Indique a um amigo

Agência da União Europeia elogia trabalho desenvolvido pelo Programa de Mestrado Internacional Erasmus Mundus

05/05/2020 - 9:00 - Mestrados e Doutorados

Fonte: Natalie Malulei

Estudantes do Mestrado Internacional Erasmus Mundus na abertura da primeira edição do Winter School, realizada em 2018, na UCDB (Foto: Arquivo)

Veja as últimas notícias da UCDB para você que está interessado em Mestrados e Doutorados

Em abril, o Programa de Mestrado Internacional Erasmus Mundus em Desenvolvimento Territorial Sustentável (STeDe), desenvolvido pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e mais cinco instituições de ensino superior parceiras, foi elogiado pela Agência de Execução relativa à Educação, ao Audiovisual e à Cultura (EACEA) da União Europeia (UE). A instituição é a responsável por gerenciar os fundos voltados para a educação, cultura, audiovisual, desporto, cidadania e voluntariado, além de credenciar e gerir programas como o Erasmus Mundus com tais recursos.

As boas pontuações feitas pela Agência a respeito do Mestrado Internacional do qual a UCDB participa, vieram por meio uma carta-parecer em resposta ao relatório anual encaminhado pelo Programa em fevereiro de 2020, referente ao trabalho desenvolvido em 2019. No documento é elogiada toda a estrutura oferecida pelo curso como as disciplinas que compõem a grade e as atividades desenvolvidas.

Foram ressaltados pela EACEA vários aspectos do projeto que tiveram resultados significativos como a organização de seminários especializados com parceiros da indústria que ajudaram a aumentar as chances de empregabilidade dos estudantes; a rede de egressos criada que possibilitou o compartilhamento de experiências de estágio e oportunidades de trabalho; além dos esforços feitos para aumentar a visibilidade do programa — dentre as iniciativas citadas estavam o “Prêmio de melhor tese STeDe” e a experiência de campo no “Po Delta”.

“Gostaríamos de felicitar vocês por muitas das boas práticas que foram identificadas, fora do curso normal do Programa. Isso significa que, de modo geral, as experiências foram positivas. Essas estratégias enriqueceram seu curso de mestrado e estimularam seus estudantes a melhorarem o padrão de sua performance no curso. A reputação internacional do STeDe cresceu durante esses anos. Isso é visível pelo número de inscrições que aumentou a cada ano e, especialmente de estudantes autofinanciados”, mencionou a EACEA por meio do parecer.

Tradição e sustentabilidade

Desde a criação do programa em 2010, nove turmas já foram abertas — oito por meio do financiamento da União Europeia (inclusas na primeira e segunda edição do Programa) e uma única promovida pelo próprio Mestrado Internacional, de forma independente e sem estes incentivos financeiros. Novamente, em 2019, a décima turma foi lançada pelo Programa, da mesma forma independente. O resultado desta seleção já foi divulgado em março deste ano e a previsão é a de que as aulas se iniciem em setembro de 2020.

Segundo a Dra. Cleonice Alexandre Le Bourlegat, coordenadora do Erasmus Mundus pelo Brasil na UCDB, nesta edição, por mais que não haja incentivo por parte da União Europeia, duas instituições de ensino superior que integram o consórcio disponibilizaram investimentos próprios para possibilitar bolsas aos alunos — a Universidade de Pádua, na Itália, vai financiar os estudos de forma integral dos melhores candidatos, no período em que eles estiverem na Instituição; e, na Bélgica, a KU Leuven vai fornecer bolsas parciais, também no semestre em que os alunos permanecerem no local.

Esta capacidade que o Mestrado Internacional possui em auto sustentar-se, também chamou a atenção da EACEA e foi ressaltada na carta destinada à coordenação do Programa: “É um passo lógico na sua estratégia de sustentabilidade, decidir executar por conta própria uma edição (2020-2022) deste curso de mestrado.  É muito importante o apoio financeiro que a Universidade de Pádua vai dar ao programa e, ainda, que a KU Leuven esteja oferecendo bolsas parciais. Está é uma prova inegável do compromisso institucional dos parceiros e da vontade de todos em fazer parte do que tem sido identificado como ‘experiência de prestígio’”.

Cleonice pontuou que a atitude da coordenação do Programa em apostar na abertura de uma turma com integrantes que se propõem a se autofinanciar chamou a atenção da agência, uma iniciativa que manifesta a qualidade da formação oferecida pelo Mestrado Internacional. “Toda vez que você tem coragem de lançar um programa sem bolsas mostra a sua sustentabilidade. Fizemos isso com a sexta turma e, agora, estamos fazendo com a décima. Percebemos que, mesmo sem o incentivo financeiro, houve um número relevante de candidatos, então a EACEA se impressionou muito com o Programa porque, mesmo nesse contexto, a gente nunca teve queda expressiva de inscrições. Ficamos muito felizes com o resultado da avaliação”, esclareceu a coordenadora.

Sobre o Mestrado Internacional Erasmus Mundus

Programa de Mestrado Internacional Erasmus Mundus em Desenvolvimento Territorial Sustentável (STeDe) inova no quesito de oferecer uma formação profissionalizante associada à acadêmica e reunir um consórcio constituído, não só por instituições de ensino superior de renome, como também por parceiros profissionais.

Atualmente, além da UCDB, há outras cinco Universidades que integram o programa — Universidade de Pádua (Itália); K.U. Leuven (Bélgica); Université Paris 1: Panthéon-Sorbone (França); Université de Ouagadougou (Burkina Faso) e University of Johannesburg (África do Sul). Já os parceiros profissionais estão presentes em três países: no Brasil há o Sebrae, na França existe a Alda, e a Via Via está presente na Bélgica.

Mais informações sobre o Mestrado Internacional Erasmus Mundus podem ser obtidas por meio do site do Programa, basta clicar aqui.

Notícias


01/07/2020 - 07:00 - Vestibular

Inscreva-se para o Vestibular de Inverno da UCDB

Prova será on-line e gratuita



29/06/2020 - 09:00 - UCDB

Prazo para renovação do Fies é prorrogado até amanhã

Procedimento deve ser feito via internet