Mestrado e Doutorado em Ciências Ambientais e Sustentabilidade Agropecuária

Indique a um amigo

Linhas de Pesquisa

+ Agronegócio e produção sustentável
  • Descrição:

    A linha de pesquisa Agronegócio e produção sustentável, com enfoques das pesquisas
    envolvendo os seguintes temas:  

    a) Desenvolvimento, seleção e aplicação sustentável de processos para o agronegócio e destino adequado aos resíduos e subprodutos da agroindústria;

    b) Sistemas sustentáveis de produção agropecuária;

    c) Estudo da interface produção agropecuária e visão computacional.

    d) Organização dos atores do agronegócio.

     A linha de pesquisa ajusta-se a proposta do Programa por abordar metodologia a ser disponibilizada para os atores das cadeias produtivas e, em particular aos Mestrandos e Doutorandos. As normas internacionais e a preocupação com o meio ambiente são cada vez mais expostas a comunidade e não cabe mais tentar contorná-las.

     É preciso produzir para alimentar e garantir condições de boa qualidade de vida dentro do contesto de sustentabilidade, que preserva para o futuro. Neste contexto, será necessário analisar processos disponíveis e ajustá-los para incluir os resíduos gerados, transformando-se se possível em co-produtos passíveis de valorização. Os processos produtivos deverão ser avaliados em seu contexto mais amplo. Caso processos com essas características não existam, deverão ser construídos, testados e analisados para implantações futuras.   A linha proposta se beneficiará da existência de competência para tratamento de resíduos líquidos de alta eficiência, que estão sendo aplicados à vinhaça como resíduo de usinas e destilarias. Também se beneficiará de docentes que atuam no desenvolvimento de processos e tecnologias apropriadas para a produção agropecuária.

     Os projetos de pesquisa científica envolverão mecanismos selecionados para alcançar essa forma de interferir na Região Centro Oeste (Cerrado e Pantanal), promovendo o desenvolvimento sustentável pela valorização dos recursos naturais renováveis. Apenas proceder a valorização dos recursos através de bioprospecção ou do extrativismo, sem agir sobre o ser humano, será despertar o interesse de comunidades e de empresas (indústrias) com risco de perder o controle sobre suas ações.

     Para isso serão usados como base projetos já em desenvolvimentos de forma interdisciplinar. Com exemplo de projetos que poderão permitir estabelecer esses processos cita-se o projeto bambu como instrumento de desenvolvimento e a apicultura como atividade extrativista garantindo maior remuneração para as comunidades locais pela Denominação de Origem Controlada, usando como instrumento a tecnologia social da visão computacional, assim colocada como uma inovação.

     Além disso, projetos envolvendo aproveitamento de resíduos agroindustriais para Produção de novilhos precoces em pastagens utilizando glicerina bruta proveniente da indústria do biodiesel como componente dos suplementos e Avaliação e utilização do farelo de Crambe (Crambe abyssinica Hochst) na dieta de ruminantes e a avaliação do desempenho produtivo e econômico do uso de Grãos de Girassol na Dieta de Bovinos Confinados, serão suporte para elaboração e estudo de diferentes sistemas produtivos com diversos enfoques que subsidiariam a compreensão da produção pecuária no Cerrado e Pantanal.

     A visão computacional tem se mostrado um domínio que permite racionalizar os custos e uso de mão de obra de forma a implantar o modelo de gestão denominado Agricultura de precisão. Na verdade para que seja possível a aplicação de defensivos e fertilizantes onde necessários, há necessidade de abandonar o modelo de produção tradicional vigente e permitir o uso de sistemas de sondas e aquisição de imagens que complementam a ação humana. Projetos de pesquisa já em andamento exemplificam essa tendência. Um projeto de aplicação de visão computacional é a técnica de avaliação de leveduras em usinas automatizando a aquisição de imagens e de sua leitura por software capaz de ler apenas as leveduras coloridas de azul (inviáveis) e as transparentes (viáveis). Tradicionalmente a análise é feita por técnico que conta as células de levedura e bactérias diretamente no campo do microscópio em processo moroso e passível de erro em razão do cansaço da visão humana. O uso de visão computacional permite a aquisição rápida e elaboração de gráficos para tomada de decisões na usina. Outra aplicação da visão computacional é o estabelecimento do comportamento de animais frente a novos tipos de alimentos e a resposta de insetos a produtos de controle.

     Em nível mundial, a organização dos produtores agrícolas é um dos aspectos mais importantes do agronegócio. A FAO e o Banco Mundial afirmam que este aspecto é um dos principais gargalos para o desenvolvimento da agricultura familiar. No Centro Oeste, a RECAF - Rede Centro-Oeste para o Desenvolvimento Sustentável da Agricultura Familiar, liderada por docente do Programa Olivier Vilpoux, identificou a falta de colaboração como um dos principais problemas dos assentamentos. Na agricultura patronal e no setor agroindustrial, esse aspecto se reveste também de grande importância, principalmente com a busca na redução dos custos de transação. Governanças eficientes explicam parte do sucesso dos setores de produção de aves e suínos.

     A importância da organização do agronegócio será abordada através as teorias da Nova Economia das Instituições e da Sociologia Econômica. Essa linha de pesquisa se beneficiará de projetos de pesquisa em andamento, tais como a Gestão dos Territórios da Cidadania, projeto financiado pelo CNPq e coordenado em nível nacional pelo MDA. Beneficiar-se-ão também dos trabalhos científicos publicados no livro “Agricultura Familiar e Sustentabilidade”, publicado pela Editora CRV, sob a coordenação de Professor do Programa.

     Para administrar todas essas variáveis há necessidade de envolver agrônomos, veterinários, zootecnistas, biólogos, matemáticos e engenheiros mecânicos de computação ao redor de um problema comum, permitindo aos Pós-Graduandos a visão ampla que o agronegócio exige.

+ Saúde, Ambiente e Sustentabilidade
  • Descrição:

    A linha de pesquisa Saúde, ambiente e sustentabilidade contempla os seguintes enfoques de pesquisas:

    (a) Degradação ambiental, diversidade biológica e saúde;

    (b) Controle sustentável de pragas, doenças e vetores que ameacem a saúde animal, vegetal e humana;

    (c) Sanidade na agropecuária e produção sustentável;

    (d) Zoonoses e doenças emergentes.

     

    A degradação ambiental segue no rastro do uso não adequado e não sustentável do solo e meio ambiente. A biodiversidade vegetal e /ou vegetal no Brasil e no Mato Grosso do sul apresenta ainda um gama de diversidade pouco explorada.

     

    A coleta de exemplares de vegetais para avaliação de suas moléculas (bioprospecção) é carro chefe da biotecnologia, mas é necessário que plantas bioprospectadas e portadoras de moléculas de interesse sejam multiplicadas e cultivadas de forma a não exaurir as plantas nativas.

     

    O extrativismo sustentável poderá melhorar o nível de vida dos moradores da área rural e atrair empresas, mas para isso exige a interferência das técnicas agrícolas e dos processos que serão disponibilizados em 1.a.

     

    Por outro lado é necessário que os conhecimentos gerados sobre a importância da alimentação e o impacto da segurança alimentar alcancem o campo, sob pena de permitir que gerações padeçam de doenças não contagiosas agravadas por obesidade e falta de conhecimento sobre valor alimentar, mesmo havendo disponibilidade de alimentos adequados na área rural.

     

    A Linha de pesquisa se beneficiará de docentes com conhecimento da área de saúde coletiva e segurança alimentar. Apesar de importantes e em forte crescimento mundial, os conceitos da agropecuária racional ainda foram pouco adotados no Estado do Mato Grosso do Sul, que continua privilegiando uma agropecuária tradicional.

     

    A introdução de conceitos modernos num curso de Pós-Graduação com formação de uma nova geração de profissionais que assumirão postos de direção em Ensino e Pesquisa poderia influir na formação dos futuros líderes do agronegócio brasileiro.