Mato Grosso do Sul, em função das políticas públicas de cunho neoliberal que imprimem caráter de mercantilização à educação superior, identificando em que medida essas características estão presentes na expansão do curso de graduação presencial em Ciências Contábeis. Insere-se na Linha de Pesquisa ?Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente?, do Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado, da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e vincula-se ao Grupo de Estudos e Pesquisas Políticas de Educação Superior (GEPPES), da UCDB. O recorte temporal se refere a 1996 a 2009, adotando-se como estratégia metodológica análise dos dados dos Censos da Educação Superior do INEP no período e pesquisa bibliográfica focando a relação entre políticas públicas neoliberais e a educação superior, expansão, privatização e mercantilização, e levantamento de fontes documentais como decretos, leis portarias, resoluções etc. Os dados revelam que as políticas neoliberais permeiam todo o processo de expansão da educação superior no Brasil com presença mais marcante no primeiro período da análise, de 1996 a 2001, e indica que no período de 2002 a 2009, acontece uma parada e /ou diminuição da expansão do curso de graduação presencial em Ciências Contábeis no Brasil. A expansão mercantilista imprime sua marca em toda educação superior no Brasil, na Região Centro-Oeste e em Mato Grosso do Sul. Foi possível constatar que a expansão do curso de graduação presencial em Ciências Contábeis no Brasil segue a tendência nacional da educação superior, com características específicas em função do perfil profissional de seus egressos, da necessidade do mercado e do próprio curso. É um curso que nasceu diretamente relacionado à necessidade do mercado de trabalho e os dados revelam que o curso é oferecido em maioria significativa no turno noturno.

    Palavras-Chave: Política de Educação Superior; Curso de Ciências Contábeis; Expansão e Mercantilização.

  • Data da Defesa: 06/09/2011
  • Download: Clique aqui
+ A PERCEPÇÃO DOS PROFESSORES SOBRE O SISTEMA DE COTAS PARA NEGROS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL - CURSO DE PEDAGOGIA DE DOURADOS (2004-2008) - Daisy Ribas Emerich
  • Discente:
    • DAISY RIBAS EMERICH
  • Orientador(a):
    • Mariluce Bittar (até 2014)
  • Resumo:

    Esta Dissertação de Mestrado tem como foco de pesquisa a análise da percepção dos professores da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul sobre o sistema de cotas para negros na Educação Superior. Vincula-se ao Grupo Estudos e Pesquisas de Políticas de Educação Superior (GEPPES) e à Linha de Pesquisa Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente, do Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e contou com o financiamento da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FUNDECT). O objetivo geral é analisar, segundo a percepção dos professores, do Curso de Pedagogia da Unidade Universitária de Dourados, sobre o sistema para negros, no período de 2004-2008. Os objetivos específicos consistiram em: a) identificar a percepção dos professores sobre as políticas de ação afirmativa e o sistema de cotas; b) verificar, na percepção dos professores, como foram mediadas as possíveis dificuldades vivenciadas pelos alunos concernentes à discriminação racial. O procedimento teórico-metodológico foi realizado em quatro fases: a) revisão bibliográfica sobre a temática; b) levantamento de documentos institucionais da UEMS sobre a política de cotas para acadêmicos negros e legislações estaduais sobre a implantação das políticas de cotas no âmbito da UEMS; c) elaboração de entrevistas com os professores da UEMS do Curso de Pedagogia; d) categorização dos documentos e entrevistas. Os resultados da pesquisa revelaram a percepção dos professores quanto ao papel da UEMS como instrumento de transformação social, mas acentuaram a necessidade de se aprofundar, cada vez mais, as discussões sobre as cotas para negros. A maioria dos entrevistados mostrou-se favorável ao sistema de cotas, mas preocupados em relação à permanência dos cotistas na Instituição.

    PALAVRAS-CHAVE: Política de Educação Superior; Ações Afirmativas; Sistema de Cotas

  • Data da Defesa: 02/09/2011
  • Download: Clique aqui
+ AS CONCEPÇÕES DE CORPO EA PRODUÇÃO DE IDENTIDADES EM AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR
  • Discente:
    • RENATO LIMA DE AGUIAR
  • Orientador(a):
    • Antonio Jacó Brand (In Memoriam)
  • Resumo:

    O presente trabalho vincula-se à Linha de Pesquisa 3 - Diversidade Cultural e Educação Indígena, do Programa de Mestrado/Doutorado em Educação, da Universidade Católica Dom Bosco. Tem como objetivo o estudo das concepções sobre o corpo expressadas pelos professores de educação física em sua prática pedagógica, relacionando-as à produção das identidades dos alunos no cotidiano escolar. Os objetivos Específicos são: a) Identificar as concepções dos professores de educação física sobre o corpo; b) Examinar como são produzidas essas concepções; c) Discutir a relação das concepções sobre o corpo, práticas pedagógicas e a constituição das identidades dos alunos. Tendo como referência teórica trabalhos de Michel Foucault; Jacques Derrida, Homi Bhabha, Stuart Hall, entre outros, que discutem temas como o poder, a diferença e a produção de identidades, a pesquisa, caracterizada como qualitativa, inclui a realização de entrevistas semi-estruturadas com professores de educação física de uma escola da Rede Municipal de Ensino de Campo Grande-MS. Para alcançar os objetivos, foi construído um referencial teórico, envolvendo uma possível história do corpo e da educação física enquanto componente curricular bem como as implicações desses com as identidades e as diferenças culturais. Tendo em vista as diferentes perspectivas para a educação física escolar, com seus discursos cada vez mais variados, com representações monoculturais e estereotipadas sobre o que ensinar ? uma Cultura corporal o referencial levantado permitiu compreender a identidade como um processo em constantes negociações, articulações e tensões, não podendo ser por isso considerada fixa, natural ou essencial. Atualmente a partir da pesquisa foi possível considerar que as concepções de corpo reproduzidas nos discursos para a educação física escolar que tentam fixar a identidade dos estudantes a partir de uma representação do corpo como máquina biológica que caracteriza todos os sujeitos como iguais e considera as diferenças detalhes ou problemas a serem corrigidos estão sendo re-significadas pela intervenção pedagógica dos profissionais. Tal pedagogia que antes deveria ter o discurso sobre o corpo pautado nos atributos científicos da modernidade, desqualificando outros discursos a respeito do corpo, produzidos em contextos culturais distintos, considerados menores ou impróprios às escolas e que desconsiderava o corpo enquanto produto cultural e produtor de identidades agora também apresentam outras compreensões que sugerem visões plurais sobre Culturas Corporais permitindo que as diferenças sejam vistas como positivas e enriquecedoras no universo escolar. Sendo ainda necessário investir na graduação com propostas de formação para atuação em espaços e tempos interculturais.

    PALAVRAS-CHAVE: corpo, cultura, educação física, identidade.

  • Data da Defesa: 31/08/2011
  • Download: Clique aqui
+ A REPRESENTAÇÃO DO DOCENTE E DO ACADÊMICO INDÍGENA, COM RELAÇÃO AS COTAS INDÍGENAS, NO CURSO DE DIREITO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL - UEMS - UNIDADE UNIVERSITÁRIA DOURADOS
  • Discente:
    • DABEL CRISTINA MARIA SALVIANO
  • Orientador(a):
    • Adir Casaro Nascimento
  • Resumo:

    A Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul ? UEMS foi pensada com o objetivo de fortalecer e desenvolver o interior do Estado, com sérios problemas com relação ao ensino fundamental e médio, principalmente quanto à qualificação de seu corpo docente. Era necessário criar uma universidade que fosse até o aluno, em função das distâncias e dificuldades de deslocamento, oportunizando o acesso ao ensino superior de uma faixa da população que antes se deslocava de suas cidades em busca de formação superior. A UEMS foi implantada com três diferentes estratégias: rotatividade dos cursos, sendo os mesmos permanentes em sua oferta e temporários em sua localização; criação de unidades universitárias em substituição ao modelo de campus e estrutura centrada em coordenações de cursos ao invés de departamentos com várias Unidades Universitárias, hoje totalizando quinze (15) unidades em todo o Estado. As cotas são consideradas medidas de reparação, compensação e de inclusão sócio-cultural. Na UEMS as cotas chegaram por meio da Lei 2.589, de 26/12/2002, que dispõe sobre reserva de vagas para indígenas, e a 2.605, de 06/01/2003, que dispõe sobre a reserva de 20% das vagas para negros. O curso de Direito sempre participou dos debates a respeito da implantação das cotas com relação a sua constitucionalidade e durante toda essa trajetória, as discussões ainda presentes no dia-a-dia da sala de aula. Como docente do curso de direito esse tema despertou meu interesse e realizei esta pesquisa no mestrado do Programa de Mestrado e Doutorado em Educação, linha três (03) Diversidade Cultural e Educação Indígena, da UCDB, tendo como objetivo a representação docente com relação ao cotista indígena do curso de direito da unidade universitária de Dourados. É uma pesquisa qualitativa, que incluiu como metodologia, entrevistas com docentes e cotistas indígenas, um discente de cada série do curso de direito, que tem cinco (05) anos de duração, analisando como o docente vê e discursa sobre seu aluno cotista indígena, e como o indígena avalia sua inserção no curso e quais suas dificuldades. Conclusivamente a pesquisa indica que uma das maiores dificuldades do cotista indígena é com relação a linguagem jurídica, e a língua portuguesa, na compreensão dos textos e na prática da escrita; permanência no curso devido à dificuldade financeira; acesso à universidade pela localização da aldeia; convivência com o mundo não indígena, entre outras. Isso gera um alto índice de abandono fazendo com que o cotista indígena apareça nas estatísticas da Universidade com desempenho acadêmico insatisfatório. De maneira geral, os resultados da pesquisa demonstram a necessidade de se elaborar metodologia diferenciada de ensino, com capacitação do corpo docente e políticas melhores de incentivo e apoio ao cotista indígena que apresenta como maior desafio sua permanência no sistema de ensino superior.

    Palavras-chave: Cotas indígenas. UEMS. Docentes. Discentes. Curso de Direito

  • Data da Defesa: 30/08/2011
  • Download: Clique aqui
+ OS EDUCADORES, A DIVERSIDADE CULTURAL E APRODUÇÃO DE IDENTIDADES/DIFERENÇAS
  • Discente:
    • CARLOS IGOR DE OLIVEIRA JITSUMORI
  • Orientador(a):
    • José Licínio Backes
  • Resumo:

    Esta dissertação de mestrado está vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Educação ? Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco, Linha de Pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena. Tem por objetivo averiguar como os professores se posicionam diante da diversidade cultural que está presente no espaço escolar, produzindo identidades/diferenças. A escola que serve de campo investigativo, é da Rede Estadual de Ensino, do período noturno, do Município de Campo Grande (MS). A pesquisa teve caráter etnográfico, com observação de um ano (julho de 2009 a julho de 2010). Ao término da observação, foram realizadas entrevistas semiestruturadas com cinco professores. Para manter o anonimato, atribuímos letras para identificá-los no decorrer do texto. Os sujeitos desta pesquisa são entendidos na ótica dos Estudos Culturais pós-estruturalistas; as identidades/diferenças de um professor/sujeito não são estáveis, fixas, essenciais, nem determinadas biologicamente. Elas são, a todo momento, rompidas, desconstruídas e ressignificadas nas relações líquidas e fronteiriças. Os professores são sujeitos do espaçotempo, o que significa que são produto, produtores e re-produtores dos discursos nos quais estão inseridos. Não podemos solidificar os discursos sobre o professor, pois eles mudam de acordo com os contextos. Os resultados da pesquisa indicam que o professor no espaço escolar, ao mesmo tempo em que se impõe como colonizador dos alunos, é também fruto de um processo de colonização. Portanto, esse processo não é fixo, muitas vezes é subvertido e ressignificado.

  • Data da Defesa: 25/08/2011
  • Download: Clique aqui
+ A INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA VISUAL NA EDUCAÇÃO SUPERIOR E A CONSTRUÇÃO DE SUAS IDENTIDADES
  • Discente:
    • MÁRCIA MARIA DE AZEREDO COUTINHO
  • Orientador(a):
    • José Licínio Backes
  • Resumo:

    Esta dissertação, vinculada à linha de pesquisa, Diversidade Cultural e Educação Indígena, do Programa de Pós-Graduação ? Mestrado e Doutorado em Educação, da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), analisa a inserção da pessoa com deficiência visual na educação superior, na perspectiva da educação inclusiva. Os objetivos específicos são: a) Identificar as estratégias encontradas pelos deficientes visuais para superar as suas dificuldades metodológicas de ensino e aprendizagem na educação superior; b) Identificar a forma como os professores da educação superior lidam com os deficientes visuais, segundo a percepção dos próprios sujeitos pesquisados; c) Identificar como os deficientes visuais negociam suas identidades, principalmente no contexto da educação superior. Foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com oito deficientes visuais que concluíram uma graduação na educação superior em diferentes instituições no município de Campo Grande/MS. A análise indicou que as estratégias utilizadas para concluírem a graduação na educação superior passam muito pelo apoio dos amigos e da família. Verificamos que a família e os amigos nesta pesquisa é que acabam por ficar com a responsabilidade de proporcionar uma educação inclusiva para as pessoas com deficiência visual. Percebemos também que os professores da educação superior não levam em conta a diferença do deficiente visual, possuem representações negativas sobre eles e não estão capacitados para trabalhar com a inclusão. Rotinas diárias de aulas em vários períodos acabam por não propiciar ao professor uma formação para lidar com estes sujeitos. Apesar dessas dificuldades, os deficientes visuais fazem do espaço da educação superior um espaço de negociação de suas identidades, no sentido de afirmarem suas potencialidades e autonomia. Concluímos que, para que haja a inclusão dos deficientes visuais, as instituições de educação superior devem rever sua pedagogia, desenvolvendo mecanismos e práticas que considerem a diferença desses sujeitos.

    PALAVRAS-CHAVE: Cultura, diferença, inclusão, deficiência visual, educação superior.

  • Data da Defesa: 06/06/2011
  • Download: Clique aqui
+ PROJETO RÁDIO RECREIO NO DIA A DIA DE UMA ESCOLA MUNICIPAL
  • Discente:
    • JAKES CHARLES DE FIGUEIREDO
  • Orientador(a):
    • Maria Cristina Lima Paniago
  • Resumo:

    Esta pesquisa está inserida na linha de pesquisa ?Práticas Pedagógicas e Suas Relações com a Formação Docente? e tem como objetivo analisar o processo de inserção do Projeto Rádio Recreio no dia a dia de uma Escola Municipal e como objetivos específicos: analisar o documento Projeto Rádio Recreio em todo o seu contexto, identificar o perfil da equipe e dos alunos participantes do Projeto Rádio Recreio e compreender a relação entre a equipe do Rádio e os alunos ouvintes. No período em que trabalhei como professor Coordenador das Tecnologias, em uma escola no município de Campo Grande, ficou evidenciado que no decorrer dos anos, ao se trabalhar projetos com os alunos, tendo as tecnologias como mediadoras no processo de aprendizagem, os mesmos demonstravam interesses pelas disciplinas envolvidas e pelo processo educacional. Esta dissertação é o resultado dos anseios e indagações que durante dois anos motivaram as minhas pesquisas focadas nos objetivos propostos. A pesquisa envolveu 02 professores das séries finais do Ensino Fundamental, responsáveis pelo Projeto Rádio Recreio, 01 monitor de alunos e 06 alunos do Ensino Fundamental na faixa etária dos 14 e 16 anos. A metodologia utilizada nesta dissertação é de caráter qualitativo e para melhor entendimento do trabalho foi dividida em quatro fases, sendo que na primeira fase houve a realização da análise do Projeto Rádio Recreio. Na segunda fase, ocorreram entrevistas semi-estruturadas e na terceira fase, foram realizadas as observações das reuniões feitas pela equipe do Projeto Rádio Recreio. Por último devo salientar que as leituras de fundamentação teórica, que também foram realizadas durante todo o processo. Nas análises dos dados ficaram evidenciados que os alunos pertencentes ao Projeto Rádio Recreio percebem a escola de uma maneira diferente, pois existe um comprometimento deles com os alunos ouvintes, professores e equipe técnica. Esses alunos são atuantes na escola, sendo responsáveis por ações que viabilizam a conscientização dos seus colegas sobre temas como bullying, homofobia, dengue, doenças sexualmente transmissíveis, entre outros. Foi possível perceber que o Projeto Rádio Recreio busca em suas ações conscientizar os alunos a valorizar os princípios de amizade e cooperação mútua. As análises também evidenciaram que o Projeto Rádio Recreio não significa apenas um passatempo, mas sim a continuidade das aulas de uma forma diferenciada, dinâmica e atrativa.

    Palavras-chave: Tecnologias educacionais. Rádio recreio. Pedagogia de projetos.

  • Data da Defesa: 11/05/2011
  • Download: Clique aqui
+ NAS TRAMAS DA IGUALDADE E DA DIFERENÇA FRENTE À ALTERIDADE DOS ALUNOS INDÍGENAS
  • Discente:
    • VALERIA APARECIDA DE MENDONÇA DE OLIVEIRA CALDERONI
  • Orientador(a):
    • Adir Casaro Nascimento
  • Resumo:

    Esta dissertação vincula-se à Linha de Pesquisa 3 - Diversidade Cultural e Educação Indígena, do Programa de Mestrado e Doutorado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco. Tem como objeto de pesquisa investigar as concepções dos docentes de uma escola pública da educação básica sobre a igualdade/diferença da identidade indígena, identificando eventuais fatores em torno desses conceitos que, ao estabelecer relações com alunos índios, interferem na sua alteridade. Os objetivos específicos consistem em: a) Pesquisar sobre a concepção/conceitos dos docentes sobre as relações entre identidade e diferença/igualdade; b) Observar/descrever as relações/práticas pedagógicas vivenciadas no contexto escolar entre docentes e os alunos indígenas. Como procedimento técnico-metodológico recorreu-se à observação, questionário e entrevistas com os docentes. O trabalho inspira-se no campo teórico dos Estudos Culturais, tendo como referência a discussão de temas como igualdade, diferença, alteridade, ambivalência e identidade. Todos os instrumentos de coleta de dados estão intencionalmente ?armados? pelo olhar do pesquisador. Acolheu-se para a construção desta pesquisa a compreensão de que o mundo não é de um único jeito, estando sujeito às possíveis reformulações. Destaca-se a importância do conceito de diferença como chave de leitura, pois, nos discursos sobre a diferença, aparece a ambivalência. Os sujeitos investigados naturalizam e harmonizam as relações interétnicas conflituosas, sob o argumento da igualdade, uma metanarrativa da modernidade. A igualdade e a diferença na escola ora incluem e ora excluem, marcando, silenciosamente, as identidades dos alunos indígenas.

    PALAVRAS-CHAVE: Igualdade; Diferença; Alteridade.

  • Data da Defesa: 30/03/2011
  • Download: Clique aqui
+ TRABALHO DOCENTE NA PÓS-GRADUAÇÃO NO CONTEXTO DA POLÍTICA DE AVALIAÇÃO DA CAPES 2004-2006
  • Discente:
    • Wercy Rodrigues Costa Junior
  • Orientador(a):
    • Jefferson Carriello do Carmo ( permanente até 2013 / colaborador 2014 até 2015)
  • Resumo:

    Esta dissertação realiza-se no âmbito dos estudos desenvolvidos pelo Grupo de Estudos e Pesquisas Políticas de Educação Superior (GEPPES), na Linha de Pesquisa ?Política Educacional, Gestão da Escola e Formação Docente?, do Programa Pós-Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado, Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Apresenta como objeto de análise a política de avaliação da CAPES e sua relação com o processo de precarização do trabalho docente na pós-graduação. O objetivo geral da pesquisa consistiu em investigar a política de avaliação da pós-graduação em Educação e sua relação com o processo de precarização do trabalho docente. Para atingir esse objetivo foram definidos os seguintes objetivos específicos: a) Investigar as políticas de avaliação da pós-graduação e seus reflexos no trabalho dos pesquisadores; b) Identificar que lugar ocupa os conceitos de qualidade e produtividade nas políticas recentes da pós-graduação; c) Identificar a relação entre a reestruturação produtiva e o trabalho docente na pós-graduação presente na legislação, normas e documentos destinados à avaliação do trabalho dos docentes da pós-graduação em educação. O procedimento metodológico fundamentou-se nos pressupostos da abordagem qualitativa, incluindo as seguintes fases: a) análise dos documentos da área da educação emanados da CAPES; dos Planos Nacionais de Pós-Graduação; dos formulários e documentos referentes aos processos de avaliação dos Programas de Pós-Graduação, no triênio 2004-2006; b) exame da legislação referente à política de avaliação da pós-graduação no Brasil; c) entrevistas com professores dos Programas de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) e da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Foram entrevistados três professores de cada Programa considerando como critério de seleção os docentes que passaram pelo processo de implantação e consolidação desses Programas. Em termos de resultados finais, a pesquisa verificou que o trabalho docente na pós-graduação se encontra precarizado por formas de gestão que reproduzem uma racionalidade instrumental, mesmo que os docentes da pós-graduação tenham consciência desse processo de precarização presentes nas novas formas de gestão da pós-graduação, que reproduzem a ideologia produtivista inerentes ao modelo CAPES de avaliação. Problemas como pressão interior e exterior por produtividade, restrição da liberdade para a criação, falta de estímulo à qualidade da produção por parte das políticas públicas da pós-graduação, competitividade e fragilização das relações humanas no ambiente de trabalho, individualismo, estranhamento (e adaptação) em relação às objetivações da sua produção, elaboração de conhecimento condicionada pelo tempo, vida familiar afetada pela intensidade e extensividade do trabalho, episódios de doenças, ausência de tempo para o lazer e a frustração em relação ao trabalho, encontram-se implicados no processo de trabalho docente precarizado na pós-graduação. Conclui-se que a ideologia do produtivismo acadêmico, estimulado pela política de avaliação da CAPES, produz implicações prejudiciais à totalidade da atuação docente na pós-graduação. Percebemos, finalmente, nos resultados da pesquisa, movimentos mitigados de oposição a esse modelo de avaliação da pós-graduação.

  • Data da Defesa: 21/12/2010
  • Download: Clique aqui
+ O ENSINO SECUNDÁRIO EM CORUMBÁ, SUL DO ESTADO DE MATO GROSSO: O GINÁSIO MARIA LEITE (1918-1937)
  • Discente:
    • Roosilenny dos Santos Souza
  • Orientador(a):
    • Regina Tereza Cestari de Oliveira
  • Resumo:

    Este estudo está inserido no Grupo de Pesquisa ―Políticas Públicas e Gestão da Educação‖, da Linha de Pesquisa ―Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente‖, do Programa de Pós-Graduação em Educação ? Mestrado e Doutorado - da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). O objetivo desta pesquisa é investigar o processo de implantação do ensino secundário em Corumbá ? Sul do estado de Mato Grosso, o que requer tratar especificamente do Ginásio Maria Leite no recorte temporal que compreende 1918 a 1937. A investigação baseia-se em fontes documentais constituídas por leis, decretos, regulamentos, livros de Atas da Câmara Municipal de Corumbá e Mensagens Presidenciais encaminhadas à Assembleia Legislativa do estado de Mato Grosso. Os objetivos específicos são: verificar como as reformas nacionais do ensino se consolidaram no ensino secundário em Corumbá; investigar como se deu o embate político na implantação do ensino secundário em Corumbá; analisar o papel desempenhado pelo Ginásio Maria Leite no processo de implantação do ensino secundário em Corumbá. Os resultados mostraram que seguindo a tendência de muitas instituições escolares de nível secundário do Império e da Primeira República, o ensino secundário em Corumbá - especialmente ministrado no Ginásio Maria Leite - começou sob a iniciativa particular. Afirma-se que o Ginásio Maria Leite exerceu papel preponderante na implantação de um ensino secundário oficial em Corumbá, uma vez que apesar de nascer sob o estigma de uma escola particular, firmou-se como Instituição Escolar Municipal, em 1929, no âmbito da Reforma Rocha Vaz. Diante das forças políticas municipais, na vigência da Reforma Francisco Campos, em 1937 fora assumido pelo Governo Estadual consolidando-se como Ginásio Estadual Maria Leite ? a primeira instituição secundária sob a responsabilidade do poder público estadual na região sul de Mato Grosso, além dos limites da capital do estado.

    PALAVRAS-CHAVE: Reformas Educacionais Nacionais; Instituição Escolar de Ensino Secundário, Ginásio Maria Leite.

  • Data da Defesa: 29/10/2010
  • Download: Clique aqui
+ O DESEMPENHO EM MATEMÁTICA DE ALUNOS DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL NO PROJETO GERES: OS EFEITOS DA AVALIAÇÃO SOBRE A PRÁTICA DOCENTE NA ESCOLA
  • Discente:
    • Heloisa Helena Nantes Chaia
  • Orientador(a):
    • Leny Rodrigues Martins Teixeira (até 2013)
  • Resumo:

    A temática deste trabalho está relacionada à Linha de Pesquisa: Práticas Pedagógicas e sua Relação com a Formação Docente e tem como objetivo analisar a relação entre o desempenho dos alunos das séries iniciais do ensino Fundamental em Matemática, mensurado pelo projeto Geres e o impacto sobre a prática docente dos professores no contexto avaliativo de duas escolas participantes do projeto. Os fundamentos teóricos para a pesquisa articulam dois eixos temáticos: o da avaliação nas suas diferentes modalidades, com destaque para a Avaliação Institucional Participativa, na qual se insere o Projeto Geres e o da formação docente e dos saberes da docência, dentre os quais se inclui o saber avaliar no contexto do ensino de Matemática. Para realizar a pesquisa, utilizamos os resultados dos testes do quarto momento de avaliação do projeto Geres, que serviram de base para a escolha das duas escolas pesquisadas: uma obteve desempenho crescente na proficiência de Matemática, nos quatro momentos da avaliação e outra cujos resultados decresceram nessa proficiência, entre o segundo e o terceiro momento da avaliação. Para compreender a relação entre o desempenho dos alunos nas provas e na busca de entender os resultados, optamos por uma pesquisa com abordagem qualitativa, tomando por base depoimentos dos professores e profissionais da equipe pedagógica das escolas envolvidas na pesquisa, a respeito do processo de avaliação ocorrido. Para tanto, realizamos em um primeiro momento entrevistas individuais com objetivo de identificar percepções, sentimentos, atitudes e ideias dos participantes da pesquisa a respeito das avaliações Geres e das avaliações externas, bem como a utilização dos resultados das mesmas nas suas atividades pedagógicas. Em um segundo momento, utilizamos a técnica de entrevista focalizada, em grupo, com a finalidade de aprofundar questões que não foram totalmente esclarecidas nas entrevistas individuais. Os resultados apontaram que os professores e as equipes pedagógicas das duas escolas asseguraram que a avaliação contribuiu para o crescimento da escola, para a melhoria de sua prática e também para a integração da equipe. Asseguraram também, que, após receberem os resultados das avaliações do projeto Geres, assim como das demais avaliações externas, realizaram reuniões para discutí-los, propondo ações visando à melhor aprendizagem. A equipe pedagógica e os professores da escola que obteve um crescimento nos quatro momentos de avaliação, demonstraram consenso em suas respostas, afirmando que o desempenho dos alunos está relacionado à maturidade dos mesmos, ao apoio dos pais e ao bom nível de ensino da escola. Por outro lado, a equipe pedagógica e os professores da escola que apresentou uma pequena queda no rendimento, atribuíram os resultados a fatores externos à escola, não levando em consideração o trabalho didático desenvolvido pelos mesmos. Os professores das duas escolas reconheceram a importância das avaliações, revelando compreender seus diferentes aspectos e funções. A crítica que fizeram às avaliações externas diz respeito ao seu gerenciamento externo, sobretudo pelo fato de que eles estão alijados deste processo.

    PALAVRAS-CHAVE: Projeto Geres, Avaliação institucional, Prática docente

  • Data da Defesa: 29/09/2010
  • Download: Clique aqui
+ A FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA A INFÂNCIA EM CAMPO GRANDE/MS: CONCEPÇÕES E PRÁTICAS DE EDUCADORES APÓS A HABILITAÇÃO EM EDUCAÇÃO INFANTIL.
  • Discente:
    • Katyuscia Oshiro Igarashi
  • Orientador(a):
    • Leny Rodrigues Martins Teixeira (até 2013)
  • Resumo:

    O presente trabalho, ligado à Linha de Pesquisa Práticas Pedagógicas e suas relações com a Formação Docente do Programa de Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco ? UCDB, tem por objetivo, identificar como as professoras de Educação Infantil se tornaram as profissionais que são, analisando as contribuições e implicações da Licenciatura em Pedagogia e da Habilitação para Educação Infantil. Mais especificamente, a pesquisa buscou identificar as contribuições e implicações da habilitação em Educação Infantil na vida profissional das professoras que trabalham com as crianças nos Centros de Educação Infantil /CEINFs e Pré ? Escola da Rede Municipal de Ensino de Campo Grande/MS. Para a realização da pesquisa, optou-se pela abordagem qualitativa, na modalidade descritivo-explicativa. O estudo foi realizado com cinco professoras sendo três de duas escolas de tempo integral e duas da pré-escola do Centro de Educação Infantil/ CEINFs do município de Campo Grande-MS. A coleta de dados deu-se mediante três tipos de procedimentos: questionário; diário e entrevista recursiva. Em primeiro lugar, foi aplicado um questionário inicial para identificar em quais CEINFs seria possível encontrar professoras que teriam cursado Pedagogia com a Habilitação em Educação Infantil, depois de estarem trabalhando na área. O segundo questionário teve a intenção de mapear os sujeitos da pesquisa: a formação, instituição e o tempo de formação. Por meio dos diários, os professores realizaram o registro das atividades desenvolvidas diariamente por um período de um mês. Tais registros visavam à identificação da prática pedagógica das professoras, bem como fornecer dados preliminares para a elaboração do roteiro das entrevistas, as quais foram realizadas de forma recursiva. Os dados dos diários e das entrevistas foram categorizados e analisados, levando-se em conta aspectos como: formação, rotina, atividades ,desafios e preocupações revelados pelas professoras. Os resultados apontaram os cursos do CEFAM, da Licenciatura em Pedagogia e da Habilitação em Educação Infantil, como fundamentais no processo de formação dessas professoras. As suas concepções se mostraram associadas à compreensão da criança como um ser em desenvolvimento, assim um cidadão de direitos. As suas práticas são reveladoras da crença de que Educação Infantil é um espaço que proporciona o desenvolvimento integral das mesmas porque valoriza o brincar como atividade central da infância, possibilita a construção de autonomia, cooperação, responsabilidade, criatividade e a formação do auto - conceito positivo. A relação do cuidar e educar também compareceu articulada. A qualidade do trabalho desenvolvido por estas professoras aponta para uma formação consistente que provavelmente se relacione com o fato de ter sido realizada simultaneamente ao trabalho na sala de aula.

    Palavra-chave: formação de professores, Educação Infantil, habilitação em Educação Infantil, censo especial da Educação Infantil 2000

  • Data da Defesa: 27/09/2010
  • Download: Clique aqui
+ ANÁLISE DE UM GRUPO COLABORATIVO DEPROFESSORES DE QUÍMICA COMO ESPAÇO DEFORMAÇÃO CONTINUADA
  • Discente:
    • Smenia Aparecida Silva Moura
  • Orientador(a):
    • Leny Rodrigues Martins Teixeira (até 2013)
  • Resumo:

    O presente trabalho inserido na Linha de Pesquisa Práticas Pedagógicas e Formação Docente relata o processo de construção de um grupo colaborativo composto por cinco professores de Química do Ensino Médio de diferentes escolas de Campo Grande. O grupo, formado por professores, ex-alunos do mesmo curso de licenciatura, foi reunido com base em uma proposta de trabalho colaborativo. O objetivo geral foi o de analisar a possibilidade de desenvolvimento de um trabalho colaborativo como espaço de formação continuada de professores, que promovesse reflexão e estudos, tendo em vista o aumento do nível de conhecimentos desse grupo e, como conseqüência, reelaboração de sua prática. Para tanto, os objetivos específicos foram: a) romover encontros e discussões entre os professores, embasados na dinâmica coletiva de troca de experiências; b) discutir os fundamentos da prática de ensino de Química; c) desenvolver, aplicar e avaliar coletivamente metodologia de ensino em Química que pudesse atender às solicitações impostas pelo próprio grupo. Para que os objetivos fossem atendidos, o grupo passou a se reunir, desenvolvendo os encontros com base na troca de experiências, na leitura de textos relacionados ao ensino de Química e às concepções de ciência, em trabalho realizado com alunos. Foram 13 encontros, pautados em um exercício reflexivo direcionado ao ensino de Química e à formação dos professores, dos quais alguns foram gravados em áudio e posteriormente transcritos e outros foram registrados na forma de produção de resumo elaborado coletivamente no final do encontro. No encerramento das reuniões os professores foram entrevistados com o objetivo de avaliar a experiência vivenciada. A análise dos registros das reuniões e das entrevistas revelou as concepções e dilemas dos professores no exercício da sua tarefa de ensinar e a importância de existência de um espaço, no qual pudessem, coletivamente pensar sobre a sua prática e discutir propostas visando transformá-la. Muito embora a constituição de um grupo colaborativo não tenha sido consolidada completamente por vários fatores, podemos dizer que o grupo contribuiu para a compreensão do trabalho docente desses professores e para sua emancipação profissional, na medida em que o olhar do professor pode se dirigir para suas próprias ações. Neste sentido, conforme avaliado pelos próprios participantes, o grupo foi uma experiência válida de formação continuada.

    Palavras-Chave: formação continuada de professores. grupo colaborativo, ensino de Química.

  • Data da Defesa: 21/09/2010
  • Download: Clique aqui
+ O CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL E SUAS IDENTIDADES
  • Discente:
    • Marco Antônio Oliva Monje
  • Orientador(a):
    • José Licínio Backes
  • Resumo:

    A pesquisa está vinculada ao Programa de Pós-Graduação ? Mestrado em Educação, da Universidade Católica Dom Bosco, Linha 03, Diversidade Cultural e Educação Indígena. Em 2002 as instituições de ensino superior se viram na necessidade de se adaptarem à nova resolução do Conselho Nacional de Educação que instituía as novas Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica. Considerando esse contexto, o objetivo geral da pesquisa foi analisar o Curso de Educação Física da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, desde a sua gênese, passando pelas Resoluções do Conselho Nacional de Educação nº 03/1987, 01/2002, 07/2004, 07/2007, para identificar como as identidades foram e são ressignificadas. Como objetivos específicos tem: a) Descrever o processo de implantação do Curso de Educação Física da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul; b) identificar os processos de ressignificação das identidades do curso, dos docentes e dos discentes, articulando-as com as diferenças; c) identificar se os docentes e discentes têm uma concepção que engloba a diversidade corporal ou se estão pautados numa concepção homogênea. Para alcançar os objetivos, foi construído um referencial teórico, envolvendo a história do curso de Educação Física, bem como as implicações desse curso para as identidades e as diferenças culturais e corporais. A pesquisa de campo foi realizada por meio da análise documental (Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Educação Física, em nível superior de graduação plena, e Projeto Pedagógico do Curso) e de entrevistas semiestruturadas com quatro docentes e dez acadêmicos do Curso de Educação Física da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Os resultados sinalizam que, apesar de ainda persistirem concepções essencializadas e naturalizadas de identidades, cultura e diferença cultural, essas concepções estão sendo ?rasuradas? e ressignificadas tanto pelos alunos como pelos docentes. Portanto, a compreensão de cultura, cultura corporal, identidade e diferença ainda é um campo aberto para a reflexão, e um novo espaço de discussão está em curso, pois o curso, após passar pela reestruturação determinada pelo Conselho Nacional de Educação, está passando nesse momento por uma nova discussão e revisão do seu currículo.

  • Data da Defesa: 13/09/2010
  • Download: Clique aqui
+ O PERCURSO HISTÓRICO DA LÍNGUA E CULTURA TERENA NA ALDEIA IPEGUE/AQUIDAUANA/ MS
  • Discente:
    • Celma Francelino Fialho
  • Orientador(a):
    • Adir Casaro Nascimento
  • Resumo:

    Esta dissertação insere-se na Linha de Pesquisa 03: Diversidade Cultural e Educação Indígena, PPGE/UCDB e tem como objetivo geral identificar os motivos que levaram a comunidade Terena da Aldeia Ipegue a não assegurar o uso da língua Terena, como primeira língua, e quais as conseqüências deste desuso como fator de relação interna na aldeia agregando grupos ou não, fortalecendo valores étnicos e culturais, bem como na relação com as demais aldeias. Os objetivos específicos da pesquisa foram: 1. Descrever a histórica do povo Terena, identificando os principais momentos de contacto com a sociedade não indígena. 2. Investigar a trajetória do uso da língua indígena e as intervenções sofridas na Aldeia Ipegue. 3. Investigar como e porque a Escola Indígena Feliciano Pio da Aldeia Ipegue está trabalhando na preservação ou recuperação do uso da língua Terena. A pesquisa foi realizada no Posto Indígena (PIN) Ipegue, localizada no município de Aquidauana/MS, e o procedimento metodológico realizado foi a revisão bibliográfica e documental da produção cientifica, sobre a questão da língua Terena da Aldeia Ipegue. Como procedimento metodológico de caráter empírico, realizou-se entrevistas com os indígenas mais antigos da Aldeia Ipegue, professores, lideranças, jovens, homens e mulheres que trabalharam fora da Aldeia, questionando sobre a importância social e cultural do uso da língua indígena e a necessidade do uso da língua portuguesa. Os resultados da pesquisa apontam que o contato com os não indígenas fez com que a comunidade da Aldeia Ipegue deixasse de utilizar a sua língua materna, fazendo uma opção política pelo uso da língua portuguesa, pois os pais acreditavam que falando a língua dos purutuye os seus filhos se sairiam melhor em tudo e poderiam estabelecer relações de poder mais simétrica com a sociedade não-indígena. É possível perceber que o desuso da língua indígena não descaracteriza o pertencimento à etnia terena e que existe um movimento no sentido de revitalizar o uso da língua indígena.

    Palavras-chaves: Povo Terena, língua materna, pertencimento étnico, relações de poder, cultura.

  • Data da Defesa: 30/08/2010
  • Download: Clique aqui
+ INCLUSÃO NO CBA DE JARU-RO: CONCEPÇÕES E DESAFIOS NA VOZ DOS PROFESSORES
  • Discente:
    • Michely Clara Moret
  • Orientador(a):
    • Leny Rodrigues Martins Teixeira (até 2013)
  • Resumo:

    MORET, Michely Clara. Inclusão no CBA de Jaru-RO: concepções e desafios na voz dos professores. Dissertação (Mestrado) Programa de Pós-Graduação em Educação- Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco. Campo Grande, MS, 2010, 145p. O presente trabalho, vinculado à linha ?Práticas pedagógicas e suas relações com a formação docente?, do Programa de Pós-Graduação em Educação- Mestrado e Doutorado da Universidade Católica Dom Bosco, teve, por objetivo geral, identificar e analisar as concepções, saberes e desafios enfrentados por professores diante do processo de inclusão de alunos com Necessidades Educacionais Especiais (NEE), destacando sua formação, concepções, experiências e aprendizagens durante esse processo. Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa, com o caráter descritivo-explicativo, tendo como sujeitos professores do Ciclo Básico da Aprendizagem (CBA), de cinco escolas da Rede Estadual de Ensino em Jaru, RO. Para realização da pesquisa foram utilizados os seguintes procedimentos: 1) Questionário e pesquisa documental para caracterização da rede estadual de ensino de Jaru, no que diz respeito à inclusão; 2) Entrevistas com cinco professores do CBA que lecionavam em classes de inclusão em 2008; 3) Categorização a partir dos elementos recorrentes e identificados com os objetivos da pesquisa; 4) Análise das manifestações segundo as categorias dos conteúdos emergentes. As professoras entrevistadas expuseram suas impressões sobre a realidade atual a respeito da inclusão na rede estadual, sua formação inicial e continuada no que diz respeito à inclusão, tempo disponível para estudos individuais e coletivos, aspectos da realidade docência diante da presença de alunos com NEE, saberes construídos no desafio da prática (referentes ao tratamento do conteúdo a ser ensinado, da interação e socialização dos alunos; da interação professor e aluno; da autonomia na busca de fontes para aprimoramento da prática). Como resultados da pesquisa pode-se pontuar: para as professoras, o tempo de experiência é um dos fatores determinantes para a adequação de suas ações com alunos com necessidades educacionais especiais; a maioria das entrevistadas possuía vínculos pessoais e afetivos com pessoas com algum tipo de deficiência; tal aspecto foi determinante para suas compreensões quanto à necessidade de uma escola inclusiva. Das falas das professoras pode-se inferir que a concepção de inclusão está relacionada com aceitação e respeito pelo ritmo e limites de cada aluno.

    Palavras chaves: Formação docente; Inclusão; Necessidades Educacionais Especiais-NEE

  • Data da Defesa: 10/08/2010
  • Download: Clique aqui
+ INTER-RELAÇÕES PROFESSOR, ALUNOS E FAMÍLIA NO PROCESSO ENSINO E APRENDIZAGEM MEDIADO PELAS SALAS DE TECNOLOGIAS
  • Discente:
    • Junias Belmont Alves dos Reis
  • Orientador(a):
    • Maria Cristina Lima Paniago
  • Resumo:

    O presente estudo integra a linha de pesquisa ?Práticas Pedagógicas e Suas Relações com a Formação Docente? e tem como objetivo analisar as inter-relações professores, alunos e família no processo educacional mediado pelas tecnologias. Esta pesquisa justifica-se por ser a primeira pesquisa em nível de mestrado, a ser realizada na escola do município de Mundo Novo. Foi uma pesquisa que envolveu a participação de alunos, professores, coordenadores, diretor e pais. Participaram da pesquisa 07 professoras, sendo 06 do primeiro ao quarto ano do ensino fundamental, 01 da sala de tecnologia, 01 coordenador e 01 diretor de uma escola estadual da cidade de Mundo Novo. Também participaram 18 alunos e 18 mães ou responsáveis. A coleta de dados foi feita por meio de entrevistas. Em termos de metodologia de investigação, este é um estudo descritivo-explicativo, com abordagem qualitativa. As análises dos dados mostraram que as concepções sobre tecnologia que os professores, diretor e coordenador apresentam estão sempre relacionadas ao uso do computador e da internet, apontando que um dos maiores problemas é a formação docente para trabalhar com as tecnologias. Uma formação para que ele seja capaz de utilizar tecnologias, especialmente, o computador, na educação, não exige apenas o domínio dos recursos, mas uma prática pedagógica reflexiva, uma vez que o uso de computadores não garante, por si só, uma melhor qualidade do ensino. Os dados dos alunos mostraram que quando questionados sobre o uso da sala de tecnologia, estes se referem apenas aos jogos na internet e alegam que o conteúdo trabalhado na sala de tecnologia não tem relação com os conteúdos da sala regular. Para os pais a grande expectativa quando se utiliza as tecnologias na escola é que seus filhos aprendam, principalmente para que tenham melhores condições no mercado de trabalho. Percebe-se que as famílias não participam assiduamente na vida escolar dos filhos.

    Palavras-chave: Tecnologia Educacional, Família, Formação de professores.

  • Data da Defesa: 30/07/2010
  • Download: Clique aqui
+ IMPLICAÇÕES DO USO LAPTOP INDIVIDUAL NAS ATIVIDADES EDUCACIONAIS: EXPERIÊNCIA DE UMA ESCOLA DE TEMPO INTEGRAL DA REDE MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE - MS
  • Discente:
    • Marta da Rosa Vargas de Moraes
  • Orientador(a):
    • Maria Cristina Lima Paniago
  • Resumo:

    Esta pesquisa está inserida na linha 2, Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente do Programa de Pós-Graduação Mestrado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco. Como professora, coordenadora de uma sala de tecnologia educacional, no envolvimento com alunos e docentes, e nas observações dos alunos durante a realização das aulas mediadas pelo uso do computador, percebi a necessidade de investigar novas temáticas que se referem ao uso do computador, em específico ao laptop. Este projeto de pesquisa tem por objetivo geral, analisar as implicações do uso do laptop individual pelos alunos do 1º ano do ensino fundamental de uma escola municipal de tempo integral, da cidade de Campo Grande _ MS. E, como objetivos específicos: investigar de que maneira o Projeto Político Pedagógico contempla o uso do laptop na escola de tempo integral; como os alunos e professoras vivenciam o processo de colaboração no processo de aprendizagem mediado pelo laptop individual; e, como se evidencia a autonomia dos alunos no processo de aprendizagem mediado pelo laptop. É uma pesquisa com abordagem qualitativa, com delineamento descritivo. Para responder às indagações deste projeto, foi utilizado um roteiro de análise, observação e entrevista semi-estruturada. Verifiquei que o Projeto Político Pedagógico é um documento que orienta e esclarece a respeito do funcionamento da escola com relação ao uso do laptop individual; que alunos e professoras colaboram entre si em benefício do ensino e da aprendizagem mediada pelo laptop; e, que os alunos desenvolvem autonomia diante das atividades e práticas em sala de aula ao usar o micro-computador. Essa pesquisa além de trazer contribuições para o contexto educacional a respeito do uso do laptop individual, apesar de ser fato recente e inédito, incentiva a busca do conhecimento por meio da colaboração entre professoras, alunos e o desenvolvimento da autonomia dos mesmos, ainda pode instigar e contribuir com futuras experiências e pesquisas nesse segmento.

  • Data da Defesa: 29/07/2010
  • Download: Clique aqui
+ ESTÁGIO SUPERVISIONADO DE EDUCAÇÃO INFANTIL E ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL DO CURSO DE PEDAGOGIA / LICENCIATURA: UM ESTUDO DE CASO
  • Discente:
    • Lindomar Barros dos Santos
  • Orientador(a):
    • Ruth Pavan
  • Resumo:

    A presente dissertação, intitulada ?Estágio supervisionado de educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental do curso de pedagogia ? licenciatura: um estudo de caso?, insere-se na linha de pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente do Programa de Mestrado e Doutorado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco ? UCDB. O objetivo geral desta pesquisa é analisar a contribuição do Estágio Supervisionado do Curso de Pedagogia - Licenciatura na Educação Infantil e nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, que tem como referência as Diretrizes Curriculares Nacionais ? Resolução CNE/CP Nº. 1, de 15 de maio de 2006, para a formação do pedagogo. Os objetivos específicos desta dissertação são: a) Observar, in locus, o estágio supervisionado de Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental do Curso de Pedagogia ? Licenciatura; b) Analisar a atuação pedagógica dos (as) acadêmicos (as) durante o estágio supervisionado de Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental e relacioná-lo com o PPP ? Projeto Político Pedagógico do Curso; e c) Compreender como as Professoras Orientadoras de Estágio acompanham e analisam o Estágio. Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa, sendo que realizamos um estudo de caso. A coleta de dados ocorreu por meio dos seguintes instrumentos: observação, aplicação de questionário aberto, entrevista semi-estruturada (realizada com as docentes do curso de Pedagogia ? Licenciatura) e análise documental. O período que compreende o segundo semestre de 2008 e o primeiro semestre de 2009 foi destinado às observações aplicação de questionários aos acadêmicos participantes de nossa pesquisa. Já o segundo semestre de 2009 foi o período de entrevistas às professoras orientadoras do Estágio Supervisionado do curso de Pedagogia ? Licenciatura. Podemos concluir que o Estágio Supervisionado do Curso de Pedagogia ? Licenciatura na Educação Infantil e nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental precisa ser repensado, pois os alunos estagiários demonstraram muitas dificuldades em relação a compreensão do processo educativo. Deste modo, o curso precisa ter maior ênfase na reflexão e pesquisa para que os futuros pedagogos/as tenham possibilidades de atuar nos diferentes níveis e modalidades do processo educacional.

  • Data da Defesa: 01/07/2010
  • Download: Clique aqui
+ PROFESSORES DO ASSENTAMENTO TAQUARAL: ATRAJETÓRIA DE LUTA PELA TERRA E EDUCAÇÃO
  • Discente:
    • Jairto Saraiva Moreira
  • Orientador(a):
    • José Licínio Backes
  • Resumo:

    A presente pesquisa está vinculada à Linha de Pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena do Programa de Mestrado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco. Tem como objetivo geral analisar o processo da luta pela terra e pela educação que foi vivenciado pelos professores do Assentamento Taquaral, relacionando-o com a sua formação e atuação pedagógica. Possui como objetivos específicos: a) conhecer a relação entre a luta pela terra e pela educação no Assentamento Taquaral, no município de Corumbá (MS); b) conhecer a história de vida dos educadores que participaram da luta pela terra e pela educação do Assentamento Taquaral; c) investigar como se deu o engajamento na luta pela terra e o envolvimento na educação por parte desses educadores; d) investigar o processo de formação profissional dos educadores. A pesquisa de campo foi realizada através de entrevistas semiestruturadas com 5 professores que participaram diretamente da luta pela terra e pela educação desde o início do acampamento e continuam morando e trabalhando no assentamento Taquaral, Corumbá (MS). A análise indicou que as lutas pela terra e pela educação sempre estiveram articuladas, sendo possível identificar: a) um compromisso com a educação emancipatória e o entendimento de que a educação é uma ferramenta de empoderamento para conquistar a terra; b) uma trajetória acadêmica como forma de qualificação docente e de acesso aos concursos públicos, evitando a precarização das relações de trabalho, sem perder de vista o compromisso com a luta coletiva pela terra.

  • Data da Defesa: 18/06/2010
  • Download: Clique aqui
+ O ENSINO SECUNDÁRIO NO SUL DO ESTADO DE MATO GROSSO NO CONTEXTO DAS REFORMAS EDUCACIONAIS: O GINÁSIO OSVALDO CRUZ (1927-1949)
  • Discente:
    • Marcelo Pereira Rocha
  • Orientador(a):
    • Regina Tereza Cestari de Oliveira
  • Resumo:

    Esta pesquisa está inserida no projeto integrado ?As Instituições Escolares no Sul do Estado de Mato Grosso: gênese, implantação e consolidação (1920 ? 1940)? vinculado a Linha de Pesquisa ?Política Educacional, Gestão da Escola e Formação de Professores?, do Programa de Pós- Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado, da Universidade Católica Dom Bosco. O seu objetivo é analisar o processo de implantação do ensino secundário, via Ginásio Osvaldo Cruz, no período de 1927 a 1949, em Campo Grande, Sul do estado de Mato Grosso (hoje, estado de Mato Grosso do Sul). Os objetivos específicos são: a) identificar as razões da presença do setor privado no oferecimento do ensino secundário em Campo Grande; b) verificar como ocorreu o processo de equiparação, ou seja, o reconhecimento oficial do Ginásio Osvaldo Cruz, no âmbito das reformas educacionais nacionais do período; c) investigar o processo de organização escolar e o papel social desempenhado pelo Ginásio Osvaldo Cruz, como instituição particular de ensino secundário, em Campo Grande. O estudo baseia-se em fontes documentais constituídas por leis, decretos, regulamentos, mensagens presidenciais enviadas à Assembleia Legislativa do estado de Mato Grosso, relatórios dos intendentes de Campo Grande e relatório apresentado pelo diretor do Ginásio, levantadas em arquivos públicos e particulares; atas da Câmara Municipal de Campo Grande, assim como jornais da época. Os resultados mostram que na região sul do Estado de Mato Grosso, diante da ausência de ginásios públicos, a iniciativa privada implantou em 1927, o ensino secundário, em Campo Grande, ou seja, o Instituto Osvaldo Cruz. Em 1929, com a realização dos primeiros exames de admissão ao curso ginasial, o Instituto passou a denominar-se Ginásio Osvaldo Cruz. A equiparação foi obtida em 1933, inicialmente como reconhecimento preliminar, sob a vigência da Reforma Francisco Campos, sendo reconhecido permanentemente pelo governo federal em 1944 e elevado a Colégio em 1948, no âmbito da Reforma Capanema. Esta Instituição funcionou nos três períodos, matutino, vespertino e noturno, em regime de internato e de externato atendendo, predominantemente, estudantes do sexo masculino, oriundos de famílias com condições sócio-econômicas. O corpo docente era constituído, em sua maioria, por profissionais liberais como médicos, farmacêuticos, advogados e engenheiros. Pode-se concluir que o Ginásio Osvaldo Cruz cumpriu o papel de formar os jovens sul-mato-grossenses que aspiravam ao ensino superior.

    Palavras-chave: Política Educacional; Instituição de Ensino Secundário; Iniciativa Particular.

  • Data da Defesa: 07/05/2010
  • Download: Clique aqui
+ EFEITOS DA EDUCAÇÃO SUPERIOR NAS IDENTIDADES DE NEGROS COTISTAS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL
  • Discente:
    • Renato Oliveira Santana
  • Orientador(a):
    • José Licínio Backes
  • Resumo:

    O objetivo da pesquisa é analisar os efeitos da educação superior nas identidades dos negros cotistas da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul. Está inserida na Linha de Pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena do Programa de Pós-Graduação ? Mestrado e Doutorado em Educação ? da UCDB e inspirada no campo teórico dos Estudos Culturais, campo que permite compreender a identidade como um processo em constantes negociações, articulações e tensões. Assim, a identidade não é fixa, natural e essencial. O objetivo geral da pesquisa é conhecer os efeitos das experiências vivenciadas no espaço universitário nas identidades dos acadêmicos negros, denominados cotistas, da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, selecionados no concurso vestibular de 2004. Ela apresenta como objetivos específicos: analisar a história do povo negro no Brasil, relacionando-a com a atual situação do negro e a política de cotas; identificar as mudanças nas identidades do sujeito cotista negro provocadas pela experiência de frequentar o universo acadêmico; identificar as dificuldades enfrentadas pelos sujeitos cotistas negros e como estas interferiram na construção de suas identidades. Foram entrevistados cotistas negros de diferentes cursos e unidades universitárias. No território acadêmico eles encontram estereótipos e preconceitos. Mesmo apresentando dificuldade em reconhecer a posição colonial, os cotistas se posicionaram de modo a questioná-la. Os cotistas, como sujeitos culturais, influenciam suas comunidades e familiares. Observamos também a articulação raça/classe. Os sujeitos cotistas negros apresentam uma complexa negociação identitária que se mostra em constante diálogo, carregado de tensões, com o discurso colonial. O processo educacional vivenciado no ensino superior produz profundos efeitos nas identidades desses sujeitos negros cotistas. As experiências vivenciadas nesse espaço universitário fazem com que os sujeitos ressignifiquem suas identidades de forma a se apropriarem do signo ensino superior como um instrumento de empoderamento.

    PALAVRAS-CHAVE: Cultura. Identidade. Ensino Superior. Negros.

  • Data da Defesa: 06/05/2010
  • Download: Clique aqui
+ TECNOLOGIAS NAS ESCOLAS: FERRAMENTAS OU POSSIBILIDADE DE INTERAÇÃO COM O MUNDO?
  • Discente:
    • Gisele Morilha Alves
  • Orientador(a):
    • Maria Cristina Lima Paniago
  • Resumo:

    O presente estudo integra a linha de pesquisa ?Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente? e tem como objetivo analisar as Concepções dos Orientadores e Supervisores Escolares em relação ao uso das Tecnologias Educacionais em suas Práticas Pedagógicas. Mais especificamente: analisar a formação dos orientadores e supervisores escolares em relação ao uso das tecnologias educacionais; analisar a utilização das tecnologias educacionais na prática dos orientadores e supervisores escolares; e analisar como os orientadores e supervisores escolares percebem a repercussão da sua prática, quando utilizam as tecnologias educacionais, entre todos os integrantes da comunidade escolar. Participaram deste estudo quinze orientadores educacionais e quinze supervisores escolares atuantes em quinze escolas da rede municipal de ensino de Campo Grande/MS. A coleta de dados foi feita por meio de questionário com perguntas abertas que facilitasse aos participantes expressarem suas idéias e por meio de entrevistas. Os eixos norteadores desse estudo foram as teorias sobre a importância da formação inicial e continuada e as teorias sobre o uso das tecnologias educacionais. Em termos de metodologia de investigação, este é um estudo descritivo-explicativo, com abordagem qualitativa. As análises dos dados mostraram que as concepções dos orientadores e dos supervisores escolares caminham lentamente do uso das tecnologias como ferramentas que apenas auxiliam ao uso delas como meio de comunicação e interação com o mundo. Detectamos que os especialistas têm seu desempenho comprometido pelo excesso de trabalho. Faltam ainda ações positivas em relação às tecnologias por parte dos órgãos governamentais. É necessária uma mudança no sistema educacional como um todo para que escolas públicas tenham acesso livre à internet, para que possam ultrapassar seus muros e grades e se conectar com o mundo; é urgente repensar o currículo escolar mais flexível, que permita uma ação escolar menos burocrática, que permita bem como um ensino focado em projetos, resolução de problemas, pesquisa, colaboração presencial-virtual; repensar os cursos de formação inicial e continuada dos educadores; pensar uma gestão escolar mais democrática, favorável ao diálogo, que abra os portões das escolas para que a comunidade possa participar dela; repensar as políticas salariais dos educadores para que tenham maior acesso a condições dignas de trabalho e moradia, à cultura, ao lazer, às tecnologias e mídias.

  • Data da Defesa: 15/04/2010
  • Download: Clique aqui
+ EXPANSÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR EM MATO GROSSO DO SUL E A AMPLIAÇÃO DO ACESSO AO ENSINO SUPERIOR NOTURNO 1990 a 2006
  • Discente:
    • Valquiria Allis Nantes
  • Orientador(a):
    • Regina Tereza Cestari de Oliveira
  • Resumo:

    Esta Dissertação está vinculada à Linha de Pesquisa Políticas Públicas, Gestão da Escola e Formação Docente, do Programa de Pós-Graduação em Educação da UCDB, mais precisamente às pesquisas do Grupo de Estudos e Pesquisas Políticas de Educação Superior (GEPPES). Apresenta como objeto de pesquisa a análise da expansão da educação superior em Mato Grosso do Sul e ampliação do acesso à educação superior no período de 1990 a 2006. A fim de atingir tal propósito, foram definidos os seguintes objetivos específicos: a) analisar os fatores históricos que influenciaram a expansão do ensino superior noturno em Mato Grosso do Sul; b) identificar as características da expansão da educação superior noturna nesse estado no período em questão. A pesquisa foi desenvolvida por meio de análise documental e bibliográfica relacionada ao tema, matérias jornalísticas de imprensa local e nacional e analise de dados do Censo da Educação Superior do MEC/INEP e do IBGE. Os resultados indicaram que a implementação de políticas de inspiração neoliberal no Brasil acarretou profundas mudanças no cenário político e econômico no país. A expansão do ensino superior noturno em Mato Grosso do Sul, nessa lógica, ampliou o acesso a esse nível de ensino propiciado em grande parte pela expansão das IES privadas, acompanhando o movimento e as tendências da expansão ocorrida no Brasil, em decorrência das reformas da década de 1990. Em Mato Grosso do Sul o maior número de ingressantes por vestibular no período abarcado nesta pesquisa (1990 - 2006) foi nos cursos noturnos, indicando que houve ampliação desse turno, porém é nas ciências humanas que se concentra o maior número de cursos. Nesse sentido, o ensino noturno é um meio de ampliação do acesso à educação superior, mas apenas em determinadas áreas do conhecimento, especialmente em cursos que não dependem tanto da utilização da estrutura física da instituição, como os laboratórios, assim, possuem mensalidades mais acessíveis. Conclui-se que mesmo com os avanços ocorridos entre 1990 e 2006 na ampliação do acesso à educação superior, ainda há a necessidade de maior investimento por parte do Estado para que em todo o país a educação superior seja democrática, pública e gratuita e possa se transformar em políticas públicas de fato.

    Palavras-chave: Políticas de Educação Superior; Expansão; Acesso; Ensino Noturno.

  • Data da Defesa: 12/04/2010
  • Download: Clique aqui
+ A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES NA ESTRATÉGIA METODOLÓGICA DA ESCOLA ATIVA EM MATO GROSSO DO SUL (2000 a 2007)
  • Discente:
    • Vera Lúcia Campos Ferreira
  • Orientador(a):
    • Mariluce Bittar (até 2014)
  • Resumo:

    Esta pesquisa aborda o processo de formação continuada na estratégia metodológica da Escola Ativa, em classes multisseriadas das escolas públicas de Mato Grosso do Sul. Esta problemática inclui-se na Linha de Pesquisa Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente, do Programa de Pós-Graduação em Educação-Mestrado e Doutorado, da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). A estratégia metodológica da Escola Ativa focaliza uma proposta de formação continuada trazida da Colômbia por técnicos do Conselho Nacional de Secretários de Educação (CONSED), e destinada unicamente para classes multisseriadas, contemplando vários municípios do estado de Mato Grosso do Sul. Os objetivos desta pesquisa consistiram em analisar como ocorreu o processo de formação continuada de professores que atuam nas classes multisseriadas na metodologia da Escola Ativa em Mato Grosso do Sul, no período de 2000 a 2007; descrever a implantação da metodologia da Escola Ativa em Mato Grosso do Sul; e verificar a percepção dos professores sobre o processo de formação continuada para atuar nas classes multisseriadas. Como procedimentos técnico-metodológicos foram utilizados fontes documentais (leis, decretos, portarias, relatórios), cadernos de instrução e fontes estatísticas da base de dados do INEP/MEC e do IBGE. Além disso, foi aplicado um questionário com questões abertas com os professores, Coordenador Municipal, Coordenador Estadual e Supervisor do MEC, nos municípios de Campo Grande e Dourados. Os resultados da pesquisa revelaram que esta proposta de formação apresenta alternativas inovadoras para melhorar a aprendizagem dos alunos, com reflexo na formação que os professores recebem. Conforme os documentos analisados e dados levantados, pôde-se observar que a proposta metodológica da Escola Ativa promove melhorias na prática pedagógica do professor que tem seus conhecimentos desenvolvidos em formação continuada, provocando mudanças, valorizando a compreensão e a construção social do conhecimento; facultando aos mesmos, nova postura em sala, com função de orientador e facilitador da aprendizagem de seus alunos. Conclui-se que, mesmo com desafios apresentados, tais como: a distância, o difícil acesso, a disponibilidade e/ou reposição de materiais direcionados para auxiliar na execução da metodologia da Escola Ativa; os professores incorporaram a metodologia em suas práticas pedagógicas em salas de aula, após a formação continuada na metodologia da Escola Ativa.

  • Data da Defesa: 16/03/2010
  • Download: Clique aqui
+ AÇÕES AFIRMATIVAS, COTAS E A INSERÇÃO DE ACADÊMICOS INDÍGENAS NA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL (UEMS)
  • Discente:
    • Fernando Luis Oliveira Athayde
  • Orientador(a):
    • Adir Casaro Nascimento
  • Resumo:

    A presente pesquisa está vinculada à linha de pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena, curso de Mestrado em Educação, da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e focada nos acadêmicos indígenas cotistas, da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS). Trata-se de estudo com ênfase na inserção desses indivíduos no ensino superior público. Como aporte teórico utilizo as contribuições de Hall (2005), Silva (2000), Bauman (2005), Bhabha (2005), Cordeiro (2008), Brand (1997, 2001, 2008) e outros, para pensar e refletir sobre a identidade e diferença desses alunos. A base empírica deste trabalho está alicerçada no diálogo e escuta dos cotistas indígenas em diferentes áreas e cursos da UEMS, por meio de entrevistas e questionários. O tema das ações afirmativas e cotas nas universidades, encontra-se em discussão com muita frequência em nossa sociedade. Entretanto, à medida que tais políticas vão sendo mais amplamente debatidas torna-se necessário detalhar e especificar seus limites e possibilidades. Para isso, foi certamente relevante dar voz aos sujeitos diretamente envolvidos nesse processo, no caso, os acadêmicos indígenas e suas percepções sobre as suas trajetórias nas Instituições de Ensino Superior. Resultados indicam a relevância do acesso às universidades por parte dos acadêmicos indígenas, mas sinalizam também para a discriminação étnica e inadequações no que se refere às condições de permanência oferecidas a eles, como conteúdos e metodologias em vigor no âmbito da UEMS.

    PALAVRAS-CHAVE: Indígenas. Cotas. Diversidade. Identidade.

  • Data da Defesa: 05/03/2010
  • Download: Clique aqui
+ O SISTEMA DE AVALIAÇÃO NACIONAL DA EDUCAÇÃO BÁSICA E OS DESCAMINHOS PARA UMA PROPOSTA DE EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA
  • Discente:
    • Veronice Lopes de Souza Braga
  • Orientador(a):
    • Antonio Jacó Brand (In Memoriam)
  • Resumo:

    A presente dissertação, vinculada à Linha de Pesquisa Diversidade Cultural e Educação Indígena, do Programa de Mestrado da Universidade Católica Dom Bosco, traz uma exploração reflexiva sobre os documentos oficiais que instituem o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica para o Ensino Fundamental e a educação escolar indígena, em Mato Grosso do Sul. Tem como recorte temporal o período de 2003 a 2006. A temática propõe abordar a avaliação nacional do ensino e da aprendizagem nas escolas indígenas, sob a ótica da identidade e das diferenças étnicas. A questão norteadora pode ser assim explicitada: Como avaliar o ensino e a aprendizagem nas escolas indígenas, considerando as diferenças culturais?. Atenta para as relações de poder e busca compreender o complexo processo de afirmação das diferenças numa sociedade que se orienta pelo conceito de identidade nacional, de caráter monocultural. O estudo proposto ancora-se na Cultura como práticas sociais e embasa-se em estudiosos, tais como: Adir Casaro Nascimento, Antonio Jacó Brand, Homi K. Bhabha, José Licínio Backes, Maria Teresa Esteban, Marina Vinha, Marisa Vorraber Costa, Stuart Hall, Tomaz Tadeu Silva e Zygmunt Bauman, entre outros. A metodologia fundamenta-se num conjunto de estratégias que possibilitam a tradução do conhecimento epistemológico na história, nas categorias da identidade e da ambivalência. A pesquisa documental analisou Leis, Pareceres, Deliberações, Resoluções, Portarias, Relatórios pertinentes à temática, que dão suporte à política educacional voltada para os povos indígenas, bem como, para o Sistema Nacional de Avaliação. A revisão bibliográfica permitiu compreender o estado da questão e o alinhavo da pesquisa empírica. Como resultado infere-se que o Sistema Nacional de Avaliação possibilita a regulação e o controle do ensino no país, delineando um currículo unificado que prestigia a monocultura, ao tempo em que a luta dos movimentos sociais fez emergir uma reestruturação do Estado Brasileiro, através da Constituição de 1988. Essa situação de hibridação tem a aquiescência do Banco Mundial, órgão financiador das Políticas Públicas para os países membros. Tal hibridação provoca contestação sobre o currículo ?tradicional?, estabelecendo rompimento explícito de fronteiras no sistema educacional não índio para um sistema ou subsistema que atenda à educação indígena. O rompimento dessas fronteiras provoca impactos, desafios, articulações, negociações, ressignificações. A conclusão da pesquisa converge com as propostas para a instituição de um Sistema ou subsistema Nacional de Educação para os Povos Indígenas, como um caminho a ser construído e reconstruído.

  • Data da Defesa: 22/02/2010
  • Download: Clique aqui
+ ALFABETIZAÇÃO NA LÍNGUA TERENA: UMA CONSTRUÇÃO DE SENTIDO E SIGNIFICADO DA IDENTIDADE TERENA DA ALDEIA CACHOEIRINHA./ MIRANDA/ MS
  • Discente:
    • Maria de Lourdes Elias Sobrinho
  • Orientador(a):
    • Adir Casaro Nascimento
  • Resumo:

    Esta pesquisa está inserida na Linha de Pesquisa 03: Diversidade Cultural e Educação Indígena, PPGE/UCD, têm como objetivo analisar a alfabetização na língua terena, discutindo a construção de sentido e significado a partir de uma experiência realizada, no 1º ano do ensino fundamental na aldeia Cachoeirinha no ano de 2007. Para fazer a análise foram coletados depoimentos dos velhos, professores indígenas terena, alunos, pais que participaram do projeto: Yuhó´ikoti yoko Yutóxoti ya Emó´u Terena (Ler e escrever na Língua Terena). De acordo com o resultado preliminar de minha pesquisa, é possível perceber que a língua terena é meio de socialização entre nós terena construindo sentidos e significados na cosmovisão terena, promovendo afirmação da identidade. A pesquisa aponta também que alfabetizar criança na língua materna é um grande desafio, pois a mesma encontra impasses politicamente por não reconhecer a sua relevância na construção do pensamento e do conhecimento.

    PALAVRAS- CHAVE: língua terena; identidade; alfabetização.

  • Data da Defesa: 13/02/2010
  • Download: Clique aqui
+ INDISCIPLINA ESCOLAR: CONCEPÇÕES DOS PROFESSORES E RELAÇÕES COM A FORMAÇÃO DOCENTE
  • Discente:
    • Marcia Aparecida Silva Pereira
  • Orientador(a):
    • Maria Aparecida de Souza Perreli (até 2014)
  • Resumo:

    O trabalho se insere na Linha de Pesquisa: Práticas Pedagógicas e suas relações com a formação docente, do Programa de Mestrado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco. Tendo como referência diversas abordagens existentes no campo teórico sobre a indisciplina escolar, esta pesquisa teve como objetivos investigar como os professores concebem a indisciplina escolar, a que atribuem, como lidam e o que percebem sobre a sua formação para lidar com esse problema. Foram entrevistados dezesseis professores que lecionam do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental na Escola Municipal Professor Adenocre Alexandre de Moraes, localizada em na cidade de Costa Rica, Mato Grosso do Sul. As falas dos professores evidenciaram uma diversidade de concepções e práticas em relação à indisciplina escolar. A maioria dos entrevistados refere-se ao fenômeno como comportamento inadequado do aluno frente às regras ou normas da escola e cujas causas incluem fatores de ordens sociologizante, psicologizante e do campo pedagógico, com predominância dos primeiros. Apontam que o diálogo é a forma mais eficaz para lidar com a indisciplina do aluno, mas utilizam também outras formas, tais como ameaças e perda de pontos nas avaliações. A maioria dos professores situa as causas e a solução do problema em instâncias externas à sala de aula, contudo atribui a si mesmos e à escola a responsabilidade de resolvê-lo. Quanto à formação dos professores para atuar em contextos de indisciplina escolar, foi verificado que esta ocorre, sobretudo, na experiência cotidiana, e que raramente o tema é contemplado nos cursos de formação inicial e continuada. As falas dos professores indicam que tanto a vida familiar e estudantil quanto a formação inicial e continuada influenciam a concepção que eles têm sobre a indisciplina.

  • Data da Defesa: 03/11/2010
  • Download: Clique aqui
+ POLÍTICA EDUCACIONAL PARA O ENSINO MÉDIO NO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL (1999-2006)
  • Discente:
    • Elisete Emiko Obara Michelc
  • Orientador(a):
    • Regina Tereza Cestari de Oliveira
  • Resumo:

    Esta dissertação insere-se no Grupo de Pesquisa ?Políticas Públicas e Gestão da Educação? e à Linha de Pesquisa ?Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente?, do Programa de Pós-Graduação ? Mestrado em Educação -, da Universidade Católica Dom Bosco. Seu objetivo foi o de analisar o processo de implantação da reforma do Ensino Médio em Mato Grosso do Sul, no período de 1999 a 2006, compreendendo dois mandatos do governador José Orcírio Miranda dos Santos, do Partido dos Trabalhadores (PT). Os objetivos específicos são: verificar a relação do Programa de Melhoria e Expansão do Ensino Médio (PROMED) /Projeto Escola Jovem, do governo federal, com a política para o Ensino Médio do Estado de Mato Grosso do Sul; examinar como se processou a reforma do Ensino Médio em Mato Grosso do Sul e qual o currículo proposto; verificar os Referenciais Curriculares para o Ensino Médio em Mato Grosso do Sul, entre eles, o Referencial para a Área de Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. A investigação baseou-se em fontes primárias como Leis, Pareceres, Resoluções e documentos produzidos pela Secretaria de Estado de Educação de MS (SED/MS), além de entrevistas, com base em um roteiro de questões abertas, com a Superintendente de Educação, no primeiro mandato do governo (1999-2002) e a Gestora do Ensino Médio, no segundo mandato do governo (2003-2006) que participaram, mais diretamente, do processo da reforma do ensino médio. Os resultados mostram que na primeira gestão do governo popular, a reforma educacional para o Ensino Médio, baseou-se em princípios definidos na Constituinte Escolar, cuja proposta curricular fundamentava-se na concepção da Escola Única, ou seja, voltada para a formação geral, articulada em três eixos: formação cultural, formação econômica e formação política. Assim, diferenciava-se da proposta definida no âmbito da política nacional para o Ensino Médio. Em decorrência, foi aprovado o Plano Curricular Unificado do Ensino Médio para o Estado de Mato Grosso do Sul, enfatizando a articulação entre a base comum de formação geral e a Parte Diversificada. No segundo mandato do governo foram aprovados os ?Referenciais Curriculares para o Ensino Médio de Mato Grosso do Sul?, nas três áreas do conhecimento: Linguagens, Códigos e suas tecnologias; Ciências Humanas e suas tecnologias; Ciências da Natureza, Matemática e suas tecnologias, com fundamentação teórica da proposta original. No entanto, o Plano Curricular Unificado para o Ensino Médio foi alterado e foi aprovada a Matriz Curricular para o Ensino Médio, retirando a carga horária da Parte Diversificada, que garantia a materialização da unidade do Plano Curricular. Além disso, a implantação da reforma curricular para o Ensino Médio, contraditoriamente, ocorreu com recursos do Programa de Expansão e Melhoria do Ensino Médio (PROMED)/Projeto Escola Jovem, do governo federal, oriundos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

  • Data da Defesa: 14/12/2009
  • Download: Clique aqui
+ PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DE MATO GROSSO DO SUL NA REDE ESTADUAL DE ENSINO DE CAMPO GRANDE/MS(1999-2006)
  • Discente:
    • Pe. Ricardo Carlos
  • Orientador(a):
    • Regina Tereza Cestari de Oliveira
  • Resumo:

    Este estudo vincula-se ao Grupo de Pesquisa ?Políticas Públicas e Gestão da Educação? e à Linha de Pesquisa -Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente, do Programa de Pós-Graduação ? Mestrado em Educação ? da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Seu objetivo é analisar o processo de implantação da Política de Educação Ambiental no estado de Mato Grosso do Sul (MS), no período compreendido entre 1999 a 2006. Os objetivos específicos são: verificar a relação entre a Política Nacional de Educação Ambiental (Lei n° 9.795/1999) e a política de educação ambiental de Mato Grosso do Sul; analisar como ocorreu o processo de implantação da política de educação ambiental do estado de MS, no período; verificar a concretização da educação ambiental em três escolas da rede estadual de ensino em Campo Grande/MS (capital do estado de MS); e investigar, em que medida, as escolas selecionadas implementaram ações de educação ambiental, no período em foco. Para atingir aos objetivos, adotaram-se os seguintes procedimentos metodológicos: levantamento e análise bibliográfica; levantamento e análise de documentos relacionados à temática, além de entrevistas com base em um roteiro de questões semi-estruturadas com os seguintes sujeitos: dois técnicos da Secretaria de Estado de Educação (SED/MS); o diretor, o coordenador pedagógico e um professor de três escolas estaduais de Campo Grande/MS selecionadas para estudo. Os resultados mostram que no período estudado, o estado de MS não constituiu uma política de educação ambiental, apesar de ter sido criada a Comissão Interinstitucional de Educação Ambiental de Mato Grosso do Sul (CIEA/MS) e de a Secretaria de Estado de Educação de MS ter fomentado a participação das escolas da rede estadual nas questões ambientais, principalmente, no decorrer do movimento da Constituinte Escolar, no início do primeiro mandato do governo. Porém, o projeto de educação ambiental foi interrompido com o arquivamento do Plano de Educação para a Rede Estadual (2001). Pode-se concluir que as ações voltadas para a educação ambiental se efetivaram por iniciativa das próprias escolas, com a participação da comunidade escolar e local, e contribuíram com o trabalho docente e com o processo de construção de um cidadão ambiental.

    PALAVRAS - CHAVE: Políticas públicas educacionais; educação ambiental; escola pública estadual.

  • Data da Defesa: 09/11/2009
  • Download: Clique aqui
+ PROJETO CÓRREGO BANDEIRA - CULTURA, JOGO E TERRITORIALIDADE
  • Discente:
    • Rafael Presotto Vicente Cruz
  • Orientador(a):
    • Marina Vinha
  • Resumo:

    CRUZ, Rafael Presotto Vicente. Projeto Córrego Bandeira ? Cultura, Jogo e Territorialidade. Campo Grande, 2009. 121 p. Dissertação (Mestrado) Universidade Católica Dom Bosco. RESUMO A presente dissertação está vinculada à Linha de Pesquisa 3 (Diversidade Cultural e Educação Indígena) e tem como objeto de estudo uma avaliação sobre o Projeto Córrego Bandeira no modo de ser das crianças e jovens Terena, habitantes na aldeia urbana ?Marçal de Souza?, localizada no município de Campo Grande, Mato Grosso do Sul. O objetivo geral é de investigar as contribuições dos jogos propostos pelo Projeto Córrego Bandeira no fortalecimento do modo de ser das crianças e jovens Terena da Aldeia Urbana ?Marçal de Souza?, atendidas pelo referido projeto social, desenvolvido pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e Instituto Ayrton Senna?, tendo como objetivos específicos: a) Apresentar as atividades vivenciadas pelas crianças e jovens Terena da Aldeia ?Marçal de Souza?, com ênfase na sua representação para o grupo étnico; b) Identificar os jogos propostos pelo Projeto Córrego Bandeira, compreendendo como repercutem nas crianças e nos jovens Terena; c) Apontar contribuições do Projeto Córrego Bandeira no fortalecimento no modo de ser Terena, sob os vieses da cultura, jogo e territorialidade. A pesquisa é do tipo etnográfica, vinculada a uma abordagem predominantemente qualitativa. Utilizou-se de entrevistas semi-estruturadas, aplicadas nos pais, crianças e jovens Terena inscritos no Projeto Córrego Bandeira e seus monitores. As entrevistas apontaram que embora o Projeto Córrego Bandeira possibilite oportunidades de desenvolvimento de competências vinculadas aos saberes e fazeres indígenas, e principalmente competências sociais, através dos jogos, outros aspectos vinculados à educação indígena deverão contemplar a proposta de educação intercultural para o Projeto em questão. Um projeto educativo proposto para a população Terena habitante na periferia urbana deverá atender aos interesses dessa população e o fortalecimento da sua identidade cultural indígena. Neste sentido o Projeto Córrego Bandeira, como um espaço de interação para as crianças e jovens Terena, é também um espaço de pensar relações e conflitos, bem como de construir novas respostas para a história do povo indígena, especialmente da história dos Terena moradores do Marçal de Souza, podendo pensar em mudanças ou enfoques diferentes sobre atividades que os marquem significativamente e desenvolvam o sentimento de pertencimento étnico dos alunos, principalmente sobre o jogo.

    PALAVRAS-CHAVE: representações sociais; jogo; modo de ser Terena.

  • Data da Defesa: 22/10/2009
  • Download: Clique aqui
+ A SALA DE INFORMÁTICA EM UMA ESCOLA DO CAMPO: CONCEPÇÕES E PRÁTICAS
  • Discente:
    • Marlyse Badeca da Costa
  • Orientador(a):
    • Maria Cristina Lima Paniago
  • Resumo:

    Esta dissertação insere-se na linha de pesquisa Práticas pedagógicas e suas relações com a formação docente do Mestrado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco, e apresenta os resultados de uma pesquisa desenvolvida em uma escola do campo, que possui Sala de Informática para a utilização dos alunos em aula e para o atendimento da comunidade do campo. O objetivo geral da pesquisa é explorar e analisar as concepções e práticas pedagógicas da professora regente e da professora instrutora da Sala de Informática numa sala de 5º ano do ensino fundamental de uma escola do campo e suas relações com o desempenho dos alunos nas avaliações externas. A pesquisa se caracteriza como estudo de caso descritivo-explicativo, envolvendo a ação de duas professoras (professora regente e professora instrutora) e a gestora da Escola, sujeitos da pesquisa. Os dados da pesquisa foram obtidos mediante observação da prática docente de duas professoras na sala de informática, por um período de tempo de seis meses, e registrado em um diário de bordo e entrevistas semi-estruturadas com a professora P1, a professora P2 e a gestora da Escola do Campo. Após análise de conteúdo dos dados, os resultados da pesquisa apontam para a importância da metodologia da professora regente no uso dos recursos tecnológicos em sua prática docente, e da tentativa de uma prática docente inovadora, com abordagem construtivista. Da observação prática docente da professora instrutora, identificamos tentativas de abordagens construcionistas nas aulas do projeto que realiza, mas seu discurso quanto ao uso do computador ainda ancorado em uma abordagem instrucionista, não havendo orientação teórica desenvolvida, mas a busca de um trabalho mais orientado teoricamente. As análises das entrevistas apontam que o desempenho da Escola nos exames de avaliação externa é resultado do compromisso da comunidade escolar com o ensino e o aprendizado, do trabalho colaborativo e da utilização dos recursos tecnológicos que a escola possui. As concepções sobre a importância da aprendizagem de informática para a formação profissional dos alunos do campo foram identificadas como um recurso que agrega conhecimento e valor cultural ao homem do campo, hoje o conhecimento de informática é considerado imprescindível para os alunos, segundo relato dos sujeitos estudados. À escola cabe uma reflexão sobre o que deseja da SI e como ela pode melhorar os já positivos resultados de aprendizagem dos alunos. Um desses mecanismos, apontados nos dados é a grande importância atribuída ao projeto de conhecimentos de informática básica aos alunos que permite prepará-los para o mercado de trabalho.

  • Data da Defesa: 29/09/2009
  • Download: Clique aqui
+ O PROCESSO AVALIATIVO NA DISCIPLINA DE HISTÓRIA DO ENSINO MÉDIO
  • Discente:
    • Cinthya Maria dos S. Salumoni
  • Orientador(a):
    • Ruth Pavan
  • Resumo:

    Esta dissertação de mestrado intitulada ?O processo avaliativo na disciplina de História do Ensino Médio? se insere na linha de pesquisa ?Práticas pedagógicas e suas relações com a formação docente?, do Mestrado em Educação ? UCDB. Apresenta como objetivo geral analisar o processo de avaliação dos professores/as de História do Ensino Médio de uma Escola Estadual do Mato Grosso do Sul. Estabelecemos como objetivos específicos: a) caracterizar o processo de ensino e aprendizagem no cotidiano dos professores de História do Ensino Médio; b) compreender as concepções de avaliação dos professores de História do Ensino Médio; c) analisar a articulação existente entre a concepção de avaliação e o processo de ensino e aprendizagem dos professores de História. A pesquisa segue uma abordagem qualitativa; entre os procedimentos escolhidos estão: entrevista com seis professores da escola, leitura bibliográfica, análise dos documentos oficiais. Foi analisado o paradigma hegemônico neoliberal que está permeando a rotina das salas de aula e influenciando as formas de avaliação através de avaliações externas, que são usadas como controle governamental. Também foi abordada a questão do currículo estabelecido pelos PCNs e DCNEM (2000) para a disciplina de História, por ser este considerado um elemento importante para o entendimento da problemática proposta. Os referenciais teóricos utilizados se encontram em autores que fazem uma análise sociológica da avaliação, como Afonso (2005), Esteban (2008), Vasconcellos (1995), além de outros autores que abordam o contexto social em que é desenvolvido o trabalho docente, como Pimenta (1999), Cunha (1999), Fernandes (2003) e Giroux (1997); analisaremos a concepção de historiadores sobre o currículo da disciplina, como Horn & Germinari (2006), Bittencourt (2008) e Fonseca (2004), entre outros. Foi possível concluir que há muitas dificuldades em romper com a forma hegemônica de avaliação, ao mesmo tempo em que há um constante tensionamento permeando esse paradigma, provocado por pensadores da educação e pelos próprios/as professores/as entrevistados.

  • Data da Defesa: 18/09/2009
  • Download: Clique aqui
+ A PARTICIPAÇÃO DOS CONSELHOS DE ACOMPANHAMENTO E CONTROLE SOCIAL DO FUNDEB NA GESTÃO DOS RECURSOS EM MUNICÍPIOS DE MATO GROSSO DO SUL (2007-2008)
  • Discente:
    • Manuelina Martins da Silva Arantes Cabral
  • Orientador(a):
    • Regina Tereza Cestari de Oliveira
  • Resumo:

    Esta dissertação insere-se no Grupo de Pesquisa ?Políticas Públicas e Gestão da Educação?, da Linha de Pesquisa ?Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente?, do Programa de Pós-Graduação ? Mestrado em Educação - da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Seu objetivo é analisar a participação do Conselho de Acompanhamento e Controle Social do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB) no acompanhamento da gestão dos recursos do Fundo em dois municípios de Mato Grosso do Sul: Campo Grande (capital do estado), município de grande porte e Chapadão do Sul (interior do estado), município de pequeno porte, classificado com o melhor IDH do estado, ambos com sistema municipal de ensino. Os objetivos específicos são: verificar a composição, as atribuições e a organização dos Conselhos do FUNDEB nos municípios selecionados; examinar a participação dos Conselhos no acompanhamento e controle social dos recursos do Fundo; e, analisar como os Conselhos se relacionam com os gestores municipais de educação (Poder Executivo) no acompanhamento da gestão dos recursos do Fundo (distribuição, transferência e aplicação). A investigação baseou-se em fontes documentais formadas pela legislação pertinente ao assunto, pelas atas de reuniões dos Conselhos, assim como pelos dados provenientes de entrevistas semiestruturadas, com os Secretários de Educação e com membros dos Conselhos (o presidente, um representante da sociedade civil e um representante da sociedade política). Os resultados mostraram nos dois municípios: atendimento ao número mínimo de conselheiros estabelecido na legislação; indicação ou eleição dos conselheiros por seus pares; apresentação pelos conselheiros de dificuldades de ordem técnica, quanto ao entendimento dos procedimentos orçamentários, dos demonstrativos de aplicação do FUNDEB, assim como da própria dinâmica de funcionamento do Fundo; rotatividade de conselheiros; ausência de representantes às reuniões mensais, especificamente, dos segmentos de pais e alunos, além do descumprimento dos prazos por parte do Poder Público no encaminhamento da documentação necessária para análise dos Conselhos. Assim, pode-se concluir que os Conselhos buscaram acompanhar a aplicação dos recursos do FUNDEB, porém não tiveram uma participação efetiva no acompanhamento e controle social dos recursos do Fundo, assim como não procuraram dar visibilidade à aplicação desses recursos e, dessa forma, intervir no âmbito da esfera pública.

  • Data da Defesa: 18/09/2009
  • Download: Clique aqui
+ O ESTADO MÍNIMO E O TRABALHO DOCENTE: INFLUÊNCIA DAS POLÍTICAS DE CUNHO NEOLIBERAL EM DUAS UNIVERSIDADES DE MATO GROSSO DO SUL - 1996 a 2006.
  • Discente:
    • Silvia Peixoto de Lima
  • Orientador(a):
    • Margarita Victoria Rodríguez
  • Resumo:

    Esta Dissertação insere-se na Linha de Pesquisa ?Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente?, do Programa de Mestrado em Educação ? UCDB, e tem como tema a influência das políticas educacionais de modelo neoliberal no processo de formação e profissionalização dos professores da educação superior. Apresenta como objetivo analisar as mudanças ocorridas no trabalho e na formação docente em duas instituições de Educação Superior (IES) do estado de Mato Grosso do Sul, sediadas em Campo Grande: Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) em função das políticas de cunho neoliberal. O recorte temporal é de 1996 a 2006, adotando-se como estratégia metodológica a revisão bibliográfica, focando a relação Estado, educação e trabalho. Para tanto, foram analisados os escritos dos teóricos clássicos da concepção liberal de Estado (Hobbes, Locke, Rousseau), contrapondo-os à concepção neoliberal (Friedman, Hayek), além do levantamento de fontes documentais (leis, decretos, resoluções, portarias) do período pesquisado. Foram realizadas entrevistas com 16 professores, sendo 8 de cada IES, para registrar a percepção dos docentes a respeito do trabalho e da formação docente. Os resultados apontam que as políticas neoliberais atingem a classe trabalhadora como um todo, acarretando aos professores o aumento do número de alunos por sala, a exigência de formação continuada como garantia de empregabilidade, a flexibilização dos direitos e o acúmulo de atividades que outrora não eram de responsabilidade dessa categoria profissional. Sendo assim, à semelhança dos demais trabalhadores, o docente sofre com as exigências desse modelo de Estado, que sob o discurso da polivalência e criatividade possibilita ao mercado o aperfeiçoamento dos mecanismos de extração do sobretrabalho, transferindo para este profissional a total responsabilidade por seu êxito ou fracasso.

  • Data da Defesa: 17/09/2009
  • Download: Clique aqui
+ AÇÕES AFIRMATIVAS E O ACESSO DE NEGROS NA EDUCAÇÃO SUPERIOR: UM ESTUDO DE CASO DO INSTITUTO LUTHER KING - ILK
  • Discente:
    • Wanilda Coelho Soares de Moraes
  • Orientador(a):
    • Mariluce Bittar (até 2014)
  • Resumo:

    MORAES, Wanilda Coelho Soares. Ações afirmativas e o acesso de negros na educação superior: um estudo de caso do Instituto Luther King. Campo Grande, 2009. 157p. Dissertação (Mestrado) Universidade Católica Dom Bosco. RESUMO Inserida na Linha de Pesquisa ?Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente?, mais diretamente no âmbito das reflexões desenvolvidas pelo Grupo de Estudos e Pesquisas Políticas de Educação Superior - GEPPES, esta Dissertação de Mestrado em Educação tem como objetivo geral analisar se as políticas de ações afirmativas implementadas e desenvolvidas pelo Instituto Luther King - Ensino, Pesquisa e Ação Afirmativa, propiciam o acesso de negros na educação superior, no período de 2003 a 2007 Os objetivos específicos consistiram em: 1) descrever a trajetória do Instituto Luther King e sua opção em implementar programas de acesso à educação superior; 2) analisar o desenvolvimento e os resultados alcançados pelo ILK na implantação de ações afirmativas. As pesquisas bibliográficas, documentais, depoimentos de alunos, subsidiadas pela análise de dados estatísticos, fundamentaram o procedimento técnico-metodológico. Os resultados da pesquisa demonstram que efetivamente o Instituto Luther King, desenvolve políticas de ação afirmativas que possibilitam oportunidades de inclusão de negros na educação superior. Do quantitativo dos 160 alunos que estão cursando a educação superior, 90 são negros, 57 brancos e 13 indígenas. As ações com foco nas políticas de ação afirmativa que o ILK oferece aos seus alunos transcendem a simples preparação para os processos seletivos, trazendo outros resultados importantes na vida daqueles que passam pela Instituição, como o resgate da cidadania, a sensibilização com relação às questões referentes à diversidade étnico-racial, fatores importantes no aumento da autoestima dos alunos. Mostram também que projetos como os do ILK não são suficientes para reverter a exclusão social, no sentido de garantir o acesso e a permanência de negros na educação superior. Por outro lado, sem ações desse tipo, que caracterizam o trabalho das organizações não governamentais, os alunos negros, egressos do Instituto, ainda estariam enfrentando dificuldades para ingressar na educação superior, pois o Estado, até o momento, não garante políticas efetivas para essa inclusão.

    PALAVRAS-CHAVE: Políticas Educacionais; Políticas de Ação Afirmativa; Cursos pré-vestibulares.

  • Data da Defesa: 17/09/2009
  • Download: Clique aqui
+ OS DIFERENTES NÍVEIS DE FORMAÇÃO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA: CONCEPÇÕES E PRÁTICAS DE DOCENTES QUE ATUAM NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL
  • Discente:
    • Maria Santina de Carvalho Giraldeli
  • Orientador(a):
    • Leny Rodrigues Martins Teixeira (até 2013)
  • Resumo:

    O presente trabalho está vinculado à Linha de Pesquisa Práticas Pedagógicas e suas Relações com a Formação Docente e tem como objetivo investigar como professores com diferentes formações colocam em prática procedimentos de ensino de conteúdos matemáticos na sala de aula do Ensino Fundamental. Para tanto, descrevemos e analisamos as diferentes modalidades (nível médio e superior) de formação inicial de professores das séries iniciais, tendo em vista caracterizar os reflexos sobre suas concepções e práticas de ensino de matemática. Optamos por uma pesquisa de abordagem qualitativa na modalidade descritivo-explicativa, para a qual selecionamos três professoras de séries iniciais, sendo uma com formação em nível médio (Magistério), uma em Pedagogia e outra com Licenciatura em Matemática. O trabalho foi desenvolvido em três fases: na 1ª fase foi aplicado um questionário, cuja finalidade era conhecer as características das docentes, dados de identificação pessoal e profissional; na 2ª fase, concomitante à aplicação do questionário, foram realizadas as observações diretas a fim de caracterizar como professores de diferentes formações desenvolviam os conteúdos matemáticos em sala de aula. A partir do registro das observações no diário de campo, foram criadas categorias que pudessem descrever o trabalho e a prática de ensino produzida pelo professor; na 3ª fase foram feitas as entrevistas semi-estruturadas, aplicadas de forma recorrente, visando compreender as atitudes e procedimentos predominantes em sala, a partir das justificativas dadas pelos professores para as suas práticas. Neste estudo, ficou claro que nas três formações, por diferentes razões, houve uma lacuna na formação Matemática do professor. Os cursos a Nível Médio e Pedagogia deram mais ênfase às questões pedagógicas e metodológicas, desvinculas do domínio de conteúdo. A Licenciatura em Matemática, embora privilegie os conhecimentos matemáticos, o faz desvinculado da didática, particularmente para o ensino desse conteúdo nas séries iniciais. Esse fato foi percebido nas concepções dos professores quanto à formação Matemática recebida, revelando uma formação fragmentada que não propiciou a relação teoria e prática. Segundo as professoras a formação inicial contribuiu pouco em relação à prática para o ensino de Matemática, alegando que a aprendizagem da docência se fez de outras formas: no cotidiano escolar, na troca de experiências com os colegas e na formação continuada. Ficou claro, entretanto que o papel da formação inicial, embora não reconhecido pelas professoras, foi relativo, ou seja, contribuiu para formação de esquemas gerais para o trabalho da docência. Esta pesquisa mostra a necessidade de repensar os cursos de formação inicial contemplando outras dimensões no seu programa articulado com base no tripé: conhecimento do conteúdo matemático, conhecimento didático do conteúdo dessa disciplina e do seu currículo.

    Palavras-chave: Formação Inicial de Professores, Matemática nas Séries Iniciais; Saberes da Docência.

  • Data da Defesa: 14/09/2009
  • Download: Clique aqui
+ O PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS (PROUNI) NAS IES COMUNITÁRIAS: A EXPERIÊNCIA DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS (2005-2008)
  • Discente:
    • Suzanir Fernanda Maia
  • Orientador(a):
    • Mariluce Bittar
  • Resumo:

    Esta Dissertação de Mestrado vincula-se ao Grupo Estudos e Pesquisas de Políticas de Educação Superior (GEPPES) e à Linha de Pesquisa Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente, do Mestrado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e contou com o financiamento da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (FUNDECT/MS). Apresenta como objeto de pesquisa a análise das mudanças ocorridas nas Universidades Comunitárias com a implantação do Programa Universidade Para Todos (ProUni), no período de 2005 a 2008. O objetivo geral consistiu em analisar as mudanças ocorridas nas Universidades Comunitárias com a implantação do ProUni, no período de 2005 a 2008. Os objetivos específicos consistiram em: a) apresentar os marcos legais do ProUni e verificar de que maneira eles alteraram o projeto inicial do Programa; b) verificar como ocorreu o processo de implantação do ProUni nas Universidades Comunitárias por meio da análise da Universidade Católica de Goiás (UCG), considerando a substituição dos programas de bolsas de estudos próprios daquela Universidade. O procedimento técnico-metodológico foi realizado em quatro fases: a) revisão bibliográfica sobre a temática; b) levantamento de documentos e legislação do Ministério da Educação sobre o ProUni no período de 2004 a 2008a; c) elaboração de questionário para aplicação com o Coordenador responsável pela assistência ao acadêmico da IES selecionada; d) categorização dos documentos e questionários. Os resultados da pesquisa revelaram que as IES Comunitárias apresentam características peculiares em relação àquelas estritamente privadas. As IES Comunitárias aderiram ao ProUni no primeiro ano de implantação do Programa (2005) e a partir deste ano houve a redução no número de acadêmicos beneficiados pelos programas e projetos das próprias IES. Na Universidade Católica de Goiás (UCG) houve o encerramento gradativo da Bolsa Filantropia que atendeu em 2005, 2.934 acadêmicos das diversas áreas do conhecimento, sendo que foram implantadas pelo ProUni no mesmo ano, 409 bolsas de estudo naquela IES. Outro impacto identificado na UCG foi no atendimento aos novos acadêmicos da IES, ou seja, os ingressantes da Instituição e o não atendimento daqueles alunos que já estavam matriculados. Conclui-se que o ProUni é um Programa necessário, que deve ser modificado em alguns aspectos, como por exemplo no que se refere à fiscalização, para que realmente atenda a população que está excluída e não desenvolva mais uma nova demanda de excluídos como vem ocorrendo nesses primeiros processos, nos quais a cada ano o número de bolsas oferecidas não acompanha o crescimento expressivo do número de candidatos inscritos. O Programa Universidade Para Todos é, portanto, uma política de governo concebida em curto prazo, sem o envolvimento da população, sem o debate democrático tão ressaltado nas falas de seus idealizadores e sem a certeza de sua continuidade após o término do termo de adesão que é de 10 anos.

  • Data da Defesa: 14/09/2009
  • Download: Clique aqui
+ A NOÇÃO DE COMPETÊNCIAS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL: O PROCESSO DE ENSINO NOS CURSOS DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DA UNIDADE DO SENAI DE CAMPO GRANDE-MS
  • Discente:
    • Gilka Cristina Trevisan
  • Orientador(a):
    • Leny Rodrigues Martins Teixeira (até 2013)
  • Resumo:

    A presente pesquisa, vinculada à Linha de Pesquisa - Práticas pedagógicas e suas relações com a formação docente, teve como objetivo a análise do entendimento teórico-prático da noção de competência e da sua implementação no ensino, no contexto dos cursos de aprendizagem industrial da escola do SENAI de Campo Grande, MS. Para tanto, a pesquisa analisou as abordagens conceituais da noção de competência, verificando como os atores (professores, coordenadores pedagógicos e alunos) envolvidos com o discurso das competências compreendem essa noção e a difundem, como estabelecem a relação entre as competências, trabalho, emprego e cidadania e, nesse sentido como percebem a educação profissional atualmente. Por último, analisou a prática pedagógica da instituição, conforme relato dos entrevistados, no sentido de verificar como o ensino por competências é transposto do discurso para a situação objetiva da aula. Do ponto de vista metodológico trata-se de uma pesquisa de caráter descritivo-explicativo, cujas etapas foram: a revisão teórica da literatura sobre os cenários do mundo do trabalho, da educação profissional e da noção de competência; a realização de dezoito entrevistas com professores, alunos e coordenadoras da instituição mencionada; a análise dos documentos institucionais do SENAI que tratam da metodologia de formação por competências e a análise de conteúdo das entrevistas. A revisão teórica mostrou que a noção de competência, oriunda do mundo do trabalho, é um conceito não consensual e polissêmico, por se tratar de um conceito de difícil operacionalização na educação. O exame dos documentos orientadores da metodologia de formação por competências do SENAI evidenciou uma matriz de competências funcionalista. A análise das entrevistas realizadas indica que os respondentes possuem concepções diferentes de competência, as quais são influenciadas pela matriz de competências do SENAI e pelo mundo do trabalho. No que se refere à prática do ensino descrita, as respostas dos entrevistados revelam dificuldades na transposição das competências para as práticas pedagógicas o que acaba por determinar, muitas vezes, uma redução das competências a funções e tarefas. A busca pela minimização desse viés funcionalista das competências passa pela elaboração de um currículo humanizado que promova o desenvolvimento de competências genéricas que possibilitem maior autonomia e responsabilidade dos indivíduos e um olhar crítico sobre o contexto do trabalho, seus sentidos e significados. A matriz de competências do SENAI, apesar das limitações verificadas, é um passo a frente de outras metodologias tecnicistas, baseadas na demonstração e repetição de operações vinculadas aos postos de trabalho.

  • Data da Defesa: 02/09/2009
  • Download: Clique aqui
+ PEDAGOGIA KADIWÉU E A FORMAÇÃO DA CRIANÇA - OLHARES DE MULHERES ADULTAS
  • Discente:
    • Romélia Rodrigues Dopp
  • Orientador(a):
    • Marina Vinha
  • Resumo:

    Este trabalho seguiu perspectiva teórica proposta na Linha de Pesquisa 3 - Diversidade Cultural e Educação Indígena - constitutiva do Programa de Mestrado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). O objeto de estudo foi investigar os processos de formação da criança Mbayá-Gauicuru e Kadiwéu no seu universo cultural, segundo olhares de mulheres adultas da referida etnia. O estudo abarcou as técnicas de nascimento, os modos de alimentar à criança e as diferenças na criação do menino e da menina. O objetivo geral do estudo foi descrever o ?jeito? de educar Kadiwéu, sob o olhar de mulheres adultas. Os objetivos específicos foram: a) sistematizar o ?estado da arte? que trata da criança Mbayá-Gauicuru e Kadiwéu em referências bibliográficas, escritas por missionário, militares, viajantes historiadores e etnólogos; b) identificar os elementos que estruturam a identidade e a formação da criança Kadiwéu e c) registrar a percepção da mulher adulta sobre as técnicas do nascimento, modos de criar e alimentar e diferenças na aprendizagem da menina e menino criança em seu grupo étnico. Nessa perspectiva, procuro resposta para a problematização: quais são os saberes e práticas específicas dos adultos Kadiwéu para que uma criança possa construir sua identidade? As reflexões se entrecruzam com dados bibliográficos e dados empíricos - estes obtidos em levantamento com mulheres adultas Kadiwéu. A metodologia está organizada com elementos vindos de um missionário, dois militares, viajantes, historiadores e etnólogos do Século XVIII até o Século XXI. Foi aplicada uma entrevista semi-estruturada em quatro mulheres Kadiwéu, para a obtenção dos dados sobre a criança. As abordagens sobre os elementos valorativos desse grupo estão delimitadas da concepção até o período antes dos ritos pubertários. Os resultados esperados foram recuperar significados na formação da criança Kadiwéu. Desse modo, foi possível a compreensão de que na educação da criança indígena Kadiwéu está impressa na Pedagogia da tradição dessa etnia, sendo relevante para a preservação de sua identidade. Acredita-se que esta pesquisa estará contribuindo para posteriores estudos escolares dos povos indígenas, conforme Constituição/1988 e LDB/1996, na especificidade dos povos do pantanal, em seus processos próprios de ensinar e aprender, emergindo dados para compreensão do ethos Kadiwéu.

  • Data da Defesa: 27/07/2009
  • Download: Clique aqui
+ O PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DA REDE INTERNACIONAL DAS INSTITUIÇÕES SALESIANAS DE EDUCAÇÃO SUPERIOR E A AFIRMAÇÃO DA IDENTIDADE CONFESSIONAL SALESIANA
  • Discente:
    • Pe. Jair Marques de Araújo
  • Orientador(a):
    • Mariluce Bittar (até 2014)
  • Resumo:

    Esta dissertação vincula-se à Linha de Pesquisa Políticas Educacionais, Gestão da Escola e Formação Docente, mais diretamente ao Grupo de Estudos e Pesquisas Políticas de Educação Superior ? GEPPES/UCDB. Tem como objeto de pesquisa a análise de constituição da Rede Internacional das Instituições Salesianas de Educação Superior (IUS) como movimento criado com o objetivo de fortalecer sua identidade e reforçar o compromisso social com a juventude das classes populares, para fazer frente ao movimento de empresariamento da educação pelo capital financeiro. Os objetivos específicos consistem em: a) Verificar como ocorreu o processo de implantação da Rede IUS; b) Identificar qual é a concepção de identidade confessional salesiana expressa pela Rede IUS. Como procedimento técnico-metodológico utilizou-se a análise de documentos produzidos pelas IUS, no sentido de explicitar as razões para a constituição da Rede, seus sentidos e contradições, bem como sua influência para a afirmação da identidade das instituições universitárias confessionais. Infere-se que a mundialização do capital, as exigências decorrentes do modelo neoliberal e as políticas públicas educacionais implantadas sob orientação dos organismos multilaterais, com repercussões nos países em processo de desenvolvimento, provocaram, entre outras, o movimento de privatização da educação superior, o surgimento de um modelo de universidade empresarial e a formação de conglomerados econômico-empresariais cuja principal finalidade é a obtenção de lucros financeiros com a exploração dos serviços educacionais. O fortalecimento da visão empresarial da educação superior pela expansão dos grupos privados desestruturou tradicionais universidades comunitárias confessionais que se dedicam à educação superior sob uma ótica humanista, o que as levou a criar estratégias, como a construção da Rede IUS, no sentido de preservar sua identidade no conjunto das IES brasileiras, além de colaborar para sua própria sobrevivência institucional. Atualmente acham-se pressionadas pela instauração exarcebada da concorrência por alunos, revelando-se despreparadas para enfrentar o movimento da globalização sobre a educação superior. É nesse contexto que surge a Rede Internacional das IUS com o objetivo de garantir e preservar a sua identidade institucional.

    Palavras-chave: Políticas Educacionais; Instituições Salesianas de Educação Superior; Identidade Institucional.

  • Data da Defesa: 23/06/2009
  • Download: Clique aqui
+ EDUCAÇÃO E GÊNERO - A RE-SIGNIFICAÇÃO DA MASCULINIDADE
  • Discente:
    • Milton Pereira da Luz
  • Orientador(a):
    • José Licínio Backes
  • Resumo:

    Todos os seres humanos carregam marcas herdadas ou construídas em suas relações que produzem e reproduzem suas diferenças. Essas marcas refletem no processo educativo e na construção da identidade de gênero. A dissertação, vinculada ao Programa de Pós-Graduação Mestrado em Educação - Área de concentração: Educação, Linha 03 - Diversidade Cultural e Educação Indígena, busca compreender as relações de gênero e a re-significação da masculinidade em situação de vulnerabilidade social. Os objetivos deste trabalho consistem em: a) refletir as relações de poder exercidas entre sujeitos masculinos e femininos frente à realidade de empobrecimento; b) descrever o conceito de masculinidade usado nas relações de gênero no bairro Nova Lima; c) identificar as possíveis mudanças na identidade masculina frente à vulnerabilidade social. A pesquisa foi realizada com moradores do bairro Nova Lima - Campo Grande/MS, do sexo masculino, participantes de programas de transferência de renda, que vivem e enfrentam a realidade de empobrecimento. A coleta de dados deu-se por meio de entrevistas semi-estruturadas e grupo focal. Observamos que as interações realizadas ao longo da história influenciam na constituição das identidades de homens e mulheres. Observamos, ainda, que os homens, frente à realidade de empobrecimento e vulnerabilidade social, colocam a identidade masculina sob rasura, buscando re-significar os conceitos trazidos, o que os leva a conflitos no seu relacionamento familiar e na relação com outros sujeitos masculinos e femininos.

  • Data da Defesa: 22/06/2009
  • Download: Clique aqui
+ EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA NA ALDEIA BANANAL: PRÁTICA E UTOPIA
  • Discente:
    • Antonio Carlos Seizer da Silva
  • Orientador(a):
    • Antonio Jacó Brand (In Memoriam)
  • Resumo:

    Es