Liturgia Diária

O amor de Deus nos torna bons cristãos (Jo 4,43-54)

  Deus é um Pai muito bom, Ele ouve os clamores da nossa alma e do nosso coração. Quando batemos à sua porta, Ele se abre para nós e, quando imploramos o perdão, Sua misericórdia nos envolve; quando pedimos a Ele para nos abençoar, Ele nos dá mais que uma bênção, Ele abençoa toda a nossa vida.

 

  Ele está nos ensinando que precisamos ser como Ele. Se nosso Pai é bom, precisamos ser bons filhos também. "Tudo o que você quer dos outros, faça com eles", esta é a regra da vida, é a regra de ouro, regra fundamental para a vida cristã ser abençoada.

 

  Cobramos muito dos outros, esperamos muito dos outros para fazer isso ou aquilo. Queremos que a cidade melhore, mas não fazemos nada, sempre esperamos que o outro faça.

 

  Nossa atitude cristã precisa ser ativa, precisamos colocar nossas cabeças no travesseiro e chegar ao fim de nossos dias com a consciência correta. "Eu fiz o que pude fazer para tornar o mundo melhor. Eu não tenho esperado pelos outros. Não espero que os outros sejam bons para mim ou sejam bons para eles ".

 

  Vamos ser bom, porque Deus nos torna bons, independentemente se os outros fazer o bem ou não, nós exercer o perdão não só se o outro nos perdoar, mas nós perdoamos porque Deus nos perdoou, nós amamos mesmo que o outro nos ama ou não porque o amor de Deus está em nós.

 

  Deixe-nos ser para o outro o que Deus é para nós. Não espere que o outro seja bom para que também seja bom.

 

  Hoje, Deus nos ensina, em Sua Palavra, que nossa oração precisa ser de confiança e insistência no que é a bondade de Deus. A insistência da persistência não é a insistência daqueles que desconfiam, mas que confiam.

 

  A oração deve gerar toda a serenidade e tranquilidade na alma e no coração do cristão que sabe quem é o Deus em quem depositou sua confiança.

 

  Sejamos íntegros no coração de Deus, porque Ele cuida de nós.

 

  Deus te abençoe!