Indique a um amigo

Depois da lição de superação, jornalista com microcefalia conclui segunda graduação

11/02/2021 - 8:25 - Graduação

Fonte: Gilmar Hernandes

Ana Carolina durante homenagem a Deus

Veja as últimas notícias da UCDB para você que está interessado em Graduação

Você sabe por onde anda a jornalista Ana Carolina Dias Cáceres, que ganhou destaque na mídia nacional e internacional, quando o assunto foi microcefalia? Então, ontem (10), foi colação de grau dela na segunda graduação, no curso de Letras da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Em 2015, ela concluiu a primeira graduação em Jornalismo também na Católica.

Ana Carolina  nasceu com microcefalia por cranioestenose e, após passar por várias cirurgias e intenso tratamento na infância, conseguiu levar uma vida relativamente normal, dando uma lição de superação àqueles que não acreditavam que ela fosse falar, andar ou mesmo sobreviver. 

Ontem, acordou cedo, estava um pouco ansiosa, mas trabalhou normalmente em home office, no setor de marketing de uma escola particular e ainda encontrou tempo para atender a imprensa de manhã e no fim do dia. “2020 foi um ano realmente incerto. Não sabia se iria conseguir terminá-lo por conta de cumprir os estágios diante da pandemia, mas deu tudo certo, graças ao empenho também das nossas professoras. Mesmo com tanta gente jogando contra, não colaborando, falando que não daria certo, eu consegui terminar mais uma graduação. Meu foco é a educação, trabalhar a alfabetização, mais voltada para crianças com deficiência cognitiva ou física. Acho que faz toda a diferença ser professor que consiga trabalhar com alunos que possuem necessidades especiais ou não”, destacou a jornalista, que agora também é professora. 

Segundo a coordenadora do curso de Letras da UCDB, Angela Catônio, a Ana Carolina sempre foi uma acadêmica alegre e atuante no curso. “Desde o princípio perseguiu seu objetivo e, agora, com a colação de grau alcançou mais uma vitória”, ressaltou.

Para Ana Carolina, a educação é a base de tudo e o que realmente transforma, mas quem pensa que ela vai parar na segunda graduação está completamente enganado. Ela já está matriculada no curso de Pedagogia e na pós-graduação em Psicopedagogia da Católica. “A educação é uma área que espero me aprofundar, pois vejo que hoje em dia temos muitos alunos em depressão, com crise de ansiedade e déficit de atenção, mas poucos profissionais preparados para lidar com isso. Então quero me especializar ao máximo e o curso de Letras representa o primeiro passo para esse caminho. No momento iniciei em janeiro a pós-graduação em Psicopedagogia a distância e na próxima semana começarei outra graduação, desta vez em Pedagogia, também no ensino a distância. E ainda no futuro quero concluir fazendo Psicologia”, conta.

Amante da leitura e da escrita, também gosta de aprender idiomas, como o espanhol que vem da família, o inglês da segunda graduação, faz italiano e participa de um grupo que se comunica em francês. Outra paixão dela é a música, que a acompanha desde pequena. “Música é um caso sério de amor. Tudo o que faço gosto de estar ouvindo uma boa música, só não estudo com música! Música dá aquela energia pra gente”.

“Estou muito feliz e orgulhosa por mais essa conquista da minha filha,  pois sei o quanto ela teve  que se superar. Ela é um orgulho para nós e só posso agradecer a Deus por tudo e a UCDB por ter acolhido tão bem”, comemorou a mãe dela, Clara Dias de Oliveira.

Para aqueles que estão desmotivados ou encontram dificuldades na vida, Ana Carolina dá a dica. “Não tem dinheiro nesse mundo que pague quando um aluno chega e nos diz obrigada, pois eu aprendi a fazer tal coisa contigo”, orgulha-se da nova profissão.

Notícias


23/11/2021 - 09:53 - Mestrados e Doutorados

Intelectualidade Negra é tema de webinar na UCDB

Evento ocorre em alusão a semana de consciência negra


19/11/2021 - 01:53 - Extensão

Acadêmicos extensionistas ministram oficinas na Casa Dom Bosco

Foram abordados temas como compostagem, uso racional da água e de onde vem o leite


19/11/2021 - 11:56 - UCDB

Projeto da UCDB é contemplado com recursos do governo do Estado

Com o projeto "Ja’e", o Centro de Pesquisas Indigenistas receberá o aporte de R$ 46,8 mil do Fundo Estadual de Defesa e Reparação de Direitos Difusos e Lesados