Liturgia Diária

Sejamos tolerantes com o nosso próximo (Jo 10,31-42)

  Pegar pedras nas mãos para jogar em alguém significa que nós rejeitamos aquela pessoa, queremos nos ver livres dela, daquela situação, daquilo que ela fala, porque nos incomoda.

 

  A prática antiga ou a prática da lei judaica mandava apedrejar quem blasfemasse, quem trouxesse uma ofensa grave à vida, sobretudo, na relação com Deus. Hoje, graças a Deus, não pegamos mais em pedras para jogar nas pessoas, mas é verdade que estamos vivendo numa sociedade muito agressiva, e as pedras que usamos, muitas vezes, são mais pesadas do que as pedras físicas e materiais.

 

  A forma como as pessoas se dirigem umas às outras para apedrejar, para atentar uma contra às outras, a violência moral e verbal que vemos nas redes sociais! Muitas vezes, vemos nas ruas que as pessoas se tornam mais intolerantes umas com as outras. O que certo grupo religioso da época perdeu foi a tolerância para com Jesus. A tolerância não é porque o outro está errado, é porque não toleramos ser contrariados, não aceitamos que o outro fale o que não está de acordo com o que queremos, pensamos e achamos.

 

  A intolerância levou Jesus à morte e, muitas vezes, nós que também seguimos Jesus temos as mesmas práticas religiosas, tornamo-nos também intolerantes dentro da nossa própria casa, da nossa igreja, dos nossos grupos e trabalhos. Não aceitamos ser contrariados, contraditados nem questionados; queremos todo mundo pensando da mesma forma que nós.

 

  A tolerância não é porque o outro está errado, mas porque não toleramos ser contrariados

 

  Se há guerras ideológicas no mundo, muitas vezes, transformamos a nossa religião em ideologia para combatermos outros, para criarmos guerras religiosas, para, novamente, chamarmos cruzadas e tantas coisas em nome de uma pretensa fé.

 

  Não apedrejemos novamente Jesus, não permitamos que Ele seja apedrejado em nome das nossas convicções religiosas. Não temos o direito de agredir ninguém, de bater em ninguém, de combater ninguém, a não ser testemunhando a nossa fé. Nada, entretanto, justifica agressão física, moral, verbal e psicológica. Nada justifica entrarmos na pilha do mundo e trazermos o pior do mundo para dentro da nossa vivência de fé.

 

  Jesus morreu, quiseram apedrejá-Lo porque não O aceitaram, porque se tornaram intolerantes e não toleraram a presença d’Ele. 

 

  Irmãos, seguidores de Jesus Cristo, aprendamos a conviver, a respeitar e a lidar com o diferente, é a resposta mais cristã e amorosa que podemos dar. Éla é muito mais importante que os nossos dogmas e ensinamentos religiosos.

 

  Deus abençoe você!